Ficha Corrida

15/09/2016

MPF – Memes do Powerpoint Folclórico

Filed under: Caça ao Lula,Lula Seja Louvado,MPF,Vergonha Alheia — Gilmar Crestani @ 9:29 am
Tags: ,

giphyNeste momento “vergonha alheira” não há como não lembrar do pistoleiro de aluguel, Eduardo CUnha. Tão logo executado o serviço, foi empacotado pelos mandantes e escondido o corpo. Rapidamente, buscam mudar de assunto. E, desde sempre, caçar o grande molusco.

Na teoria do domínio do fato, todos os que ajudaram armar a tocaia em que o pistoleiro se alcovitou para executar o assassinato da Democracia seriam tão responsáveis quanto o assassino. Afinal, quem facilita o trabalho do pistoleiro, seja abrindo a porta, raspando o código do revólver, ou mesmo servindo  a marmita enquanto aguarda a vítima, de alguma forma contribui para o crime.

Fiquei esperando por explicações que ajudasse a entender como e porque Lula teria trabalhado para que o primeiro a ser comido pudesse se lavar em Liechtenstein  ou para que Tarja Preta recebesse os 23 milhões da Odebrecht, não no Brasif, mas no exterior.

Um cara que dirige bêbado dando mau exemplo, foge de bafômetro, cheira, bate em mulher, faz aeroporto  em terro particular com dinheiro público, encheu seu governo de parentes, é senador por MG mas não sai das praias cariocas, faz viagens particulares com aviões da FAB, destruiu a saúde e a educação em seu estado, perdeu as eleições em seu próprio estado. Tantas vezes foi delatado que, se fosse do PT, já estaria preso.

Esperei sentado na expectativa de que aparecesse um fluxograma elucidando a participação do Lula no caso do heliPÓptero. 450 kg!!!

E aí me pergunto, e se montassem um powerpoint do Aécio Neves será que apareceria o dedo mindinho do Lula escondido em alguma parte do playboy mais blindado do Brasil?!

Havia um aparente paradoxo na atuação da Mistério Público agora revelado. Basta somarmos os comportamentos do Dallagnol com o de Rodrigo de Grandis e aí chegaremos à Lei Rubens Ricúpero, vazada no caso da Parabólica. Inspirado no mestre Houdini, louve-se, na criação de mais uma cortina de fumaça, a capacidade de abafar o assunto palpitante do momento, a cassação do CUnha e suas relações com Temer. Resta um brilhante diversionista dos ventríloquos da Rede Globo.

Como previram CARLOS FERNANDO DOS SANTOS LIMA E DIOGO CASTOR DE MATTOS em artigo para a Folha de São Paulo, Deltan Dallagnol deu um “duplo twist carpado, uma variação do salto twist”.

Depois do movimento contra a corrupção o MPF deveria abraçar outra campanha: pelo respeito à inteligência alheia.

heliPÓptero

15 versões do powerpoint de Dallagnol menos ridículas que o original

Postado em 15 Sep 2016 – por : Kiko Nogueira

O diagrama de Deltan Dallagnol na denúncia contra Lula virou um clássico instantâneo pelo ridículo. Dallagnol prestou um serviço inestimável à causa oposta que defende.

Sua apresentação de powerpoint expôs o grau de idiotice, amadorismo e forçação de barra do time da Lava Jato. Dois anos e tanto de investigações foram resumidas num desenho feito pelo estagiário da Vasconcelândia.

Fosse nas Casas da Banha, o gerente teria uma conversa com Dallagnol. “Essa pergunta pode parecer óbvia nesse momento particular, mas eu preciso fazê-la: o que você estava pensando? Em nome de Deus, que merda estava se passando na sua cabeça?”

As bolinhas com setas apontando para uma bola grande no meio viraram meme. Abaixo, as versões que nosso time de especialistas escolheu. O melhor do Brasil continua sendo o brasileiro.

1

2

4

8

16

Captura de Tela 2016-09-14 às 18.28.38

lula-diagrama-8

lula-diagrama7

captura-de-tela-2016-09-15-as-01-16-43

Captura de Tela 2016-09-15 às 01.16.28

Captura de Tela 2016-09-15 às 01.15.31

Captura de Tela 2016-09-15 às 01.14.34

Captura de Tela 2016-09-15 às 01.09.47

lula diagrama 9

Diário do Centro do Mundo 15 versões do powerpoint de Dallagnol menos ridículas que o original

06/09/2016

Golpe transforma Brasil em piada de argentino

Filed under: Argentina,Golpe,Golpe Paraguaio,Piada de Argentino,Vergonha Alheia — Gilmar Crestani @ 10:01 am
Tags:

 

Daniel Paz & Rudy

DANIEL PAZ & RUDY

Página/12

p12 06092016

Meu nome é ninguém

Filed under: China,Faroeste,G20,Golpe,Golpe Paraguaio,Michel Temer,Vergonha Alheia — Gilmar Crestani @ 9:28 am
Tags:

Os patos da FIESP estão produzindo um filme de faroeste. Como nos grandes clássicos do bang bang à italiana, neste filme de cowboy o bandido não é mexicano e o mocinho não é ianque. Pelo contrário, o bandido é brasileiro e os mocinhos e mocinhas são presos preventivamente.

Para que um faroeste made in Rede Globo faça sucesso, o capo di tutti i capi escala um elenco de pistoleiros diversionistas. Só assim o assalto ao Banco Central pode se tornar um sucesso de bilheteria.

Num lado da cidade, um dos escalados chama-se Vinicius Mota. Solta um pum no elevador mafiomidiático.

Na montagem da farsa, um outro Motta, ranzinza e irritadiço devido às hemorroidas adquiridas com o mau uso de rabanetes solta, para provocar uma polvadeira, as bestas do curral.

Como o assalto está previsto para ocorrer durante uma sessão de cinema, entra em ação um terceiro elemento, com uma receita infalível para evitar tumulto: “o dever das pessoas de bem é boicotar o filme”. E assim, um elenco com atores com prisão de ventre, hemorroidas ou simplesmente sabujice, buscam montar um cenário propício para detonar o cofre.

O autor intelectual do assalto ao cofre do Banco Central de Tombstone acredita ter utilizado o estratagema perfeito. Se faz fotografar num evento no outro lado do mundo.

Mas, como diz o ditado, o diabo faz a panela mas não ensina fazer a tampa. Seu nome não aparece na lista dos convidados.

Como é nome do filme? Com a palavra Sergio Leone.

 

OBScena: nas fotos de divulgação do filme os mocinhos estão assinalados, tens apenas de encontrar o bandido

G20-1
G20-2
G20-3

Lista de presença da reunião do G20 omite nome e cargo de Temer

Em vez de apresentar o nome de Michel Temer, a lista elencou "líder brasileiro", mesmo três dias após o evento; na foto oficial dos líderes, Temer, ao contrário de Lula e Dilma, foi escanteado e colocado na ponta, entre os presentes

6 de Setembro de 2016 às 03:26 // Receba o 247 no Telegram

Do Brasil de Fato O presidente não-eleito Michel Temer foi o único líder que não teve o nome citado na lista de presença do encontro do G20, que reúne as 20 maiores economias do mundo todos os anos. Em vez de apresentar o nome de Michel Temer, a lista elencou "líder brasileiro", mesmo três dias após o impeachment de Dilma Rousseff.

Neste ano, o evento aconteceu em Hangzhou, capital da província de Zhejiang, na China. Iniciada neste domingo (4), a reunião terminou nesta segunda-feira (5).

O Brasil de Fato entrou em contato com bloco por email à procura de explicações sobre a omissão do nome de Temer, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

Leia na íntegra a nota de apresentação dos líderes do G20 em inglês.

Veja em português:

O 11º Encontro do G20 será sediado em Hangzhou, Zhejiang, em 4 e 5 de setembro. Os seguintes líderes dos países-membros do G20 irão comparecer ao encontro a convite do presidente Xi Jinping:

– Presidente Mauricio Macri, da Argentina; líder brazileiro; presidente François Hollande, da França; presidente Joko Widodo, da Indonésia; presidente Park Geun-hye, da ROK; presidente Enrique Pena Nieto, do México; presidente Vladimir Putin, da Rússia; presidente Jacob Zuma, da África do Sul; presidente Recep Tayyip Erdogan, da Turquia; presidente Barack Obama, dos EUA; primeiro-ministro Malcolm Turnbull, da Austrália; primeiro-ministro Justin Trudeau, do Canadá; chanceler Angela Merkel, da Alemanha; primeiro-ministro Narendra Modi, da Índia; primeiro-ministro Matteo Renzi, da Itália; primeiro-ministro Shinzo Abe, do Japão; primeira-ministra Theresa May, do Reino Unido; presidente Donald Tusk, do Conselho Europeu; presidente Jean-Claud Juncker, da Comissão Europeia; vice-primeiro-ministro da Arábia Saudita, príncipe Muhammad bin Salman Al Saud da Arábia Saudita; presidente Idriss Deby, de Chade; presidente Abdel Fatah al-Sesi, do Egito; presidente Nursultan Nazarbayev, do Casaquistão; presidente Bounnhang Vorachith, de Laos; presidente Macky Sall, de Senegal; primeiro-ministro Lee Hsien Loong, de Cingapura; primeiro-ministro Mariano Rajoy, da Espanha; primeiro-ministro Prayut Chan-ocha, da Tailândia; secretário-geral da ONU Ban Ki-moon; presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim; diretora do FMI, Christine Lagarde; diretor-geral do WTO, Roberto Azevedo; diretor-geral Guy Ryder, da Organização Internacional do Trabalho; presidente Mark Carney, do Financial Stability Board; a secretária-geral Angel Gurria, da OECD, etc..

Lista de presença da reunião do G20 omite nome e cargo de Temer | Brasil 24/7

17/09/2015

O único legado de FHC, um jagunço

fascismonE mais não digo, por despiciendo…

Gilmar ateou fogo às vestes e ao Golpe

publicado 17/09/2015

Ele é o que sempre foi: cria do FHC

O voto miseravelmente derrotado do ministro (sic) Gilmar foi mais do que um ato tresloucado.
Foi um patético suicídio político.
Com duas consequências saudáveis para o teor de oxigênio que se respira na República.
Primeiro, ele se desqualificou definitivamente como juiz.
Esse voto despudorado não o credencia a arbitrar um jogo de porrinha.
Qualquer veredito passa a ser suspeito.
Segundo, o voto partidário, odiento, black bloc, paneleiro, enterra o impítim.
Como diz o tartúfico Fernando Henrique, não haverá impítim porque não há quem o dê.
Não haveria de ser esse juiz desqualificado para arbitrar concurso de Miss Diamantino.
O discurso/voto/confissão foi um canto de cisne.
Para uma causa desde sempre perdida, porque era um impítim sem povo.
(Leia "o tamanho da crise".)
Uma causa sem líder, porque não havia ideias com que liderar.
O voto de Gilmar foi uma benção.
A teatral retirada do plenário, para repudiar a palavra concedida à OAB, não foi uma ofensa aos advogados a quem ele não respeita desde sempre.
Com exceção do insigne Dr Sergio Bermudes, com quem ele conversa por telefone duas vezes por dia.
Foi uma resposta desaforada à recriminação direta, insofismável, que recebeu do Presidente Lewandowski.
Gilmar demonstrou que não passa do que sempre foi: a mais daninha das heranças do FHC.
Paulo Henrique Amorim

Gilmar ateou fogo às vestes e ao Golpe — Conversa Afiada

05/09/2015

Dirceu, aprenda com Aécio, mas primeiro entre no PSDB

jb servical-casa-grande (2)A justiça é cega. Eu, não. Depois de esconderem um helipóptero com 450 kg de cocaína, de camuflarem aecioportos, agora a Justiça de Minas também ajuda a lavar dinheiro público. Corrijo, a justiça mineira não é cega. É estrábica. Ainda não conseguiu julgar o mensalão mineiro, nem a Lista de Furnas, mas foi rápida para instalar uma lavanderia.

Quando José Serra perpetrou, pelas mãos do Mauro Chaves, o antológico artigo “pó pará, governador”, O Estado de Minas devolveu: “Minas a cabresto não”. Pois é, agora fica provado que Minas está a cabresto, sim!

Graças à Marcha dos Zumbis o Napoleão das Alterosas pode virar imperador. Se depender da Justiça de Minas só falta marcar a data para coração do Imperador.

Indenização ajudará tio de Aécio a quitar dívida

Fazendeiro terá que devolver R$ 250 mil

JOSÉ MARQUESDE BELO HORIZONTE

A Justiça de Minas Gerais autorizou um parente do senador Aécio Neves (PSDB-MG) a quitar uma antiga pendência judicial sem desembolsar um centavo, graças a uma indenização que ele receberá do Estado pela desapropriação do terreno onde o aeroporto da cidade de Cláudio (MG) foi construído quando Aécio era o governador.

Tio-avô do senador tucano, o fazendeiro Múcio Tolentino, 90, foi condenado em maio deste ano a devolver aos cofres públicos o dinheiro gasto para fazer uma pista de pouso que existia no local antes da construção do aeródromo do município.

A pista antiga, de terra batida, foi construída pela Prefeitura de Cláudio em 1983, quando o próprio Múcio era o prefeito da cidade, com dinheiro do Estado, que na época era governado por Tancredo Neves (1910-1985), de quem o fazendeiro era cunhado.

Como a pista ficava dentro da fazenda de Múcio, o Ministério Público entendeu que ele se apropriou de um bem público e entrou com ação civil contra ele. Por causa dessa ação, a área foi bloqueada pela Justiça e Múcio ficou impedido de vendê-la.

Em 2008, o governo estadual decidiu construir um aeródromo no lugar e desapropriou a área, depositando R$ 1 milhão numa conta judicial para garantir o pagamento da indenização. A Justiça determinou que o pagamento só fosse feito após a conclusão da ação civil movida antes contra Múcio.

A sentença com a condenação do fazendeiro foi publicada no dia 20 de maio deste ano. Em valores atualizados, o tio-avô de Aécio terá que restituir aos cofres públicos cerca de R$ 250 mil.

Em sua decisão, o juiz Jacinto Copatto Costa reconheceu a dívida como quitada, após o valor ter sido separado da indenização que o fazendeiro ainda tem a receber pela desapropriação do terreno.

Se a Justiça mantiver o valor da indenização proposta pelo Estado, de R$ 1 milhão, Múcio receberá pelo menos R$ 750 mil pela área, já descontado o valor que ele foi condenado a devolver por causa da outra ação. No processo, o fazendeiro chegou a pedir R$ 9 milhões pelo terreno.

ESCOLHA

A Folha revelou em julho do ano passado que o governo Aécio construíra o aeroporto dentro da fazenda do tio. O senador tucano e o governo mineiro disseram na época que a área foi escolhida por ser a opção mais econômica para o Estado, e não para beneficiar o parente de Aécio.

O Ministério Público Estadual abriu no ano passado um inquérito sobre a obra, mas em agosto deste ano arquivou o caso. Os promotores concluíram que não houve nenhuma irregularidade na escolha do terreno e na construção do aeroporto de Cláudio.

Em nota enviada à Folha, o diretório do PSDB de Minas Gerais afirmou que não houve "artifício para beneficiar o antigo proprietário" e disse que a decisão do governo estadual de construir o aeroporto no local foi tomada por ser a mais econômica para o Estado, em razão da existência da antiga pista de terra batida no lugar.

    03/05/2015

    A serviço

    Filed under: Mistério Púbico,Vergonha Alheia — Gilmar Crestani @ 11:20 pm
    Tags:

    Antigamente, quando a profissão era encarada com honestidade, a pessoa se dizia em serviço. Agora mudaram para a serviço. Faz às vezes de… Quanto Mistério Púbico há nisso?! Como no samba da Clara Nunes, Na Lama, pra subir você desceu.

    Procurador investigado por corregedoria vaza “informações” contra Lula para a Revista Época

    Published maio 2, 2015 Uncategorized 1 Comment
    Tags:Época, Lula, Ministério Público

    Do Jornal i9

    O Procurador da República Anselmo Henrique Cordeiro Lopes do 4º Ofício de Combate à Corrupção do Distrito Federal que estranhamente entregou uma suposta investigação para a Revista Época do conglomerado Rede Globo contra o ex-presidente Lula, foi investigado por perseguição e falta de provas nas acusações feita ao ex-governador Ronaldo Lessa (PDT) de Alagoas em 2012, sobre um suposto desvio da ordem de 5 milhões de reais que deveriam ser investidos na reforma da Unidade de Emergência Dr. Armando Lages, hoje Hospital Geral do Estado (HGE).

    Decisão

    Diante de tal situação, submetemos o Egrégio Conselho Nacional do Ministério Público, a presente representação, contra o Sr. Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, Procurador da República e, julgando-se a mesmo procedente, seja-lhe aplicado a merecida corrigenda funcional, por ser da mais lídima Justiça.

    Vazamento

    A revista Época da Rede Globo que está chegando às bancas traz uma reportagem exclusiva com o título “Lula, o Operador”. Subtítulo: “O Ministério Público abre investigação contra o petista por tráfico internacional de influência. Ele é suspeito de ajudar a construtora Odebrecht a ganhar contratos na América Latina e na África com dinheiro do BNDES”.

    Assim como o Juiz Federal, Sérgio Fernando Moro (Lava Jato), o Procurador Cordeiro Lopes mantém uma Coluna de “fofocas” na Folha de São Paulo, acompanhe

    O jovem Procurador é formado em Bacharel em Direito pela USP, Especialista em Direito Constitucional pela UNISUL, Mestre em Direito Constitucional pela Universidade de Sevilha, Procurador da República, Professor de Direito da Faculdade da Amazônia Ocidental, Ex-Procurador-Chefe da República no Acre, Ex-Procurador Regional dos Direitos do Cidadão no Acre, Ex-Procurador da Fazenda Nacional, hoje ele está lotado no 4º Ofício de Combate à Corrupção do Distrito Federal.

    O procurador pertence a família de advogados Cordeiro Lopes, aquela mesma empresa que foi investigada desde 1997 pelo Ministério Público Estadual por ter sido contratada pelo Detran sem licitação e por meio de contratos de emergência – a situação provocou a queda, em 2005, do então diretor do órgão, José Francisco Leigo. Em tempo o procurador seria amigo pessoal do promotor público de Campinas, assessor jurídico do PSDB, e deputado federal Carlos Sampaio.

    Empresa Cordeiro Lopes, e o prejuízo de R$ 40 milhões aos cofres públicos

    Em reportagem publicada em 2010, o estadão.com.br informou que Alckmin teria recebido informações apontando a manipulação de um pregão do Detran de 2006 que deu a empresa Cordeiro Lopes o controle dos serviços de emplacamento de carros no interior do Estado de São Paulo.

    Segundo a reportagem, a Casa Verre estaria por trás da vitória da Cordeiro Lopes em nove dos dez lotes de lacração e emplacamento de veículos do Estado, licitados no pregão de 2006.

    Segundo investigação do próprio Detran, a Cordeiro Lopes é suspeita de inflar prestações de contas dos serviços prestados ao Estado, num golpe que pode ter causado um prejuízo de R$ 40 milhões aos cofres públicos.

    O ESTADÃO – CLIQUE AQUI

    Nas Prestação de contas publicada no site Transparências mostra que a empresa Casa Verre do Grupo Cordeiro Lopes doou R$ 4 mil para a campanha à reeleição do então governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), em 2002.

    Luizmuller’s Blog | Espaço de divulgação de textos e ações que defendem trabalho decente no Rio Grande e no Brasil

    11/12/2014

    Tarso, entre honra e a covardia

    Filed under: Aposentadoria,RBS,Tarso Genro,Vergonha Alheia — Gilmar Crestani @ 10:28 pm
    Tags:

    A responsabilidade de um chefe do Executivo Estadual não permite o acovardamento. Se o Chefe do Executivo tem de cumprir tudo o que o outro Poder decide, para que serve o poder de veto? Ao apagar das luzes de seu Governo Tarso prefere ser lembrado como Pilatos, lavando as mãos,  ou como David diante de Golias?!

    Não vetar é omissão, que rima com covardia. Como governador de todos os gaúchos, Tarso tem não só direito de vetar, mas a obrigação de impedir este assalto aos cofres públicos. De lambuja, desnuda a hipocrisia da manada adestrada pela RBS, que sempre está de dedo em riste, como todo moralista de aluguel para apontar nos outros os próprios defeitos.

    Ficou claro agora o que a plêiade de apoiadores do Sartori, os mesmos que votaram nesta patifaria, queriam dizer com “meu partido é o Rio Grande”: vão partir e repartir entre si o cofre do Rio Grande!

    Deputados silenciam após decisão de Tarso de não sancionar aposentadoria especial

    Tendência é de que o presidente do Parlamento promulgue o texto

    Assembleia silencia após decisão de Tarso de não sancionar lei | Foto: Galileu Oldenburg / ALRS / CP

    Assembleia silencia após decisão de Tarso de não sancionar lei | Foto: Galileu Oldenburg / ALRS / CP

    • A decisão do governador Tarso Genro de não sancionar o projeto de aposentadoria especial para deputados causou reação silenciosa na Assembleia Legislativa. O presidente da Casa, Gilmar Sossela, fica agora com a responsabilidade de promulgar a lei. Entretanto, ao ser procurado pela reportagem da Rádio Guaíba, ele disse que não vai se manifestar sobre o tema, justificando desconhecer a atitude de Tarso e declarou que só vai se posicionar após o dia 16. A data coincide com o fim do prazo para que o governador decida se abster em relação à matéria.
      Como a proposta é da Mesa Diretora do Parlamento, a tendência é de que Sossela promulgue a medida. Tarso questionou a constitucionalidade do benefício e alertou que só não vetou o texto em respeito à soberania da Assembleia, que criou a proposta.
      Aprovada no fim do mês passado a iniciativa garante ao deputado aposentadoria com vencimento integral, na ordem de R$ 20 mil, para os parlamentares que tenham 35 anos de contribuição (o que equivale a nove mandatos) e 60 anos de idade, independente do sexo. Nesta conta poderão ser contados o período de mandatos cumpridos em Câmara de Vereadores ou no legislativo federal.
      Pela proposta o parlamentar entra com 13,25% do próprio salário e um índice que corresponde ao dobro, de 26,5%, é complementado pela Assembleia Legislativa. Atualmente vinculados ao regime do INSS, os deputados recebem, no máximo, o teto de R$ 4,3 mil de aposentadoria. Com a aposentadoria especial, eles já conseguirão superar esse valor com dois mandatos seguidos, como prevê a proporcionalidade da matéria.
      Caso o benefício seja mantido, o gasto anual deve ser de pelo menos R$ 600 mil, pagos pelos cofres da Assembleia Legislativa.

    Correio do Povo | Notícias | Deputados silenciam após decisão de Tarso de não sancionar aposentadoria especial

    26/12/2013

    Troféu “vergonha alheia”

    Filed under: José Serra,Vergonha Alheia — Gilmar Crestani @ 10:42 pm
    Tags:

    O troféu vergonha alheia, nos estertores de 2013, vai para José Serra. E não diz respeito exclusivamente ao campeão, mas a todos os abestados que o seguem. E dizer que este sujeito obteve milhões de votos… Por isso, dedico este troféu, vergonha alheia, a todos os que um dia votaram no elemento. Se há alguém que merece o epíteto de destruidor do futuro do PSDB, por mais que FHC faça por merecer, este alguém é José Serra.

    Serra, sincero: "que meus desejos se realizem"

    :

    Eterno presidenciável do PSDB vai ao Facebook e, em mensagem de boas festas endereçada aos amigos e seguidores, deseja que todos os sonhos dele próprio se realizem no ano que vai nascer; o primeiro desejo da lista, certamente, a unção como o nome tucano para a disputa de 2014, em detrimento do “companheiro” Aécio Neves; mensagem virou motivo de piada entre internautas e estimulou críticas na rede social pelo suposto envolvimento de Serra nas fraudes do metrô paulistano

    Brasil 24/7

    27/08/2013

    Sem vergonha alheia

    Filed under: Médicos Cubanos,Médicos sem Vergonha,Vergonha Alheia — Gilmar Crestani @ 11:14 pm
    Tags:

    Sem a propaganda de Goebbels, não haveria Os Carrascos Voluntários de Hitler. Agora que está na moda Hanna Arendt, ve-se concretamente o que acontece com a banalização do mal. Diuturnamente os grupos mafiomidiáticos abastecerem de todo tipo de patifaria, destilam ódio racial, se insurgindo inclusive contra a política de cotas. Com este arsenal de vitupérios os instintos mais primitivos ficaram à flor da pele e o azedume saiu do ponto. De onde mais se esperava, de lá só saiu desequilíbrio, insensatez, ódio, falta de ética.

    Pode-se e deve-se condenar esta caterva, mas não devemos nos esquecer de quem botou gasolina no fogo. A faísca não teria dado em nada não tivesse sido preparado um terreno de ódio e desfaçatez. A boçalidade de pessoas brancas, com diploma, contra pessoas negras, inclusive sendo chamados de escravos ou mesmo de “domésticas”, não surgiram de um estalar de dedos. O princípio da vilania nasce, cresce, se desenvolve e se espalha através de veículos do tipo Veja, mas com a coordenação centralizada pelo Instituto Millenium. Nenhum veículo sério empregaria energúmenos do naipe de Reinaldo Azeredo ou Augusto Nunes, para ficar em dois exemplares de uma espécie se que prolifera como rato. Ou como a musa da febre amarela, Eliane Cantanhede, da Folha de São Paulo.

    O que choca não é a explicitação da boçalidade levado ao paroxismo por entidades corporativistas, que todas são, mas a passividade bovina com que mal informados e mal intencionados se deixam conduzir pelo cabresto para dentro da nau montada pelos arautos do ódio mais canhestro. Entrincheirados em jornais e revistas, são arregimentados e comandados por grupos empresarias sem qualquer compromisso com os mais comezinhos princípios de civilidade. Não é nenhum anacronismo que os mesmos grupos que incentivaram e se locupletaram com a ditadura também tenham sido os grandes patrocinadores da agressão e do desrespeito à democracia atual. Há muito vinha-se dizendo que os neocons levariam estes grandes grupos mafiomidiáticos ao mais baixo nível.

    Infelizmente, seus ventríloquos desceram antes. Permitem, no entanto, que possam fazer um mea culpa a tempo de se regenerarem. Como no filme Telma & Louise, é um caminho sem volta.

    A constrangedora vergonha alheia

    Luciano Martins Costa, Observatório da Imprensa

    Uma fotografia na primeira página da Folha de S.Paulo, na edição de terça-feira (27/8), resume em boa medida o mal-estar em que as entidades médicas enfiaram os profissionais de saúde do Brasil.

    A imagem mostra um médico cubano, negro, sendo ameaçado e vaiado por colegas brasileiros quando saía da primeira aula do programa de treinamento para sua missão em território nacional. Os manifestantes xingavam os médicos estrangeiros de “escravos”, e chegaram a agredir representantes do Ministério da Saúde, o que descreve de maneira bastante clara o nível de irracionalidade provocada pelas declarações de dirigentes dos conselhos de medicina e outras associações de classe contra o programa Mais Médicos.

    O incidente aconteceu em Fortaleza, uma das cidades escolhidas para abrigar os cursos de preparação dos profissionais contratados para suprir a carência de médicos brasileiros no interior e na periferia das grandes cidades. Segundo os jornais, os manifestantes, organizados pelo Sindicato dos Médicos do Ceará, fecharam todas as saídas do edifício da Escola de Saúde Pública e tentaram invadir o local. Depois, formaram um corredor e passaram a hostilizar os estrangeiros que deixavam o prédio.

    Os relatos são curtos, mas a imagem na primeira página da Folha demonstra que, nestes dias, quem representa os médicos brasileiros são esses grupos de xenófobos organizados pelas entidades oficiais da profissão, uma vez que os demais, se têm opinião diversa, estão se omitindo.

    Os jornais também trazem entrevistas com médicos cubanos e de outras nacionalidades que aderiram ao programa. A comparação entre os dois comportamentos é quase ofensiva para a classe médica brasileira: enquanto os nacionais se esmeram em atitudes agressivas e declarações preconceituosas, os estrangeiros demonstram o espírito cívico e de solidariedade que se espera daqueles que escolheram como profissão aliviar o sofrimento humano.

    A leitura cuidadosa dos textos que a imprensa vem publicando a respeito do assunto indica que a vergonha que os médicos brasileiros impõem a si próprios, por ativismo ou por omissão, constrange até mesmo os jornalistas. Por mais que se esforcem para dar alguma racionalidade à posição do Conselho Federal de Medicina, da Associação Médica Brasileira e dos sindicatos da categoria, os jornais não conseguem esconder esse embaraço.

    A “baixaria” de jaleco

    Pode-se ler no Estado de S.Paulo, por exemplo, que o presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul, um dos mais ativos contestadores do programa do governo, tem dois filhos formados na faculdade de Medicina de Camaguey, em Cuba. Na volta, os moços frequentaram disciplinas complementares na Universidade do Sul de Santa Catarina e revalidaram seus diplomas na Universidade Federal do Ceará.

    O dirigente sindical entende que não há incongruência em criticar o programa de importação de médicos formados no exterior, uma vez que seus filhos revalidaram seus diplomas cubanos. Mas até Eremildo, o Idiota, personagem criado pelo jornalista Elio Gaspari, estranharia a curiosa ginástica que os moços fizeram para conseguir a revalidação, transitando de sul a norte do Brasil para obter um documento que podia ser conquistado em seu próprio estado.

    Os argumentos brandidos pelas entidades médicas contra o programa do governo têm esse mesmo tipo de percurso, mas terminam mesmo é em atitudes grosseiras como a da manifestação em Fortaleza, uma verdadeira “baixaria” de jaleco.

    Com todos os riscos das generalizações, pode-se afirmar que o noticiário leva o cidadão comum a entender que os médicos brasileiros têm outras prioridades que passam longe da saúde pública. Para reverter essa interpretação, seria necessário que a imprensa procurasse equilibrar os exemplos e declarações, entrevistando profissionais de saúde que apoiam o programa Mais Médicos, ou que, pelo menos, não concordem com a atitude hostil insuflada pelas entidades representativas da categoria.

    Mas o que se vê até aqui é apenas o confronto que tem como síntese a fotografia publicada na primeira página da Folha. No entanto, essa fotografia, ao congelar a realidade em apenas um quadro, mostra só um dos lados do que aconteceu no Ceará.

    O jornal O Povo, de Fortaleza, postou em seu blog um vídeo no qual se pode observar que o protesto dos médicos brasileiros não foi a única manifestação: também havia ativistas que foram ao local para apoiar os cubanos (ver aqui).

    Acontece que a imprensa, de modo geral, não está dando espaço para os cidadãos que apoiam o programa, e o noticiário apenas mostra as entidades médicas criticando e representantes do governo se defendendo.

    Os médicos envergonhados também deveriam ser ouvidos.

    SQN

    31/01/2013

    Castelo de areia ou merda movediça?

    Filed under: Avalanche,Futebol,Grêmio,Vergonha Alheia — Gilmar Crestani @ 8:46 am

    E se der vento? Voa? E se chover? Tá bom, merda não afunda…

    Avalanche provoca queda de alambrado na classificação do Grêmio

    O acúmulo de torcedores nas grades fez com que parte da proteção se rompesse

    31 de janeiro de 2013 | 1h 10

    O Estado de S. Paulo

    PORTO ALEGRE – A classificação do Grêmio para a fase grupos da Copa Libertadores ficou marcada por uma cena triste e quase virou tragédia. Ao comemorar o gol de Elano, que garantiu a vitória no tempo normal por 1 a 0, sobre a LDU (Equador), os gremistas fizeram a tradicional avalanche, na arquibancada térrea atrás de uma das traves. O acúmulo de torcedores nas grades fez com que parte do alambrado rompesse, com muitos gremistas caindo no fosso. Pelo menos oito deles precisaram de atendimento médico, sem nenhum caso grave.

    A avalanche chegou a ser proibida antes da abertura do novo estádio, por questões de segurança, e só foi permitida após um acordo do Grêmio com a Polícia Militar do Rio Grande do Sul. Na inauguração, contra o Hamburgo, dia 8 de dezembro, a comemoração foi liberada.

    O projeto inicial da Arena já previa a realização da avalanche, atrás dos gols, com capacidade para 10 mil pessoas em pé, ou 5 cinco mil sentadas, em caso de instalação de cadeiras.

    Ao comemorar o gol de Elano, os gremistas fizeram a tradicional avalanche, na arquibancada térrea atrás de uma das traves. O acúmulo de torcedores nas grades fez com que parte do alambrado rompesse NECO VARELLA

    Muitos gremistas acabaram caindo no fosso NECO VARELLA

    Avalanche provoca queda de alambrado na classificação do Grêmio – esportes – futebol – Estadão

    Blog no WordPress.com.

    %d blogueiros gostam disto: