Ficha Corrida

16/04/2014

Sistema de Bestialização dos Telespectadores

Filed under: Ódio de Classe,Grupos Mafiomidiáticos,Nazismo,Rachel Sheherazade,SBT — Gilmar Crestani @ 8:06 pm
Tags:

O ovo da serpente foi chocado na RBS. Um dos citados abaixo, Luis Carlos Prates, tem longa ficha de serviços prestados na RBS. O vídeo a seguir é só apenas mais uma dentre tantas pérolas perpetradas pelos pelo ex-funcionário da Rede Bosta do Sul.

Pensando bem, qual é a diferença do rol apresentado abaixo pelo Jornalimos Wando com esta trupe: Rogério Mendelski, José Barrionuevo, Lasier Martins, Yeda Crusius, Rosane de Oliveira, Wianey Carlet?! Nem o Hospital Psiquiátrico Forense Maurício Cardoso conseguiu reunir, a um só tempo, tamanha tropilha. A RBS conseguiu. Hoje, a SBT, devido ao sucesso empresarial conseguido pela RBS, reúno os cacos para ver se consegue, com a mesma prática, alcançar os mesmos patrocinadores.

Sei perfeitamente que eles, estes animais com nome de gente, só existem porque há quem os consuma. São produtos moldados para alimentarem matilhas que se igualam a eles. Como o Brasil pode melhorar com tais pessoas ocupando espaços nobres em veículos de concessão pública?

Até hoje não entendi quem deu a Lasier Martins a autoridade de opinar, mediante o uso de veículo midiático, sobre o que bom ou ruim para o Rio Grande? Sim, o dono da bola escala o time. Simples assim!

A coqueluche reacionária no SBT

Por Jornalismo Wando

Depois de muitos anos relegado ao ostracismo, o jornalismo do SBT vem sendo revigorado com chorumes polêmicas produzidas por seus jornalistas. Depois das experiências revolucionárias com Aqui e Agora e o Jornal das Pernas – em que jornalistas oriundas da Casa dos Artistas exibiam e cruzavam as pernas de forma sincronizada – , a emissora de Sílvio Santos amadureceu e segue em busca de uma credibilidade nunca antes alcançada.

Com um time destro de matar de orgulho a família #SouReaçaMasTôNaModa, o SBT espalhou pelo Brasil os quadros mais aguerridos do jornalismo opinativo brasileiro. São três os maiores expoentes dessa modalidade: Luis Carlos Prates, em Santa Catarina, Paulo Eduardo Martins, no Paraná e a diva Rachel Sheherazade, trazida da Paraíba para brilhar em rede nacional.

Shera, a camisa 10 do time, foi escolhida a dedo por Sílvio Santos para apresentar o principal jornal do canal. Suas opiniões fortes e conservadoras foram justamente o que encantaram o empresário. Cheia de confiança com o apoio do patrão, a colega de trabalho se sentiu à vontade para partir para o ataque contra tudo-o-que-está- aí, tornando-se uma das principais porta-vozes do senso comum. No auge do seu reacionarismo, Shera disse considerar compreensível o linchamento como instrumento de combate ao crime, o que causou revolta em uns e conquistou admiração de outros. A jornalista também já polemizou ao defender as loucuras do pastor Marco Feliciano e minimizar os pequenos delitos de Justin Bieber.

O catarinense Luis Carlos Prates também ganhou destaque com seu conservadorismo sessentista. Com uma eloquência e um linguajar rebuscado de fazer inveja ao Professor Gravatinha, Luis é capaz de transformar um telejornal num mural do Facebook das Senhoras de Santana:

"O Brasil nunca cresceu tanto quanto sob a chamada Ditadura Militar. Estradas rasgaram o Brasil, universidades foram multiplicadas. Ciência e tecnologia começaram para valer no país sob a tutela dos militares. (…) Que tipo de progresso veio com a chamada democracia? (…) A imoralidade tomou conta de todos nós. Que Brasil é esse que melhorou? "

Tio Paulo brada com tanta firmeza, que quase esqueço os US$102 bilhões de dívida externa deixados pela ditadura, uma quantia equivalente a 53,8% do PIB do país. Isso pra não falar na estagnação econômica e da inflação disparada nos últimos anos do regime, verdadeiras heranças malditas para a democracia. Quase também esqueço do carinho recebido pelos jornalistas críticos aos militares: paus-de-arara, choques elétricos, unhas arrancadas e assassinatos. Prates, usufruindo de uma concessão pública, desmoraliza vigorosamente o mesmo estado de direito que lhe permite criticá-lo. Um show de coerência.

Paulo Eduardo Martins, outra jovem revelação da emissora de Sílvio, também costuma banalizar o termo "ditadura" e lutar quixotescamente contra o fantasma comunista. Adepto do jornalismo-verdade-verdadeira, Paulinho não pensa duas vezes antes de desprezar o povo brasileiro e xingar o telespectador que não concorda como ele:

"O brasileiro não faz nada. O brasileiro merece a ditadura do PT. (…) Só idiota acredita que ditadura se faz com tanque na rua. Não é assim não, ô animal! (…) e o louco sou eu quando falo isso. Então dane-se todo mundo também. Tem que viver com a ditadura do PT mesmo”.

E pra se juntar ao trio-de-ferro do jornalismo do SBT, temos o também paranaense Lourival Santos, que ficou famoso essa semana ao ser preso após xingar um jogador de "macaco". Até me lembrou outro integrante da casa, Danilo Gentili, que gentilmente ofereceu bananas para um negro que ousou criticar as piadas racistas do seu programa.

Todas essas estripulias dos colegas de trabalho acabaram tendo um preço. Shera não dará mais opinião no Jornal do SBT, o Jornal da Massa não contará mais com as polêmicas de Paulinho e Lourival foi afastado da emissora pelo ato racista. Enquanto os fãs culpam o regime comunista pela censura, Shera e Paulinho garantem não ter sido esse o motivo. Pressionado pelo Ministério Público, anunciantes e telespectadores, Sílvio se viu obrigado a mudar o formato dos seus jornais e dar menos ênfase à opinião. Mas o SBT é uma emissora gigante e, com certeza, abrigará os reacionários em outros programas da casa, tais como: A Praça É Nossa, The Noite e Programa do Ratinho.

SQN

20/02/2014

Ué, mas bandido bom não é bandido morto?!

Filed under: Assassinato de Reputação,Escola de Base,Linchamento,SBT,STJ — Gilmar Crestani @ 7:27 am
Tags:

A Babilônia, de 4 mil anos atrás, com Hamurabi, tinha ideias muito mais avançadas sobre justiça do que os valentões do tipo Rachel Sheherazade, Luis Carlos Prates, Lasier Martins, Vianey Carlet, Arnaldo Jabor e todos os jornalistas da Veja juntos.

O episódio da Escola de Base é emblemático nesta história de linchamentos, que os valentões das cavernas chamam de justiça pelas próprias mãos. Se os justiceiros tivessem assassinado os “facínoras” da escola de base, a única vantagem é que as vítimas não teriam conseguido provar a inocência e vencer disputas judiciais contra Globo, Folha, Estadão, SBT… A única coisa em comum nestas condenações que, para encontrar informação dos condenados, precisa garimpar. Os grupos mafiomidiáticos são muito zelosos das notícias que mostram suas patifarias. É por isso que todo bandido que se excita com linchamento encontra espaço e tem voz nestes grupos. A menoridade penal não elimina a violência do linchamento moral praticado em nome da liberdade de informação. Para estes bandidos, há outros de igual jaez para defende-los.

STJ determina que SBT indenize ex-proprietários da Escola Base

DE BRASÍLIA – A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça rejeitou um recurso do SBT e determinou que a emissora pague R$ 100 mil a cada um dos ex-donos da Escola Base.

O estabelecimento de ensino foi fechado após a veiculação de uma série de reportagens, em 1994, sobre uma investigação da polícia a respeito de supostos abusos sexuais que teriam sido cometidos contra crianças que ali estudavam.

Quando ficou provada a inocência dos ex-donos, alguns veículos de comunicação se retrataram, mas a escola já havia sido saqueada e depredada.

O pedido de indenização por danos morais começou a tramitar no Tribunal de Justiça de São Paulo, que concedeu indenização de R$ 300 mil a cada um. O STJ manteve a condenação, mas reduziu a indenização a R$ 100 mil. O SBT informou que entrou com recurso.

07/01/2012

Se o PIG não sabe a verdade a respeito de si, como ousa falar dos outros?

Filed under: PIG,Record,SBT — Gilmar Crestani @ 12:05 pm

 

SBT divulga que ultrapassou “Emissora R”; Record informa que se mantém em 2º no Ibope

Silvana Chaves

A disputa pela “vice-liderança” em audiência nos lares brasileiros tem feito com que o SBT e a Record divulguem constantemente que estão em segundo lugar de acordo com dados colhidos pelo Ibope.
Conforme apurado pelo Comunique-se, os dados informados em comunicados enviados pela Record à imprensa estão corretos. No início deste ano, a emissora divulgou que teve 7,2 pontos de média de audiência na Grande São Paulo em 2011, entre 7h e 24h.
De acordo com o comunicado, a emissora que ficou em terceiro lugar em 2011, no caso o SBT, terminou o ano com média anual de 5,7 pontos, dados que também foram confirmados pelo instituto de pesquisa. À reportagem do Comunique-se, o Ibope reitera que não confirma percentuais de crescimento ou oscilações, somente os dados de audiência extraídos do software Media Workstation.
Até o fechamento desta matéria, o SBT não havia divulgado nenhum balanço anual com dados do Ibope sobre audiência em todo o Brasil, na Grande São Paulo, no ano de 2011. 
Dezembro
Em dezembro, ainda segundo o Ibope, a Record registrou média de 6 pontos de audiência, 13 % a mais que a terceira colocada, entre 7h e 24h. O SBT informou à imprensa, por meio de um release enviado pela Rede Massa de Comunicação, que a empresa de Silvio Santos havia conquistado a preferência dos telespectadores no último mês de 2011 em todo o Brasil com 4,7 pontos de audiência (na média das 24 horas diárias) e batido a “emissora R”, no caso a Rede Record.
A Rede Massa compõe o grupo de afiliadas do SBT no Paraná e pertencem ao apresentador da emissora, Carlos Massa, o Ratinho.

sbt_liderana

Reprodução de trecho da newsletter enviada pelo Grupo Massa de Comunicação à imprensa.

SBT divulga que ultrapassou “Emissora R”; Record informa que se mantém em 2º no Ibope

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: