Ficha Corrida

24/07/2015

Já fui IPES e IBAD, mas hoje pode me chamar de LIDE

Filed under: Golpe Paraguaio,IBAD,Instituto Millenium,IPES,João Dória Jr.,LIDE — Gilmar Crestani @ 8:44 am
Tags:

João Dória Jr é, hoje, o único homem capaz de, sozinho, reunir numa mesma cela Eduardo CUnha, José Maria Marin, Del Nero, J. Hawilla, Ricardo Teixeira, e os filhos do Roberto Marinho.

O centro de toda onda golpista sempre foi finanCIAdo por empresários. Por quê? Porque, com o golpe, o golpista não precisa dar outra satisfação senão aquela para a qual existiu o golpe: derrubar adversários ideológicos. Foi assim no Chile, com os empresários provocando locaute. Na Argentina foram os empresários que solicitaram, mediante o fornecimento de uma lista quem deveria ser assassinado pelos golpistas da hora.

Na Venezuela houve uma particularidade. Diferentemente do Chile e da Argentina, a linha de frente golpista foi ocupa por empresários das telecomunciações. Enquanto no Chile e Argentina os veículos de comunicação apenas construíam a “legitimidade” dos ditadores, na Venezuela foram eles que botaram as mãos nas armas.

O Brasil também teve seu Cidadão Boilensen, da ULTRAGÁS. Se o golpe foi construído pelos veículos de comunicação da época, Rede Globo, Grupos Folha e Estado à frente, tirando os donos da Folha que presenciavam as sessões de tortura e estupro, como descobriu a Comissão da Verdade, ainda emprestavam as peruas para desovar os corpos esquartejados(vide Paulo Malhães) em valas clandestinas do Cemitério de Perus. Como, diferente do Chile, Argentina e Venezuela, os golpistas não só não foram punidos como continuam ativamente trabalhando. É o tal de golpe paraguaio que não sai das páginas dos jornais.

Chile, Venezuela e Argentina prenderem, julgaram e os condenados foram punidos. No Brasil nada disso aconteceu. Os bandidos estão soltos e quem ousa combate-los, como fez e faz Dilma, é criminalizada, seja construindo uma Ficha Falsa, seja construindo uma imagem negativa pelos mesmos veículos que se locupletaram com a orgia da ditadura. Por trás de todo veículo golpista há sempre um finanCIAdor ideológico. Depois do IBAD, do IPES, do Instituto Millenium, a LIDE e MBL estão aí para provar que a falta de punição é um incentivo à criminalidade. Maioridade penal seria punir os crimes contra a democracia, um patrimônio maior que aqueles praticados por menores batedores de carteiras.

Piada pronta: Dória Jr chama Eduardo Cunha para falar de democracia "participativa"

Junte esta receita:

Associação de Empresários, onde só entra quem fatura mais de R$ 200 milhões por ano.
.
Liderada pelo tucano João Dória Jr. (ex-Cansei, recente chefe da delegação da CBF no Chile).
.
Promovendo palestra com o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Até aí tudo bem, nascidos uns para outros. Em abril, no Fórum de Comandatuba, promovido pela Lide (Grupo de Líderes Empresariais) criado por João Dória Jr., os empresários financiadores de campanhas articulavam com Cunha a votação do PL 4330 da terceirização ilimitada (ver imagem acima).
O que vira piada é o tema: falar de democracia PARTICIPATIVA e relação com a sociedade civil.
Logo o Cunha que comportou-se como um ditador na presidência da Câmara impondo sua vontade nas votações, atropelando qualquer participação popular ou da sociedade civil?
Cunha poderia falar de "táticas de conquista do estado pelo poder econômico através do financiamento de campanha por empresas". Ou de "como passar projetos de leis na Câmara vantajosos para os patrões esfolarem os trabalhadores". Certamente falará nos bastidores sobre golpe paraguaio e seus riscos. Poderia falar muitas outras coisas. Só não dá para falar sério em democracia participativa.
E também não dá para acreditar em empresários milionários com tradição de influir no poder político pela força do dinheiro, estarem subitamente interessados em dividir irmamente com o povão o poder que exercem nas estruturas de estado. Conta outra estória melhorzinha, porque nessa não dá pra acreditar.
Bem. Já que a coisa é piada mesmo, vamos entrar no clima do humor.
Talvez seja questão de reinterpretar as palavras.
Onde se lê democracria leia-se plutocracia ("o poder político emana de quem tem mais dinheiro").
O "participativa" pode significar a participação nos, digamos, lucros advindos das generosas tetas do estado brasileiro, quando aparelhadas pelo poder econômico.
E João Dória Jr. é um líder de "movimento social", o MSVMCMD ("Movimento dos sem votos, mas com muito dinheiro").
Em tempo: o almoço-debate já estava marcado bem antes de Júlio Camargo dizer na Justiça Federal do Paraná que pagou propina de US$ 5 milhões para Cunha por sondas fornecidas à Petrobras. O colunista Lauro Jardim já publicava notinha no dia 6 de julho (figura abaixo).
Será curioso ver quais empresários comparecerão ao evento. Talvez até membros do Ministério Público tenham a curiosidade de conferir.

Os Amigos do Presidente Lula

2 Comentários »

  1. […] Sourced through Scoop.it from: fichacorrida.wordpress.com […]

    Pingback por Já fui IPES e IBAD, mas hoje pode me chamar de LIDE | psiu... — 24/07/2015 @ 12:52 pm | Responder

  2. Lembram do PC Farias, aquele gordinho careca bigodudo que achacava os empresários para arrecadar dinheiro cujo destino eram os paraísos fiscais? Cunha foi pau-mandado de PC Farias e atua hoje no mesmo estilo, pior, ameaça todo o mundo com represálias! Quem votou neste grande FDP deveria receber um atestado internacional de idiota muito trouxa!

    Comentário por pintobasto — 24/07/2015 @ 9:14 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: