Ficha Corrida

12/06/2015

Entenda porque as entidades médicas odeiam os médicos cubanos

caiadoTodo dia aparece alguma falcatrua perpetrada exatamente por quem deveria dar o exemplo. As entidade médicas, como o SIMERS, parecem ter adotado o método tucano de atacar para se defender. Em nível nacional, os médicos cubanos sofreram toda sorte de ataques. As entidades médicas que se aliaram aos políticos corruptos para atacar os médicos cubanos deveriam trocar Esculápio por Roger Abdelmassih.

A máfia de branco aparece quase todos os dias com o jaleco manchado de corrupção. Com professores como esse, não é de admirar que os novos médicos saiam da faculdades defendendo as mesmas práticas. Infelizmente, a mentalidade não é a de preparar pessoas voltadas aos cuidados da saúde, mas o de encher, a qualquer preço, as burras de dinheiro.

Manchete de O GLOBO é sintomática do que virou a medicina de mercado: ”Quinze médicos são denunciados por dia em São Paulo”. E assim fica fácil entender porque a máfia é contra a vinda de médicos melhores preparados para atenderem, gratuitamente, a população.

Precisamos de mais médicos e menos hipocrisia. O ódio da direita e dos seus profissionais da corrupção é notório e todo dia aparecem mais exemplos. Ronaldo Caiado, o modelo dos combatentes, recebeu uma avaliação demolidora de seu correligionário Demóstenes Torres: “uma voz à procura de um cérebro”. E no entanto é, para os sem noção, alguém a ser levado a sério.

 

Professor da UFSM é condenado por estelionato

Profissional tinha contrato de dedicação exclusiva como docente, mas atendia em consultório particular

Profissional tinha contrato de dedicação exclusiva como docente, mas atendia em consultório particular | Foto: Ítalo Padilha / Divulgação / CP Memória

Profissional tinha contrato de dedicação exclusiva como docente, mas atendia em consultório particular | Foto: Ítalo Padilha / Divulgação / CP Memória

A 3ª Vara Federal de Santa Maria condenou um professor da UFSM pelo crime de estelionato. De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF), ele exercia atividade remunerada em consultório particular enquanto era contratado para atuar, com dedicação exclusiva, como docente no Centro de Ciências da Saúde.
Segundo o MPF, o réu induziu a universidade ao erro ao obter autorização para eventualmente colaborar em assuntos da especialidade dele, quando, na verdade, pretendia atender como médico, fora do ambiente acadêmico. A prática se estendeu por cinco anos, conforme o processo.
O acusado se defendeu alegando que as consultas, realizadas em casa, eram esporádicas e autorizadas pelo Conselho Departamental de Microbiologia e Parasitologia da UFSM. Sustentou, ainda, que a renda extra declarada à Receita Federal, em um total de mais de R$ 200 mil, era decorrente de aplicações de vacinas em pacientes que, eventualmente, o procuraram.
O juiz federal substituto Gustavo Chies Cignachi entendeu que ficaram comprovadas a materialidade e a autoria do crime. Ele condenou o médico a dois anos e oito meses de reclusão em regime aberto. A pena restritiva de liberdade, porém, foi substituída pela prestação de serviços à comunidade – pelo período de uma hora para cada dia de condenação – e pelo pagamento do correspondente a 30 salários mínimos. Ele ainda deve restituir aos cofres públicos o valor do dano. Cabe recurso da decisão ao TRF da 4ª Região.

Correio do Povo | Notícias | Professor da UFSM é condenado por estelionato

16/01/2015

Máfia das próteses: SIMERS tem a solução

Filed under: Mais Médicos,Máfia das Próteses,SIMERS — Gilmar Crestani @ 9:21 am
Tags:

simersDiante das notícias que pipocam pela imprensa, inclusive esta abaixo da Folha, a respeito da máfia das próteses, fui procurar na página do combativo SIMERS alguma luz. Ei-la, no printscreen que fiz da tela inicial: “assessoria jurídica com plantão 24 h?” Ao invés do famoso estetoscópio, um tablet…

Como não poderia deixar de ser, a entidade que mais combate o Mais Médicos e a distribuição de médicos em lugares carentes, tem a solução: advogado 24 horas por dia.

Para quem, abertamente, fez campanha para o pior senador do ranking da Veja, não é de admirar que a principal preocupação seja com advogado de porta de cadeia. Por aí se vê qual é verdadeiramente a preocupação que motiva a entidade médica que gasta milhões em inserções comerciais no Grupo RBS. A máfia é também quem é a finanCIA!

O SIMERS deveria sugerir ao CREMERS um novo lema. Ao invés de “não se faz saúde sem médicos”, “não se faz carreira médica sem advogado”…..

Polícia faz operação contra fraudes em próteses no RS

DE PORTO ALEGRE – A Polícia Civil do Rio Grande do Sul cumpriu 21 mandados de busca e apreensão nesta quinta (15) em várias regiões do Estado em uma operação contra fraudes em cirurgias de próteses.

Documentos foram recolhidos em dois hospitais da região metropolitana de Porto Alegre, em clínicas e casas de médicos e de advogados.

A Justiça também bloqueou bens de seis suspeitos. Nove pessoas (cinco médicos) tiveram passaportes apreendidos.

A investigação apura se médicos, advogados e empresas agiam em conjunto para fraudar o SUS e planos de saúde.

Segundo a Polícia Civil, médicos orientavam pacientes a procurar a Justiça para obter liminares determinando a compra de próteses por preços muito acima dos de mercado.

O caso foi revelado pelo "Fantástico", da TV Globo.

07/11/2014

Classe médica está doente e não há remédio para tanta burrice

Filed under: AMB,Mais Médicos,Preconceito,Racismo,SIMERS — Gilmar Crestani @ 9:33 am
Tags:

 

Médicos boicotam laboratórios que doaram recursos a Dilma

:

Comunidade do Facebook “Dignidade Médica”, que propôs “holocausto” e “castrações químicas” contra eleitores do PT, sobretudo nordestinos, agora lidera movimento que propõe boicote aos laboratórios que doaram recursos à campanha da presidente Dilma Rousseff; leia a denúncia feita por Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania

7 de Novembro de 2014 às 06:31

Por Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania

Após o lançamento do programa Mais Médicos e a consequente chegada de médicos cubanos ao Brasil, a classe médica brasileira vem promovendo um show de horrores. Há menos de um mês, o portal IG fez uma denúncia estarrecedora:

A denúncia do IG espalhou-se como fogo e por certo fez ver a boa parte dos formadores de opinião o movimento nazista que se aglutinou em torno da candidatura Aécio Neves. Para entendimento dos fatos que serão narrados mais adiante, vale rever trecho daquela matéria.

Sobre a comunidade do Facebook “Dignidade Médica”, que propôs “holocausto” e “castrações químicas” contra eleitores do PT, sobretudo nordestinos, para que “não se reproduzam” tem como uma das organizadoras a senhora Patricia Sicchar, que se declara médica da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus em perfil da rede social.

Confira, abaixo, trecho de outra matéria do IG sob o título “Médica de grupo anti-PT minimiza holocausto a nordestinos: ‘é revolução do agir’”.

Como se vê, uma das médicas organizadoras do tal “holocausto” médico contra nordestinos eleitores do PT é servidora da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus, sob responsabilidade do prefeito tucano Arthur Virgílio Neto (PSDB-AM), líder do PSDB no Senado de 2003 a 2010.

Agora, os médicos manuenses voltam à ribalta com um movimento que pretendem espalhar pelo país. Chegou ao Blog uma denúncia séria contra médicos daquela capital. E o pior: a denúncia sugere que abuso desses médicos contaria com a conivência dos hospitais em que trabalham.

O denunciante enviou ao Blog link de perfil no Facebook de um médico manuense chamado Lano Macedo, que se diz funcionário do Hospital Beneficente Português do Amazonas, que já se envolveu em polêmicas como desrespeitar a “Lei do acompanhante no parto”, conforme denúncia do médico psiquiatra Rogélio Casado.

O tal médico Lano Macedo lidera um movimento de médicos manauenses no Facebook que propõe que a classe médica – e, consequentemente, os hospitais onde aqueles médicos trabalham – boicotem os laboratórios que doaram recursos à campanha da presidente Dilma Rousseff.

A confissão dos médicos de que irão deixar de recomendar fabricantes de medicamentos sob razões político-partidárias e ideológicas é um escândalo. E se aquele laboratório tiver medicamento mais conveniente para os pacientes, seja em termos de preço, qualidade ou outro?

Após o episódio “holocausto e castração química”, produzido a partir de organização de médicos de Manaus como o tal Lano Macedo, o Conselho Federal de Medicina (CFM) emitiu nota condenando os autores daquela barbaridade.

Resta saber o que o CFM tem a dizer sobre essa atitude de médicos de Manaus. E, aliás, deveria investigar – talvez até com participação do Ministério Público – se médicos de outras regiões também estão adotando uma conduta profissional inadequada não só por se misturar com os interesses político-partidários deles, mas por prejudicar seus pacientes.

Por fim, resta saber, também, que atitude o prefeito tucano Arthur Virgílio tomou contra a servidora pública Patricia Sicchar, que se declarou médica da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus e organizou o movimento propondo “castração química” de eleitores do PT.

Médicos boicotam laboratórios que doaram recursos a Dilma | Brasil 24/7

05/11/2014

O SIMERS está colhendo o que plantou: ódio e preconceito

Filed under: Ódio de Classe,Preconceito,Racismo,SIMERS — Gilmar Crestani @ 9:06 am
Tags: ,

OVO DA SERPENTE

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul começa a colher os frutos que estão sendo plantados.

A campanha de desinformação, ódio, preconceito só poderia revelar uma faceta que já havia emergido com o episódio da torcida do Grêmio em relação ao Goleiro Aranha. Não é mera coincidência que o deputado homofóbico e racista, Luis Carlos Heinze, tenha se eleito com uma votação só comparável a outros de sua mesma espécie, Bolsonaro e Tiririca.

Se o racismo já uma mancha por si só suficiente para merecer o repúdio de qualquer pessoa de bom senso, o preconceito contra o povo nordestino é prova inconteste de desinformação. Pior, se é que algo pode ser pior, é a campanha contra aquelas pessoas desassistidas para que não tenham o Mais Médicos. Negar aos necessitados distantes o direito de receberam médicos em sua casa, onde mora, lá distante no interior, é coisa de homicida. E o SIMERS tem feito isso aqui no RS a partir da implantação do programa Mais Médicos.

O SIMERS não botou nem o chocou o ovo da serpente. O SIMERS tem sido a própria a serpente desovando ódio em campanhas publicitárias!

 

O médico que se referiu a Pernambuco como “terra de merda”

publicado em 4 de novembro de 2014 às 13:36

medico

03/11/2014 22h54 – Atualizado em 03/11/2014 23h07

Palestra de médico é cancelada em PE após postagem polêmica na web

Anestesista gaúcho disse que não pisaria no estado após vitória de Dilma. Comissão do evento e Conselho de Medicina do RS repudiaram atitude

Do G1 PE

Um anestesista gaúcho foi banido de um congresso médico que será realizado na capital pernambucana, este mês, devido a uma postagem considerada preconceituosa pela categoria.

“Não piso nesta terra de merda mais em toda a minha vida!”, escreveu o profissional no Facebook logo após o anúncio da vitória da presidente Dilma Rousseff (PT), no último dia 26 de outubro.

O anestesista postou a mensagem na página do Congresso Brasileiro de Anestesiologia (CBA) e gerou revolta dos colegas de profissão.

O cirurgião Marcos Peres contou que o anestesiologista, que é ex-presidente da Regional da Sociedade de Anestesiologistas do Rio Grande do Sul (biênio 2004-2005), havia sido convidado para realizar uma palestra no evento, que ocorrerá entre 14 e 18 de novembro, no Recife.

No entanto, logo após a divulgação do resultado da eleição, o profissional gaúcho postou o seguinte texto no Facebook: “Comunico que estou agradecendo o convite para palestrar em RECIFE no CBA deste ano, mas não vai dar. Não piso nesta terra de merda mais em toda a minha vida!”.

A presidente Dilma Rousseff (PT) teve 70% dos votos válidos no estado.

Peres informou que denunciou a postagem ao Conselho Federal de Medicina, à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE), ao Ministério Público Federal (MPF), à ONG SaferNet Brasil, à Câmara Municipal do Recife, à Assembleia Legislativa de Pernambuco e ao Governo de Pernambuco.

“Eu não fiquei surpreso com a postagem, só achei cara de pau ele, como médico, ofender os próprios colegas de profissão, achei muito deselegante e hostil. Ele veio anarquizar na nossa terra e não aceito essa atitude inadequada. Queria que ele pedisse desculpa, ele não pode sair atirando o ódio dele contra nós, fiquei muito triste e revoltado”, disse Peres.

Ainda conforme o cirurgião, o anestesista gaúcho feriu o artigo 18 do capítulo 1 do Código de Ética Médica, que diz que “o médico terá, para com os colegas, respeito, consideração e solidariedade, sem se eximir de denunciar atos que contrariem os postulados éticos.”

A reportagem procurou o médico, mas não conseguiu contato. Após as críticas, a conta dele na rede social foi aparentemente deletada. Já o Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul informou que não tinha autorização para passar os telefones do profissional, obedecendo à política interna da entidade.

Ao G1, o presidente do Conselho de Medicina do RS, Fernando Matos, afirmou que tomou conhecimento do caso e repudiou a atitude do médico, mas explicou que o órgão não poderá tomar nenhuma providência.

“Foi uma declaração imprópria, mas foi uma livre manifestação como cidadão, não foi dirigida a outro médico especificamente nem envolve a prática da medicina, por isso não cabe processo ético, uma providência tem que ser tomada em outro âmbito. O Conselho e os médicos do Rio Grande do Sul têm o maior respeito com população do Recife, trata-se de uma posição isolada”, apontou.

A assessoria de imprensa do CBA informou que a exclusão do anestesista da programação foi uma decisão da comissão executiva do evento tomada em conjunto com o médico.

De acordo com o órgão, ele mandou um e-mail pedindo o desligamento da programação, alegando apenas razões pessoas. A comissão acrescentou já tinha tomado conhecimento da postagem e decidido retirar o convite feito ao profissional gaúcho.

O CBA ainda decidiu, posteriormente, emitir uma nota de repúdio, externando indignação com postagem em rede social “se referindo de forma desrespeitosa ao Estado de Pernambuco”.

Confira, na íntegra, a nota do Congresso Brasileiro de Anestesiologia (CBA)

NOTA DE REPÚDIO

Foi com extrema indignação que lemos sua postagem em rede social se referindo de forma desrespeitosa ao Estado de Pernambuco, ao declinar do convite para palestrar no 61° Congresso Brasileiro de Anestesiologia.

Reconhecemos seu direito de não querer participar do CBA, afinal essa é uma decisão de foro íntimo. Mas repudiamos a maneira preconceituosa como o senhor tratou a população do nosso Estado, que inclui toda a categoria médica pernambucana.

O conteúdo da sua declaração mostra um preconceito inaceitável e não condiz com a postura que se espera de um profissional. Além disso, o meio utilizado para a recusa de um convite já aceito a apenas 20 dias da realização do congresso, demonstra descompromisso com a atividade associativa.

Aproveitamos para reafirmar que o CBA é um evento científico, apartidário, democrático e que tem como objetivo, além de contribuir para o desenvolvimento profissional dos participantes, promover a união e o congraçamento entre todos os anestesiologistas. Temos convicção de que suas declarações contra Pernambuco, não refletem a opinião da maioria esmagadora dos anestesistas do nosso País.

Por fim, reafirmamos o espírito plural e fraterno com que estamos nos preparando para receber os colegas congressistas de todas as regiões do Brasil. Espírito esse que é uma marca registrada de todos os encontros de anestesistas e também do povo pernambucano.

Recife, 27 de outubro de 2014

Comissão Executiva do CBA – Congresso Brasileiro de Anestesiologia

PS do Viomundo: Mais uma das milhares de manifestações preconceituosas de eleitores de Aécio Neves. E assim a direita brasileira vai se isolando, isolando, isolando…

O médico que se referiu a Pernambuco como "terra de merda" « Viomundo – O que você não vê na mídia

18/10/2014

Cuidado, jaleco branco já contamina mais que Ebola

 

Os médicos brasileiros serão lembrados por seu papel nestas eleições

Postado em 18 out 2014 – por : Kiko Nogueira

O doutor Milton

Doutor Simpatia

Toda generalização é perigosa, inclusive essa, mas se houve uma categoria que surpreendeu nessas eleições é a dos médicos. Não necessariamente pelas melhores razões.

Desde a gritaria xenófoba com os cubanos do programa Mais Médicos até as recentes manifestações de ódio aos nordestinos — uma senhora sugeriu um holocausto na região –, eles foram responsáveis, em sua grande maioria, por um vale de lágrimas.

O corporativismo deu as caras de um jeito feio, sujo e malvado. No domingo passado, desembocou no apoio da Associação Médica Brasileira a Aécio, que afirmou que não vai, se eleito, “financiar a ditadura cubana, como ocorre hoje”. O que ele pretende “é que não haja mais necessidade de estrangeiros no Brasil.”

O maluco que chamou Dilma de “grande filha da puta” nas redes sociais não é uma exceção. Milton Simon Pires, de Porto Alegre, recebeu uma advertência carinhosa do presidente do Conselho Regional do Rio Grande do Sul (Cremers), Fernando Weber Matos. Não se trata de um problema “ético” e Milton não estava fazendo aquilo como profissional, mas como cidadão. Vai saber o que é problema ético segundo esse pessoal.

Pires é uma figurinha conhecida na direita lelé. Conseguiu fazer uma releitura do juramento de Hipócrates, amplamente compartilhada por seus amigos. É assim: “Juro por Deus, juro como médico, como homem e como brasileiro, não dar um minuto de trégua, de paz ou de descanso a essa organização criminosa e associada ao narcotráfico que humilhou minha profissão perante os médicos de todos os outros países – o Partido dos Trabalhadores. Nem todas as enfermeiras, técnicos, fisioterapeutas e psicólogos do país juntos vão conseguir me parar!”

Como é que um sujeito desses pode atender alguém se está tão ocupado combatendo o Mal Supremo? E se o paciente — cliente, segundo a nova nomenclatura — for, que azar, petista? O que Simon faz? Deixa gaze no abdômen? Se recusa a atender? Doctor Simon é chegado de Lobão e já participou de um de seus famigerados hang-outs. Os dois dividem a mesma paranoia anticomunista.

Houve algumas tentativas de correção de rota. Tímidas. No ano passado, num debate sobre o mercado de trabalho na Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo, Miguel Srougi, professor titular de urologia da USP, ensaiou um mea culpa. “Erramos. Não soubemos fazer o diagnóstico da situação. A população ficou contra a gente”, disse, sobre os ataques ao Mais Médicos.

ADVERTISEMENT

Alguns de seus colegas admitiram o “grande equívoco”. “Tive vergonha”, afirmou o professor de patologia da USP Paulo Saldiva, se referindo à histeria nos aeroportos.

Não durou muito tempo. Com a ascensão do aecismo furibundo, os homens de jaleco se sentiram à vontade para berrar seu preconceito. Um grupo criado no Facebook que recebeu o nome “Dignidade Médica” reuniu um número assombroso de mentecaptos falando, por exemplo, na “necessidade de sermos terroristas para nos colocar no nível de conversa que pobre entende”

A Procuradoria-Geral da República (PGR) acabou recomendando a instauração de procedimentos criminais ou administrativos contra os autores dos posts.

No início do mês, folhetos foram distribuídos entre a classe em Minas Gerais. O texto tinha como título “Sou médico, não voto PT”. Treze nomes conhecidos assinavam a peça, que declara a necessidade de “banir o PT do poder”.

Não havia nada mais importante para fazer? Na sexta (17), o Ministério Público de Minas ajuizou uma ação contra o governo por suposta fraude orçamentária nos gastos com saúde durante a gestão de Aécio, de 2003 a 2010. É requisitado o ressarcimento aos cofres públicos de 1,3 bilhão de reais.

O estado também é acusado de maquiar outros 4,3 bilhões que deveriam ter sido gastos entre 2003 e 2008. Uma promotora propôs, em 2010, uma ação de improbidade administrativa contra Aécio.

Não houve protesto, não houve nada. O importante, para eles, é fazer proselitismo eleitoral de baixo nível. A saúde que se exploda. 2014 será lembrado como o ano em que Mister Hyde prendeu Doutor Jekyll no armário e saiu para passear pelo país tocando o terror branco.

(Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui).

Sobre o Autor

Diretor-adjunto do Diário do Centro do Mundo. Jornalista e músico. Foi fundador e diretor de redação da Revista Alfa; editor da Veja São Paulo; diretor de redação da Viagem e Turismo e do Guia Quatro Rodas.

Diário do Centro do Mundo » Os médicos brasileiros serão lembrados por seu papel nestas eleições

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: