Ficha Corrida

08/01/2016

Amigos da Rede Globo: PSDB só tem Padrão FIFA

A cada dia que passa fica mais evidente a origem do ódio da direita golpista aos governos Lula e Dilma e ao PT. Com isto não se está querendo eliminar ou justificar os seus erros, que não foram poucos. O leitmotiv dos que defendem o golpe paraguaio é o ódio às investigações. Como atacar Lula e Dilma e o PT se estão presos tantos do PT e nenhum do PSDB. A “liberdade de ação ao PSDB” não escapou nem à Folha de São Paulo, ardorosa e maior apoiadora do PSDB. Os fatos são tantos e tão notórios que por vezes escapa por entre os dedos melindrosos dos a$$oCIAdos do Instituto Millenium.

Os que dizem lutar contra a corrupção, como o MPF, não se vexam em arquivar por três anos as informações da Suíça que comprometem o PSDB, Alstom & Siemens  no Propinoduto Tucano. A contribuição do Judiciário está mais do que evidente no julgamento do Mensalão Mineiro. Os fatos são anteriores à Ação 470, mas Joaquim Barbosa sentou no processo e, não satisfeitos com isso, devolveram à primeira instância.

Apesar da proteção mafiosa ao PSDB, que conta com a participação do STF, PF, MPF & TCU, algumas informações são por demais evidentes para serem menosprezadas. A seguir, o decálogo da besta:

1) o principal mote do candidato do PSDB em sua candidatura à Presidência era o choque de gestão e a meritocracia. Hoje uma notícia explica como isso funciona: STF mandou exonerar os 60 mil cabos eleitorais efetivados sem concurso;

2) depois de 17 anos o Mensalão Tucano foi julgado e o então Presidente da sigla foi condenado a mais de 20 anos de prisão;

3) os aeroportos de Cláudio e Montezuma, construídos com dinheiro público nas terras do Tio Quedo, e as centenas de viagens com aeronaves do Estado para si e para amigos & CIA Ilimintada não são nada diante do sumiço de um heliPÓptero com 450 kg de cocaína. Quando Mauro Chaves perpetrou o antológico artigo “Pó pará, governador” já se poderia adivinhar o porquê dos interesses em construir aeroportos clandestinos e a pouca importância na apreensão recorde do pó sem dono.

4) Aécio Neves também estrelou o novo filme da série 300, mas não ganhou capa da Veja nem segundos no Jornal Nacional;

5) apesar de todo desinteresse da associação Amigos do Alheio, presidida por Rodrigo de Grandis, a Suíça encaminhou as informações necessárias a comprovação dos negócios escusos da Alstom e Siemens com o PSDB;

6) o tCU, que sempre foi nota de rodapé nos jornais, quando se viu acossado por denúncias contra Augusto Nardes, pego na Operação Zelotes, e Aroldo Cedraz, do teleférico Tiago Cedraz, virou braço armado dos faz de conta;

7) todos grupos de comunicação, que se especializaram em espalhar ódio contra Lula, Dilma e o PT, estão na Lista Falciani do HSBC. Também estão na Operação Zelotes e nos escândalos de sonegação Padrão Fifa na Suíça. O mais escandaloso nestes casos é que os criminosos não são importunados pelos órgãos fiscalizadores no Brasil, mas não ousam viajar para o exterior com medo de serem presos. Isso explica tudo a respeito do viés partidário com que são perseguidos Lula, Dilma e o PT ao mesmo tempo em que seus adversários gozam de total impunidade;

8) o garoto propaganda do Napoleão das Alterosas, mascote do golpe paraguaio, hoje aparece ainda gordo, na FIFA FAN FEST do Jerôme Valcke….

9) alguém pode explicar porque pode ser presidente alguém que ganha o troféu de pior senador no ranking da Veja? Isso não explica porque Aécio perdeu pra Dilma exatamente onde é mais conhecido: Minas e Rio de Janeiro?!

10) O que a direita golpista quer fazer de Aécio Neves nosso Maurício Macri: aparelhar tudo por decreto, e salvar os grupos mafiomidiáticos, que, com a derrota do playboy, estão em coma…

Diante disso, que é muito mas não é tudo, entende-se porque os bandidos nazi-fascistas perderam o pudor e saíram das sombras vestindo camisas verde-amarelas  Padrão FIFA para atacar Lula, Dilma e o PT. A marcha dos zumbis, com o lema somos todos Cunha, explica o golpe paraguaio, mas também e principalmente o nível, o caráter e a ética dos que propagam o ódio contra Lula, Dilma e o PT.

jose-maria-marin-ronaldo-nazario-soccerex

quadrilhao

Ronaldo Aécio Alckmin Ronaldo Neves Fora

Valcke fez a Fifa pagar US$ 150 mil para alugar apartamento de Ronaldo, diz jornal

JAMIL CHADE, CORRESPONDENTE NA SUÍÇA – O ESTADO DE S. PAULO

07 Janeiro 2016 | 23h 18 – Atualizado: 08 Janeiro 2016 | 07h 31

Fifa havia alertado que reserva de hotel sairia mais barata

O ex-secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, obrigou a entidade a pagar cerca de US$ 150 mil para alugar um apartamento de luxo do ex-craque Ronaldo no Rio de Janeiro para que, em 2013, pudesse se hospedar no Rio de Janeiro para preparar a Copa do Mundo de 2014.

RELACIONADAS

Os dados foram publicados na edição de sexta-feira de um dos principais jornais suíços, o Tages Anzeiger. Valcke foi suspenso de seu cargo, depois que a reportagem do Estado revelou como ele manobrou a venda de entradas para a Copa de 2014. Se condenado, pode pegar uma suspensão do futebol de nove anos.

Segundo o jornal suíço, porém, a Fifa alertou que alugar uma suíte de hotel sairia mais barato que alugar o apartamento de Ronaldo, que na época fazia parte do Comitê Organizador Local, presidido por José Maria Marin. "Mas Valcke insistiu no apartamento. A Fifa pagou", escreveu o diário suíço.

A reportagem também conta como Valcke usou o jato privado da Fifa para viagens pessoais, levando inclusive seu filhos. Em 2012, o francês embarcou até Nova Delhi para uma reunião com a federação local. Mas aproveitou para dar um pulo também no Taj Mahal. Naquele momento, a Fifa não tinha regras sobre como os dois jatos da entidade deveriam ser usados. Agora, uma das prioridades da reforma de Domenico Scala foi a de estabelecer diversas regras, inclusive para o uso dos jatos.

Filho – Segundo o jornal, Valcke também ajudou seu filho, Sébastien a fechar acordos com a Fifa. Um deles se referia à empresa EON Reality, dos EUA. A companhia é especializada em hologramas e a ideia da Fifa era de trazer a tecnologia para o futebol. O contrato ficaria em US$ 700 mil.

Mas a EON, segundo o jornal, contratou justamente o filho de Valcke. Para completar, ele ficaria com 7% (cerca de US$ 50 mil) como comissão por ter aproximado a empresa da Fifa, dirigida por seu pai.

Durante a Copa do Mundo de 2014, a Fan Fest no Rio de Janeiro trouxe um stand justamente com um holograma da taça.

09/03/2012

Mini(stro) vira-lata

Filed under: Aldo Rebelo,FIFA,Jerome Volcke — Gilmar Crestani @ 8:20 am

Arriou!

Ministro do Esporte aceita os pedidos de desculpas da FIFA

Em resposta a Joseph Blatter, ministro pede que situação não se repita, "em prol da boa preparação da Copa do Mundo no Brasil" | Foto: Ramiro Furquim/Sul21

Da Redação

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, confirmou nesta quinta-feira (8) que o governo federal aceitou os pedidos de desculpa do presidente da FIFA, Joseph Blatter, e do secretário-geral da entidade, Jerome Valcke. Ambos haviam encaminhado cartas ao ministro se desculpando pela repercussão negativa de uma fala de Valcke, dizendo que o Brasil precisava de “um chute no traseiro” para dar andamento aos preparativos para a Copa 2014. O ministro confirmou também que Dilma Rousseff receberá Joseph Blatter, que pediu audiência com a presidenta em visita que pretende fazer ao Brasil a partir do dia 10 de março.

Leia mais:
– Secretário-geral da FIFA envia carta de desculpas a ministro do Esporte
– Presidente da FIFA reforça pedido de desculpas junto ao governo brasileiro

Aldo Rebelo enviou cartas para responder aos dois dirigentes da FIFA. A Blatter, o ministro confirmou que aceitava as desculpas e que Dilma receberia o dirigente, mas frisou que declarações como as de Valcke não podem mais se repetir, “em prol da boa preparação da Copa do Mundo no Brasil”. A comunicação com Jerome Valcke foi mais seca: em apenas duas linhas, Aldo Rebelo se limita a afirmar que aceita o pedido de desculpas.

A manifestação de Valcke provocou uma onda de repúdio no governo brasileiro e levou o ministro Aldo Rebelo a fazer uma solicitação formal à FIFA para que designasse um novo interlocutor, uma vez que o governo brasileiro não aceitaria mais tratar com o secretário-geral sobre questões relativas à Copa. Não há, até o momento, uma posição oficial da FIFA a respeito, e Aldo Rebelo não se posicionou sobre a questão após o pedido de desculpas de Valcke.

Sul 21 » Ministro do Esporte aceita os pedidos de desculpas da FIFA

Quem vencerá, o complexo de vira-lata ou Valcke?

Filed under: Jerome Volcke,Vira-latas — Gilmar Crestani @ 6:03 am

Os vira-latas torcem por Valcke; os brasileiros, pelo Brasil!

Retratação de Valcke é jogo de cena

Nos Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio de Janeiro, o gerente de imprensa do Comitê Olímpico dos Estados Unidos, Kevin Neuendorf, escreveu em um quadro negro, numa sala do Riocentro, a frase “Bem-vindo ao Congo”. A brincadeirinha desrespeitosa o levou de volta aos Estados Unidos antes mesmo que a competição começasse. Neuendorf era peixe pequeno, e o próprio comitê norte-americano o puniu. Agora, o secretário-geral da Fifa, Jêrome Valcke, elevou o tom da grosseria e disse que o Brasil precisava de “um chute no traseiro” para acelerar os preparativos para a Copa do Mundo de 2014. Valcke é peixe grande, um predador, e tirá-lo da jogada não é tão fácil assim.

Em primeiro lugar, os dois comentários se assemelham na prepotência e no julgamento de que lidam com antigos quintais, dos quais podiam por e dispor. A reação do governo brasileiro, no caso de Valcke, foi apropriada para reforçar a soberania do país e colocar o dirigente esportivo em seu devido lugar.  A afirmação do governo brasileiro de que não aceitava mais o secretário-geral da Fifa como interlocutor para a Copa de 2014 levou a pedidos de desculpas da Fifa e do próprio Valcke, mas a posição deveria ser mantida (enquanto escrevo essa questão não está definida) em nome da honra do país e como medida profilática contra o comportamento imperialista da entidade máxima do futebol.

O episódio que se vive agora é consequência da negociação com um grupo organizado que assumiu o controle da Fifa desde os tempos de João Havelange. E nesse esquema, Jêrome Valcke conquistou seu espaço à base de chantagens. O jornalista inglês Andrew Jennings, que investiga os meandros da Fifa há uma década e já escreveu dois livros sobre o funcionamento do comando do esporte no mundo, contou à Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado que no começo de 2001, Valcke trabalhou para uma companhia francesa que esperava comprar os ativos da falida empresa de marketing ISL, que cuidou dos negócios da Fifa, desde o início da era Havelange, em 1974 (ver coluna “Por um novo nome para o Engenhão, de 8/12/2011). Nessa operação, sua equipe examinou os livros da ISL e descobriu propinas “secretas e polpudas” pagas a autoridades da Fifa.

De posse dessas informações preciosas, Valcke as usou em benefício próprio para renegociar contratos com a Fifa. Dá para imaginar os argumentos que utilizou, diante de uma carta de resposta que recebeu do presidente da entidade, Joseph Blatter, afirmando que a posição da Fifa não seria alterada por “qualquer ameaça ou tentativa de chantagem”. Mas Blatter já estava nas mãos de Valcke e os arroubos foram apenas para inglês ver. Dois anos depois, o presidente da Fifa contratou o chantagista como diretor de marketing da entidade.

Mas as trapaças de Valcke não pararam por aí. Em 2006, ele teve que ser afastado do cargo, por má conduta, depois que um tribunal de Nova York o condenou por ter negociado acordos de patrocínio com a Visa, violando a prioridade que a Mastercard tinha por contrato com a Fifa. A malandragem custou US$ 90 milhões de multa à entidade. Mas menos de um ano depois, Valcke já estava de volta e com um cargo ainda mais importante, o de secretário-geral, o número dois da Fifa.

Valcke é o responsável pelo jogo sujo e Blatter opera por trás. No mesmo depoimento que deu ao Senado brasileiro, Jennings descreveu episódio iniciado em março de 1977, quando a ISL enviou propina de 1,5 milhão de francos suíços (cerca de US$ 1 milhão), que se destinavam ao então presidente da Fifa João Havelange, diretamente para uma conta da entidade. Blatter, à época secretário-geral, ordenou que o dinheiro fosse rapidamente transferido para a conta particular de Havelange.

Estas operações, algumas vezes deixaram rastros. O juiz suíço Thomas Hildebrand, ainda segundo relato de Jennings, descobriu evidências suficientes para provar que duas autoridades da Fifa receberam propina da ISL e que Blatter abafara o caso. Em maio de 2010, o juiz encerrou caso com a seguinte declaração pública: “O juiz de instrução Thomas Hildebrand, em agosto de 2008, começou uma investigação sobre alegações de que certos membros da Comissão Executiva da Fifa receberam propinas por contratos de marketing. Após inquérito, os acusados concordaram em devolver 5,5 milhões de francos e o caso foi encerrado”. Os acusados eram ninguém menos do que Blatter, Havelange e o atual presidente da CBF, Ricardo Teixeira.

É com este tipo de gente que o Brasil está lidando e não pode ficar refém. Se a meia-entrada é lei no país, a Fifa que se curve a ela. Não se justifica criar um período de exceção em nome da realização de uma competição esportiva administrada por mafiosos. Ter aberto as pernas para que bebidas alcoólicas sejam vendidas livremente nos estádios porque uma marca de cerveja patrocina o evento já foi além das medidas.

Em reunião da Comissão Especial da Câmara que analisava a Lei Geral da Copa, em novembro do ano passado, o craque Romário, já na condição de deputado federal, interpelou Valcke questionando como era possível confiar no secretário-geral da Fifa, protagonista do caso Mastercard, para cobrar do Brasil a organização da Copa. O tempo provou que não era mesmo possível confiar, e o governo brasileiro pode, elegantemente, aceitar os pedidos de desculpas da entidade, mas manter pé firme quanto à exclusão deste senhor das negociações futuras.

Sobre o autor deste artigo

Mair Pena Neto Jornalista carioca. Trabalhou em O Globo, Jornal do Brasil, Agência Estado e Agência Reuters. No JB foi editor de política e repórter especial de economia.

Retratação de Valcke é jogo de cena | Direto da Redação – 10 anos

05/03/2012

Valcke é vagabundo, diz Marco Aurélio Garcia

Filed under: FIFA,Jerome Volcke — Gilmar Crestani @ 9:08 am

É vagabundo como todo vira-lata tupiniquim que o apoia!

Valcke é vagabundo, diz Marco Aurélio Garca

Enviado por luisnassif, seg, 05/03/2012 – 08:16

Por wilson yoshio.blogspot

De O Globo

Assessor da Presidência chama Valcke de ‘vagabundo’

Na Alemanha, Marco Aurélio Garcia rebate críticas do secretário-geral da Fifa sobre Copa

Deborah Berlinck

 Ailton de Freitas/Arquivo O Globo
Marco Aurélio Garcia ainda chamou Valcke de “boquirroto” Ailton de Freitas/Arquivo O Globo

HANNOVER, Alemanha – O assessor especial para assuntos internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia, chamou neste domingo o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, de “vagabundo” por ter dito que oBrasil não estava organizando a Copa do Mundo como deveria e, por isso, merecia um “pontapé no traseiro”.

p>- O interlocutor (da Fifa) já está riscado. Esse cara é um vagabundo! – reagiu, pouco depois de chegar a Hannover, na Alemanha, na comitiva da presidente Dilma Rousseff.

Garcia disse que a presidente não discutiu isso à caminho da Alemanha:

– Imagina! A presidente tem coisas melhores para se irritar do que com os comentários de um boquirroto.

Garcia se mostrou particularmente irritado com a linguagem que Valcke usou e disse que não acredita que ele estivesse falando em nome da Fifa:

– Não me parece que bunda seja uma palavra diplomática, mesmo se traduzir como traseiro…

Ele disse que Valcke “mordeu a língua”:

– É um boquirroto. Ele não criou um problema para nós: criou um problema para a Fifa.

Garcia aproveitou para alfinetar Valcke como francês:

– Para aí: os franceses nunca se deram bem no colonialismo no Brasil…

Quanto ao mérito da crítica, o assessor especial da presidência disse que o Brasil vai ter o mesmo ritmo dos europeus e vai fazer (as obras necessárias) “do nosso jeito”.

LEIA AINDA: Aldo Rebelo diz que Valcke não será mais recebido

Valcke é vagabundo, diz Marco Aurélio Garcia | Brasilianas.Org

Ricardo Teixeira botou Volcke no fiofó da FIFA

Filed under: FIFA,Jerome Volcke,Rede Globo de Corrupção,Ricardo Teixeira — Gilmar Crestani @ 8:46 am

 

Grosseria ou malandragem?

Valcke: "pé na bunda" do Brasil e beijoca no rosto de Ricardo Teixeira?

Sobre a inominável grosseria do cidadão Jerome Valcke, que tem o direito de criticar o que quiser na organização da Copa mas não tem o direito de dizer que “o Brasil merece levar um pé na bunda”, o que levou o Governo Brasileiro a tomar a atitude de não mais recebê-lo como interlocutor da Fifa, é importante que se leia o que escreve Juca Kfouri, que entende como poucos de cartolagem, Ricardo Teixeira e o jogo sujo que corre por ali.

Atenção: podem estar querendo melar a Copa no Brasil

É sabido que a Fifa adoraria poder levar a Copa de 14 para a Inglaterra e parar de apanhar dos ingleses.

É sabido que Jérôme Valcke é parceiro de Ricardo Teixeira, a ponto de passarem férias juntos.

E que o secretário-geral da Fifa é pau para qualquer obra, até para ser condenado como foi pela Justiça da Suíça por litigância de má-fé, como foi no “caso Mastecard”.

A Fifa não dá ponto sem nó e não cometeria a indelicadeza que cometeu ao dizer que o Brasil precisa levar um pé na bunda para se mexer, por mais que saibamos que as coisas, de fato, estejam atrasadas por aqui.

Alguma coisa mais grave tem por trás de tal atropelo a um mínimo de diplomacia.

E não restou outra atitude ao governo brasileiro que não a reação do ministro Aldo Rebelo, exigindo a troca do interlocutor.

Pode ser o começo do fim da Copa no Brasil, nessas alturas com prejuízos incalculáveis diante de tudo que já está, mesmo que atrasado, em andamento.

Teixeira certamente se diverte com isso tudo e, quem sabe, se apresente como salvador, como algodão entre cristais, para evitar a catástrofe.

Seja como for, esta não é uma guerra de luvas de pelica, mas de gangsters (os cartolas da Fifa, evidentemente) mesmo.

Meu comentário: Não é improvável que as manobras sejam estas que Juca Kfouri descreve, mas a Fifa não está em condições de fazer o que bem quiser. A entidade, todos sabem, está abalada por escândalos e escândalos e, no mundo, não é como aqui que a Globo “absolve” a CBF nas instâncias cíveis e criminais. A reação do Governo brasileiro foi o mínimo que poderia fazer, e está-se agindo com a maior diplomacia, ao contrário do cavalo de cartola que responde pela secretaria da Fifa. Terrível é que a imprensa brasileira, que torce pelo fracasso da Copa, não tenha nem mesmo a dignidade – com raras exceções, como a que se transcreveu – de reagir a uma afronta grosseira como a que se fez.

Tijolaço – O Blog do Brizola Neto

As declarações do traseiro de Volcke tem endereço: a Lei da Copa

Filed under: FIFA,Jerome Volcke,Lei da Copa — Gilmar Crestani @ 6:49 am

A FIFA está indignada é com a Lei da Copa. Quer vender bebida alcoólica nos jogos da copa, ideia nenhum pouco civilizada. Ele não está acostumado com a discussão de idéias, quer apenas impor as dele ou de seus chefes. Democracia parece ser algo que a FIFA menospreza.

Governo quer novo interlocutor da Fifa após críticas de secretário-geral

Atualizado em  3 de março, 2012 – 16:35 (Brasília) 19:35 GMT

Jerome Valcke. | Foto: Getty

Críticos dizem que Lei da Copa, que ainda não foi aprovada, dá poucas responsabilidades à Fifa

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, rebateu neste sábado as críticas do secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, à "lentidão" nas obras da Copa do Mundo de 2014. O governo brasileiro também anunciou que pedirá um novo interlocutor à organização.

Em entrevista na sexta-feira, Valcke disse estar preocupado com os preparativos do Brasil para a Copa. O secretário-geral disse que poucas coisas estão funcionando e que os organizadores precisam de "um chute no traseiro".

Notícias relacionadas

Rebelo classificou as declarações de Valcke como "impertinentes e descabidas" durante entrevista coletiva em São Paulo. O ministro disse que pedirá ao presidente da Fifa, Joseph Blatter, um novo interlocutor.

Rebelo também anunciou que Valcke não será mais recebido pelas autoridades brasileiras.

O ministro disse que a maioria das obras dos estádios brasileiros segue o cronograma previsto. Rebelo ressalvou que as únicas obras atrasadas são as dos estádios de Cuiabá, Manaus, Recife e do Rio de Janeiro.

"Já as obras de mobilidade urbana, do total de 51 (obras previstas para serem realizadas), a previsão continua sendo a de entregar pelo menos 42 em 2013", disse.

‘Discussões infindáveis’

Valcke, que estava na Inglaterra para a reunião anual do conselho legislador da Fifa, fez duras críticas à Lei da Copa – que tramita na Câmara dos Deputados – e à lentidão da organização brasileira, segundo agências de notícias.

"O que é a Copa do Mundo para o Brasil, organizar a Copa ou vencer a Copa? Eu acho que é vencer a Copa. Quando você pensa na África do Sul, eles estavam mais preocupados em organizar do que em vencer", disse o oficial, citado pela AP.

Ele afirmou estar "frustrado" com o que chamou de "discussões infindáveis" no Congresso brasileiro sobre a Lei da Copa, que críticos dizem que dá muitos poderes e poucas responsabilidades à Fifa.

A comissão especial de deputados federais que analisa a Lei Geral da Copa (PL 2330/11) adiou para a próxima terça-feira a votação dos dez destaques ao relatório do deputado Vicente Candido (PT-SP).

O texto-base do projeto já foi aprovado, mas os deputados ainda precisam votar dez itens de destaque, antes de enviar o texto para o Plenário da Câmara e para o Senado.

Entre os assuntos a serem tratados está a venda de bebidas alcoólicas nos estádios durante as partidas da Copa do Mundo de 2014. Três dos dez destaques pedem que seja retirada a permissão para a venda.

‘Sem Plano B’

"O que é a Copa do Mundo para o Brasil, organizar a Copa ou vencer a Copa? Eu acho que é vencer a Copa. Quando você pensa na África do Sul, eles estavam mais preocupados em organizar do que em vencer."

Jerome Valcke, secretário-geral da Fifa

De acordo com o secretário-geral, não há um "Plano B" para a Copa do Mundo de 2014. Ele disse que o evento acontecerá no Brasil, mas que os torcedores podem sofrer.

"(O Brasil) não tem hotéis suficientes em todos os lugares. Há mais do que o suficiente em São Paulo e no Rio de Janeiro, mas, se você pensa em Manaus, é preciso ter mais", disse.

Sobre Salvador, ele opina que a cidade estaria pouco preparada para receber muitos torcedores. "A cidade é boa, mas (os trajetos) para ir ao estádio e toda a organização de transporte precisam melhorar."

O anúncio de que cada uma das 12 cidades-sede do Brasil receberá pelo menos quatro jogos causou preocupações sobre viagens aéreas dentro do país, por conta da infraestrutura aeroportuária.

"Tomamos a decisão de mover os times (de uma cidade para outra) e fomos criticados, porque se você torce para um time você terá que voar 8 mil quilômetros (para acompanhá-lo). Fizemos isso a pedido do Brasil para garantir que todas partes do país vejam a Inglaterra (por exemplo), caso o time se qualifique."

"Mas, tendo apoiado esta decisão, temos que garantir que os torcedores e a mídia – não os times, porque eles tem seus próprios aviões – conseguirão seguir as equipes", concluiu.

BBC Brasil – Notícias – Governo quer novo interlocutor da Fifa após críticas de secretário-geral

04/03/2012

Juan Árias, porta-voz colonialista

Filed under: Copa 2014,Jerome Volcke,Romário — Gilmar Crestani @ 9:11 am

A FIFA se ressente porque o Brasil não está docilmente se submetendo aos seus interesses como o fez a África do Sul, apesar do esforço de seus colonistas incrustrados nos grupos mafiomidiáticos. Quando Volcke tenta chutar o traseiro do Brasil, e erra em bola, é porque não está satisfeito com a suruba de mão única que a FIFA nos quer impor, como essa de obrigar a venda de bebida alcoólica nos estádios durante os jogos. Então, seu Volcke, quem é representante do atraso? A FIFA deu um cronograma,e ele está sento seguido. Embora falte muita coisa a fazer, o fato é que, levando-se em conta os prazos estabelecidos pela própria FIFA, não há nenhum obra atrasada. O fato de não andar no ritmo que a FIFA gostaria não tem nada a ver com os compromissos estabelecidos pela própria entidade. Então, fica o prazer de alguém que se realiza no papel de Cassandra, Juan Árias, e de um representante colonial extemporâneo, Volcke. O caso do Beira-Rio é emblemático. Embora as obras estejam paradas, há prazo hábil e dentro do que a FIFA previu. O Romário, calado, é um poeta!

“Un chute en el trasero” a Brasil

La FIFA recrimina al país sudamericano el retraso en las obras para el Mundial de 2014

Juan Arias Río de Janeiro 3 MAR 2012 – 23:33 CET2

  Ronaldo y Bebeto, con Maracaná como escenario. / ANTONIO LACERDA (EFE)

Las relaciones entre el gobierno de Brasil y la FIFA se han agriado duramente en las últimas horas. Ayer, el secretario general de la FIFA, Jérõme Volcke, hizo un duro ataque a los preparativos del Mundial de 2014, y y llegó a decir que Brasil “merece un chute en el trasero” por el retraso en las obras en los estadios.

Las declaraciones de Volcke fueron consideradas ofensivas para el país por el Ministro de Deportes de Brasil, Aldo Rebelo, hombre fuerte del PCdoB (Partido Comunista de Brasil), quien aseguró que no aceptará más a Volcke como interlocutor. Según el Ministro, Volcke “hizo comentarios impertinentes y descabidos con expresiones impropias, lo cual dificulta el ambiente de cooperación entre Brasil y la propia FIFA, que es de cooperación y entendimiento”. Rebelo anunció que va a comunicar al presidente de la FIFA, Joseph Blatter, que “no acepta más a Volcke como interlocutor”, y añadió: “Espero que tenga comprensión para entenderlo”.

Hasta el diputado federal y exfutbolista Romario ha entrado en la pelea. “La FIFA tiene razón al cien por cien”, dijo el brasileño. Volcke, además, explicó: “No entiendo por qué las cosas no están avanzando. Los estadios están fuera del plazo y muchas cosas están atrasadas. Nada ha sido aún hecho ni preparado para recibir mucha gente. Van a faltar hoteles. Lamento decir que las cosas no están funcionando en Brasil”.

“Un chute en el trasero” a Brasil | Deportes | EL PAÍS

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: