Ficha Corrida

02/05/2016

Decamerão do Golpe

amareO escritor italiano, Giovanni Bocaccio, é o autor do clássico Decamerão.  Decameron (Decamerão ou Decameron, do grego “deca”, "dez", hemeron, "dias", "jornadas"), como a marcha dos zumbis conduzida pela Rede Globo. As dez jornadas que resultaram nas cem histórias equivalem às marchas em que os bovinos seguiram a égua madrinha da famiglia Marinho. Os contos italianos são de conteúdo erótico soft, já as histórias perpetradas pelos personagens como Kim Kataguiri, Michel Temer, João Dória Jr e Eduardo CUnha envolvem do beijo grego às pornográficas mais trash! As jornadas começaram com Ronaldo Nazário e seus travestis, passaram pelos amigos do Aécio Neves e seus 450 kg de argumentos que viraram pó. Tudo isso foi o caldo que mostrou porque o ódio tem origem na Síndrome de Abstinência eleitoral de uma elite que não se vexa em assaltar a Presidência para foder com o povo.

O pano de fundo era a Peste Negra da Florença medieval. Para fugir da peste, dez pessoas, sete mulheres e três homens se reuniam fora da cidade e, para passarar o tempo, contavam histórias. Hoje, para fugir da Zika Golpista, os jovens tentar se reunir buscando construir saídas para um futuro menos pestilento. Mas o clima nazi-fascista se infiltra pelos poros e Universidades e se manifesta inclusive por escrito em despachos que fariam inveja a Joachim von Ribbentrop.

Nesta terra de Macondo, a realidade kafkiana se faz presente em qualquer hora e lugar. Em Minas, uma juíza proibiu o centro acadêmico de direito de se reunir para discutir o golpe. E não é um ponto fora da curva. Outro dia outro juiz proferiu uma sentença em 28 segundos. Enquanto isso, o STF já está 135 dias sentado no processo que trata do afastamento do Eduardo CUnha e… NADA! Nem Kafka, nem George Orwell, nem Aldous Huxley seriam tão criativos. Só Gabriel García Márquez poderia imaginar algo tão bananeiro. Ou estes escritores poderiam imaginar que 450 kg de hiPÓcrisia lançariam um  manto de impunidade sobre notórios traficantes. Neste mesmo diapasão, alguém é octa delatado e nenhuma condução “coercitiva” é realizada. Se for mulher e não sendo cunhada do Vaccari, não há risco algum. Que o diga Andrea Neves e Cláudia Cruz que, por serem quem são, desfilam imunidade de inimputáveis…

As histórias que compõem o Decamerão tem uma boa dose de erotismo. Mas nada se compara à putaria que move os golpistas. Foi relatado, inclusive, que os Deputados que diziam votar pela famiglia, davam às putas satisfação do voto. Sim, se não houve pudor da Rede Globo em clamar, desde o resultado das eleições, por golpe, porque seus ventríloquos manteriam qualquer pudor?!

O festival de baixaria que mancha a putaria golpista foi explicitada na Mossack & Fonseca. A lavanderia dos golpistas é o Bunga Bunga dos 30 Berlusconi brasileiros. Estão todos lá. Enquanto na Florença dizimada pela peste os arredores serviam para as aventuras verbais, no Brasil do Golpe Paraguaio os algozes estão na lavanderia do Panama Papers. Nunca a despudor havia sido assumido de forma tão aberto e sobranceiro pela Casa-Grande como neste momento. A  partir de agora, diante do catálogo que engrandece a biografia de Eduardo CUnha, Calígula pode ser considerado um governante sóbrio e comedido.

Nunca antes na história uma plutocracia sentiu-se tão à vontade para comandar o show da desfaçatez. Eduardo CUnha é a face da cleptocracia que se investiu no papel desenhado pelas telas da Rede Globo para assaltar a democracia. 

Da democracia restou demo.

24/04/2014

Millenium: de puteiro à putaria

A transformação camaleônica do Millenium, de puteiro a instituto, foi contada, ainda em 2010, pelo  Gilberto Maringoni. Daqueles tempos à esta época, a casa de tolerância foi tolerante com os seus e intolerante com os adversários. Como não podia deixar de ser, reúne a fina flor dos apoiadores da ditadura: RBS, Globo, Folha, Estadão & Abril.

Millenium: o mapa da mídia

24 de abril de 2014 | 08:30 Autor: Fernando Brito

milleniummapa

Meu bom amigo Antonio Mello, depois de um tempo de recarga de energia, reativa seu blog em grande estilo, com um precioso mapa das conexões do Instituto Millenium, núcleo de interferência da direita e do grande capital na mídia brasileira.

(Dentro do post há uma versão clicável, que se amplia.)

Por mais que a gente saiba das ramificações empresariais e midiáticas deste think tank conservador, impressiona o volume e a interconexão entre eles.

O mais curioso é que o Ibad do século 21, com todos os seus altares liberais ainda funciona, em parte, com dinheiro público, porque as doações que recebe para investir contra o Estado são dedutíveis do Imposto de Renda, à medida em que é classificada como Organização de Interesse Público.

Mas, claro, tudo ali é “limpinho”, exceto o Brasil, que é um traste. Nós é que somos os blogueiros “sujos”, financiados com verba pública, mesmo que dela não receba um centavo.

millenium2
Mídia corporativa e Instituto Millenium, aliados dos EUA, usam
‘indignados úteis’ para transformar o Brasil numa nova Venezuela

Antonio Mello

Quando se fala em Lei de Meios; quando se faz o programa Mais Médicos trazendo médicos do exterior, em sua grande maioria de Cuba, para realizar trabalhos em áreas em que nossos médicos brasileiros se recusam a trabalhar; quando se participa ativamente do Mercosul e se toma atitudes independentes dos EUA, como a crítica severa – o verdadeiro pito – que a presidenta Dilma passou no presidente Obama, a respeito da espionagem estadunidense; quando o governo age desse modo, a mídia corporativa o acusa de estar “Venezuelando” o Brasil.

Mas quem está querendo transformar o Brasil numa Venezuela (não no que o chavismo e a revolução bolivariana trouxeram de positivo para aquele país – fim do analfabetismo, assistência médica, participação popular no governo, fim da subserviência aos EUA ), quem está querendo fazer a venezuelização do Brasil é a mídia corporativa, que estimula diariamente o preconceito – evidenciado na reação dos médicos brasileiros à importação de estrangeiros pelo programa Mais Médicos -, a ocupação dos antigos espaços nobres pelos emergentes, essa “gente diferenciada” que tomou de vez aeroportos, shoppings, restaurantes, antes frequentados apenas pelos que em geral têm como medida de suas vidas os EUA, e que hoje se ressentem da dificuldade de encontrar mão de obra barata, ou até em condições análogas à de escravidão…

A partir do Instituto Millenium, eles estão montando seus exércitos com pistoleiros, antigos e recém recrutados (não vou citar nomes, pois todos sabem quem são eles) para diariamente disparar contra o governo.

Basta visitar a página de comentários de qualquer um desses recrutas, soldados ou oficiais do porcalismo (palavra divulgada por este blog – sorry, o diabo é sábio não porque é diabo, mas porque é velho…) vendidos para ver o efeito devastador que causam na cabeça daqueles que chamo, desde 2005, de “indignados úteis” (leia abaixo postagem de 2006 sobre eles), zumbis ressentidos, que se alimentam de ódio e recalque diante do empoderamento de milhões de brasileiros.

Continue lendo no Blog do Mello

Millenium: o mapa da mídia | TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”

19/02/2014

Putaria, uma especialidade da RBS

Filed under: Grupo RBS,Grupos Mafiomidiáticos,Putaria,Turismo Sexual — Gilmar Crestani @ 11:26 pm
Tags:

De mais a mais, sempre fodeu com gaúchos e catarinenses. Dizem que eles as selecionam em Capão da Canoa, num concurso que drena a grana das prefeituras do interior para as "burras" da RBS… Afinal, ela é "ávida por todos os lados"…

Jornal do grupo Zero Hora faz anúncio sexual para turistas

:

No caderno “Welcome to Floripa”, jornal Diário Catarinense traz na capa e contracapa publicidade de clube de strip-tease; guia cultural sobre como estrangeiros podem aproveitar Florianópolis é acompanhado de imagem de mulheres de biquíni fio dental

19 de Fevereiro de 2014 às 08:47

247 – Prestes a receber o Congresso Técnico da Fifa, Florianópolis foi destacada no Diário Catarinense com a imagem de mulheres de biquíni fio dental e um anuncio de um clube de strip-tease.

O jornal do grupo Zero Hora traz na capa e contracapa do caderno “Welcome to Floripa”, um guia cultural para estrangeiros, um anúncio sexual.

A publicação repercutiu nas redes sociais. Pelo Twitter, o advogado Manoel Menezes protestou: "Para o país que luta contra o turismo sexual e contra a ‘imagem’ do país da putaria e da baixaria, isso é um tanto quanto contraditório".

Jornal do grupo Zero Hora faz anúncio sexual para turistas | Brasil 24/7

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: