Ficha Corrida

22/07/2015

Valtan vai trabalhar pela primeira vez: se defender!

Filed under: Mistério Púbico,MPF,Valtan Timbó Mendes Furtado — Gilmar Crestani @ 10:11 am
Tags:

Da linhagem de um Rodrigo de Grandis, Valtan Timbó Mendes Furtado vai, enfim, ser visto trabalhando. Vai ter de se explicar ao CNMP. Coisa fácil, se até o De Grandis conseguiu, porque seu Furtado não conseguirá. O Ministério Público, junto com o tCU, é mais uma instituição com desvio de finalidade. Ao invés de serem fiscais da lei, são infratores da lei. Ao invés de patrocinarem investigações da Polícia Federal, tornaram-se porta-vozes de políticos inescrupulosos. Ou vai dizer que fazer campanha para o Napoleão das Alterosas não é suficientemente revelador do caráter desta gente.

Aliás, bravos membros do MP, onde foi parar o helipóptero com 450 kg de cocaína?!

Procurador anti-Lula será investigado pelo CNMP

:

Conselho Nacional do Ministério Público instaurou procedimento disciplinar contra o procurador da República Valtan Timbó Mendes Furtado, acusado pelos advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de ter interferido na apuração preliminar sobre o suposto tráfico de influência em favor da Odebrecht; ele já responde por outro procedimento disciplinar por não ter dado andamento a 245 procedimentos que estavam sob a sua responsabilidade

22 de Julho de 2015 às 05:25

Por Livia Scocuglia, Consultor Jurídico

O Conselho Nacional do Ministério Público instaurou procedimento disciplinar contra o procurador da República Valtan Timbó Mendes Furtado. Ele é acusado pelos advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de ter interferido na apuração preliminar sobre o suposto tráfico de influência em favor da Odebrecht. Para a defesa de Lula, houve desvio de função.

Um dos advogados de Lula, Cristiano Zanin Martins, do Teixeira, Martins & Advogados, aponta para os três motivos que levaram ao pedido de instauração do procedimento. Primeiro é o fato de o procurador ter convertido uma notícia de fato em procedimento investigatório criminal, quebrando as regras de atribuição. Segundo é que, pela regra do CNMP, o procurador não teria competência para intervir no procedimento, já que a responsável pelo caso era a procuradora titular Mirella de Carvalho Aguiar. E, por último, foi ter convertido em procedimento um caso antes de ter recebido a resposta do interessado.

A defesa pediu ainda a suspensão da eficácia do ato do procurador, mas o corregedor Alessando Tramujas Assad recusou o pedido por entender que o CNMP não poderia tomar essa decisão. Segundo o corregedor, isso seria uma revisão do ato praticado pelo procurador que deveria ser pedida em outra esfera.

Agora, Furtado tem dez dias para apresentar as explicações solicitadas pelo CNMP. Caso fique constatada a infração disciplinar, o procurador pode ser punido. Ele já responde por outro procedimento disciplinar, também instaurado pelo CNMP, por não ter dado andamento a 245 procedimentos que estavam sob a sua responsabilidade.

Procurador anti-Lula será investigado pelo CNMP | Brasil 24/7

29/10/2013

PMP–Partido do Mistério Púbico

Filed under: Ministério Público,Piada de Português — Gilmar Crestani @ 9:33 am
Tags:

O Ministério Público virou piada pronta. Pelo menos a parte midiática, aquela que arquiva ofício como uma diarista que guarda vassoura e pano de chão. E querem se a Polícia Federal Pra isso?

E o pior que pode acontecer uma magarefe destes, a pior punição, é ser afastado com proventos integrais, isso se o Conselho do MP fosse levar o assunto “às últimas consequências”. Piada, só rindo!

Estes são nossos defensores da lei.

Procurador “esquecido” se lembra de prender o Dirceu

Esquecer do Cerra fica por isso mesmo ? O que fará o Conselho do MP ?

Clique na imagem e assista

Dica de Stanley Burburinho:

O Procurador Federal de São Paulo, Rodrigo de Grandis, é protagonista de um dos episódios mais estarrecedores da História do Ministério Público: ele se esqueceu de atender a pedido da Justiça da Suíça que, inevitavelmente, levaria à punição do Padim Pade Cerra e uma leva de tucanos (de São Paulo !).
Veja, amigo amigo navegante, nessa entrevista ao Heródoto Barbeiro, na RecordNews, como ele é implacável, inflexível, um ferrenho inimigo da impunidade !!!
Viva o Brasil !
E o Conselho Nacional da Magistratura não vai fazer nada ?
Dr Janot, a Dilma foi Republicana. O senhor será ?
Leia aqui “O MP é o DOI-CODI d Democracia”.
Paulo Henrique Amorim

Procurador “esquecido” se lembra de prender o Dirceu | Conversa Afiada

PMP–Partido do Mistério Púbico

Filed under: Ministério Público,Piada de Português — Gilmar Crestani @ 9:33 am
Tags:

O Ministério Público virou piada pronta. Pelo menos a parte midiática, aquela que arquiva ofício como uma diarista que guarda vassoura e pano de chão. E querem se a Polícia Federal Pra isso?

E o pior que pode acontecer uma magarefe destes, a pior punição, é ser afastado com proventos integrais, isso se o Conselho do MP fosse levar o assunto “às últimas consequências”. Piada, só rindo!

Estes são nossos defensores da lei.

Procurador “esquecido” se lembra de prender o Dirceu

Esquecer do Cerra fica por isso mesmo ? O que fará o Conselho do MP ?

Clique na imagem e assista

Dica de Stanley Burburinho:

O Procurador Federal de São Paulo, Rodrigo de Grandis, é protagonista de um dos episódios mais estarrecedores da História do Ministério Público: ele se esqueceu de atender a pedido da Justiça da Suíça que, inevitavelmente, levaria à punição do Padim Pade Cerra e uma leva de tucanos (de São Paulo !).
Veja, amigo amigo navegante, nessa entrevista ao Heródoto Barbeiro, na RecordNews, como ele é implacável, inflexível, um ferrenho inimigo da impunidade !!!
Viva o Brasil !
E o Conselho Nacional da Magistratura não vai fazer nada ?
Dr Janot, a Dilma foi Republicana. O senhor será ?
Leia aqui “O MP é o DOI-CODI d Democracia”.
Paulo Henrique Amorim

Procurador “esquecido” se lembra de prender o Dirceu | Conversa Afiada

26/10/2013

Esquecimento? Só um idiota acreditaria

Filed under: Ministério Público — Gilmar Crestani @ 10:11 pm
Tags: , , ,

O que mais me espanta nesta história é a ousadia que avacalha a inteligência e causa vergonha alheia. Se uma diarista esquecer o local dos talheres ou do balde e vassoura, está desculpada. Ela é diarista. Um Procurador da República que recebe um documento internacional, mandado por um órgão similar, vindo da Suíça e não do Paraguai, que envolve desvio de milhões de reais, justificar a inoperância com esta desculpa, é uma cusparada na cara de quem acredita nele. Este sujeito deveria ser posto no olho da rua se o Conselho Nacional do Ministério Público servisse para algo mais do que a defesa do corporativismo. Alguém pode acreditar num Ministério Público que comete um erro providencial destes? Tudo seria tão simples de entender não fossem seus serviços prestados ao PSDB de São Paulo e sua longínqua parceria com José Serra. Rodrigo de Grandis prova que a existência de um Gurgel não é um acaso, como pode se repetir. Se Rodrigo chegar lá. O sobrenome pode ser de grandis, mas sua desculpa é de gradante!

Procuradoria da Republica: um esquecimento providencial

Enviado por Luiz Eduardo Brandão, sab, 26/10/2013 – 15:35

Autor: Luiz Eduardo Brandão

Sem apoio do Brasil, parte do caso Alstom é arquivado pela Suíça

Sem a cooperação dos colegas brasileiros, procuradores da Suíça que investigam negócios feitos pela multinacional francesa Alstom com o governo do Estado de São Paulo arquivaram as investigações sobre três acusados de distribuir propina a funcionários públicos e políticos do PSDB. A Suíça pediu em fevereiro de 2011 que o Ministério Público Federal brasileiro interrogasse quatro suspeitos do caso, analisasse sua movimentação financeira no País e fizesse buscas na casa de João Roberto Zaniboni, que foi diretor da estatal CPTM entre 1999 e 2003, nos governos dos tucanos Mário Covas e Geraldo Alckmin, mas nenhum pedido foi atendido. De acordo com a Procuradoria da República em São Paulo, o gabinete do procurador Rodrigo de Grandis, responsável pelas investigações sobre os negócios da Alstom no Brasil, cometeu uma "falha administrativa": o pedido da Suíça foi arquivado numa pasta errada e isso só foi descoberto na quinta-feira. O pedido ficou sem qualquer providência por dois anos e oito meses. As informações foram publicadas no jornal Folha de S. Paulo.

A procuradoria suíça também solicitou que fossem interrogados os consultores Arthur Teixeira, Sérgio Teixeira e José Amaro Pinto Ramos, suspeitos de atuar como intermediários de pagamento de propina pela Alstom. Os procuradores da Suíça apontam que Arthur Teixeira e Sérgio Teixeira foram os responsáveis pelos repasses ao ex-diretor da CPTM. Após perceber a falha administrativa, a Procuradoria no Brasil disse que já avisou o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) sobre o problema e que as autoridades suíças serão indagadas se ainda querem adotar medidas quanto aos suspeitos. No entanto, nesta semana autoridades brasileiras receberam a informação de que os suíços arquivaram as investigações sobre Zaniboni, Ramos e Sérgio Teixeira, morto em 2011. Eles haviam sido indiciados por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro. O único que continua sendo investigado é Arthur Teixeira, controlador da empresa Gantown, sediada no Uruguai, que teria feito repasses da Alstom para Zaniboni entre 1999 e 2002. Zaniboni afirma que o dinheiro se referia a serviços de consultoria prestados antes de sua chegada à CPTM.

Procuradoria da Republica: um esquecimento providencial | GGN

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: