Ficha Corrida

20/06/2016

Mágica: Presidente CUnha e Vice-Rede Globo fazem sumir “corrupção” e “crise”

OBScena: “Somos todos CUnha”, no Parcão, almoçando grátis nas costas do MBL, foi financiado pelos golpistas.

Parcao2De repente, como num passe de mágica, sumiram as notícias ruins sobre economia. Os noticiários já não culpam o governo de Eduardo CUnha pela crise. Virou um problema externo. E antes que que alguém queira me corrigir dizendo se trata de um governo Temer e não CUnha, lembro que o único eleitor de Temer é CUnha, e sem este ele não passaria de um vice-decorativo. E CUnha só fez o serviço sujo sob o comando da Rede Globo. A combinação para levar pra rua aquela manada de amestrados vestindo verde amarelo, suspendendo um rodada do Brasileirão para transmitir ao vivo o espetáculo comandado por CUnha no Congresso os pés, os quatro, da famiglia Marinho. Ela, a Rede Globo, é a especialista em golpe. CUnha é especialista em chantagem, lavagem de dinheiro e compra de deputados.

O modus operandi do Golpe Paraguaio é o mesmo que vazou pela Parabólica, no clássico diálogo entre Rubens Ricúpero e Carlos Monforte. Reforçam o que eles entendem ser positivo nos golpistas sob a liderança de CUnha e escondem todos os escândalos do incrível Exército de Brancaleone do general Temer. Não por acaso o chefe da SGI é filho bastardo da ditadura. Como defendiam os midiotas do Parcão, não existe almoço grátis

Em menos de um mês três ministros já foram pra degola. E o mordomo de filme de terror já tem várias delações para explicar. Só para lembrar os anencefálicos, Dilma não foi delatada nenhuma vez. Nem Lula. Imagine se tivesse havido pelo menos uma delação em relação à Dilma ou a Lula. Teriam sido caçados pelas hienas de verde amarelo e enforcados em praça pública.

Dizer que o fascismo voltou às ruas como tropa de choque da direita é eufemismo. A direita nunca saiu das ruas porque estava sempre sendo cevada pelos meios de comunicação. Lembremos do caso do menino João Hélio, quando a Rede Globo buscou enfiar goela abaixo do Congresso a menoridade penal. Ora, todo dia são assassinadas crianças nas favelas, mas aí, inclusive e principalmente pela polícia, mas aí, para o fascismo mafiomidiático, não é crime, é limpeza. Quando ocorre uma morte como a do João Hélio as cores fascistas são pintadas com tintas ainda mais fortes, e o fascismo aflora sem dó nem piedade. Assim, os fascistas que adentraram sobre a UNB como a Marcha Sobre Roma, não é um fenômeno de camisas verde-amarelas. Os camisas negras na Itália fascista são inspiração das camisas verde amarelas que tomaram conta do Parcão  em Porto Alegre. Os midiotas que tanto lutaram para colocar o gaúcho Eliseu Rima Rica na Casa Civil e Pedro Parente na Petrobrax não passam de uma massa continuamente cevada e amestrada pela RBS. O fascismo à brasileira não prescinde do coronelismo eletrônico filiado, de norte à sul, à Rede Globo. De José Sarney, no Norte, à família Sirotsky, no Sul, o fascismo é serventia da casa. Basta ver o comportamento de seus âncoras em relação aos movimentos sociais. Viram verdadeiros pittbulls. Já em relação aos cleptomaníacos, parecem uns Luluzinhos da Pomerânia.

De repente sumiram as panelas e as manifestações, como dizia a RBS, “cívicas”. Sumiram das páginas dos jornais e nos comentários de rádios e tevês as palavras crise e corrupção. Mas eu ainda lembro da face destes hiPÓcritas, que fazem cara de brabos quando há um tiroteio entre traficantes na Vila Cruzeiro, mas não dizem uma vírgula a respeito dos consumidores do Parcão.  Não há narcotráfico sem consumidores. Não há aviãozinho de favela sem Perrelas, Aécios, ou Casagrandes. Mesmo quando se tem provas que o helPÓPtero saiu do Paraguai e foi até o Espírito Santo, e que tenha 450 kg de cocaína, e que se conheça piloto e seus patrões e a fazenda, ainda assim não vem ao caso. O único castigo é cara ainda virar Ministro da República das Bananas. Quando a Plutocracia derruba uma Presidenta honesta para colocar a cleptocracia em seu lugar, tudo é possível. Agora só falta escalarem Fernandinho Beira-Mar e Marcola.

De repente a manada de midiotas do Parcão tomou chá de sumiço. Alguns se dizem enganados. Ora, como era uma massa de brancos com curso superior, não há desculpa nem escapatório. Nunca foi falta de informação, foi só deformação de caráter.

28/12/2015

Milhões de brasileiros pelados, é a comprovação da crise vendida pela mídia

fsp 28122015

A praia da Escandinávia é assim?

Por Fernando Brito · 28/12/2015

O primeiro domingo de verão, quentíssimo, “bombou” no Rio de Janeiro.

Moro perto de uma praia – embora perto de de uma praia “longe” –  e não havia espaço para parar uma bicicleta.

Havia, na orla do Rio de Janeiro, algo como dois milhões de pessoas.

Mas a notícia,  segundo os jornais, foi uma tentativa de assalto, da qual saíram 10 pessoas presas, possivelmente algumas só pela confusão.

Mas que fossem todas assaltantes, que seja…

Um assalto em dois milhões de pessoas, dez presos nessa multidão, seria índice de fazer cair o queixo de dinamarqueses ou suecos. Seria, provavelmente, a menor incidência criminal do planeta.

Como a cidade do Rio de Janeiro tem seis milhões de habitantes, seria dizer que há aqui três tentativas de assalto por dia e apenas 30 presos sendo levados à delegacia.

É evidente que isso não é verdade, senão aqui seria o céu.

Assaltou-se hoje, como se assalta, não foi só um que perdeu seus pertences. E prende-se aos magotes, muito mais que os só dez que foram levados ao “doutor delegado”.

Ninguém quer fingir que aqui é a Noruega.

Mas aqui não é o Iraque, nem dos pobres das favelas desce um “Exército Islâmico” para degolar os passantes.

Mas está evidente que o Rio – e o Brasil, por expansão – é vitima do poder do foco da Globo.

É, aliás, há anos.

A taxa de criminalidade escandinava que seria uma tentativa de assalto entre dois milhões de pessoas é transformada numa guerra civil não declarada, na barbárie, no terror.

Criou-se um ambiente de pânico, e com ele se alimenta o ódio, tal como se mostrou no dia das manifestações da direita, quando aquele grupo de skatistas negros e mulatos foi identificado como uma horda esquerdista que iria atacar as senhoras da nova UDN.

O Rio teve um dia de quentíssima festa.

Mas é preciso estragá-la, colocar a cidade e clima de guerra civil, o que muito agrada aos brutos de todos os lados; aos bandidos, porque de chefetes os faz generais; à policia, porque os faz salvadores, em lugar de servidores,

E no lugar da alegria, uma crise.

A CBN, é verdade, noticia: Rio de Janeiro bate recorde de turistas no feriado de fim de ano. E mais:  “Cidade deve receber 850 mil visitantes, economia deve ter movimentação de R$ 686 milhões e hotéis têm taxa de ocupação de até 94%. Pontos turísticos estão lotados.”

Mas é preciso acrescentar um porém: “Turistas, no entanto, buscam formas de economizar e se hospedam em casas de amigos ou albergues.” Como se ficar em casas de amigos (quando se os tem ) e em albergues (onde os há, e em toda parte os há mais que por cá) fosse novidade em qualquer cidade turística do mundo.

É isso o que se quer dizer quando se fala que a Globo molda a a política no Rio de Janeiro.

Não é possível deixar crer que dois milhões de pessoas, ricas, pobres, brancas, negras, das coberturas e das favelas possam partilhar em paz de um mesmo pedaço da Terra (e do mar).

E, olhe, quase peladas!

Seria admitir o inadmissível: que somos todos humanos e, pior…civilizados!

A praia da Escandinávia é assim? – TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: