Ficha Corrida

15/07/2016

Eliseu Rima Rima, RBS, é coisa nossa, como a CRT!

Eliseu Rima RicaTodo dia aparece um pentelho da RBS no sabonete do golpe. Desde antes da CRT, a RBS é teúda e manteúda dos “depiladores” do patrimônio público. Basta ver a diferença de publicidade de seus apaniguados com os que ela combate ferozmente. Alguém já viu alguma atuação da RBS para desmascarar Eliseu Rima Rica? A gente viu como a RBS tratou Olívio Dutra e como a RBS se envolveu com Yeda Crusius. Embora a venda casa seja proibida, a longa manus  do RS no golpe atende por Eliseu e Pedro Parente. A RBS, Gerdau e todos os demais envolvidos na Operação Zelotes agradecem…

Eliseu tem três qualidades: pertence ao PMDB do CUnha e do Sartori, é gaúcho e tem o apoio da RBS, mas parece que lhe resta uma única saída para fugir da prisão, filiar-se ao PSDB. No mais, deste os tempos do escândalo dos precatórios do DNER, qualquer pessoa com alguma memória sabe do que é feito. Não por acaso ACM, que entendia do riscado, batizou-o: Eliseu Quadrilha. Foi numa entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, de 16/02/2001:

“Em diálogos privados, vazados para os jornais, o sr. confidenciou que FHC se negara a entregar um ministério a Jader por considerá-lo desonesto. Verdade?

ACM – Por considerá-lo sem condições para o cargo e, inclusive, com receio de que a mídia revivesse os casos de Jader Barbalho. Isso é verdade.

Faz tempo?

Sim. Na ocasião, houve uma mudança de ministério. Sobrou para o Eliseu Padilha a pasta dos Transportes. Ou seria Eliseu quadrilha? Nunca sei direito. Acho que é quadrilha mesmo”.

Poucos políticos entendiam tanto de quadrilha quanto ACM. Esse predicado foi aperfeiçoado quando a Rede Globo indicou-o para Ministro das Comunicações de Tancredo Neves, como mostra o documentário Muito Além do Cidadão Kane. Mas foi com FHC que ele, sempre como filial da Rede Globo, chegou ao ápice. Toninho Malvadeza contribuiu duplamente para a sociedade gaúcha levou a FORD  e deu um sobrenome à altura do Eliseu. Nada mais parecido que um ACM do que um Sarney ou um Sirotsky. Não por acaso, sentam à mesa do capo di tutti i capi, Marinho da Globo!

 

Eliseu "Quadrilha" cai no grampo da Andrade

Andrade derruba o "Governo". E quando a Odebrecht falar?

publicado 15/07/2016

O Gatinho angorá já tinha sido localizado na rede da Andrade, essa empreiteira muito amiga do Aecím, o chato.

Agora, no Globo, é a vez daquele a quem o ACM se referia como o Eliseu "Quadrilha".

(Breve, Lula na Casa Civil e Miriam Belchior de sub-chefe.)

Padilha pediu a Andrade Gutierrez que contratasse seu call center
O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, tratou em mensagens enviadas ao então presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Azevedo, de pedido para que a empresa telefônica Oi contratasse a estrutura do escritório de call center que ele tem em Porto Alegre. Na época, a empresa de telefonia era controlada pela empreiteira.
O pedido foi feito no início de 2014, na época em que Padilha era deputado federal. A troca de mensagens consta de relatório da perícia da Polícia Federal elaborado a partir da análise do telefone celular usado por Otávio Azevedo, incluído pela PF em inquérito público da Lava-Jato.
Padilha admite a troca de mensagens e encontros com o executivo, mas afirma que o projeto não foi adiante. Ele afirma que este foi o único motivo de contato dele com a Andrade Gutierrez.
"Caro Otávio, como foi a reunião com o ministro e o líder?”, escreveu Padilha às 21h45 de 13 de fevereiro de 2014.
“Estou usando este para pedir que marque para mim uma conversa com o dir comercial da Oi que trata de vendas via Call Center. Tenho um call center em P. Alegre e poderemos fazer ótima parceria", continuou Padilha.
Às 23h18 do mesmo dia, Otávio respondeu às mensagens, mas não é possível dizer se ele tratava exatamente do mesmo assunto.
“Amigo, a reunião foi boa e surgiu uma luz para acelerarmos o processo”, escreveu o executivo.
“Ótimo, podes compartilhar?”, perguntou Padilha três minutos depois.
“Call Center precisamos de falar. abs”, respondeu Otávio no minuto seguinte.
Quatro meses depois, às 15h41 de 25 de junho, Padilha voltou a falar com o executivo pelo telefone:
“Caro Otávio! Caso possas gostaria de falar pessoalmente em nome da pessoa com a qual estivemos. Hoje ainda, se possível”, escreveu.
Otávio marca o encontro para dali duas horas, no escritório da Andrade Gutierrez em Brasília. A troca de mensagens mostra que o encontro atrasou e foi realizado depois das 21h, no mesmo dia.

Eliseu "Quadrilha" cai no grampo da Andrade — Conversa Afiada

1 Comentário »

  1. […] Todo dia aparece um pentelho da RBS no sabonete do golpe. Desde antes da CRT, a RBS é teúda e manteúda dos “depiladores” do patrimônio público. Basta ver a diferença de publicidade de seus apaniguados com os que ela combate ferozmente. Alguém já viu alguma atuação da RBS para desmascarar Eliseu Rima Rica? A gente…  […]

    Pingback por Eliseu Rima Rima, RBS, é coisa nossa, co... — 15/07/2016 @ 12:02 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: