Ficha Corrida

19/10/2014

Quem finanCIA o IMAZON?

Filed under: CIA,Desmatamento,Folha de São Paulo,ONGs — Gilmar Crestani @ 9:13 am
Tags:

Folha HoróscopBastou Marina declarar apoio ao Aécio que mensagens subliminares começam a pipocar. Mesmo aquela denúncia do Paulo Roberto Costa, de que repassou R$ 10 milhões ao Presidente do PSDB, Sérgio Guerra, não passa de cortina de fumaça. É fácil falar de um morto, Sérgio Guerra, mas poupam tudo o que diz respeito aos vivos, muito vivos, do PSDB. Por que até hoje o racionamento d’água em São Paulo não foi manchete? Por que, apesar de todas as informações disponíveis, a Folha nunca trouxe para a capa os empregos fantasmas do Aécio? Por que a Folha nunca denunciou, com foto na capa, a irmã do Aécio, Andreia Neves, que coordenava a distribuição de verbas nos veículos de comunicação em Minas, que incluía, entre os recebedores, rádios e jornais do Aécio, além dos Diários A$$oCIAdos, que edita o Estado de Minas, por onde saiu o “Minas a reboque, não!?

De repente, não mais que de repente, o desmatamento da Amazônia, com dados fornecidos por uma ONG brota do nada, no meio da fumaceira da eleição, e ganha capa. Já que, como diz a própria Folha, “Nenhum dos dois sistemas é inteiramente confiável. Não foram desenvolvidos para calcular a área de desmate, mas para lançar alertas que orientam a fiscalização por agentes do Ibama.” por que o assunto ganha a capa neste fim de semana que antecede as eleições?!

Sei, não, mas esta notícia está com cheiro de Boimate!

Quando se trata de um órgão federal, sempre é culpa da Dilma. Quando é estadual, em São Paulo, é a tal de crise d’água, a SABESP, o Sistema Cantareira… nunca é Geraldo Alckmin! Por quê? Na Folha de hoje há outra manchete típica da Folha: CPTM afasta gerente ligado a empresas do cartel de trens. Viram, a Folha não põe “na gestão Alckmin”?!

Desmate da Amazônia na gestão Dilma volta a crescer

ONG aponta nova alta do desmate na Amazônia

Corte raso em agosto e setembro subiu 191% em 2014 em relação a 2013

Números são de monitoramento do Imazon; governo adiou divulgação de dados do desmatamento

MARCELO LEITEDE SÃO PAULO

Agora se entende por que o governo Dilma Rousseff adiou para novembro a divulgação dos dados parciais de desmatamento da Amazônia em agosto e setembro: as taxas estão subindo.

No confronto do mês passado com o mesmo período de 2013, o salto foi de 290%.

Um total de 402 km² de florestas sofreu corte raso em setembro, área equivalente a mais de um quarto do município de São Paulo. No mesmo mês do ano anterior, haviam sido 103 km².

A tendência de alta se sustenta também quando considerada a soma de agosto e setembro, os dois primeiros meses do "ano fiscal" do desmatamento. Comparando o bimestre de 2013 com o de 2014, o incremento foi de 191% (de 288 km² para 838 km²).

As informações partem da ONG de pesquisa Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia), de Belém. Ela opera um sistema de alerta de desmatamento e degradação, o SAD, similar ao Deter, mantido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para o Ministério do Meio Ambiente.

"O aumento de 191% indica que vai ser difícil reduzir o desmate neste ano. Para reverter a tendência serão necessárias medidas de maior alcance e impacto, indo além da fiscalização", diz Adalberto Veríssimo, do Imazon

DADOS OCULTOS

As informações do Deter são divulgadas mensalmente, mas o governo federal decidiu nesta semana publicá-las só em novembro. A alegação é que os valores serão anunciados já com base em imagens de satélite quatro vezes mais precisas, com o programa chamado Novo Deter.

Nenhum dos dois sistemas é inteiramente confiável. Não foram desenvolvidos para calcular a área de desmate, mas para lançar alertas que orientam a fiscalização por agentes do Ibama.

A fim de cumprir esse objetivo, usam satélites que registram imagens em períodos mais curtos. Até aqui, o Deter só detectava polígonos desmatados com área mínima de 25 hectares (250 mil m²). O Novo Deter trabalhará com acuidade de 6 hectares.

Essa é a resolução obtida por outro sistema do Inpe, o Prodes, que fornece as taxas anuais oficiais de desmatamento na Amazônia. Dele proveio a informação de que entre agosto de 2012 e julho de 2013 se devastaram 5.891 km², 29% a mais que no período anterior de 12 meses. Essa taxa de desmatamento, no entanto, é a segunda menor já registrada na Amazônia.

Além disso, sempre houve discrepâncias entre as cifras apuradas pelo Deter e pelo SAD. O governo costuma silenciar sobre os alertas do Imazon, mas agora o faz ao mesmo tempo em que posterga os relatórios do Deter.

Cinco fatores, contudo, contribuem para reforçar a hipótese de que o Imazon tenha detectado uma tendência robusta de alta. O primeiro está no próprio aumento de 29% verificado em 2013/12.

O segundo é a recente intensificação, pelo Ibama e outros órgãos federais, do combate ao desmate ilegal. Ela teve como clímax a Operação Castanheira, no final de agosto, na região de Novo Progresso (PA), para desmantelar uma quadrilha de grileiros.

A baixa presença de nuvens no período analisado pelo SAD (apenas 7% da área da Amazônia Legal ficou sem monitoramento) constitui o terceiro fator. Menos áreas de sombra melhoram a acuidade do levantamento.

O quarto elemento é o aumento de outra variável computada pelo Imazon, a degradação florestal (por extração de madeira e queimadas). Foram detectados 711 km² em agosto e setembro, salto de 558% diante dos 108 km² do mesmo bimestre em 2013.

Por fim, o próprio governo indica que vêm crescendo as derrubadas abaixo do limiar de detecção do Deter. Como o Novo Deter enxergará desmates menores, de até 6 ha, seus resultados poderão ser maiores que os do SAD –e piores para Dilma.

3 Comentários »

  1. […] por exemplo, a manchete principal dizia: “Desmate na Amazônia na gestão Dilma volta a crescer”. Isto é, a gestão da Amazônia é da Dilma. Ao mesmo tempo e no jornal, a gestão do […]

    Pingback por Racionamento d’água: e se, ao invés de São Paulo, fosse no RS? | Ficha Corrida — 20/10/2014 @ 8:31 am | Responder

  2. […] Quem finanCIA o IMAZON? […]

    Pingback por Quem finanCIA o IMAZON? | MANHAS & MANHÃS — 19/10/2014 @ 9:25 am | Responder

  3. […] Se a CPTM fosse administrada pelo Governo Federal, a culpa seria da Dilma e estaria na capa, como esta do desmatamento na Amazônia: “Desmate da Amazônia na gestão Dilma volta a crescer”… […]

    Pingback por Manchete do tipo Folha, SQN: Na gestão Alckmin, gerente da CPMF ligado a cartel é afastado | Ficha Corrida — 19/10/2014 @ 9:24 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: