Ficha Corrida

14/12/2015

Se fosse no Brasil, viraria funcionário da Globo

Alexandre GarciaAlexandre Garcia é a prova disso. Aliás, se for toxicômano, golpista ou mau caráter tem grandes chances de arrumar emprego nos assoCIAdos do Instituto Millenium.

Ex-militar chileno confessa crimes da ditadura em programa de rádio e é preso

Postado em 14 de dezembro de 2015 às 7:23 am

Da BBC Brasil:

Os chilenos se surpreenderam por uma ligação a um programa de rádio em que um ex-militar relatou, com detalhes, os crimes que cometera durante a ditadura militar no país (1973-1990).

Tudo começou no último dia 9 de dezembro, com uma insuspeita chamada ao programa popular El Chacotero Sentimental (“O piadista sentimental”, em tradução livre), da rádio Coração, de Santiago.

O ouvinte ligou para falar sobre um romance frustrado e logo começou a confessar mortes de presos políticos pouco após o golpe de Estado do general Augusto Pinochet.

O homem no ar dizia se chamar Alberto, e contou ao apresentador Roberto Artiagoitía como havia participado do assassinato de 18 presos políticos depois do golpe que derrubou o governo de Salvador Allende (1908-1973).

Dois dias depois, a polícia prendeu “Alberto”, na verdade Guillermo Reyes Rammsy, taxista de 62 anos e morador de Valparaíso, a 116 km de Santiago.

Os crimes que Rammsy confessou ocorreram no norte de Chile, região em que ele prestou serviço militar obrigatório.

“Atirávamos e depois os dinamitávamos, os corpos se desintegravam, não sobrou nada”, afirmou.

Diário do Centro do Mundo » Ex-militar chileno confessa crimes da ditadura em programa de rádio e é preso

12/09/2014

Vogue Kids, a Playboy dos pedófilos

Nada mais natural que este tipo de publicação sai dos fornos onde reinou Xuxa e de onde sai a criminalização dos jovens e adolescentes pobres. Certamente que não é por publicações como esta que Aécio Neves quer a Menoridade Penal. Logo o Aécio, um contumaz infrator. Sabe-se perfeitamente que nada acontece à Globo, nem por incitar e excitar os pedófilos, assim como não aconteceu nada por se insurgir contra as cotas. Se Ali Kamel ousou escrever um livro com o sugestivo título “Não somos racistas”, não me admire que seu próprio livro enverede por algo do tipo “Não somos pedófilos”…

Então a tal de Criança Esperança era para isso aí?!

Revista é acusada de publicar imagens sensuais de crianças

‘Vogue Kids’ diz que não foi notificada e que não vai falar sobre o caso

Ministério Público e Polícia Federal vão analisar queixas; advogada diz que fotos ferem artigos do ECA

GIOVANNA BALOGHDE SÃO PAULO

A revista "Vogue Kids", encartada neste mês com a "Vogue", foi criticada em redes sociais e acusada por um instituto de ter publicado fotos de meninas menores de idade em poses sensuais, vestidas de biquíni. Em algumas imagens, elas aparecem deitadas e com pernas abertas.

Queixas sobre o ensaio "Sombra e Água Fresca" se espalharam em redes sociais e chegaram nesta quinta (11) ao Ministério Público federal e estadual e à Polícia Federal. Os órgãos avaliarão o caso.

Procurada, a revista afirmou que não foi notificada e não tem nada a declarar sobre o assunto.

O instituto Alana, organização de defesa dos direitos das crianças, é autor de uma das acusações.

"São garotas em poses sensuais e [existe] uma clara adultização precoce dessas crianças", afirma a psicóloga Laís Fontenelle, que integra a entidade.

Para a psicóloga, as meninas estão fazendo propaganda das roupas, o que é vetado pelo Conanda (Conselho Nacional dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes), órgão ligado à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência.

Resolução deste ano do órgão proíbe a publicidade direcionada a crianças.

Mãe de uma menina de dois anos, a roteirista Renata Corrêa, 31, ficou indignada com a publicação e colocou as fotos nas redes sociais.

Apagou-as em seguida, justificando que as crianças já haviam sido expostas demais, mas seu desabafo gerou mais de 1.000 compartilhamentos em poucas horas. Um grupo no Facebook chamado Pediatria Integral tinha mais de 4.000 compartilhamentos com as imagens.

"Muitas vezes, quando pensamos em pedofilia, imaginamos um um cara se escondendo atrás do computador. Mas a gente não fala de uma cultura de pedofilia, em que a imagem das crianças é explorada de uma forma sexualizada", diz Renata.

A advogada Ana Lucia Keunecke, da Artemis (entidade de defesa ao direito da mulher), diz que as fotos ferem artigos do Estatuto da Criança e do Adolescente.

"As meninas estão claramente em um situação de vulnerabilidade. Fere a moral dessas crianças mesmo que o ensaio tenha tido a autorização dos pais", explica.

O advogado de família Danilo Montemurro diz que o Ministério Público poderá entrar na Justiça com uma ação civil para determinar o recolhimento da revista e multa.

Também segundo ele, os pais das crianças podem virar réus por terem autorizado as fotos. "Além da exposição sexualizada, as crianças foram expostas como adultos. Isso fere o artigo 17 do ECA, que preserva o direito da identidade do menor", diz.

11/08/2014

Flamengo e suas ligações perigosas

Filed under: Flamengo,Goleiro Bruno,Patrícia Amorin — Gilmar Crestani @ 11:49 pm
Tags:
bruno

Jogador de futebol ligado a milícia do Rio atua no Flamengo, diz delegado

Clube diz que vai esperar conclusão da investigação para se pronunciar.
Luiz Antonio é suspeito de presentear miliciano com carro e será ouvido.

Do G1 Rio

Luiz Antonio está há quatro anos entre os profissionais do Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)Luiz Antonio está há quatro anos entre os
profissionais do Flamengo (Foto: Gilvan de
Souza / Flamengo)

O jogador de futebol citado por um ex-integrante da principal milícia do Rio por ligação com os chefes da quadrilha joga no Flamengo, como mostrou o RJTV. Segundo o delegado da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), Alexandre Capote, o atleta é Luiz Antonio e será chamado para prestar depoimento. O clube informou, em nota, que vai esperar pela conclusão da investigação para se pronunciar.

A polícia chegou até o jogador, que atua no meio de campo do time da Gávea, após depoimento de um ex-integrante da milícia que atuava na Zona Oeste da cidade e teve mais de 20 presos na quinta-feira (7). As declarações foram exibidas no Fantástico deste domingo (10). Entre outras revelações, o criminoso contou que um jogador de futebol frequentava churrascos realizados nos fins de semana, com direito a "muita mulher" e "cerveja".

Segundo a polícia, Luiz Antonio, que atuou como titular na vitória do Flamengo contra o Sport neste domingo, teria dado um carro de luxo a um dos chefes da milícia. Após o presente,  ele teria registrado o roubo do veículo em uma delegacia para poder receber o dinheiro de seguro. Segundo os investigadores, o jogador teria cometido estelionato.

"Já foi instaurada uma investigação", disse o delegado da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), Alexandre Capote. “Ele presenteou o miliciano para ficar bem com ele e, ao mesmo tempo, cometeu um estelionato, uma fraude com fim de receber o valor do seguro desse carro. Foi um familiar do jogador que comunicou falsamente o roubo desse carro”, acrescenta o delegado.
Policiais foram até o apartamento do jogador Luiz Antônio para entregar a intimação, porém ele não foi encontrado em casa. Pessoas no local informaram que ele não mora mais no endereço na Zona Oeste do Rio há, pelo menos, oito dias.

saiba mais

‘Ninguém vê o corpo’, diz ex-miliciano
O ex-integrante da milícia diz que artistas famosos também frequentam os churrascos, realizados às sextas-feiras e aos sábados. O depoimento revela ainda que o grupo possui um forte arsenal e os homicídios recorrentes. “Muitas mortes. Passa fogo e acabou. Some com eles dali e ninguém vê o corpo, ninguém vê nada”, contou.

Segundo a polícia, a maior e mais violenta milícia do Rio foi desarticulada com as recentes prisões. O grupo cobra taxas dos comerciantes, das vans de transporte alternativo, cobrava por segurança, pela TV a cabo, pelo gás e até pela cesta básica. “Quem não paga, pode comprar a passagem pro além. Entendeu? Tem que pagar. É assim que funciona”, conta o ex-integrante, que ajudou a polícia do Rio a identificar os criminosos.

Ele diz conhecer como ninguém o funcionamento da quadrilha, que explorava moradores da Zona Oeste da cidade havia mais de dez anos. “Eu sou um ex-componente da firma. Eu era um braço-direito deles”, conta.

Líderes presos há mais de 6 anos
A milícia foi criada pelos irmãos Jerônimo, ex-vereador, e Natalino Guimarães, e ex-deputado estadual do Rio. Eles estão presos há mais de seis anos em um presídio federal de segurança máxima, em Porto Velho, Rondônia, condenados por formação de quadrilha armada. O grupo criminoso é formado, principalmente, por quem deveria estar do lado da lei.

“A maioria é ex-policiais. Ex-policiais e policiais da ativa. A maioria, por isso que tem essa força. A firma é milionária”, revela o criminoso.

Segundo o delegado Alexandre Capote, o lucro era milionário. “Nós constatamos que eles movimentavam cerca de R$ 1 milhão por mês”, conta.

A área de atuação da milícia chegou até condomínios do programa "Minha casa, minha vida", do Governo Federal. Em abril passado, o Fantástico denunciou que essa quadrilha cobrava taxas e serviços dos moradores e expulsava de lá quem não colaborava.

“Centenas de trabalhadores que conquistaram o direito de ter um imóvel, e de uma hora pra outra se viram no meio da rua, expulsos, torturados, ameaçados só porque esses milicianos queriam esses imóveis para vender”, diz o delegado.

Cartaz com rosto de Gão agora já tem a faixa de "capturado" (Foto: Disque-Denúncia / Divulgação)Cartaz com rosto de Gão agora já tem a faixa de
"capturado" (Foto: Disque-Denúncia / Divulgação)

Prisões
Nesta semana foi a vez de os milicianos mudarem de endereço. Na terça-feira (5), a Divisão de Homicídios prendeu um dos chefes: o ex-PM Marcos José de Lima Gomes, conhecido como Gão. Ele trocava de casa frequentemente e vivia cercado de proteção.

“Desde o início da rua onde ele mora, tinham pessoas e câmeras que faziam toda a vigilância pra que ele efetivamente não fosse alcançado”, diz o delegado da Divisão de Homicídios, Rivaldo Barbosa.

“É uma pessoa extremamente perigosa, audaciosa, e que controlava, dividia a liderança da milícia com mão de ferro”, acrescenta Capote.

Dois dias depois da captura de Gão, a equipe da delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas prendeu mais 22 integrantes do grupo, entre eles João Henrique Barreto, o Cachorrão. “Ele era ainda policial militar, um suboficial, e lotado no Batalhão de Campo Grande, que é a área de atuação dessa milícia”, destaca Capote.

Segundo o ex-integrante da milícia, a quadrilha tem armamento pesado. “Hoje, tem 168 fuzis. A arma que chega, eles pagam, eles compram. Isso é brinquedo pra eles”, conta.

Além do poder de fogo, os comparsas gostam de mostrar poder, de ostentar. “Sexta e sábado sempre tem um churrasco. Chope à vontade, mulher à vontade. E de vez em quando aparece um cantor famoso, um jogador de futebol de um time grande do Brasil para prestigiar”, conta o ex-miliciano.

Além da ligação com o jogador de futebol, a polícia também vai investigar os papéis apreendidos com os milicianos que foram presos. “Nós apreendemos contabilidade, que causa perplexidade, por dois motivos. Primeiro, pela organização. Está tudo planilhado, bem como outros documentos, por exemplo, as cartas que mostram que existe uma vinculação entre as pessoas que estão presas e quem está aqui fora”, diz o delegado Rivaldo.

G1 – Jogador de futebol ligado a milícia do Rio atua no Flamengo, diz delegado – notícias em Rio de Janeiro

24/05/2013

Homens de bens, com porte, de armas na mão, dá nisso

Filed under: Homens de bens,Porte de Armas — Gilmar Crestani @ 10:45 am
Tags:

E viva o desarmamento dos homens de bens!

Homem mata casal de vizinhos e, em seguida, tira própria vida

Crime ocorreu em condomínio de luxo na Grande São Paulo

Três pessoas morreram após uma suposta briga entre vizinhos em Santana do Parnaíba, na Grande São Paulo, na noite dessa quinta-feira. Vicente D’Alessio Neto, de 60 anos, teria ficado irritado com o barulho que um casal fazia no andar de cima, teria pego um revólver calibre 38 e entrado no apartamento vizinho, por volta das 21h. O prédio fica em um condomínio de luxo na avenida Marcos Penteado Uchôa Rodrigues.
Neto teria efetuado seis disparos, matando Fabio de Rezende Rubim, de 40 anos, que era subsíndico do prédio, e a mulher, Miriam Cecilia Amstalden Baida. A dentista completaria 38 anos nesta sexta-feira. Em seguida, Neto teria entrado no elevador e tirado a própria vida. A filha do casal, de um ano e meio, também estava no apartamento, mas não ficou ferida.
Segundo a esposa de Neto, o marido havia chegado em casa por volta das 20h e estava assistindo televisão quando se irritou com o barulho no 12º andar. Ele gritou com os vizinhos da sacada e, então, decidiu pegar a arma e subir até o apartamento do casal. Em depoimento, a mulher afirmou que tentou impedir omarido de sair armado, mas não conseguiu.
Vizinhos relataram que as brigas entre os moradores eram recorrentes. Neto tinha permissão para porte de armas. Os corpos do casal estão no Instituto Médico Legal aguardando liberação.

Correio do Povo | Notícias | Homem mata casal de vizinhos e, em seguida, tira própria vida

16/03/2013

Agora, bem Pensant, é conveniente

Filed under: Crime Organizado,Pensant,Poder Judiciário — Gilmar Crestani @ 9:37 am
Tags:

 

Paulo Muzell

15/03/13

Um troca inconveniente

O jornal Zero Hora, na edição do dia 9 de março passado, veiculou uma notícia surpreendente: a juíza Simone Barbisan Fortes, titular da Primeira Vara da Justiça Federal de Santa Maria pediu neste mês de janeiro passado sua transferência para Florianópolis.

Justamente agora, neste início de 2013, no momento em que ela anunciava que no final deste primeiro semestre, muito possivelmente, “bateria o martelo” sobre a sentença” dos 31 réus do processo do rumoroso caso DETRAN. A importância do processo, nunca é demais lembrar, decorre do montante dos valores desviados – corrigidos e expressos a preços de hoje são mais de 60 milhões de reais –, e dos nomes das pessoas envolvidas, figuras importantes da política gaúcha.

Os desvios tiveram origem no governo de Germano Rigotto (2003/2006) e foram denunciados em março de 2007, seis anos atrás. A Operação Rodin, que prendeu alguns envolvidos, completou no início de novembro passado cinco anos. Na longa lista de indiciados destacam-se os nomes de José Otávio Germano (ex-deputado estadual e federal, Secretário de Segurança do governo Rigotto), Flávio Vaz Neto, ex-presidente do DETRAN, Fernando e Ferdinando Fernandes irmãos e proprietários da empresa Pensant, Luiz Paulo Germano, advogado, irmão de Otávio Germano, Carlos Ubiratan dos Santos, ex-diretor do TRENSURB, Antonio Dorneu Dorneles, ex-diretor-geral da Assembleia Legislativa, RS, figura influente no PP, já falecido.

Causa desconforto e é difícil explicar o contraste entre a rapidez do julgamento da ação penal 470 no Supremo, o “famoso mensalão do PT” e o lento arrastar-se das demais denúncias de irregularidades contra políticos de outros partidos. Como este caso DETRAN, que entra no seu sétimo ano e que terá, muito provavelmente, mais um ou talvez até dois anos antes ser concluído.

O jornalista Paulo Moreira Leite em seu livro “A outra história do mensalão: as contradições de um julgamento político” assinala com propriedade que apanhados num esquema semelhante, políticos do PSDB-MG tiveram uma “tratamento bem mais brando: o desmembramento foi um benefício importante para que melhor organizassem suas defesas.” Moreira sintetiza com muita propriedade que no caso do “mensalão do PT” tivemos “provas fracas e penas robustas”. E que o “furor punitivo” que contaminou quase todas “excelências” do Supremo, extrapolaram os limites mínimos do bom senso e do decoro. Moreira aponta como exemplo o voto do ministro Celso de Mello que autorizava o Supremo a definir a perda dos mandatos dos parlamentares condenados, o que claramente contraria o artigo 55 da Constituição, pois fere o princípio da independência dos poderes. Cassar mandatos é atribuição exclusiva do legislativo Observa, também que o Supremo, a grande imprensa – o Estadão, a Folha, a Globo, dentre outros veículos -, tentaram transformar o “mensalão” no Thermidor de Lula e do PT. Não conseguiram. E lembra, oportunamente, a lição da Revolução Francesa. Aberto por Robespierre, um juiz implacável no combate a corrupção. Ele iniciou um processo que acabou por vitimá-lo, reduziu liberdades democráticas, concentrou poderes e que culminou num retrocesso: a restauração da monarquia.

Assumiu a Primeira Vara, substituindo a juíza Simone o juiz Loraci Flores de Lima, afirmando que “não há maior dificuldade no caso da operação Rodin”, mas que desconhece o alentado conteúdo do processo que tem – pasmem – mais de 120 mil páginas, o maior da história da Justiça Federal do Estado. Reconheceu que a sentença vai atrasar mais ainda, não se arriscando a definir prazos possíveis.

A matéria de ZH informou, também, que dia 12 de março encerrava-se o prazo para a entrega à Justiça as 150 contas bancárias dos indiciados no Processo. É de se estranhar que uma informação desta importância – peça básica do processo – só esteja disponível muitos anos depois do início da sua tramitação.

A saída da juíza – decorrente de um pedido de transferência feito por ela – é, sem nenhuma dúvida, fato inconveniente e estranhável. Independente de motivações pessoais que tenham influído na decisão da magistrada, a troca tornará mais distante a sentença final, “esfriando a memória dos fatos” e beneficiando a estratégia protelatória da defesa.

Num processo judicial desta importância – pelos milhões de recursos públicos desviados, pela notoriedade pública de algumas personagens envolvidas e a consequente repercussão na opinião pública – não é possível que tramite por cinco ou seis anos sem que haja sentença. E que ocorra o pior: que às vésperas do “bater martelo” ocorra uma inexplicável substituição.

Fatos como esse explicam o crescente desprestígio do Poder Judiciário junto à população brasileira.

Sul 21 » Um troca inconveniente

03/07/2011

O namoro, clandestino, da Folha com criminosos

Filed under: A$$oCIAdos,Direita,FSP,Instituto Millenium — Gilmar Crestani @ 9:46 am
Tags: ,

 

Folha e o e-mail violado de Dilma e Zé Dirceu

Tags: dilma, folha, dilma rousseff, e-mail, internet

Por: Helena Sthephanowitz, especial para a Rede Brasil Atual

Contas eram do UOL, empresa do mesmo conglomerado de comunicação

Folha e o e-mail violado de Dilma e Zé Dirceu

Dilma no lançamento de sua conta no Twitter, em 2010. Computador foi violado (Foto: Roberto Stuckert Filho – arquivo)

A Folha de S.Paulo diz que e-mails da presidenta Dilma Rousseff foram violados (o jornal usa o termo "hacker", embora o mais correto seria "cracker"). A conta de e-mails era do UOL, empresa do Grupo Folha. A reportagem está aqui para assinantes, mas um resumo pode ser lido aqui.

A violação ocorreu ainda antes do período eleitoral, e o autor da quebra diz ter tentado, sem sucesso, vender arquivos com cópias de centenas de e-mails a partidos da oposição (leia-se DEM e PSDB). O UOL não sabia da violação? A matéria é publicada só um ano depois do ataque. Por quê? Perguntas que ficam no ar…

O hacker também violou o e-mail do UOL do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu.

Douglas é o nome com que o cracker de Brasília apresentou-se aos repórteres do jornal. Ele diz ter invadido a caixa de e-mail pessoal da então candidata Dilma. Foram copiadas cerca de 600 mensagens que ela recebeu durante sua campanha presidencial de 2010, de acordo com reportagem do jornal Folha de S.Paulo.

O ataque teria acontecido em duas etapas: a primeira, uma invasão no site do diretório nacional do PT na internet, ele copiou e-mails pessoais de petistas e outros dados; depois, teria instalado, no computador de Dilma, um cavalo de troia – programa que funciona em segundo plano, capaz de armazenar o que fosse digitado ou acessado a partir do equipamento.

A reportagem conta um encontro com o cracker em Brasília em uma lan house. Foram mostrados, "de relance", o conteúdo de 30 e-mails da presidenta Dilma. Assim, "de relance" a Folha viu:

  • Resultados de exames de saúde que Dilma teria feito em Porto Alegre (RS).
  • Instruções para a campanha eleitoral do segundo turno e uma agenda telefônica com dados de parentes e assessores da presidente.
  • Cópia do pedido feito pela Folha para ter acesso a arquivos de Dilma no Superior Tribunal Militar, mantidos em sigilo na época.
  • Depoimentos ligados à queda da ex-ministra Erenice Guerra.
  • Comentários sobre acusações feitas contra Dilma pela ex-diretora da Receita Federal Lina Vieira.
  • Mensagens de boa sorte na campanha.

O caso faz a memória viajar. Às lembranças…

Folha e o site da Petrobras

No sábado (25), o jornal Folha de São Paulo, publicou matéria sobre o grupo cracker LulzSecBrazil, que teve acessos a dados de um servidor de arquivos da Petrobras. No perfil do grupo no Twitter, foram publicados o endereço do servidor, um nome usuário e uma senha de acesso.

A Folha publicou que conseguiu acessar o sistema da estatal utilizando as informações divulgadas. No servidor, segundo o jornal, foi possível encontrar pastas com conteúdo como relatórios, fotos e dados de funcionários.

Folha e o Enem

Só lembrado e comparando, a gráfica da Folha com os e-mails do UOL.

A Plural Editora e Gráfica Ltda, foi em 2009 a empresa responsável pela impressão das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A editora é do Grupo Folha em parceria com a empresa americana QuadGraphics.

A Plural, foi contratada para imprimir, grampear e intercalar as diferentes versões das provas em lotes, que depois seriam embaladas em caixas divididas por estado.

Responsável pela impressão do exame a gráfica da Folha, abriu um galpão para manuseio das provas impressas sem que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) tivesse autorizado. Foi nessa estrutura, sem a segurança devidamente checada e aprovada pelos técnicos do instituto, que a prova teria sido obtida pelos laranjas Luciano Rodrigues e Gregory Camillo de Oliveira Craid, que depois tentaram vender a prova a jornalistas do Estadão. Lembram disso?

* Helena Sthephanowitz™ é jornalista e autora do blog Os Amigos do Presidente Lula e do Os Amigos do Brasil. Ela escreve no Na Rede, da Rede Brasil Atual.

Folha e o e-mail violado de Dilma e Zé Dirceu — Rede Brasil Atual

29/04/2011

Para a Folha, crime compensa

Filed under: FSP — Gilmar Crestani @ 9:53 am
Tags: ,

 

Para fazer reportagem, repórter da Folha compra arma ilegal no Paraguai
Da Redação

Com o intuito de mostrar como as armas ilegais entram facilmente no Brasil, o repórter Graciliano Rocha, da Folha de S. Paulo, comprou um revólver calibre 38 no lado paraguaio da fronteira que liga Ciudad del Este a Foz do Iguaçu, no Paraná. A arma foi entregue por um motoboy, já em território brasileiro. O motoqueiro não foi abordado na ponte da Amizade, considerada a fronteira mais vigiada do País.
A reportagem foi publicada nesta quinta-feira (28/4) pela Folha. Segundo o jornalista, a arma custou R$ 700, a munição saiu por R$ 110 (caixa com 50 balas) e o serviço de entrega por R$ 130.
No mesmo dia da aquisição ilegal, o repórter entregou a arma e a munição na sede da Polícia Federal em Foz do Iguaçu. O jornalista teve que prestar esclarecimentos e assinou um termo de declarações e um auto de apreensão.
O C-se pergunta:
Para fazer uma matéria, você compraria uma arma ilegalmente para alertar as autoridades?

Comunique-se :: Para fazer reportagem, repórter da Folha compra arma ilegal no Paraguai

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: