Ficha Corrida

01/05/2015

Terceirização, uma bandeira assassina da direita, aqui e na Argentina

Filed under: Direita,Terceirização,Trabalho Escravo,Trabalho Infantil — Gilmar Crestani @ 9:52 am
Tags: ,

terceirização

"Que nunca más sucedan estas cosas fruto de injusticias"

El legislador porteño y titular de La Alameda, Gustavo Vera, recibió una carta del papa Francisco en solidaridad con la familia de los dos niños muertos en Floresta, tras el incendio de un taller textil. Ayer, Vera denunció penalmente a la vicejefa de Gobierno, María Eugenia Vidal, y al jefe de Gabinete, Horacio Rodríguez Larreta, entre otros funcionarios, por "abuso de autoridad, violación de los deberes de funcionario público y encubrimiento".

En la carta dirigida al titular de La Alameda, Francisco saludó: "A todos ustedes que están reunidos para orar por Orlando y Rodrigo Camacho les hago llegar mi cercanía y los acompaño en el dolor y el sufrimiento". Además, el pontífice agregó: "Lo sucedido me causa mucho dolor. Estoy junto a ustedes y pido al Señor nos ayude a que nunca más sucedan estas cosas, fruto de injusticias".

Vera presentó la denuncia ante el juzgado federal de Sergio Torres, y el fiscal Carlos Rívolo contra Vidal, Rodríguez Larreta, además de el subsecretario de Trabajo porteño, Ezequiel Sabor, y el director ejecutivo de la Agencia Gubernamental de Control, Juan José Gómez Centurión.

El titular de La Alameda sostuvo que "Vidal y Rodríguez Larreta estuvieron abiertamente, como altos funcionarios del gobierno porteño, diciendo que jamás tuvieron conocimiento de este taller, mientras que hay documentos del propio Gobierno de la Ciudad que dicen todo lo contrario".

El documento citado es una nota con membrete del gobierno porteño, fechada el 21 de noviembre de 2014, en la que la administración macrista informó que “no se registraron inspecciones de higiene y seguridad” en la vivienda de Páez 2796, en respuesta a una denuncia de la Procuraduría de Trata y Explotación de Personas (Protex), en un expediente “sobre posible trata de personas con fines de explotación laboral” en 32 lugares señalados por La Alameda, entre ellos la vivienda de la calle Páez.

Página/12 :: Ultimas Noticias :: "Que nunca más sucedan estas cosas fruto de injusticias"

19/04/2015

A escalada da covardia

OBScenas: Globo terceiriza defesa da sonegação!

sonegaçaoNuma escalada, o alpinista que vai à frente prega os pontos de apoio que darão suporte aos que vem atrás. Se não encontrar para si uma via para a subida, com pontos de apoio próprios, corre o risco de ser levado de roldão pelos que estão acima. A direita vem mantendo a dianteira sob o olhar complacente e acovardado do PT.

A escalada do ódio ao PT tem origem no nascedouro do partido. Lula, nas greves do ABC, emparedou a ditadura. Ao criar o PT, trouxe o chão da fábrica para os palcos. Nossa direita, que adora uma política de castas, adora trabalhador… trabalhando, rico enriquecendo e ladrão roubando. Mantém vivo e atual, em pleno século XXI, o velho ditado romano: “dar a cada um o que é seu”. Aos ricos, a riqueza; aos pobres, a pobreza!

A união da direita é forjada por meio dos associados do Instituto Millenium, com a Rede Globo à frente. Como na fábula da rã e do escorpião, o PT deveria saber qual é a natureza da Globo. Uma vez golpista, sempre golpista. Ajudou a implantar e deu sustentação à ditadura. Na volta da democracia, escondeu a marcha das direta-já em São Paulo. Depois manipulou o debate entre Collor e Lula. Manteve seus métodos no Escândalo da Proconsult. A marcha da insensatez chegou na aliança com Rubens Ricúpero naquele que se convencionou chamar de Escândalo da Parabólica. Não bastasse isso, selou a captura de FHC mediante o uso de uma funcionária chamada Miriam Dutra. Fez acreditar que o filho dela era de FHC. Um exame de DNA provou que era só filho da mãe. Mas nada disso importa. Imagine isso acontecendo com Lula ou Dilma…

Todos e tudo o que pode ser usado para criminalizar o PT, a Globo usa sem o menor pudor. Se não há, fabrica. Mantém viva a lei Rubens Ricúpero: esconder o que é bom ao PT e aumentar o que é ruim. E para isso tem uma rede de filiais com a nata do coronelismo eletrônico regional: Sarney, no Maranhão; ACM, na Bahia; Collor, em Alagoas; Sirotsky, no Sul.

Igual ao polvo siciliano, a rede malha o PT e alivia para seus finanCIAdores ideológicos. A RBS ataca o PT mas alivia para o Gerdau. Aumenta o volume para a Lava Jato mas esconde a Operação Zelotes e silencia em relação à Lista Falciani do HSBC.

Como diz a crônica, até aí morreu Neves.

Claro, é da lógica que os iguais se auxiliem mutuamente. A direita tem todo o espectro midiático a seu auxílio. O PT, não. O PT tem o povo e suas políticas sociais. Montado nisso, pensou ser suficiente. Quando introduziu a política de cotas raciais, o responsável pelo jornalismo da Globo, Ali Kamel, escreveu um enorme livro para provar que “Não somos racistas”. Com o livro a Globo atacava não só a política de cotas, mas a ideia de que há segmentos sociais que necessitam mais de políticas públicas do que outros, que sempre se beneficiam das políticas públicas. A mesma camada social que pode abater os gastos com instrução e as despesas médicas no imposto de renda luta contra o mais médicos e o Bolsa Família. Tenho colegas que recebem auxílio alimentação, auxílio creche, abatem R$ 189 por dependente, e ainda deduzem despesas médicas e de instrução dos filhos no imposto de renda, mas são contra as políticas sociais que beneficiam quem não tem nada. Como explicar isso senão pelo espírito de manada de quem adota sem o menor constrangimento a ojeriza social vendida pelos grupos mafiomidiáticos sem que nenhum contraponto do PT?!

Os fatos ocorridos no governo FHC não foram bem assimilados pelo PT. Fernando Henrique mostrou, na prática, como se deve fazer. Comprou a reeleição. Terceirizou à Globo a defesa de seu governo. Entregou o patrimônio público às empresas que os EUA indicaram, como a Raytheon. Mesmo sem deixar uma única obra que se use tijolo e cimento, é até hoje um oráculo para os assoCIAdos do Instituto Millenium.

A direita, organizada sob a batuta da Globo & Veja, foi subindo na escalada criminalizadora do PT.  O PT não reagiu. Fez ouvidos moucos. Nem mesmo durante a Ação 470, quando foi sozinho ao cadafalso montado pelo Assas JB Corp, porque a literatura jurídica lhe permitia ou porque foi feito pra isso, sim, reagiu à altura. Os personagem de crime semelhante ficaram e permanecem de fora. Até a Folha de São Paulo foi capaz de apontar os benefícios que o PSDB vem obtendo no Poder Judiciário, mas o PT continua achando que, por estar certo, não precisa se defender, não precisa reagir às mentiras. Não precisa apontar o estrabismo que leva uns à prisão e eleva outros a heróis sob os holofotes da mídia. Por que Agripino Maia, Álvaro Dias e Aécio Neves, também apontados na Lava Jato, continuam soltos?!

A diferença de tratamento dado ao PT e ao PSDB pelo Poder Judiciário é tão gritante que um deputado do PSDB gaúcho, Jorge Pozzobom, tripudiou dizendo que, por não ser petista, não corria risco de perder uma ação e, por isso, ser preso.

No meio da escalada, a direita que se mantém à frente, vai jogando dejetos, cortando os fios, deixando o PT na lona por inanição.

As marchas dos zumbis chamadas pela Rede Globo teve apoio de todos os segmentos derrotados na eleição. O PT viu apenas como direito democrático de manifestação.

Porra! Que democracia é essa que aceita a defesa de sua destruição? Uma democracia que não se defende de saudosos da ditadura é um simulacro. Há quem no PT pense que se tratava de direito legítimo de protestar contra a corrupção. Ué, e os cartazes defendendo a corrupção por sonegação?

Porra! Alguém viu cartazes denunciando a corrupção na Globo? Quem gritou contra a corrupção pega na Operação Zelotes que envolve a Gerdau e a RBS? Alguém viu cartaz cobrando a corrupção dos envolvidos na Lista Falciani no HSBC?!

As manifestações redundaram em ataques violentos contra petistas. Sedes do PT foram incendiadas. E o PT? O PT reage em notas oficiais tímidas, quase que pedindo desculpas por apontar a sujeira no umbigo alheio. O que o PT fez para que o narcotráfico revelado na apreensão do helipóptero fosse investigado? Por que deixou que o assunto fosse jogado para debaixo do tapete? O que o PT fez para que a Globo parassee de incriminar o PT ao mesmo tempo em que divinizava golpistas?

Nesta escalada, o cocô que está caindo na cabeça do PT deve-se à maneira covarde com que o PT vem reagindo. Aceita ser criminalizado sem reação à altura.

A tal ponto que hoje é mais perigoso ser petista  que ser traficante! É perigoso vestir uma camisa vermelha mas não é perigoso vender papelote no PROJAC. Ou alguém acha que o Fábio Assunção e o Casagrande iam comprar cocaína no morro?!

Dá para entender, agora, porque sumiu dos noticiários da Rede Globo a apreensão de 450 kg de cocaína no helicóptero dos amigos do Aécio Neves?! E se o helicóptero fosse de amigos do Lula, sumiria do noticiário?!

A direita está tripudiando sobre o PT por culpa exclusiva do PT. Quem não reage dá a entender que o que dele dizem é verdade. Por que será que minha mãe, que só assiste à Globo, acredita que o Lulinha é dono da Friboi?!

Quem vive de joelhos não anda para frente!

Saiba porque o TCU não “descobriu” os heróis da Lava Jato

Filed under: Augusto Nardes,Operação Lava Jato,PP,Severino Cavalcante,TCU — Gilmar Crestani @ 9:33 am
Tags:

OBScenas: Augusto Nardes e seu mentor intelectual, Severino Cavalcanti.

O Tribunal de Contas da União, vulgo tCU, existe para subsidiar ao Congresso na missão de fiscalizar o Executivo. Em tese, o TCU deveria pelo menos  ter detectado algum indício do cartel que tomou de assalto a Petrobrás. Sim, o TCU analisa, ou deveria analisar, cada parágrafo dos contratos. Não o fez, a prova é que o Cartel funcionava pelo menos desde 1997.

O tucano Ricardo Semler escreveu uma já famoso artigo na Folha de São Paulo afirmando, em relação às acusações de corrupção, que nunca se roubou tão pouco. A abertura do artigo é suficiente para se ter uma ideia do tanto que se fez na Petrobrás e o TCU, desde sempre, não viu:

Nossa empresa deixou de vender equipamentos para a Petrobras nos anos 70. Era impossível vender diretamente sem propina. Tentamos de novo nos anos 80, 90 e até recentemente. Em 40 anos de persistentes tentativas, nada feito.

Um adendo. Nos anos 70, Nardes era da Arena, suporte da ditadura, origem do atual PP….

A Operação Lava Jata tem o propósito de desmontar um cartel formados por empreiteiras nas obras licitadas pela Petrobrás. Independentemente dos métodos heterodoxos utilizados para investigar e conduzir, a Lava Jato mostra, com uma exceção, a inutilidade do TCU.

Como se sabe, o PP gaúcho foi pego todinho envolvido na Lava Jato. Não sobrou nem o motorista. É claro que se o Presidente do TCU, Augusto Nardes, não sabia, por que saberiam Ana Amélia Lemos, Luis Carlos Heinze et caerterva.

Como se chega ao TCU? Via Congresso. O Congresso coloca no TCU seus mais fiéis e hábeis negociadores. Um parênteses para aplausos: Augusto Nardes chegou ao TCU pelas vias retas de Severino Cavalcanti, aquele que a direita entendeu por bem eleger para prejudicar Lula no Congresso…

Veja a coincidência, enquanto o cartel na Petrobrás (vide Semler) azeitava a máquina partidária, Augusto Nardes, do PP gaúcho, mudava de casa. Com Nardes no TCU, o PP gaúcho se lambuzou à vontade. Como se fosse um paraíso fiscal, ao modo das Ilhas Cayman, o PP gaúcho não foi incomodado pelo órgão que tem por missão fiscalizar. Seria só mais uma coincidência que o mesmo tCU não viu nenhuma irregularidade no choque de gestão levado a cabo por Aécio Neves, com seus aecioportos nas terras da família. Nem mesmo o já famoso Tio Quedo foi importunado. Aliás, o TCE/MG também ainda deve uma explicação a respeito do uso do pagamento, pela Assembleia Legislativa mineira, dos combustíveis do helipóptero do pó.

O fato de ser do PP é motivo suficiente para não ser incomodado pelas instituições republicanas. Veja-se o caso do Maluf, condenado em quase todos os países, mantém inocente no Brasil. Ele fez a escolha certa, é mais saudável a vida partidária no PP que no PT. A lógica indica que, se for do PP, vai pro tCU, se for do PT, pra prisão. Até o mortos do PT são jogados nas costas como PT, como fez Gilmar Mendes recentemente. A criminalização e o ódio da direita em relação ao PT são diametralmente opostos à reação do PT a tais ataques. Como diria Goebbels, uma hora a mentira cobraria seu preço. E ele, como se está vendo, é bem salgado.

Maluf sabe, pelo menos desde o sequestro do Abílio Diniz, que é mais perigoso ser petista que traficante. Senão, vejamos. Todos os petistas cujos nomes aparecem na Lava Jato foram presos. Inclusive a cunhada da empregada. Já os donos os responsáveis pelo jatinho que caiu com Eduardo Campos, o hiPÓcritas envolvidos no helicóptero com 450 kg de cocaína sequer foram investigados.

Graças à covardia do PT, mas isso é tema para outro artigo, no Brasil atual é mais seguro ser traficante que ser petista.

26/02/2015

Os bandidos das ruas são filhos das redações

As tentativas de manipulação da velha mídia estão no DNA. Nasceram  e cresceram com as cinco irmãs (Veja, Estadão, Folha, RBS & Globo). O Instituto Millenium coordena, desde sua constituição, a forma de manipulação. Nas eleições de 1989 aconteceu pelo menos três manipulações grotescas, mas não existia a internet para desmascarar. Nas eleições de 1989 os grupos mafiomidiáticos abraçaram a candidatura do Fernando Collor de Mello. Para viabiliza-lo a Veja construiu uma capa de “Caçador de Marajás”, no sequestro do Abílio Dinis, vestiram o sequestrador com a camisa do PT, em Caxias do Sul os seguranças de Collor, empresa de segurança do RS, para promoverem um quebra-quebra e porem a culpa no PT. No debate, a Globo manipulou o que hoje é sabido e corrente. Não bastasse isso, a RBS suspendeu da Zero Hora o escritor e colunista Luis Fernando Veríssimo por ter escrito que Collor não passava de “ponto de interrogação bem penteado”.

O que está sendo visto agora também se viu no RS no tempo da funcionária da RBS, Yeda Crusius, como mostrei num artigo em outro blog: “Uma idéia em duas imagens

Pior do que a grosseira manipulação do coronelismo eletrônico é passividade estupefata do PT.

Os movimentos sociais deveriam considerar seriamente a possibilidade de enfrentarem os funcionários e a própria velha mídia como inimigos figadais. O ódio com que se voltam contra os movimentos sociais, e que não é de hoje, é coisa de bandido travestido em meio de comunicação. Temos um exemplo aqui no RS que é paradigmático: quando o sem-terra Elton Brum foi assassinado, o jornal Zero Hora do Grupo RBS estampou: “Agora o MST já tem seu mártir". Isso é coisa de bandido, sim. E a mídia sabe proteger seus bandidos como mostra o caso Pimenta Neves x Sandra Gomide no Estadão. Bandidos existem em todo lugar, inclusive nas redações e nas famiglias mafiomidiáticas, como é o caso do “estuprador de Florianópolis”.

A Folha não emprestava suas peruas para transportar os presos clandestinos da ditadura? Quem se comprazia com a prisão sem mandato, a tortura, estupro, assassinato nos porões da ditadura e depois ainda ajudava a desovar em valas clandestinas como o Cemitério de Perus em São Paulo não pode ser considerado outra coisa senão também bandidos. A Folha fazia isso, o que pior, com prazer.

Já não mais se trata do “ovo da serpente”. O ovo já se abriu e as serpentes estão espalhadas pelas  redações. O fascismo não é uma ameaça, é uma realidade. E está incrustado na velha mídia.

Ou chutemos o fiofó dos fascistas ou os fascistas nos matam!

Fotos que provam como a mídia manipula você

:

Nos três principais jornais brasileiros, você não viu as imagens acima, que mostram um militante da Central Única dos Trabalhadores sendo pisoteado no Rio Janeiro; na Folha de S. Paulo, no Globo e no Estado de S. Paulo, o que estampou a primeira página foram agressões de petistas (que poderiam ser reações a provocações anteriores), antes do ato em defesa da Petrobras e do pré-sal; escolha editorial dos barões da mídia não foi aleatória; no fundo, no fundo, o que eles querem é promover mais violência e mais intolerância num processo continuado de criminalização do PT e de negação da política

25 de Fevereiro de 2015 às 18:43

247 – As imagens acima, registradas pelas lentes do fotógrafo Fernando Frazão, da EBC, não estamparam as capas dos principais jornais do País.

Elas mostram, com clareza, um representante da Central Única dos Trabalhadores, a CUT, sendo pisoteado, no Rio de Janeiro, na tarde de ontem, antes do ato em defesa do pré-sal e da manutenção do modelo de partilha do pré-sal.

As imagens escolhidas pelos três principais jornais do País, Folha de S. Paulo, Estado de S. Paulo e O Globo mostram agressões cometidas por pessoas que vestem camisas vermelhas.

Eis a capa da Folha e sua legenda: BRUTALIDADE – Em ato da CUT e do PT em defesa da Petrobras perto da Associação Brasileira de Imprensa, no Rio, petista agride homem que pedia o impeachment de Dilma.

Agora, a capa do Estado de S. Paulo e sua legenda: Pancadaria no Rio – Em ato de petroleiros no Rio, que teve agressões entre manifestantes, o ex-presidente Lula disse que Dilma Rousseff ‘não pode ficar dando trela’ sobre as investigações na Petrobras e ‘tem de levantar a cabeça’.

Por fim, a capa do Globo, com sua legenda: Intolerância – Homens com camisa do PT partem para a briga com manifestantes que pedem a saída de Dilma em frente à ABI, no Rio, onde aliados do governo fizeram ato.

No mínimo, uma cobertura isenta, mostraria agressões dos dois lados, até porque as imagens publicadas nos jornais poderiam ser uma reação a provocações e agressões anteriores, como a captada por Fernando Frazão.

No entanto, já faz tempo que as famílias midiáticas brasileiras deixaram de buscar o equilíbrio e a isenção. No fundo, no fundo, o que eles querem é promover mais violência e mais intolerância num processo continuado de criminalização do PT e de negação da política. É como se houvesse uma espécie de ‘reinaldização’ dos veículos de comunicação, que, a cada dia, se deixam pautar pelo radicalismo.

Nesta quarta-feira, com seu estilo histérico, Reinaldo Azevedo escreveu que ‘milicianos petistas partem pra porrada’ (confira aqui). Além disso, chamou o ex-presidente Lula de ‘celerado’ e afirmou que, para ele, "chegou a hora de rachar algumas cabeças".

Também hoje, o senador Ronaldo Caiado (DEM/GO), que se cala sobre as estripulias de Agripino Maia, denunciado por receber uma propina de R$ 1,1 milhão, classificou Lula como "bandido" e o acusou de incitar a violência. Confira abaixo:

Eis o que disse Lula.  "O mais importante legado que minha mãe deixou foi o direito de eu andar de cabeça erguida e ninguém vai fazer eu baixar a cabeça neste país. Honestidade não é mérito, é obrigação. Eu quero paz e democracia, mas se eles querem guerra, eu sei lutar também".

A manipulação escancarada promovida pelos meios de comunicação visa rachar o País, alimentar mais violência no próximo dia 15 de março e criar as condições para um neofasciscmo no País.

Fotos que provam como a mídia manipula você | Brasil 24/7

O desabafo de um leitor contra a manipulação da Folha

:

"A foto da briga entre militantes petistas e reacionários a favor do impeachment demonstra a parcialidade política do jornal. É campanha descarada a favor de um sectarismo partidário instigado pela grande imprensa em geral. É fácil manipular fotos de brigas e não mostrar que houve agressão dos dois lados", disse João Humberto Venturini, de Piracicaba, sobre a edição da Folha a respeito do confronto antes do ato em defesa da Petrobras, no Rio; "O jornal prefere mostrar só um lado e fica clara a intenção de criar um clima hostil e de confronto"

26 de Fevereiro de 2015 às 06:51

247 – A tentativa escancarada de manipulação da realidade na cobertura do ato em defesa da Petrobras, feita pelos jornais Folha, Globo e Estado (saiba mais aqui), gerou protestos de leitores.

Foi o caso de João Humberto Venturini, de Piracicaba, que escreveu para a Folha de S. Paulo.

Eis, abaixo, seu protesto contra o jornal de Otávio Frias Filho:

A foto da briga entre militantes petistas e reacionários a favor do impeachment demonstra a parcialidade política do jornal. É campanha descarada a favor de um sectarismo partidário instigado pela grande imprensa em geral. É fácil manipular fotos de brigas e não mostrar que houve agressão dos dois lados. O jornal prefere mostrar só um lado e fica clara a intenção de criar um clima hostil e de confronto.

João Humberto Venturini (Piracicaba, SP)

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: