Ficha Corrida

30/07/2015

Je suis Charlie Hebdo, ne pas tucanô!

Situações como esta ajudam a explicar porque a Rede Globo e demais parceiros do Instituto Millenium estejam vivendo os estertores de uma era. A era do compadrio com segmentos políticos da direita hidrófoba.

Charlie Hebdo aborda tema tabu da mídia brasileira

qua, 29/07/2015 – 20:09

Charlie Hebdo publica reportagem ilustrada sobre crise da água em São Paulo

Da ABRAJI

O cartunista Riss, diretor do Charlie Hebdo, fez um pedido aos organizadores do 10º Congresso da Abraji: durante sua passagem pelo Brasil, queria cobrir a escassez de água em São Paulo e entender como os 11 milhões de moradores estavam se adaptando à estiagem.

A equipe da Abraji acompanhou o jornalista em visitas a comércios e residências na zona Oeste da cidade e articulou uma excursão à represa de Atibainha, parte do Sistema Cantareira. A viagem de 150 km foi feita em viaturas blindadas da Polícia Federal e em companhia do grafiteiro Thiago Mundano, um dos artistas que têm acompanhado e retratado a crise de abastecimento. É dele o famoso grafite que dá as boas-vindas ao "deserto da Cantareira".

Riss pretendia visitar uma favela para saber exatamente como a crise de abastecimento tem afetado a população mais pobre da cidade. Por segurança, os agentes da Polícia Federal excluíram essa possibilidade.

A reportagem em quadrinhos, publicada na edição nº 1.200 do jornal, descreve técnicas usadas por moradores para reaproveitar água, menciona o uso de copos descartáveis em lanchonetes e nota que, com as torneiras secas, São Paulo é cortada por grandes rios – transformados em esgoto a céu aberto.

O cartunista também menciona que a Sabesp tem papéis negociados na bolsa de Nova York e pergunta, observando o famoso relógio de água do Shopping Iguatemi, se a água será em breve um produto de luxo.

Riss esteve no Brasil para participar do 10º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo, realizado pela Abraji no começo do mês.

Abaixo, a reprodução da reportagem em quadrinhos. Clique neste link para fazer o download da imagem em tamanho grande:

Charlie Hebdo aborda tema tabu da mídia brasileira | GGN

12/07/2015

Galinha não voa, mas faz pensar

Filed under: CPMF,Galinha,José Fortunati,Mais Médicos,PSDB,RBS,Tucano — Gilmar Crestani @ 11:46 am
Tags:

Uma coisa é certa: no mundo animal galinha tem mais cérebro que tucano. E como tem bico é menor, diz menos bobagens.

mafia de branco só apoia consumidror de brancaNão há como não concordar com o editor do Xangri-lá, Jorge Loefler. Lendo o texto abaixo, que deu suporte ao comentário do blogueiro, fiquei com a impressão que a rede hospitalar, anterior ao Mais Médicos era excelente e quebrou com a vinda dos médicos cubanos. Ora, quem chega a esta conclusão não merece explicação posto que nem desenhando entende. Não sou nem serei defensor do Fortunati. Não só porque não votei nele como também porque vive de quatro para a RBS. Agora, parece fácil condená-lo pelas trapalhadas do tiririca da Serra, José Ivo Sartori. Devemos lembrar que, com todos os problemas, Tarso Genro aplicou os 12% constitucionais em saúde. Quem votou neste palhaço, no mau sentido, também votou nos toxicômano das alterosas, votou em Lasier Martins e em Ana Amélia Lemos. Não fosse o dinheiro sonegado pela RBS, Gerdau e demais pegos na Operação Zelotes e teríamos, sim, melhores hospitais.

A máfia de branco, que usa dedos de borracha para marcar presença, não gosta de concorrência. A máfia tem razão em defender seus interesses. A população tem direito a exigir mais saúde. O que o editor do CristalVox deveria explicar é, neste tema da saúde, porque ele votou num toxicômano para presidir o país. Afinal, qual dos dois é mais doente, o eleitor ou o Napoleão das Alterosas?!

Precisamos de Mais Médicos, Menos HiPÓcrisia! Por que a Máfia de branco apoia usuário de branca?!

O editor do CritalVox deveria se lembrar de quem, quando era governo, criou a CPMF para investir na saúde, mas quando saiu, fez por enterrá-la. Não admirar que consegui, num curto espaço de texto, dizer tanta boçalidade que só o pode fazer mediante o acompanhamento médico…

GALINHA NÃO TEM MENINGITE

“Diz o blogueiro: o editor do CristalVox foi candidato a deputado estadual obtendo alguns milhares de votos. Seu partido é o PSDB, partido que comprou votos para alterar a Constituição a fim de dar ao Vaidoso Henrique Cardoso, entreguista mor dessa direita nojenta. No segundo mandato eles venderam o que puderam do patrimônio da nação, mas lhes faltou tempo para entregarem a interesses estrangeiros o nosso petróleo. Eleito Lula este percebeu que a miséria era muito grande e em seu governo elevou o ganho dos mais pobres trazendo assim milhões de brasileiros ao mercado de consumo. Lula foi reeleito e elegeu Dilma que foi reeleita embora o outro lado tenha feito tudo o que estava ao seu alcance. Perdida a eleição já no dia seguinte caíram de pau na Presidente democraticamente reeleita. Agora eles estão desesperados, acredito eu por que lhes falta o oxigênio que move a classe política de modo geral, embora haja exceções, que é o dinheiro do Tesouro Nacional. Quando o tal Vaidoso exercia a Presidência nossos diplomas eram humilhados ao ingressarem no território americano, pois lhes era exigido tirassem os sapatos para serem revistados. Com O PT no governo as coisas mudaram.Faz pouco tempo a Presidente tinha visita marcada a Washington e ao saber da escuta de seus telefones feita pelos paladinos da democracia canelou tal visita. Isto é altivez que só os retos impõem. Agora passado algum tempo nossa Presidente esteve lá atendido a convite de Hussein Barak Obama. Faz pouco tempo que sabemos que nosso pré-sal vale trilhões de dólares e isto interessa ao senhores da democracia, nossos ‘amigos’ americanos. A direita está assanhada por saber que se retornarem ao poder poderão entregar nosso óleo aos paladinos da democracia. Isto por certo os faria multimilionários para o resto de suas nojentas vidas.Espero que nosso povo tenha consciência disto e os mantenha longe da Presidência por longo tempo pelo bem de todos nós e de meus netos.”

X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X

Leudo Costa 11 de julho de 2015 Política

prefeito deputada galinha

fortunati regina e a galinha
Na última quinta-feira, dia 9 de julho, um prefeito ex-petista, que sente mais pena das galinhas do que dos pacientes atendidos por médicos cubanos, entrou com uma ação na justiça para que o seu município, a sua “querida” Porto Alegre, receba mais dinheiro para saúde. Disse o prefeito: “Retiramos de outras áreas e concentramos na Saúde. Mas nem isso está sendo suficiente. Se tem alguma prioridade a ser atendida, tem que ser a Saúde. Estamos lidando com vidas, o Judiciário precisa entender isso”. O que ele não disse é que ele e seu ex-secretário, aquele que gosta de livros publicados por repórteres da RBS, lideraram a frente nacional de prefeitos que trouxe o Programa Mais Médicos para o Brasil, que ajudou a destruir a rede Hospitalar e que continua despedindo médicos brasileiros para contratar cubanos em seu lugar !
Porto Alegre atende hoje, e sempre atendeu, um gigantesco número de pacientes vindos do interior. A situação agora agrava-se porque dois surtos de “meningites” atingem o Rio Grande do Sul. O primeiro é real: crianças estão morrendo devido a escassez de recursos que amontoa estudantes nas escolas e pacientes nos hospitais e manda dinheiro para construir aeroportos em Cuba e hospitais na Palestina. A segunda “meningite” é política: o RS era governado pelo peremptório poeta de mão cheia Tarso Genro. Ele quebrou o Rio Grande do Sul mas, por pior que fossem suas relações com a União, ainda assim era petista. Sartori não é do PT e os meningococos que estão matando crianças também não. Isso significa que nesse momento a cidade depende de um prefeito ex-petista relacionar-se com um governador do PMDB para que esse consiga dinheiro de uma presidente que, lá pelas tantas, é o PMDB que pode derrubar. É…não está fácil para as crianças gaúchas com meningite. Já não era fácil: agora tornou-se impossível.
De acordo com o Centro Estadual de Vigilância em Saúde do Estado, o Rio Grande do Sul já registra nove óbitos por doença meningocócica em 2015. As últimas três mortes confirmadas ocorreram em Cachoeirinha e Dom Feliciano. Até agora, já são 39 casos confirmados da doença bacteriana no Estado. Há também o caso de uma morte por meningite viral registrado em janeiro em Canoas. O maior Hospital Materno Infantil do Estado, controlado pela prefeitura de Porto Alegre, o Presidente Vargas, foi sucateado pela passagem de Casartelli pela Secretaria da Saúde. O Hospital da Restinga, que Fortunati diz ter “inaugurado”, não passa de uma UPA que só não é pior que aquela que existe na Assis Brasil e que tanto trabalho vem dando para um Presidente de Sindicato que tem filhos formados em Cuba em virtude das pancadaria e ameaças aos médicos. Esta última é administrada pela “chinelagem” do Grupo Hospitalar Conceição: aquele mesmo que compra aparelhos de pressão por 3 mil reais cada um e coloca próteses de quadril em pacientes que não precisam.
Sugestão para quem vai nascer em Porto Alegre: venha como galinha; não como criança. O prefeito, ele mesmo, vai parar seu carro e atender você. Na pior das hipóteses, lembre-se: Galinha não Tem Meningite!

O texto foi produzido a 04 mãos. Pelo médico Milton Simon Pires e pelo editor do Cristalvox.

Copiado de: http://cristalvox.com.br

Praia de Xangri-Lá

01/07/2015

Empreiteira do bem é aquela que doa para animais em extinção. Tucanos!

Só idiotas ainda não se deram conta. E para esses não há mais solução. Perderam o cérebro e com qualquer laivo de decência. Onde não há cérebro, não há racionalidade. Quer dizer que todas as doações ao PT são criminosas enquanto as doações a todos os demais partidos são inocentes. Só um sujeito lobotomizado pode pensar assim. Ou dotado de ódio com espírito de vingança associado a algum trauma de infância, como curra.

O modo de operação das empreiteiras com o governo paulista

seg, 29/06/2015 – 18:25

Atualizado em 29/06/2015 – 18:56

Luis Nassif e Patricia Faermann

Jornal GGN – As grandes empreiteiras envolvidas na Lava Jato são contratadas de grandes obras do governo paulista. Ao mesmo tempo, fizeram doações vultosas para campanhas eleitorais. Trata-se de um esquema de corrupção ou não?

No fundo, repetem o mesmo padrão com todos os estados onde têm obras e com todos os políticos que possam ter alguma influência na dotação das obras. 

Mesmo assim, os interrogatórios conduzidos pelos procuradores da Lava Jato focam especificamente as campanhas do PT, reforçando as suspeitas de que há um componente político direcionando as investigações.

Dois episódios são significativos das relações dos governadores paulistas com as empreiteiras.

Assim que assumiu o governo de São Paulo, em janeiro de 2011, Geraldo Alckmin convocou o Secretário de Transportes, Saulo de Castro Abreu, figura de estrita confiança, para anunciar a revisão dos contratos com as concessionárias de rodovias. Saulo alertou que a medida significaria uma redução de R$ 300 milhões no lucro da Autoban. O comunicado soou como um aviso para as concessionárias saberem com quem deveriam conversar dali por diante. (leia mais em: O curioso jogo de Alckmin com as tarifas de pedágio).

O segundo episódio foi na campanha eleitoral de 2010, quando o operador Paulo Preto tornou-se suspeito de ter desviado recursos da campanha do PSDB. Em um primeiro momento, Serra alegou não conhecer Paulo Preto. Quando o operador ameaçou – com a frase "não se deixa um aliado ferido no campo de batalha"- Serra imediatamente voltou atrás. Mas nenhum inquérito foi aberto a respeito das suspeitas.

Atualmente, a CCR possui participação em diversos consórcios no setor de transportes. Estão na malha do grupo a Autoban, a NovaDutra, ViaLagos, RodoNorte, ViaOeste, RodoAnel, Renovias, ViaQuatro, Actua, Engelog, Controlar, EngelogTec, Barcas, SAMM, STP, Transolímpica, Ponte Rio-Niterói, Aeroporto Internacional de Quito, Aeroporto Internacional de San José e Aeroporto Internacional de Curaçao – empreendimentos que ultrapassam as fronteiras brasileiras. E os principais acionistas da CCR são os grupos Soares Penido (Serveng), Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez.

Nas campanhas de 2010, a Andrade Gutierrez doou mais de R$ 16 milhões ao comitê nacional do PSDB, a Camargo Correa pouco mais de R$ 8 milhões ao caixa nacional do partido e R$ 3,15 milhões ao comitê de São Paulo do PSDB, e a Serveng doou R$ 1,7 milhão ao PSDB nacional e R$ 1,1 milhão ao comitê de São Paulo do partido.

Em 2014, a Andrade Gutierrez doou R$ 25,9 milhões ao PSDB nacional. Já a Serveng doou um total de R$ 3,25 milhões à Direção Estadual do PSDB em São Paulo.

Hoje, reportagem do Estado de S. Paulo anuncia um novo aumento nos pedágios: "Pedágios de SP vão subir até 8,47% a partir de quarta-feira, dia 1º". As iniciativas privadas terão reajuste do IPCA acumulado com a diferença "perdida" dos anos que o governo de Alckmin não autorizou os aumentos, referente a 2013. No ano passado, o governador autorizou 5,29%, um pouco abaixo da inflação. 

Depois de reeleito, o governador concede 8,47% de reajuste aos trechos Oeste e Sul do Rodoanel Mario Covas e as Rodovias D.Pedro I, Raposo Tavares, Marechal Rondon (Oeste e Leste) e Ayrton Senna/Carvalho Pinto. Também fará um reajuste de 4,11%, referente ao IGP­M, para 12 concessionárias: Autoban, Tebe, Vianorte, Intervias, Centrovias, Triângulo do Sol, Autovias, Renovias, ViaOeste, Colinas, SPVias e Ecovias.

A relação não é de datas recentes. 

Em reportagem da Folha de agosto de 2006, concessionárias do serviço público das áreas de rodovias e telecomunicações burlaram a lei para realizar doações para as campanhas de 2002 e 2004. Apesar de não trazer discrimado quanto foi doado às direções nacional e estadual de São Paulo do PSDB, grandes e médias empreiteiras que detêm autorizações do Estado e da União para operar aparecem como doadoras oficiais de cerca de R$ 23 milhões de 2002 a 2006 a diversos partidos. 

Em 2006, então candidato à Presidência, Alckmin se reuniu em São Paulo com 16 executivos de teles. O empresário João Dória Júnior, então colaborador da campanha tucana, chegou a falar da importância de contribuir para a candidatura do então governador. Como tratava-se de concessionárias, Dória recomendou que as doações fossem feitas por meio das controladoras ou dos fornecedores das teles. O caso das concessionárias que exploram pedágios em rodovias federais e estaduais é o financeiramente mais expressivo.

"O Grupo CCR domina 1.452 km de rodovias sob responsabilidade de seis concessionárias, comandado por empreiteiras como a Andrade Gutierrez e a Camargo Corrêa. Juntas, doaram R$ 2,7 milhões a candidatos diversos nas eleições de 2002", publicou o jornal, na época.

Além dos consórcios envolvendo comunicações e concessionárias, com malhas de rodovias de São Paulo, as empreiteiras participam de outras obras, como a Linha 6-Laranja do Metrô, que teve a licitação vencida o consórcio Move São Paulo, formado pelas empresas Odebrecht, Queiroz Galvão, UTC Participações e o fundo de Investimento Eco Realty.

A construtora Queiroz Galvão repassou R$ 4,1 milhões, a CR Almeida doou R$ 1 milhão e a construtora OAS R$ 860 mil ao comitê financeiro estadual para governador do PSDB. A Serveng, investigada pelo Cade, colaborou com R$ 2 milhões. Alckmin também recebeu R$ 500 mil da UTC, investigada na Lava Jato.

Os registros do TSE revelam, ainda, que mais da metade da campanha de 2014 do governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, foi bancada por empresas investigadas por fraudes e formação de cartel em licitações do metrô de São Paulo e do Distrito Federal, conforme publicou o Uol, em setembro do ano passado.

Em nível federal, as mesmas que bancaram a campanha de Aécio Neves a presidência, em 2014. A direção nacional do PSDB recebeu R$ 6,2 milhões da OAS (R$ 5,7 milhões) e Queiroz Galvão (R$ 500 mil). No ranking, a UTC aparece como a quinta maior doadora do tucano, com um total de R$ 44,5 milhões repassados ao comitê financeiro para a Presidência do PSDB. 

Os benefícios também foram estendidos a outros candidatos, no ano eleitoral de 2010, segundo as investigações da Operação Lava Jato. Apontado nos últimos vazamentos de delação de Ricardo Pessoa, da UTC, o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) teria recebido oficialmente R$ 300 mil, e outros R$ 200 mil em dinheiro vivo da empreiteira. Em resposta, o senador disse que as transações foram legais, declaradas à Justiça.

Os dados podem ser confirmados no sistema de prestação de contas do TSE, com um repasse de R$ 200 mil e outro de R$ 100 mil:

Ainda em meio às investigações da Operação Lava Jato e do esquema de cartel do Metrô de São Paulo, o governador mantem as negociatas futuras. Em coluna da Monica Bergamo, em maio deste ano, a jornalista relata que Alckmin convidou alguns dos maiores empresários do Brasil para jantar na ala residencial do Palácio dos Bandeirantes. "Entre eles estavam Marcelo Odebrecht, da empreiteira Odebrecht, e Jorge Gerdau, do grupo Gerdau. O jantar, com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, contou ainda com a presença de Carlos Terepins, da construtora Even, Johnny Saad, do grupo Bandeirantes, Pedro Faria, da BRF, e João Doria Jr., do grupo Lide", publicou.

O modo de operação das empreiteiras com o governo paulista | GGN

27/04/2015

Mitos tucanos: PCC & Dengue

Filed under: Dengue,Epidemia,Geraldo Alckmin,PSDB,São Paulo,Tucano — Gilmar Crestani @ 8:23 am
Tags:

OBScenas: quem está com dengue levanta a mão!

dengueDepois de mais de 20 anos no comando do Executivo paulista, o PSDB entrega descalabro administrativo em todos os setores. Além do racionamento d’água, do PCC que já está invadindo outros estados, agora também a epidemia de dengue. Da segurança, tendo o PCC no comando, nem se fala: ontem melhor do que hoje e hoje melhor do amanhã. É claro que isso bate uma irritação danada. E como manada segue bovinamente amestrada para odiar o Governo Federal, culpar os outros pela própria incompetência é o esporte mais praticado pelos golpistas.

As reiteradas tentativas de levar a eleição no tapetão é puro diversionismo. Enquanto ficam buscando pelo em ovo, as administrações tucanas vão sendo desmontadas como castelos de areia. O choque de gestão em Minas é um conto de fadas vendido pelos assoCIAdos do Instituto Millenium. Em São Paulo, não fossem a distribuição de milhares assinaturas de Folha, Estadão e Veja pelas escolas públicas, a casa já teria caído. Está caindo no Paraná, onde a dupla personalidade de Fernando Francischini & Beto Richa talvez não cheguem juntas ao final do mandato.

Outro mito é o de que tucano graúdo não vai preso. Jorge Pozzobom entregou como funciona a parceria com a parcela retrógrada do Poder Judiciário. O que parecia fatos isolados envolvendo Gilmar Mendes e Rodrigo de Grandis, tomou ares de epidemia na medida que um a um os tucanos vão se livrando das garras da Justiça. Um desembargador do TJ/SP, Armando Toledo, ficou três anos sentado no processo de investigação contra Barros Munhoz, até que prescreveu em função da idade.

O mais engraçado nesta história trágica é o tratamento que a Folha e o restante do PIG dá ao assunto. Não é culpa do governantes, dos administradores. Se fosse governado pelo PT, estaria na capa culpando o  PT e o Poder Judiciário estaria pondo algum petista na prisão. Como é obra do PSDB, ninguém sabe, ninguém ouve, ninguém vê.

O pior disso tudo é que, igual ao PCC, vão espalhar dengue para o resto do Brasil. Mesmo quem fez o serviço de casa está sujeito à sofrer as consequências da incompetência do Geraldo Alckmin. Por que o coronelismo eletrônico hesita tanto em botar a culpa em quem tem quando se trata de tucano? Cadê a famosa meritocracia tucana, que sempre vendeu que tinha os “melhores quadros”?!

Botar a culpa em Lula, Dilma e o PT é o que o PSDB faz de melhor.

Com total de 222 mil casos, dengue bate recorde em S. Paulo

Já são 125 mortos no Estado, mas 90 óbitos ainda estão sob investigação e podem ser atribuídos à doença

Só existem 31 cidades paulistas sem nenhuma pessoa infectada, contra 169 municípios anteriormente

JAIRO MARQUESDE SÃO PAULO

O número de casos confirmados de dengue no Estado de São Paulo, até o dia 22 de abril, é o maior já registrado na série histórica disponível, iniciada em 1986.

São 222.044 vítimas da doença em 645 cidades, segundo o último boletim do Centro de Vigilância Epidemiológica estadual, órgão que tabula os resultados, divulgado no final de semana.

O recorde de contaminados pela doença era de 2013, quando 209.052 pessoas se infectaram durante o ano em todo o Estado. Em 2014, foram 204.236 confirmações.

Outro resultado negativo próximo de ter o recorde batido na epidemia deste ano em São Paulo –são mais de 300 casos por 100 mil habitantes, o que configura situação epidêmica– é o número de mortes confirmadas.

Já são ao menos 125 óbitos contra 141 de 2010, ano com mortes por causa da doença no Estado, segundo dado do Ministério da Saúde.

O agravante é que outras cerca de 90 mortes ainda estão tendo a causa de dengue checada em laboratório.

Municípios do noroeste do Estado que tiveram surtos fortes da doença, como Bauru, Marília, Botucatu, Araçatuba e Bebedouro, que enfrentam a dengue desde janeiro, começam a ter uma desaceleração das confirmações.

Por outro lado, a doença ainda segue em ritmo forte de contaminação em cidades da Baixada Santista, da Grande São Paulo e da região de Campinas, por exemplo.

CONCENTRAÇÃO

Trinta cidades paulistas, todas com mais de 1.200 confirmações de dengue, detêm 62% dos casos do Estado. Até meados de março, essa concentração era maior, 66%.

Em números absolutos, Campinas, Sorocaba, São Paulo, Sumaré e Catanduva, todos com mais de 6.400 registros de infectados, são os municípios que somam mais doentes por dengue.

Até o dia 20 de março, 169 cidades estavam imunes à dengue. O número desabou para 31 no último balanço.

Pesquisadores e autoridades de saúde ainda não conhecem as razões para uma ação de ação do mosquito Aedes aegypti, mas a forte presença do vírus tipo 1 da dengue (um dos quatro existentes) neste ano, aliada à baixa imunidade de parte da população a esse sorotipo, é um dos fatores em análise.

Diversas prefeituras do Estado, como a da capital, onde já há epidemia em 13 distritos, pediram auxílio de homens do Exército para ajudar na contenção dos focos da dengue. Cerca de 80% deles ficam dentro das casas.

A Secretaria de Estado da Saúde montou uma operação de auxílio aos municípios para tentar controlar as contaminações. A pasta investiu R$ 6 milhões na contratação de novos agentes e na compra de equipamentos.

O pico de infestação da dengue deve se dar agora, entre a última semana de abril e o começo de maio.

Com menos chuvas e temperaturas mais baixas, as condições de proliferação do mosquito devem minguar.

Em fase final de testes, a perspectiva é que, até o ano que vem, o país passe a contar com uma vacina eficaz contra os quatro sorotipos do vírus da dengue.

15/03/2015

Jorge Pozzobom para âncora da Globo

pozzobomPrintscreen do tweet do deputado gaúcho, Jorge Pozzobom, do PSDB. A pergunta que não quer calar: por que canalhas sempre encontram proteção?

Só há dois tipos de pessoas que não se  dá conta desta promiscuidade do PSDB com o Poder Judiciário e o velho coronelismo eletrônico: os mal informados e os mal intencionados!

Depois desta declaração do energúmeno gaúcho, fica por demais evidente que a promiscuidade é um costume que ainda vai demorar para ser extirpada. Vai precisar pelo menos mais dois mandatos do PT.

Tucano não põe um coxinha na rua. O inimigo é a Globo

Com essa lenga-lenga do Berzoini ela está frita !

Os tucanos sumiram.
O Aécio Never botou a camisa da seleção brasileira, foi para a janela e não ousou por os pés no chão.
E olha que a manifestação foi em Copacabana, onde não se viu um pobre.
Como na Avenida Paulista.
Se Copacabana ganhasse eleição, o Carlos Lacerda tinha sido Imperador do Brasil e o Gabeira embaixador em Paris.
Como no Farol da Barra, em Salvador, e na praia de Boa Viagem, em Recife.
Tucano não põe povo na rua.
Nem classe média.
Quem põe é a Globo.
Com um trabalho sistemático, há doze anos, 24 horas por dia, 365 dias por ano.
(Veja como a Globo massacra cabeça do brasileiro.)
Os tucanos terceirizaram sua prática e sua ideologia à Globo.
Ou o Governo Dilma enfrenta a Globo e garante o direito de expressão a todos os brasileiros, ou daqui a pouco o país racha e ela não Governa.
Os 300 mil, 400 mil que foram nesse domingo para a Avenida Paulista são um indício muito forte de que a classe média paulista – apoiada no William Bonneer – está decidida a ir para o confronto.
O que ela quer ?
Botar 2 milhões na rua ?
Ou a Dilma acaba com essa lenga-lenga – ver “quem não faz, leva” – do Berzoini de consultar a sociedade, ou … o Lula vai se afogar junto.

Paulo Henrique Amorim

Tucano não põe um coxinha na rua. O inimigo é a Globo | Conversa Afiada

30/01/2015

Na terra do Álvaro Dias, Fernando Francischini & Beto Richa é assim

alvaro dias filha fora do casamentoA dúvida é se o novo Secretário de Segurança Pública do Paraná, Fernando Francischini, da bancada da bala e que dá entrevista armado, vai puxar o gatilho para detonar o “explorador”. Ele que se tornou tão valente em relação ao traficante na Indonésia acocou para o assessor do chefe… Como sempre, os xiitas da honestidade alheia (vide Demóstenes Torres), são sempre os que têm sujeito para esconder. Como diria a Eliane Cantanhêde, essa é tal a massa cheirosa do PSDB…

Não sei porque não me surpreendo mais com más notícias na terra do porta-voz do Paraguai, Álvaro Dias, e do desde sempre colaborador do PSDB, deste os tempos do Banestado, Alberto Youssef

Espero uma opinião abalizada do chefe da matilha, FHC, e de seu estafeta baiano, Antonio Imbassahy.

Assessor do governo de Beto Richa é preso sob acusação de exploração sexual de menores

Postado em 30 de janeiro de 2015 às 4:52 am

Do uol:

Marcelo Caramori, assessor do Governo do Paraná, foi preso no início da noite de quinta-feira (29) em Londrina, em uma operação que investiga a participação de servidores públicos em casos de exploração sexual de crianças e adolescentes na cidade. Um computador foi recolhido na casa do assessor, durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão, realizada por por agentes do Gaeco (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado).

Promotores do Ministério Público afirmam que Caramori já vinha sendo investigado e que a prisão está embasada em “indícios suficientes” que caracterizam a prática de exploração sexual de menores.

A assessoria do governador Beto Richa (PSDB) negou que Caramori atuasse no Palácio Iguaçu. A informação repassada à imprensa é de que ele estaria nomeado em cargo comissionado, mas atuaria como fotógrafo do governo em Londrina. No Portal da Transparência do Governo do Paraná, no entanto, Caramori está relacionado como assessor da governadoria, recebendo salário de cerca de R$ 6,2 mil, pago em dezembro de 2014. O governador Beto Richa deve exonerar o assessor nesta sexta-feira.

(…)

Caramori gosta de aparecer em fotos ao lado de autoridades e celebridades. Em seu perfil em uma rede social, ele aparece em fotos ao lado de políticos, policiais, artistas e jornalistas famosos. Em uma das fotos, o assessor posa ao lado do jornalista da Rede Globo, Heraldo Pereira, o trata como “meu novo amigo e irmão”.

Em outra imagem, ele aparece apontando o dedo indicador para o governador Beto Richa. A cena sugere que a selfie foi registrada pelo próprio governador. Na postagem, o assessor escreve “Hoje quem fez a foto foi o chefe o amigo e o governador…Valeu pelo carinho e pelos parabéns pelo meu aniversário..um gesto que representa muito para mim a amizade!!!!!”.

Diário do Centro do Mundo » Assessor do governo de Beto Richa é preso sob acusação de exploração sexual de menores

22/10/2014

Coelho sai da Covas pra subir no muro

Filed under: Folha de São Paulo,Marcelo Coelho,PSDB,Tucano — Gilmar Crestani @ 7:53 am
Tags:

Subir no muro é uma especialidade atribuída ao PSDB desde os tempos do Collor de Mello. FHC queria ser Ministro do Collor, Covas não deixou. A alcunha de indeciso que pegou no PSDB só diz respeito às decisões administrativas, como esta da SABESP em não investir mais em reservas d’água. Quando se trata de vender o patrimônio que outros construíram, aí não há muro que impeça.  E sempre numa velocidade estonteante.

Todo mundo sabe que o muro é tucano. Ao subir no muro, dizendo votar nos dois, tucanou. A explicação é simples: o que aconteceu com Xico Sá serve de exemplo…

MARCELO COELHO

Se for para declarar apoio, voto nos dois

Notícias da Jacu-Pêssego

Se for para declarar o voto nesta época de declarações explícitas ou inexplícitas, digo que apoio os dois

Não há campanha eleitoral sem promessas, e minha impressão é que os próprios eleitores mais ou menos sabem que aquilo não será nem cumprido, nem cobrado, nem lembrado dali a um mês e pouco.

De resto, tudo é de um tecnocratismo, de uma numerologia insuportável. Os debates poderiam, talvez, fazer sentido num clube de engenheiros. Mas os R$ 32 milhões (ou serão R$ 13,2?) de gastos no Pisep-Fanuc que Fulano diz que faltam e Beltrana diz que foram mais me deixam em estado de completa indiferença.

Por vezes, nem é preciso usar números para que a promessa tenha a marca da chatice. Um exemplo. Durante 15 ou 20 anos de disputas municipais e estaduais, cansei de ouvir referências às obras da avenida Jacu-Pêssego, na zona leste de São Paulo.

O local primeiro apareceu, se bem me lembro, no sotaque característico de Paulo Maluf. Depois, seus concorrentes mantiveram o foco no local, e para mim aquele nome terminava soando como uma citação do "malufês".

Algo parecido, digamos, com o bordão romano ou o ilustre jurisconsulto que algum ministro do STF inclui nos seus votos: Mirabete, Damásio, bis in idem, Jacu-Pêssego. Não nego que a obra possa ser importante. Certamente era enorme, pois ao longo de muitas campanhas se prometia a sua conclusão.

Até que, na sexta-feira passada, conheci finalmente a famosa Jacu-Pêssego, ou parte dela. É um avenidão bastante vazio, pelo menos na hora em que passei por lá.

Estava voltando de Itaquera, depois de fazer mais uma das entrevistas que vão compondo o "Painel do Eleitor", publicado no caderno especial sobre as eleições.

Integrante assumido da "esquerda caviar", nunca levei minhas preferências ideológicas ao ponto de me afastar do eixo Higienópolis-Jardins. Até para vencer meus próprios preconceitos –e, sobretudo, minha timidez–, propus ao jornal uma série de reportagens em que eleitores "comuns", selecionados pelo Datafolha, dariam os motivos de seu voto.

Meu maior medo –alimentado por muitos quilômetros rodados de conversa com motoristas de táxi– era me confrontar com extremos de confusão e bobajada radical, quanto mais fundo na periferia eu me metesse. Não vi nada disso.

Aprendi que o voto para deputado estadual e federal segue uma lógica diferente da que prevalece na escolha do presidente.

O partido e o apoio a Dilma ou Aécio importam pouquíssimo. A ideologia decide quando se vota na "bancada da bala", mas o que domina é a lógica local, o voto no candidato da região.

Sem querer, portanto, o eleitor tem grandes chances de fortalecer o "fisiologismo" (pressões por emendas no orçamento, pelo menos) que gostaria de ver banido da política brasileira.

Ganhando Aécio, ganhando Dilma, o Congresso vai impor as mesmas dificuldades que se conhecem até agora. Talvez exista um ponto positivo nessa distorção. Os partidos fisiológicos acabam assumindo um papel "moderador", o que vale tanto para o caso de tentativas muito extremas de redução dos gastos públicos, quanto para as tendências antimercado que possam existir no Executivo.

Tiro outras lições dessas visitas a bairros distantes ("periferia" como sinônimo de muita pobreza, barracos, falta de luz e asfalto, não foi o que eu vi). Votando em Dilma ou em Aécio, as pessoas que entrevistei se mostram muito menos radicalizadas do que no meu ambiente social.

Simpatizo com esse espírito mais moderado. Se for para brincar um pouco, nesta época de declarações de voto explícitas ou inexplícitas, digo o seguinte.

Voto nos dois. Acho que uma vitória de Aécio pode ter efeitos "amargos", mas necessários, na macroeconomia, e tende a cercear a autocomplacência de um PT acostumado demais às práticas do poder. Acho que uma vitória de Dilma garante mais a expansão de iniciativas sociais, que não se resumem ao Bolsa Família.

Não voto em nenhum, se for para esperar controle real da corrupção, melhoria sensível na segurança ou na saúde pública. Todos sabem que, por mais que se tenha feito, falta muita coisa a fazer, e nenhum governo deixa de ter realizações ou omissões quanto a isso em seu currículo.

No resto, espero que todos os governos, próximos ou passados, municipais, estaduais ou federais, terminem as obras na Jacu-Pêssego. Caso já tenham terminado, sugiro que dupliquem as faixas então. É que vou ficando um bocado fisiológico também.

coelhofsp@uol.com.br

13/09/2014

E se tivesse acontecido o contrário? Marina choraria

Filed under: Antalogia,Chororô,Fraqueza,Ibama,Marina Silva,Tucano — Gilmar Crestani @ 10:44 pm
Tags:

Marina Chororo

Em evento com Marina, aliado da candidata do PSB chama Dilma de anta

Blog do Mário Magalhães

Imagine a cena.

No tradicionalíssimo Clube de Engenharia, aqui no Rio, um aliado da candidata à reeleição Dilma Rousseff enche o peito e, microfone à mão, esgoela-se:

“A candidatura de Dilma pode ser anulada pelo Ibama: ela abateu um tucano e uma anta”.

Ao seu lado, sentada na mesma mesa diretiva dos trabalhos, Dilma ouve o que se pretende uma piada.

Como Aécio Neves é filiado ao PSDB, partido simbolizado por um tucano, a anta só pode ser Marina Silva.

Na presença da presidente da República, uma ex-senadora é chamada de anta.

E Dilma cala, mesmo tendo a oportunidade de pedir para seu companheiro manter algum nível de civilidade na campanha. Isto é, não apela contra a baixaria proferida pelo colega de coligação.

Agora, imagine o barulho do noticiário sobre o discurso do aliado da presidente e o silêncio dela, recusando-se a confrontar a desclassificação agressiva e pública da concorrente ao Planalto.

Quantas horas na TV, no rádio, na internet? Quantas páginas de jornais, quantos posts? O mundo desaba, afinal Dilma foi condescendente com o recurso apelativo do correligionário que compartilhava a mesma mesa com ela.

“Quem cala consente”, diriam os comentaristas.

O contrário

Esta cena de fato aconteceu, nesta quinta-feira no Rio.

Mas, onde se leu Dilma, leia-se Marina, e vice-versa.

Eis a nota “Fino”, que saiu hoje no “Painel”:

“Do vice-presidente do PPL, Fernando Siqueira, em ato no Rio: ‘A candidatura de Marina pode ser anulada pelo Ibama: ela abateu um tucano e uma anta’. A ex-senadora sorriu amarelo”.

Acrescento eu: “sorriu amarelo”, mas calou, sem repreender o dirigente de partido que integra a coligação que propõe Marina à Presidência.

A “anta” a quem o aliado de Marina se referiu é, obviamente, Dilma Rousseff.

Ao lado de Marina, ele tratou a presidente da República como anta, e Marina calou.

Jornalismo

Não perderei tempo debatendo o mérito do tratamento ou o tratamento em si. Cada um que pense o que bem quiser.

Mas observo que somente numa nota do bravo “Painel” eu soube do que aconteceu ontem no Rio (talvez tenha saído em outros veículos, mas sem maior repercussão).

Imagine se as personagens estivessem trocadas.

Também ontem, em sabatina a jornalistas de “O Globo”, Marina Silva disse ser vítima de um “batalhão de Golias contra Davi”.

Com o perdão da senadora, a julgar pela cobertura dos meios de comunicação nos últimos dias, se há um Golias nesse confronto, é ela mesma.

SQN

18/04/2014

SABESP e a rabdomancia tucana

Sabesp forquilha_wifi - RadiestesiaNão foi mera coincidência a escolha do pássaro tucano para simbolizar o PSDB. Que outro pássara teria bico tão grande e cérebro tão pequeno?  O bico, a pena, está no tratamento dispensado pela d. Judith Brito e seus celetistas. O cérebro é aquele que assumiu como seu o filho que Miriam Dutra teve com outro. Se FHC foi traído até pela amante, como o povo poderia ficar do seu lado.

Pelo menos a Folha deixou de lado a linguagem psiquiátrica, da crise d’água, mas continua fazendo contorcionismo linguístico para tratar do racionamento da água.

E como ficar na memória da posteridade se não há uma única obra que se faz com tijolo e cimento? Como justificar que tenha vendido a Vale do Rio Doce por um preço inferior ao que Dilma conseguiu pela concessão de alguns aeroportos por 20 anos? E agora chegamos na tal de SABESP.

Estão há 20 anos governando São Paulo. Têm o apoio dos grupos mafiomidiáticos, mas não conseguem sequer garantir o abastecimento de água. Para castigo, os paulistas mas principalmente os paulistanos, terão de procurar água com o uso da rabdomancia.

Sabesp vai cobrar taxa de quem gastar mais água, diz secretário

Ideia do governo estadual é aumentar contas de consumidores em até 30% a partir de junho

Perguntado sobre o plano, governador não entrou em detalhes; para professor, taxa fere contrato e é ilegal

BRUNO ABBUDCÉSAR ROSATIDE SÃO PAULO

O secretário de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Mauro Arce, disse que o governo estuda uma forma de punir quem aumenta o consumo de água.

A afirmação, feita ontem em entrevista à rádio CBN, ocorre em meio à crise de abastecimento no sistema Cantareira, que atende mais de 8 milhões de paulistanos.

Segundo Arce, a sobretaxa pode ser de até 30% do valor da conta e deve ser implantada até junho. O anúncio seria feito com um mês de antecedência para adaptação.

A lógica é inversa à do programa de bonificação criado pela Sabesp, que dá um desconto de 30% para quem economizar 20% de água.

"O ônus será igual ao bônus em termos de percentual", disse Arce.

Segundo ele, casos específicos não serão sobretaxados. "Um casal que teve quíntuplos ou um estabelecimento que aumentou a linha de produção, por exemplo, não serão cobrados", explicou.

Em nota, a Sabesp informou que, após a implantação do bônus, 24% dos consumidores não economizaram água e, portanto, estariam sujeitos a uma correção no valor da conta mensal.

Os detalhes do estudo não foram revelados pelo secretário Arce nem pela Sabesp.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) não quis comentar o caso. "Vamos aguardar um pouco", disse ontem.

Para Brunno Giancoli, professor de direito do consumidor da Universidade Mackenzie, a Sabesp não pode criar a taxa sem aval das agências do setor ou sem lei ou regulamentação para a cobrança.

"Você pode estimular o sujeito a consumir menos. Agora, atribuir uma sanção nesses patamares tem nítido contorno abusivo", afirmou.

Já o presidente do Conselho Mundial de Água, Benedito Braga, disse que a proposta é positiva. Para ele, o ideal seria a tarifa proporcional ao consumo. "Por exemplo, até um limite 10 metros cúbicos a pessoa pagaria a taxa normal. A partir de 11 metros cúbicos, dobraria."

Colaborou ADRIANA CHAVES, do "Agora"

14/12/2013

Aves que fazem ninhos em buracos

Filed under: Propinoduto Tucano,Tucano — Gilmar Crestani @ 10:48 pm
Tags:

 

http://dalciomachado.blogspot.com.br/

SQN

24/01/2013

Darwinismo político: descobriram ancestral tucano

Filed under: Dinossauros,Tucano — Gilmar Crestani @ 8:02 am

O DNA prova que tucano, com seu bico grande e cérebro pequeno, involuiu do dinossauro…

Un gran dinosaurio con pocas luces

La reconstrucción tridimensional del cerebro de solo ocho centímetros de un saurópodo de 15 metros de largo indica que sería un animal lento y poco ágil.

Los restos se han descubierto en Cuenca.

Alicia Rivera Madrid23 ENE 2013 – 23:00 CET38

Ilustración del saurópodo, cuyos restos se han encontrado en cuenca, destacando el pequeño cerebro en reconstrucción tridimensional. / Oscar Sanisidro

Con unos15 metros de largo, el ampelosaurio de hace unos 70 millones de años sería un animal impresionante… pero torpe. Su cerebro medía solo ocho centímetros. Un equipo de científicos de España y de Estados Unidos ha logrado hacer la reconstrucción tridimensional del (proporcionalmente) pequeñísimo cerebro del saurópodo cuyos restos fosilizados se descubrieron, en 2007, en el yacimiento de Lo Hueco, en Cuenca. Además del cerebro poco desarrollado, a los investigadores les ha sorprendido también el pequeño tamaño del oído interno del animal, lo que indicaría “que el ampelosaurio no estaría adaptado para mover rápidamente ni los ojos, ni la cabeza ni el cuello”, señala Fabien koll, investigador del Museo Nacional de Ciencias Naturales (CSIC), que ha dirigido la investigación.

“El antiguo paradigma de que los dinosaurios eran unos animales tontos cambió en los años setenta, pero ahora vemos, por su anatomía, que este saurópodo, efectivamente, parece algo tontorrón”, destaca José Luis Sanz, catedrático de la Universidad Autónoma de Madrid, experto internacional en dinosaurios y uno de los autores de la investigación de ampelosaurio de Cuenca. “Hay saurópodos más primitivos con una dotación neurosensorial más avanzada, pero este, pese a ser uno de los últimos, sería relativamente lento de movimientos y poco ágil”, añade.

Los saurópodos dominaron grandes extensiones del planeta hace entre unos 220 y 66 millones de años. Por eso dice Sanz que el ampelosaurio, con 70 millones de años, sería “uno de los últimos” y es sorprendente que tuviera un cerebro tan poco desarrollado. Otros dinosaurios estaban mucho más avanzados neurológicamente, como los velociraptores y géneros afines, estrechamente emparentados con las aves. “Pero en este momento todavía estamos comenzando a explorar el mundo de la paleoneurología de dinosaurios”, advierte Sanz.

Hasta ahora solo se conoce una especie de ampelosaurio, A.atacis, que fue descubierta en Francia. Pero las diferencias entre el fósil español y el francés no excluyen la posibilidad de que pudiera tratarse de dos especies diferentes, comentan los investigadores del CSIC. Para estar seguros necesitan más fósiles. De momento, está claro que el ejemplar de Lo Hueco pertenece a los titanosaurios, que fueron los últimos saurópodos que habitaron el planeta.

El territorio ahora conquense sería hace 70 millones de años una llanura de inundación de un sistema fluvial y con el mar relativamente cerca, deducen los científicos por los vestigios que van encontrando en Lo Hueco, un rico yacimiento de fósiles de dinosaurios que salió a la luz con las obras del tren de alta velocidad de Levante, en 2007. Los paleontólogos han encontrado también restos de tortugas marinas y terrestres, muchos cocodrilos., y otras formas de dinosaurios.

El ampelosaurio, del que se han rescatado ya muchos huesos fosilizados que se están estudiando, era un herbívoro mientras que los carnívoros están mejor dotados neurológica y sensorialmente, explica Sanz, porque no es lo mismo comer hojas de helechos que tener que alimentarse de otros animales.

Para ver cómo era el cerebro del dinosaurio, los investigadores han aplicado técnicas de tomografía computerizada y reconstrucción tridimensional al neurocráneo, el estuche óseo del cerebro, que se ha recuperado casi completo. Publican su trabajo en la revista PlosOne. El escáner diferencia perfectamente entre el hueso fosilizado y el sedimento que tiene el fósil del cráneo en su interior, lo que permite hacer la reconstrucción virtual del cerebro con una resolución de dos décimas de milímetro, explica Sanz. La misma técnica, que Knoll ya aplicó antes para explorar el cerebro de otro saurópodo, se va a utilizar ahora con la cabeza el cráneo de Pepito, el famoso dinosaurio jorobado conquense de hace 125 millones de años.

Un gran dinosaurio con pocas luces | Sociedad | EL PAÍS

14/09/2012

Tucano é tucano porque o bico é maior que o cérebro

Filed under: Isto é PSDB!,Tucano — Gilmar Crestani @ 9:08 am

Serra e seus aliados nos grupos mafiomidiáticos conseguiram transformar tucano em ave de rapina.

Estadão denuncia mentira de Serra

Por Luis Nassif, em seu blog:

A história registrará José Serra como o maior manipulador da verdade que a política brasileira jamais conheceu, um caso crônico de megalomania, fantasia e da certeza da impunidade: com a blindagem que recebia da velha mídia, podia jogar na vala comum da luta política, todas as denúncias contra ele.
O caso do caminhoneiro José Machado, com catarata, merece entrar na antologia das grandes mentiras de Serra – e, espera-se, sem impunidade.
Foi assim:

1- O PT divulgou a história de um caminhoneiro de 67 anos, padecendo de catarata, há um ano esperando uma consulta na rede municipal de saúde.

2- A Secretaria Municipal de Saúde rompeu o sigilo médico do caminhoneiro, divulgando sua ficha. Com base nessa suposta ficha, Serra e Kassab acusaram a campanha de Haddad de ter mentido sobre a doença, que não seria catarata mas pterígio (pele que cresce sobre a cornea.

3- A repórter Julia Dualibi, do Estadão, saiu a campo e constatou que o caminhoneiro tinha ambas as doenças. Na entrevista que deu ao Estadão, Serra passou uma carraspana nos jornalistas, acusando-os de ter embarcado na campanha de Haddad.

4- Hoje o Estadão traz nova matéria de Julia Dualibi e Débora Alves, com base no prontuário do hospital que atendeu o caminhoneiro, confirmando a existência das duas doenças.
Em países civilizados, haveria punição pela quebra do sigilo médico de um cidadão, pelas falsas acusações imputadas a ele próprio (que deu depoimento dizendo estar com catarata) e à campanha adversária. O Secretário de Saúde seria punido pelo Conselho Regional de Medicina e os candidatos incursos em crimes de difamação.
Por aqui, a punição a Serra será a pior de todas: a possibilidade de leitores do jornal, não afeitos ainda à Internet, saberem mais sobre a personalidade real do candidato. E isso no jornal que, nos anos 70, consagrou-se mostrando Paulo Maluf como Pinóchio.
*****

Do Estadão

Caminhoneiro sofre de catarata, aponta exame

Documento contradiz Prefeitura em polêmica sobre doença de homem que apareceu em programa de TV petista criticando a saúde municipal
JULIA DUAILIBI DÉBORA ÁLVARES
13 de setembro de 2012 | 3h 05
Resultado dos exames oftalmológicos realizados no caminhoneiro José Machado, que apareceu na campanha de TV do candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, criticando o sistema municipal de saúde e dizendo sofrer de catarata, constatou que ele sofre mesmo da doença.
Os exames foram feitos no último dia 30, e o laudo foi assinado em 4 de setembro pelo médico Pedro José Monteiro Cardoso, do Instituto Cema, conveniado à Prefeitura. O resultado do exame foi encaminhado para Machado, que autorizou, por escrito, a divulgação dos dados pela equipe de campanha do petista.
No programa do PT em agosto, Machado havia dito que sofria de catarata e que esperava há dois anos na fila pela cirurgia. Na esteira das declarações, a Secretaria Municipal de Saúde acessou as informações do prontuário do paciente e divulgou que o caminhoneiro não tinha catarata, mas pterígio (crescimento de tecido sobre a córnea). O Estado revelou à época que a administração municipal havia acessado e divulgado dados do prontuário, sem autorização de Machado, a fim de contradizer a propaganda petista. O PT acusou a Prefeitura de violar o sigilo médico para favorecer o candidato do PSDB, José Serra, e pediu à Justiça a abertura de inquérito policial.
Serra e o prefeito Gilberto Kassab (PSD) disseram à época que Machado não tinha catarata e que a campanha petista havia mentido sobre o tempo de espera para a realização da cirurgia.
"O tempo de espera relatado e o tratamento indicado durante o programa eleitoral são notoriamente inverídicos", disse a secretaria numa nota oficial. "Vocês (do jornal) pisaram no tomate, francamente. O PT saiu falando ‘pega ladrão, pega ladrão’, e vocês caíram nessa. Esse cidadão não tinha catarata", disse Serra ao Estado no dia 31, em referência à reportagem sobre o acesso ao prontuário do caminhoneiro. "(A Prefeitura) já identificou, nos limites do que pode ser divulgado por conta da ética, que ele não tinha catarata", disse Kassab.
O Relatório de Exame Oftalmológico, do Cema, constata que Machado tem em ambos os olhos "opacidade nuclear de cristalino" e "opacidade cortical", além de pterígio. Opacidade do cristalino é o termo técnico usado para designar a catarata.
Em 30 de agosto, dia do exame, a mulher do caminhoneiro, Natalices Santos, que é do conselho gestor da UBS onde Machado foi atendido inicialmente, afirmou que a perícia apontava que ele tinha catarata e pterígio. Não havia, porém, documento que comprovasse a afirmação.
Em resposta, a secretaria questionou em nota mais uma vez as informações ao afirmar que eram "inverídicas": "Se o caso fosse de cirurgia de catarata, o paciente certamente já teria sido operado, uma vez que no Cema não há fila de espera. O prazo médio para a realização desse tipo de procedimento é de 30 dias". O Estado voltou a procurar a pasta ontem, que disse manter "as informações enviadas ao jornal".
A assessoria de imprensa da campanha de Serra repetiu ontem que a questão central é o fato de a campanha do PT ter levado ao ar uma mentira ao dizer que o caminhoneiro esperava dois anos para fazer a cirurgia.
Haddad disse que "o comportamento e as declarações de Serra sobre o caso demonstram falta de compromisso com a verdade".
No relatório, o Cema diz que Machado fará a operação do pterígio no dia 27. "Após reavaliação, se constatada a necessidade de cirurgia, será realizada facoemulsificação (para retirada de catarata)." Informado sobre o resultado dos exames, o oftalmologista Paulo Melo Filho, da Unifesp, disse que Machado tem catarata em nível intermediário, que deve ser tratada após a cirurgia de pterígio. "O pterígio dele é recidivado, ou seja, já fez uma retirada antes, e o pterígio voltou. Quando isso acontece, vem mais agressivo."

Altamiro Borges: Estadão denuncia mentira de Serra

19/08/2012

O apelo: Dilma, por favor, faça como FHC e ache um Gilmar Mendes pra ti!

Filed under: Isto é PSDB!,Tucano — Gilmar Crestani @ 10:25 am

ELIANE CANTANHÊDE não perde o rebolado e chama o cara que dá dois habeas corpus, em menos de 24 horas, a um banqueiro corrupto de “tecnicamente muito respeitado”. E eticamente? Comprar votos para reeleição foi um garage sale à moda tucana. E nada poderia ser melhor escolhido para representá-los que um pássaro cujo bico é maior que o corpo e o cérebro menor que o olho.

Jardim de infância

BRASÍLIA – Um apelo à presidente Dilma Rousseff: por favor, capriche na escolha dos próximos ministros do Supremo Tribunal Federal. Tem de agradar o PT e o PMDB, preencher a cota disso e daquilo? Põe no Turismo. Que tal na Pesca? Mas na corte suprema do país não dá.

O ex-presidente Cezar Peluso completa a idade limite em setembro e o atual, Carlos Ayres Britto, em novembro. O decano Celso de Mello arruma as malas para sair antes do tempo.

Dos experientes, vão sobrar dois: Marco Aurélio Mello e Gilmar Mendes. Ambos são tecnicamente muito respeitados, mas um é do contra e o outro dá a vida por uma polêmica. Pior: os dois se detestam e olham à volta como se estivessem ilhados. Até quando Gilmar Mendes e seu pavio curto vão resistir? Será que também vai pular fora, como Celso de Mello?

Numa hora, sussurra-se que o relator do mensalão, Joaquim Barbosa, não suporta mais a pressão e as dores na coluna. Noutra, o revisor, Ricardo Lewandowski, admite que se sente atropelado pelos colegas de toga e ameaça renunciar. Ora reclama que não foi consultado sobre o cronograma e o rito do julgamento. Ora que não combinaram a metodologia dos votos previamente com ele.

Se diante das câmeras de TV já está esse clima que se vê, pode-se supor como está nos bastidores. Nervos à flor da pele, cansaço, incômodo pelas longas horas de exposição pública e, afinal, o peso da responsabilidade diante do que se convencionou chamar de "o maior julgamento da história do Supremo" ou do "maior escândalo do governo Lula".

É assim que o sujeito do tridente gosta. E é quando explodem as vaidades, as falhas humanas, as disputas internas de poder. Sem falar no mais grave: a falta de consistência.

Discordar é preciso, argumentar é fundamental, mas bater boca, fazer birra e rodar a toga parecem coisa de jardim de infância, não da mais alta corte do país decidindo sobre a reputação e o destino de 38 cidadãos.

elianec@uol.com.br

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: