Ficha Corrida

14/04/2012

Lanús no fim do túnel

Filed under: Flamengo,Futebol,Ronaldinho — Gilmar Crestani @ 12:22 pm

Os gremistas, como amantes não correspondidos de Ronaldinho, não disfarçam em botar a culpa no descarrilamento do trem flamenguista no ex-futuro-amado. Mas, a fundo, a verdade está na administração do clube rubro-negro, que aceita um sócio como Ronaldinho, a ponto de trocar Luxemburgo pela prancheta do folclórico Joel. A mãe de todas as trapalhadas atende por Patrícia Amorin e o pé-frio do ator da bolinha de papel.

http://www.correiodopovo.com.br/blogs/hiltormombach/wp-content/uploads/2012/04/tunel.jpg

18/01/2012

Ronaldinho e Giuliano

Filed under: Giuliano,Grêmio,Inter,Ronaldinho — Gilmar Crestani @ 9:54 am

O ano começa animado para a dupla Gre-nal. O Grêmio resolveu investir pesado para montar um time competitivo. Ouviu-se declarações fortes pelos lados do cemitério:

– Chega de gozarmos com o pau dos outros, agora vamos montar um time tão bom como o Inter. E vamos começar usando jogadores que aprenderam com eles. Trouxemos o Sorondo estamos em busca do Giuliano. Este ano o Gauchão é nosso!

O Grêmio está adotando a tática iraniana. O Irã, como se sabe, está querendo enfrentar o império. Se vai conseguir não se sabe, mas a tática já é conhecida. Derrubou aviões não tripulados dos EUA e agora pretende usar a tecnologia não só para se defender como para contra-atacar.

Há quem diga que Giuliano é um agente colorado infiltrado. Como Ronaldinho já o foi. Ninguém ousa discordar que Ronaldinho é mais colorado que gremista. Foi encima dele que o Inter conquistou o título de Campeão do Mundo FIFA, destroçando o afamado Barcelona.

Mas esta teoria conspiratória não se sustenta. Afinal, o que de importante o Giuliano poderia passar do Grêmio para o Inter? Como ganhar o primeiro turno do Gauchinho? Tendo sido o melhor jogador da Libertadores, como ajudar um time que não está na Libertadores?

Já a vinda do Ronaldinho atende a um desejo acalentados por muitos anos. A família Assis Moreira nunca escondeu que Ronaldinho sempre sonhou em jogar num time grande. Rodou o mundo e só agora poderá realizar o sonho. Não sei ainda quanto o Ronaldinho vai pagar para o Inter para poder, enfim, realizar seu sonho. A realização de um sonho não tem preço, para os demais existe o Credicard e o Grêmio…  É bom Ronaldinho não contar com o ovo no cu da galinha. Antes de fechar o negócio o Inter vai se cercar de todos os cuidados. E primeiro quer ouvir o tilintar das moedas antes de aceitá-lo. Afinal, só há um Campeão de Tudo.

Tudo vale a pena se a alma não é pequena.

25/11/2011

Grêmio, fonte de inspiração!?

Filed under: Grêmio,Ronaldinho — Gilmar Crestani @ 8:45 am
Tags:

Como fazia aquela famosa empresa que emprega Ali Kamel e vive da venda de informações, estou apenas testando hipóteses. Uma das hipóteses diz que Ronaldinho estava olhando o jogo do Grêmio com o Ceará. Ronaldinho, desde o mundial de 2006, fica excitado sempre que houve a palavra Ceará… A outra versão, menos popular, é de que estava comemorando a contratação do gladiador… Há também quem diga, deve ser gremista, que ficou excitado por saber que Rodrigo Moledo vai marcá-lo no domingo.

Na Itália, irmão de Ronaldinho diz desconhecer vídeo, mas suspeita de montagem

borges_luciano às 17:22

Terra

O ex-jogador Assis é observador técnico do Milan e está na Itália Foto: Terra

Por Luciano Borges

Assis Moreira, irmão e empresário de Ronaldinho Gaúcho, evitou falar sobre o vídeo postado na internet que mostra o jogador supostamente se masturbando, nu, com um gorro na cabeça. “Não sei exatamente o que é isso. Estou na Europa, não estou no Brasil. Já me informaram pelo celular que este vídeo está aí, mas não vou falar nada porque não sei do que se trata”, disse.

Ele levantou a possibilidade de se tratar de uma edição que colocasse o irmão mais novo em uma situação constrangedora. “Não sei se isso aí é uma montagem”, falou o ex-jogador formado no Grêmio nos anos 80. O representante do atleta do Flamengo comentou: “Alguém que botou isso aí, alguma menina”.

Assis está em Milão. Garante que não foi ä Itália para tratar de assuntos referentes a Ronaldinho. No Brasil alguns veículos de comunicação divulgaram que o meia do Flamengo poderia voltar ao exterior. Dois clubes (Los Angeles Galaxy, dos EUA, e Panathinaikos, da Grëia) já o teriam procurado.

Assis nega. “Vim para cá para trabalhar”, falou. Ele é observador técnico do Milan, com quem tem contrato até 2014. Sua missão é ficar de olhos em jogadores do Brasil mandando vídeos e observações sobre quem pode vestir a camisa milanesa. “São relatórios sobre novos talentos, que estão se destacando. Tudo é feito em sigilo”, contou.

O vídeo atribuído a Ronaldinho Gaúcho aparece num momento em que o atleta anda na mira da torcida do Flamengo. O time carioca está na briga por uma vaga na Libertadores da América de 2012, mas tem alternado bons e maus momentos em campo. Nesta semana, representantes de uniformizadas tentaram falar diretamente com atletas. Conseguiram um contato rápido com o zagueiro Alex Silva e se reuniram com dirigentes rubro-negros.

Ronaldinho foi trabalhar no Ninho do Urubu com proteção de seis seguranças. Não houve nenhuma tentativa de alguns torcedor tentar abordá-lo de maneira mais ríspida. Além disso, no meio da semana passada, o jogador se recusou a participar de uma ação com o patrocinador levado pela 9ine, empresa de Ronaldo Nazário, ao Flamengo.

Segundo informações publicadas em jornais do Rio, Ronaldinho estaria com boa parte de seus salários atrasada.

Blog do Boleiro – por Luciano Borges » Na Itália, irmão de Ronaldinho diz desconhecer vídeo, mas suspeita de montagem

02/11/2011

O título do milênio

Filed under: Grêmio,José Pedro Goulart,Ronaldinho — Gilmar Crestani @ 9:41 am
Tags:

É pensar pequeno demais para se contentar com isso só. No século XXI, é o primeiro “título” de expressão comemorado pela torcida gremista: a derrota Ronaldinho. Peninha… A defesa gremista deve ter ido beber nas fontes cearenses. Explico. No verdadeiro jogo do milênio, para os gaúchos, ocorrido em 2006, foi Ceará que parou Ronaldinho. E o Inter venceu o Barcelona. O que o Grêmio fez no domingo foi uma imitação barata do Inter de 2006. Afinal, o Flamengo está longe de ser um Barcelona. E não havia nenhum outro título em jogo senão o de curar a dor de corno…

O umbigo do R10

Itamar Aguiar/Vipcomm/Divulgação

Ronaldinho em disputa de bola durante jogo entre Grêmio e Flamengo no domingo (30)

Ronaldinho em disputa de bola durante jogo entre Grêmio e Flamengo no domingo (30)

José Pedro Goulart
De Porto Alegre (RS)

Domingo último dei uma voltinha pelos aspectos sombrios da minh¿alma. Deixei de lado o caminho em direção à compreensão e ao equilíbrio, o qual gosto de pensar que me oriento, e provei um gole do veneno inebriante da vingança. Já sóbrio como agora estou diria, se acreditasse que seria ouvido: "Pai, afasta de mim esse cálice". Julgamentos públicos são perigosos, deixam marcas eternas, isso quando não são letais.

Se qualquer paixão tem preço, imagine no futebol. A paixão é um sentimento brutal de fé. Esperamos por parte de quem depositamos nossa paixão que nos seja devolvido, se possível com juros, toda energia gasta com nosso desprendimento amoroso. Ídolos não deveriam envelhecer, errar, muitos menos nos trair.

A arquitetura dos sentimentos tem pilares conhecidos. A família, por exemplo, por mais que se tenham razões em rompimentos o coração resiste em manter o vínculo afetivo que assegure um certo alento. Há também as amizades de infância, nossa rua, cidade, comunidade: as tais raízes.

Há dez anos, quando Ronaldinho escapou do Grêmio pela porta dos fundos a mãe dele justificou o desaforo: "Os filhos pertencem ao mundo". Nunca esqueci. E agora, sob vaias ensurdecedoras, disse o R10, "Perto do som da torcida do Flamengo, isso não é nada". Duas lógicas parecidas, duas distorções fraudulentas. Ninguém – o poeta sabe, todas as mães deveriam saber – pertence ao mundo, isso é uma generalização paroquial. A gente pertence ao umbigo.

E ao falar da torcida do Flamengo, Ronaldinho apela por proteção. Imagina que pode substituir o chá que é fervido com a raiz da árvore genealógica dele por outra alquimia. Mas não pode. O Flamengo é o umbigo do Zico, o Galinho de Quintino; a casa do Júnior; e até do Fio Maravilha. A bandeira rubro-negra já tem passista e mestre sala, o samba do Flamengo já tem autores. R10 no Flamengo nunca será.

O roteiro do jogo de domingo foi como os bons roteiros devem ser, teve prenúncio de tragédia e reviravolta. Começou parecendo que daria razão aos pragmáticos, os tolos do ouro; mas terminou com a poesia ilusória de que certos ajustes de contas insinuam. Assim, mesmo o chute do jogador mais improvável saiu preciso quando foi preciso e o goleiro tomou o gol quando deveria, como se fossem atores cumprindo um papel. Em todos havia uma sede de remissão dostoievskiana. A torcida lavou a alma.

No final os personagens saíram de cena e cada um foi para o seu canto, ruminando verdades sobre honras e circunstâncias. Outros, os que não tinham canto, foram pro limbo.

José Pedro Goulart é cineasta e jornalista.

O umbigo do R10 – Terra – José Pedro Goulart

30/10/2011

Gremiudinho

Filed under: Grêmio,Ronaldinho — Gilmar Crestani @ 7:42 am
Tags:

dinho

R10 e o Grêmio: assim se passaram dez anos

Postado por Juremir em 29 de outubro de 2011Esporte

A história de Ronaldinho Gaúcho com a torcida do Grêmio é de amor.

Como toda história de amor mal resolvida, é uma história de ódio.

Poderia ser vivida ao som de Kleiton e Kledir:

“Vou ficar na sua vida como uma paixão mal resolvida…”

Ou na voz de Gal Costa:

Assim se passaram dez anos. Sem eu ver teu rosto. Sem olhar teus olhos. Sem beijar teus lábios assim. Foi tão grande a pena. Que sentiu a minha alma…”

O pior é que assim se passaram dez anos vendo o rosto do amado, ouvindo sua voz, olhando seus olhos…

Aí dói mais.

Não, não é flauta de colorado.

Se R10 tivesse ido embora do Inter, como foi do Grêmio, o sofrimento seria o mesmo.

R10 e Grêmio ainda vão se encontrar para discutir a relação.

Quase voltaram em 2010.

O fracasso aumentou a mágoa.

E aí poderia se ouvir Lupicinio:

“Você sabe o que é ter um amor meu senhor…”

R10 e Grêmio vão se encontrar neste domingo.

Mas R10 virá nos braços de outra torcida.

Cada gesto seu poderá lembrar o que foi e o que nunca mais será.

Ou será?

Talvez se devesse ouvir o rei, não o Pelé, mas Roberto Carlos:

“Um grande amor não vai morrer assim…”.

É uma questão de Datalhes.

Afinal, ele foi o maior dos casos da torcida do Grêmio.

O que ela nunca esqueceu.

Nem esquecerá.

O amor rejeitado toma a forma do ódio.

Um ódio fake.

Mais para tango do que pagode.

Quem vai bailar neste domingo?

Deixa o Roberto falar:

“Das lembranças
Que eu trago na vida
Você é a saudade
Que eu gosto de ter
Só assim!
Sinto você bem perto de mim
Outra vez…

Me esqueci!
De tentar te esquecer
Resolvi!
Te querer, por querer
Decidi te lembrar
Quantas vezes
Eu tenha vontade
Sem nada perder…

Ah!
Você foi!
Toda a felicidade
Você foi a maldade
Que só me fez bem
Você foi!
O melhor dos meus planos
E o maior dos enganos
Que eu pude fazer…”

Juremir Machado da Silva – Juremir – Correio do Povo

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: