Ficha Corrida

15/09/2015

Quando envolve a Rede Baita Sonegadora, ninguém Motta…

Cadê o Vieirinha, moleque de recados da RBS. Que vergonha para o PDT, uma sigla que já foi grande e hoje vive de aluguel na RBS. A parceria do Vierinha com a RBS na CPI da Segurança Pública, vejam só, para atingir Olívio Dutra, um dos homens públicos mais probos deste Estado, granjeou-lhe simpatia a ponto de alugar a sigla para o funcionário Lasier Martins, numa preparação para a candidatura ao senado, levar a Agenda 2020 da RBS pelos quatro cantos.

Um Estado onde a RBS detém 80% do mercado de mídia só poderia resultar numa manada de midiotas. Cabresteados pela RBS, elegeram o PP gaúcho, todinho na Lava Jato, Afonso Motta, prestes a botar a tornozeleira, Lasier Martins e Ana Amélia Lemos, o que dá a RBS dois Senadores. E, hors concours, o Tiririca da Serra, SARTORI…  Todos eles aliados de Aécio Neves. Essa é a gente que vive de disseminar ódio a Lula, Dilma e ao PT. O que o pitt bull Lasier Martins tem a dizer a respeito de seu colega de RBS, em breve de tornozeleira eletrônica, e de partido?!

Na véspera do 20 de setembro, quando a gauchada comemora uma revolução da casa-grande perdida para o Império, cantemos o Hino Rio-Grandense: “sirvam nossas patranhas de modelo a toda terra”.

PF cita deputado Afonso Motta na operação Zelotes

Inquérito apura suspeitas sobre participação do Grupo RBS em suposta fraude no Carf

Inquérito apura suspeitas sobre participação do Grupo RBS em suposta fraude no Carf | Foto: Gustavo Lima/Agência Câmara/CP

Inquérito apura suspeitas sobre participação do Grupo RBS em suposta fraude no Carf | Foto: Gustavo Lima/Agência Câmara/CP

O deputado federal Afonso Motta (PDT-RS) foi citado nas investigações da Polícia Federal sobre o esquema de corrupção no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), órgão vinculado ao Ministério da Fazenda, de acordo com o Jornal Folha de São Paulo. O nome do parlamentar surgiu no inquérito aberto para apurar as suspeitas de participação do Grupo RBS. Motta foi vice-presidente jurídico e institucional da empresa até 2009, antes de se eleger à cadeira na Câmara.
Nesta terça-feira, Motta confirmou ter atuado em defesa da RBS ao longo de oito dos 11 anos em que as ações são investigadas. “Após minha saída, houve decisão desfavorável à empresa. A reversão da sentença ocorreu depois. Vejo a citação do meu nome como algo natural, pois trabalhei no período que corresponde a etapa da investigação. Porém, não posso comentar sobre a investigação, porque não fui notificado de nada”, afirmou. Como é deputado federal, ele tem foro privilegiado e só pode ser investigado com autorização do Supremo Tribunal Federal (STF). A Procuradoria-Geral da República (PGR) vai analisar o material coletado pela PF e decidirá se pedirá ou não abertura de inquérito ao STF.
As fraudes investigadas no Carf foram descobertas a partir da Operação Zelotes, deflagrada pela PF em abril. O Carf funciona como tribunal administrativo, responsável por julgar recursos de empresas autuadas pela Receita Federal por deverem impostos. Segundo investigações, conselheiros recebiam propina para votar em favor de redução e até do perdão das dívidas. O contato era feito por intermediários. Lobistas, escritórios de contabilidade ou de advocacia eram responsáveis por cooptar empresas dispostas a pagar propina a conselheiros do esquema, em troca de influência nos resultados dos processos.
Em nota, o Grupo RBS informa que Motta deixou a empresa em 2009 para exercer carreira política. O grupo não comentou a investigação da Polícia Federal sobre a atuação da RBS junto ao Carf.

Correio do Povo | Notícias | PF cita deputado Afonso Motta na operação Zelotes

05/09/2015

Agenda 2020 da RBS

zelotesLasier Martins é o projeto da RBS para o Piratini em 2020. À moda Cosa Nostra, a RBS utilizou o braço da Rádio Gaúcha para levar o pitt bull a pastorear sua manada de bovinos pelo interior do RS. Não bastava ter uma Ana Amélia Lemos no PP gaúcho, a RBS também precisa de uma sigla de aluguel. Foi Vieira da Cunha que entregou a barriga de aluguel para que a RBS pudesse parir outro senador. Assim, a RBS é o único grupo de comunicação que não precisa de intermediários, já tem só pra si dois senadores. Por pouco não conseguiu emplacar a Miss Lagoa Vermelha no Piratini. Não funcionou, então montou o plano B e emplacou o Tiririca da Serra. A estratégia foi criminalizar o PT e Tarso Genro. Poderia ser qualquer um menos alguém do PT. Por quê a RBS tem tanto medo do PT? Claro, o sonho da RBS é ter alguém que lhe entregue, seja em marketing ou facilidades públicas aos finanCIAdores ideológicos, uma CRT a cada quatro anos.

A parceria da RBS com prefeituras do interior, mediante o finanCIAmento de parceiros ideológicos, explica porque o RS está muito atrás de Santa Catarina. Outra explicação está na presença do latifúndio no RS. Em Santa Catarina impera a pequena propriedade.

O atraso gaúcho atende pela união do lumpempresariado  com o lumpenjornalismo. Em que outro estado um grupo de jornalismo criminalizaria um governo que “ousasse” criar uma Universidade Estadual? Olívio Dutra foi diabolizado pela RBS.

Claro, contou com meninos de aluguel, que se venderam pois dois minutos de presença, ao vivo, no Jornal Nacional. Vieira da CUnha, que pelo sobrenome não se perca, alugou seu PDT em troca do acobertamento da RBS. Hoje é Secretário, da cota da RBS,  de Educação. Não é sem motivos que a RBS faz vistas grossas ao abandono de Porto Alegre por José Fortunati. Assim, a RBS mediante seus muitos braços mafiomidiáticos detém dois senadores (Ana Amélia & Lasier), um ventríloquo no governo do Estado, um estafeta na Secretaria de Educação, e um palerma de Prefeito de Porto Alegre.

Só os midiotas não entendem. Para entender bastaria ver quem são os que estão na Lista Falciani do HSBC, no CARF, na Operação Zelotes, Operação Rodin, Operação Pavlova. Por que, vira e mexe, o Gerdau é figura presente para ditar o que é bom ou ruim para o Estado? Será porque o Gerdau, como a RBS, tem interesse no CARF?! Por que eles não param de lorotas, deixem de sonegação e paguem em dia os impostos?!

E ainda há quem não entenda porque o RS está tão mal.

Um relato sobre a misteriosa Agenda 2020

Postado por Juremir em 24 de agosto de 2015

Há nomes que surgem do nada e começam a ter grande influência nos bastidores da administração pública formulando sugestões de políticas que vão se fixando como entidades misteriosas. Por toda parte, ouve-se falar na tal Agenda 2020. De onde surgiu? O que é? Em princípio, é a plataforma de um grupo de empresários que busca implementar Estado mínimo, apostar em políticas de incentivos fiscais para empresas e fazer lobby para os seus amplos interesses. Recebi um interessante e-mail de sobre a Agenda 2020 de uma fonte que não pode ter o seu nome divulgado por medo de sofrer represálias muito óbvias.

Uma fonte entranhada.

“Existe uma empresa que é onde funciona a Agenda 2020, a Polo RS, coordenada por Ronald Krumenauer, e os projetos dela são mantidos por colaboração dos voluntários da Agenda, voluntários esses todos empresários de alta classe do Estado. O que sempre me chamou atenção foi o fato de que a Agenda não tinha nenhuma atividade específica. Mesmo assim eles mantém um corpo de funcionários até pequeno, mesmo assim nunca vi um lugar onde o dinheiro saia de forma tão fácil. A atividade principal deles foram os Debates RS, onde visitavam diversas cidades a apresentaram sua agenda junto com o senador Lasier Martins a equipe da Rádio Gaúcha. Outro fato interessante se refere à sugestão de uma pauta sobre sonegação de impostos, já que sempre escutei discursos indignados contra os impostos no Brasil. A resposta foi bastante clara de porque aquela pauta não deveria ser levantada: ‘Tu queres pegar mais da metade do conselho da Polo’. O presidente da Agenda 2020 é uma figura meramente figurativa, quase nunca aparece no local e nas poucas vezes que vai fica menos de 10 minutos no local em conversa reservada com Ronald. Bom há outras questões sobre a Agenda que podemos levantar, especialmente de onde vem o dinheiro que sustenta aquela estrutura, já que o escritório está localizado em uma região muito cara da cidade, sem contar os gastos com pessoal, viagens e etc”.

A Agenda 2020 é parceira da RBS.

Nada de irregular. Só desconhecido do público mais amplo. O time da Polo é pesado.

Esta notícia, recuperada na Internet, dá uma ideia da densidade econômica do pessoal e da sua capacidade de influência: “Conselheiros e associados da Polo RS – Agência de Desenvolvimento, reunidos nesta segunda-feira, dia 19 de agosto, em Porto Alegre, elegeram o empresário Humberto César Busnello como o novo presidente do Conselho de Administração da entidade, período 2013/2015. O encontro foi liderado por Bolivar Baldisserotto Moura, presidente do conselho da Polo RS entre 2007 e 2013. A reunião contou com os conselheiros Jorge Gerdau Johannpeter (Gerdau), Heitor Müller (Fiergs), Zildo De Marchi (Fecomércio), Ricardo Russowsky (Federasul), Paulo Vanzetto Garcia (Sinduscon), José Eduardo Cidade (Walmart) e Vagner Calvetti (Ipiranga), Anton Karl Biedermann e as presenças de Renato Gasparetto e Luiz Carlos Bohn”. Tropa de choque.

Eleito, Busnello declarou: “Vamos intensificar nosso relacionamento com o Executivo, com Legislativo e o Judiciário. Temos estudos e propostas sobre o futuro do Rio Grande do Sul que precisamos apresentar a todos os gaúchos”.

Apresentou-as a Sartori.

Será que o máximo de gaúchos quer o Estado mínimo?

Juremir Machado da Silva – Blogs – página 3 – Correio do Povo | O portal de notícias dos gaúchos

26/04/2015

Sinal de limpeza: ratos fogem aterrorizados

Filed under: Carlos Lupi,José Fortunati,Lasier Martins,PDT,Porto Alegre,RBS,Sigla de Aluguel — Gilmar Crestani @ 10:02 am
Tags:

Foi simbólica a soltura de ratos no Congresso. Eles ficaram por lá e votaram a favor da terceirização. No RS, o PDT virou sigla de aluguel, alugado pela RBS. A parceria que entregava pontos essenciais do mercado imobiliário da Capital aos interesses da RBS era uma venda casada com a entrada do seu funcionário, Lasier Martins, no PDT. O PDT gaúcho fez campanha e votou com Aécio Neves. E só o Carlos Lupi não sabe disso porque se comporta como ratazana roendo o chocolate do Governo Federal. Pior do que fazem, é sair a público, depois de hibernarem em esgotos com este tipo de raciocínio.

Como pode se chamar de trabalhista um partido que vota a favor da precarização das relações do trabalho? O PDT consegue ser um bando ainda pior que o PMDB. Vem, achacam, e depois saem atirando. Ou não é achacar pedir um “naco de poder” maior? Querem mais poder para destruir mais rapidamente a agenda social.

O chororô de partido nanico é de fazer inveja ao Ronaldo Caiado. Ao primeiro sopro de aragem no porão do navio, os ratos entram em polvorosa. Depois de roerem o chocolate, ficam com síndrome de abstinência, se revoltam e saem a nado. Desde que Brizola se foi, o PDT nada. Nada na lama. Vivia pendurado nas tetas do Governo Federal. A menor oxigenação, entram em estertores.

Carlos Lupi é só o chefe das ratazanas. Gilmar Sossella, ex-presidente da Assembleia Legislativa do RS, explica o fenômeno ratazada do Carlos Lupi. É de Sossella que Lupi tirou a imagem de ratazana.

A administração de Porto Alegre, sob o comando do PDT, dá uma boa ideia do que fazem as ratazanas no poder.

Carlos Lupi: ‘o PT roubou demais e se esgotou’

:

Presidente do PDT, Carlos Lupi, anuncia que o partido deixará, em breve, a base governista; "A gente não quer ser um rato, que foge do porão do navio quando entra a primeira água, mas também não queremos ser o comandante do Titanic, que ficou no barco até ele afundar", afirmou

26 de Abril de 2015 às 09:04

247 – Em entrevista à jornalista Isadora Peron, do jornal Estado de S. Paulo (leia aqui), o presidente nacional do PDT e ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi atacou duramente o PT.

"O PT exauriu-se, esgotou-se. Olha o caso da Petrobras. A gente não acha que o PT inventou a corrupção, mas roubaram demais. Exageraram. O projeto deles virou projeto de poder pelo poder", disse ele.

Lupi criticou ainda a relação do PT com os partidos da base aliada. "A conversa com o PT, com o meu amigo Lula e com a presidente Dilma, é qual o naco de poder que fica com cada um. Para mim, isso não basta. Eu não quero um pedaço de chocolate para brincar como criança que adoça a boca. Eu quero ser sócio da fábrica, eu quero ajudar a fazer o chocolate."

Por fim, anunciou o desembarque do governo Dilma. "A gente não quer ser um rato, que foge do porão do navio quando entra a primeira água, mas também não queremos ser o comandante do Titanic, que ficou no barco até ele afundar".

Carlos Lupi: ‘o PT roubou demais e se esgotou’ | Brasil 24/7

21/04/2015

Por que o PDT virou sigla de aluguel?

Filed under: Lasier Martins,PDT,Preconceito,RBS,Terceirização — Gilmar Crestani @ 10:38 am
Tags:

Lasier Martins Indio

Do casamento do Vieira da Cunha com a RBS nasceu Lasier Martins. Serviu de testemunha José Fortunati e suas possibilidades imobiliárias pela cidade. A empresa que é ávida por todos os lados encontrou no Paço Municipal o aval para uma simbiose muitas vezes tentadas mas poucas vezes vista. As parcerias públicas são descarregadas na privada.

As relações na privada resultaram na defecção partidária. Fortunati se licenciou do PDT. Quando terminar, voltará para que o PDT o limpe com papel higiênico. Assim vai parecer distância entre força e resultado. Para uma boa negociada há sempre a possibilidade da conversão de papel imprensa em papel higiênico. Onde há bundão, abunda! Quando um partido é cabresteado pela mídia, descanta o verso com a mesma naturalidade com que uma criança faz xixi na cama.

Parodiando a maior filosofada do PJ da RBS, “quantos jornalista no Brasil e particularmente no Rio Grande do Sul deixaram de ser jornalistas e são hoje políticos respeitados e qualificados?” Muitos. Mas Lasier Martins, com certeza, não é um deles. Por isso está no PDT. Por isso o PDT o acolheu. Por isso o PDT “erra” mas não é!

PDT-RS muda e agora é contra terceirização

Deputados federais da sigla dizem que irão votar para restringir proposta

Cherini diz que a questão não é ideológica | Foto: Lúcio Bernardo Jr / Câmara

  • Iuri Ramos

A volta da Lei das Terceirizações para a pauta da Câmara dos Deputados, amanhã, promete uma nova rodada de polêmicas entre os pedetistas gaúchos. Os deputados já aprovaram o texto-base da proposta, mas precisam concluir a análise dos destaques e das emendas apresentados ao projeto. Após dois dos três deputados federais votarem a favor da lei que amplia a possibilidade terceirização nas empresas, lideranças do PDT gaúcho se revoltaram com a posição da bancada em Brasília. Agora, para as votações de amanhã, os três parlamentares pedetistas do RS dizem que irão restringir ao máximo a abrangência da lei.
O deputado Giovani Cherini garante que não mudou de opinião e quer esclarecer até onde pode se estender a atividade-meio. “Não é uma questão ideológica, é pela segurança dos trabalhadores que estão à mercê dessa regulamentação”. Segundo ele, as críticas deveriam ser encaminhadas ao Tribunal Superior do Trabalho. “Eles que criaram a lei, agora são contra.”
O pedetista Afonso Motta se diz sensível ao debate criado em torno do tema. “Fizemos esforço para que não entrasse na pauta, e votamos contra a urgência. Agora teremos posição bastante restritiva. Sabíamos das pressões que viriam”, declarou.
Para o deputado Pompeo de Mattos, presidente estadual do partido, o PDT teve coragem. “O primeiro voto que o PDT deu foi para desprecarizar os 12 milhões de trabalhadores terceirizados. E agora, na segunda rodada de votos, é para não permitir a precarização dos mais de 40 milhões formalizados. Não há trabalhadores mais importante que os outros”, afirmou, acusando a bancada petista de dar o “voto covarde” contra os trabalhadores terceirizados. “Demos a cara a tapa. Quem questionou, não entendeu, mas aos poucos vão compreender”, disse aos correligionários insatisfeitos.

Correio do Povo | Notícias | PDT-RS muda e agora é contra terceirização

11/04/2015

Terceirização, na prática

terceirizaçãoUm exemplo bem didático para se explicar a terceirização aconteceu esta semana.

Trabalhadores sindicalizados terceirizaram sua representatividade, mediante mensalidade, à Força Sindical. A Força Sindical terceirizou sua representação no Congresso ao Paulinho, do Solidariedade. O terceirizado sindical terceirizou a um funcionário seu, cujo salário é terceirizado aos cofres públicos, para apresentar sua primeira inciativa legislativa depois de muitos anos de parlamento: soltar ratos no Congresso. Conclusão, os trabalhadores filiados ao Força Sindical terceirizaram sua representação no Congresso Nacional a ratos. Faz todo sentido: quem se relaciona com ratos, ratos serão seus representantes.

Os inimigos dos trabalhadores estão nus. Os ratos roeram suas fantasias.

Para resumir o que significa a Força Sindical basta dizer que foi criada por Collor de Mello, para servir-lhe de base de sustentação em oposição à CUT. Seus finanCIAdores todos sabem quem são.

Roendo o pão que o Paulinho amassou, os filiados ao Força Sindical é que se chama de uma grande massa de manobra. Pior, dão mostras de sofrerem da Síndrome de Estocolmo. Como pode apoiarem um Sindicado que luta pela precarização das relações de trabalho, transferindo ao patrão direitos a duras penas conquistadas na democratização. Mesmo nos setores mais conservadores da classe média há um desconforto com a proposta levada a cabo por Eduardo Cunha. Fica ainda mais gritante o acinte quando se sabe que a mulher de Eduardo Cunha entrou contra a Rede Globo, de quem era funcionária, pelo fato de ter sido constrangida a se tornar pessoa jurídica para trabalhar como prestadora de serviço à Globo. Aliás, o que era uma prática dos grupos mafiomidiáticos tornou-se lei para a sociedade. Tomou-se um mau exemplo, uma prática ilegal, que a Justiça do Trabalho vinha reiteradamente condenando, em lei.

O que assunta, mais até do que a precarização das relações de trabalho, que devolve o Brasil ao período pré-república, é o fato de que isso só foi possível graças ao apoio, não do PSDB, DEM, SDD, mas do PTB e PDT. Estes dois últimos, se tivessem vergonha na cara tirariam o “T” da sigla. Trabalhador que ainda vota no PDT e no PTB bem que merece este pontapé na bunda. Quem não se valoriza, merece que seja tratado  com desprezo. Se tendo vencido Dilma, o Congresso ainda consegue impor uma derrota deste tamanho, imagine se Aécio tivesse ganho. Ao invés de Bolsa Família, o Congresso teria capacidade para aprovar até bolsa pó. O PSDB demonstrou, ao votar em peso pela terceirização, o quanto tem de respeito pelas relações de trabalho. Assim como terceiriza à imprensa a defesa de suas ideias, também terceiriza a responsabilidade social aos seus finanCIAdores ideológicos.

O que tudo isto prova é que a nossa sociedade, seja por ignorância seja por má fé, é muito conservadora.

Se está ruim com Dilma, imagine com Aécio Neves, onde o despudor seria a medida de todas as coisas. Construir aeroporto nas terras do Tio Quedo ou sumir com helipóptero com 450 kg de cocaína passaria a ser coisa de amador. Ele faria pó do Brasil, para consumo próprio.

20/03/2015

Saiba como o coronelismo eletrônico gaúcho conduz sua manada

A RBS apostou no cavalo do comissário, mas o candidato da casa caiu do cavalo

zhNa RBS, nunca há problemas nas gestões do PSDB. No Correio do Povo, independentemente de ser do Bispo ou do Papa, nunca há problemas envolvendo o PP. A RBS já foi aliada do PMDB, o Correio do Povo sempre esteve no PP. Há um ponto que põem Correio e RBS do mesmo lado: o inimigo morta PT. Até hoje só houve uma discórdia: a CRT. A proximidade da RBS com Antonio Britto levou a melhor. RBS  e Correio do Povo flutuam conforme a situação, ficam com quem pode bater o PT. Para ambos há três tipos de petistas bons: morto, fora do poder (vide as homenagens recentes ao Olívio Dutra), ou que sai do PT e começa a bater no ex-partido.

Há uma lógica que perpassa os dois grupos hegemônicos: tratar dos problemas locais, quando aliados ocupam o poder, como se fossem eventos da natureza, sem responsabilidade dos agentes. Hoje tem notícia a respeito do binário Borges de Medeiros x Praia de Belas. Há problemas, apontam, mas não cobram da administração municipal. Pegam um terceiro, professor da Unisinos, para analisar. Uma aluna da UFRGS foi abusada sexualmente no Parque da Redenção e, vejam só, maltratada na Delegacia da Mulher. Não, não é culpa do Governador, nem da Secretaria de Segurança. É culpa de quem decide política de segurança, do Governo do Estado. É fruto da mesma política que terminou mais cedo a operação golfinho e  com isso conseguiram alguns afogamentos em áreas que comumente, nos anos anteriores, havia salva-vidas.

Ninguém, nas duas empresas, ousa dizer algo porque concordam exatamente com a diminuição dos serviços públicos. É a tal de contenção de gastos que resulta no mau atendimento. Menos diárias para efetivos de segurança, menos segurança. Menos investimento no DMA, mais gente reclamando do mau atendimento e da péssima qualidade da água. Tudo isso não importa se forem governos que investem pesado em publicidade nestes grupos mafiomidiáticos.

Os funcionários das duas empresas são amestrados para criminalizarem os movimentos sociais e as vítimas. Salva-se aquele que aumenta o próprio salário e põe a esposa no cargo de Secretária. Quando decide parcelar o salário dos outros, o problema fica com a justiça. Não cobra de quem fez com que o problema chegasse à justiça.

Quando havia denuncias, e mesmo quando não havia, criminaliza-se a instituição PT. Por qualquer dá cá uma palha, fomentam ódio contra o PT. Veja-se o tratamento que agora dão ao envolvimento do PP gaúcho, todinho, no escândalo da Operação Lava Jato. E todos na RBS sabem que Ana Amélia Lemos foi candidata ao Governo do Estado pelo… PP. E que já era do PP de Pratini de Moraes quando este era Ministro da Agricultura no episódio das Saudações Aftosas… Aliás, Ana Amélia Lemos, enquanto funcionária da RBS e chefe da Sucursal de Brasília, detinha cargo no Senado onde seu falecido marido era senador biônico, vejam só, dos avôs do PP, a ARENA. É. A RBS não sabia de nada. Por isso pode até falar do fulano ou sicrano, mas jamais criminaliza o partido, como faz com o PT.

Agora confirma-se a cassação do Gilmar Sossella e a mesma forma de tratamento quando se trata de partido subalterno. A presença de Lasier Martins no PDT explica o tratamento brando. As relações com Vieira da Cunha dão força para que a notícia seja só uma nota de pé de página. Não criminalizam o PDT. Ninguém vai pedir fora PDT. Até porque a Prefeitura Municipal, com José Fortunati, se tornou um dos mais fortes aliados da RBS na especulação imobiliária de Porto Alegre.

O coronelismo eletrônico gaúcho tem no DNA cromossomas que o liga intimamente à criminalização dos movimentos sociais e ao favorecimento dos grupos que neles investem publicidade. Esse Macarthismo Gaudério tornou Pinochet mais popular no RS que no Chile. A RBS, com seu jornal Zero Hora, conseguiu uma façanha que mereceria o Guinness Book. Nunca sofreu censura durante a ditadura, mas foi apreendida pela Justiça, na Democracia. Caráter é tudo!

25/02/2015

Sossella e o modus operandi da mídia

Sossella não é petista. Se fosse, o partido estaria na manchete. O esporte nacional, como não conseguem derrotar no voto, é criminalizar o partido dos trabalhadores. Toda vez que um político adversário do PT é denunciado ou pego, aparece a pessoa física e escondido o partido. Quando alguém do PT é denunciado, primeiro criminalizam o partido. Não há exceção na velha mídia. O Instituto Millenium coordena a forma de tratamento. Quem primeiro assumiu este papel foi Judith Brito, depois a ANJ também abraçou. Quem acompanha as notícias por meio do coronelismo eletrônico, nem precisa ser simpatizante, basta ser inteligente para notar esta diferença de tratamento. Considerando que a velha mídia esteve a favor da ditadura, é até honroso não ser querido por ela. Contudo, há uma manada de desinformados e mal intencionados para serem amadrinhados, e é isso que os grupos mafiomidiáticos fazem. E o fazem, como se viu pela eleição do nepote de Caxias, muito bem.

Sossella se diz inocente e confirma que recorrerá ao TSE

Ex-presidente da Assembleia, deputado estadual teve o mandato cassado pelo TRE-RS

Sossella se diz inocente e confirma que recorrerá ao TSE | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

Sossella se diz inocente e confirma que recorrerá ao TSE | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

Por meio de sua página oficial no Facebook, o deputado estadual Gilmar Sossella manifestou-se sobre a decisão do TRE que cassou o seu mandato. Ele confirmou que irá recorrer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e garantiu que não fez nada de errado. O parlamentar segue no cargo enquanto não ocorrer o julgamento no TSE.
Sossella foi acusado de coagir servidores da Assembleia Legislativa para a compra de ingressos no valor de R$ 2,5 mil de um jantar de campanha. No julgamento no TRE gaúcho, cinco dos seis desembargadores votaram pela cassação do ex-presidente da Assembleia Legislativa.
Nota oficial de Sossella:
Meus amigos e minhas amigas.
Agradecemos pela solidariedade que estamos recebendo de todo nosso Rio Grande.
Sabedores que nada fizemos de errado e confiantes na Justiça, já estamos preparando, juntamente com nossos advogados, nossa defesa no sentido de recorrermos ao TSE.
Enquanto isso, seguiremos trabalhando normalmente, de cabeça erguida e sem parar, pelas causas que acreditamos e que visam melhorar continuamente a vida de todos os gaúchos.
Com fé em Deus e fortalecidos pelo carinho e apoio de todos, vamos em frente!

03/01/2014

Vieirinha, por que andas tão calado?

PerrelasnO melhor amigo de Aécio Never está em maus lençóis. O melhor termômetro disso é o estrondoso silêncio do vociferante Vieira da Cunha. O homem da RBS na CPI da Segurança, impoluto Varão dos Sirotisky, não usa de sua verborragia para defender o correligionário das alterosas. Nas mãos destes zelosos da honestidade alheia, o PDT está virando pó.

Procurador-geral pede a quebra de sigilo do senador Zezé Perrella

Rodrigo Janot quer retomar apuração contra político mineiro e o irmão dele

Ex-presidentes do Cruzeiro, os dois são investigados por suposta lavagem de dinheiro em venda de jogador

FERNANDA ODILLADE BRASÍLIA

A Procuradoria-Geral da República defende a quebra de sigilo bancário para aprofundar investigação contra o senador Zezé Perrella (PDT-MG) e o irmão de Perrella, Alvimar de Oliveira Costa, em inquérito que tramita no STF.

Ex-presidentes do time mineiro Cruzeiro, os dois são investigados por suposta lavagem de dinheiro na venda do zagueiro Luisão ao Benfica, de Portugal. A negociação envolveu um clube uruguaio e é considerada suspeita pela Polícia Federal, que indiciou Perrella em 2010 pelo caso.

A investigação se arrasta no Supremo Tribunal Federal desde 2011.

Dez dias depois de a polícia encontrar cocaína no helicóptero da empresa do filho de Perrella, embora tenha sido descartado qualquer envolvimento da família no caso, o inquérito voltou a andar.

O STF mandou o caso a Janot, que pediu que o ministro Ricardo Lewandowski reconsiderasse a decisão de não autorizar a quebra de sigilo bancário. A devassa foi suspensa após pedido do Cruzeiro.

Advogados do time, que também defendem o senador, alegam haver erros na petição do Ministério Público, e Lewandowski desautorizou parte da quebra do sigilo bancário e fiscal. Parte da movimentação das contas dos dois já havia sido analisada pela PF.

Em 2003, Luisão foi vendido por US$ 2,5 milhões ao clube uruguaio Central Español e logo em seguida repassado por cerca de US$ 1 milhão a menos ao Benfica. Investigadores suspeitam que parte do valor declarado na negociação com o time uruguaio voltou irregularmente ao Brasil e teria sido pulverizado em contas de empresas ligadas à Perrella e ao irmão dele.

29/11/2013

Acoca, Brasil!

Filed under: Acoca, Brasil!,Narcotráfico,PDT,PSDB,Zezé Perrela — Gilmar Crestani @ 9:05 am
Tags:

O PDT dos vociferantes gaúchos, abastecidos pelos dejetos tóxicos da RBS, estridam os dentes contra o PT, como fazem as hienas. Por que se calam agora? Acorda, Brasil! O helicóptero é do Perrella, a Fazenda é do Perrella, o combustível é do Perrella, o piloto é do Perrella, mas a cocaína não é de ninguém. Deve ser por isso que FHC é favorável a liberação das drogas…  Cadê o papo reto? Agora não quer conversar, Aécio?

E pensar que Lula foi tachado de bebum e esculachado porque tomava umas biritas…

Helicóptero do pó também foi abastecido pelo Senado

Edição247-José Cruz-Agência Senado / Lia de Paula-Agência Senado / Divulgação:

Colunista Ilimar Franco diz que despesas do aparelho do deputado de Gustavo Perrella, apreendido com quase meia tonelada de cocaína, foram pagas com verba da cota de atividade parlamentar de seu pai, o senador Zezé Perrella (PDT-MG); entre janeiro e outubro, Perrellinha gastou ainda R$ 14 mil da Assembleia Legislativa de Minas com combustível

29 de Novembro de 2013 às 07:22

247 – Além da descoberta de 450 kg de cocaína em seu helicóptero, foi revelado que o deputado Gustavo Perrella, usava verba da Assembleia Legislativa de MG para pagar o combustível do aparelho. O piloto Rogério Almeida, preso em flagrante com a impressionante carga da droga, também recebia R$ 1,7 mil da Casa, na qualidade de assessor do deputado Perrelllinha (leia aqui).

Agora, o caso chega ao Senado. Segundo Ilimar Franco, colunista do Globo, o pai de Perrellinha, o senador Zezé Perrella (PDT-MG), também usou verba da cota parlamentar para abastecer o helicóptero. Leia:

O Senado paga a conta

O helicóptero da empresa de Gustavo Perrella, filho do senador Zezé Perrella (PDT-MG), apreendido com quase meia tonelada de cocaína, foi abastecido com verba da cota de atividade parlamentar do pai no Senado. O ressarcimento de despesas de empresas de senadores ou de parentes até terceiro grau é proibida pelas normas da Casa. O Senado avalia pedir o reembolso desses gastos.

Helicóptero do pó também foi abastecido pelo Senado | Brasil 24/7

19/10/2013

Tiririca gaudério atira no público o que antes só fazia na privada

Filed under: Grupo RBS,Grupos Mafiomidiáticos,Lasier Martins,PDT,RBS — Gilmar Crestani @ 6:44 pm
Tags:

Depois de Antonio Britto, Yeda Crusius, Ana Amélia Lemos, RBS desova mais um.

Lasier Martins, cavalo de Tróia da RBS, começa com o pé direito na política, afinal está levando para o público o que fazia na privada. Tudo o que você precisa saber a respeito da desova anual da RBS já contei aqui! E o pior disso tudo é ver o PDT virar sigla de aluguel dos Sirotsky. Tão fazendo xixi no túmulo do Brizola, e fazendo o Caso Proconsult parecer armação do velho Briza…

Justiça acolhe pedido para retirada de vídeos da saída de Lasier Martins da TV

Procuradoria entendeu que jornalista realizou campanha extemporânea para o Senado

A Procuradoria Regional Eleitoral do Estado ajuizou nesta quinta-feira representação por propaganda eleitoral antecipada contra o jornalista Lasier Martins, contra o PDT e contra o Grupo RBS por considerar que a notícia do desligamento do comunicador para se candidatar ao Senado, veiculada no dia 7 de outubro, no programa Jornal do Almoço, configurou prática de propaganda eleitoral extemporânea.
Com a ação, a desembargadora Federal Maria de Fátima Labarrère determinou, em decisão liminar, que a Rede Globo e a Google do Brasil, que administra o Youtube, retire a referida propaganda dos endereços de internet. Os citados tem 48 horas para apresentar sua respectiva defesa.
O procurador regional eleitoral, Fábio Bento Alves, explica, na representação, a infração que o comunicador foi denunciado. “É de se destacar a gravidade da infração descrita, visto que a norma do artigo 36 da Lei das Eleições, ao estabelecer um marco inicial (06 de julho do ano eleitoral) para o início da propaganda de todos os candidatos, busca estabelecer a igualdade no processo eleitoral, princípio com sede constitucional e basilar no regime republicano. A infração objeto desta representação, além de ‘queimar’ a largada na corrida eleitoral de 2014, inviabiliza o contraditório, haja vista que os adversários políticos estão impedidos de realizar a contrapropaganda, sob pena de incorrerem na mesma infração.

A representação teve origem em manifestação do grupo Levante Popular da Juventude, que protocolou, no dia 10 deste mês, denúncia junto ao Ministério Público Eleitoral.
De acordo com o presidente estadual do PDT, Romildo Bolzan Júnior, o departamento jurídico da sigla já está à disposição do comunicador para realizar a defesa. O dirigente afirmou que acredita na reversão da decisão liminar concedida ontem. “Tenho certeza que no julgamento do mérito não restarão dúvidas de que ele não falou como candidato. Isso faz parte do jogo”, declarou. Segundo Bolzan, antes do comentário ser lido no ar, o texto teve análise e aprovação jurídica.

Correio do Povo | Notícias | Justiça acolhe pedido para retirada de vídeos da saída de Lasier Martins da TV

18/08/2012

Matando Brizola: o PDT virou isso, capacho das máfias midiáticas

Filed under: CPI da Veja,Miro Teixeira,PDT,Rede Globo de Corrupção — Gilmar Crestani @ 12:39 pm

No RS foi o Vieira da Cunha se a$$oCIAndo à RBS para atacar Olívio Dutra. Como prêmio, entrava ao vivo no Jornal Nacional durante a CPI da Segurança, criada para derrubar Olívio Dutra. Como diria o Aparício Torelly, também conhecido como Barão de Itararé, quem se vende sempre recebe mais do que vale… Agora o Fortunati, como Prefeito de Porto Alegre, sempre priorizou os interesses imobiliários da RBS. Em contrapartida, leva sua medíocre administração como se fosse o administrador do paraíso.

Brizola, que sempre lutou contra as máfias midiáticas, em especial sua carrasca, Rede Globo, deve estar se remexendo no túmulo. Capachos!

Em agradecimento, Veja presta tributo a Miro

Em agradecimento, Veja presta tributo a MiroFoto: Edição/247

Deputado que subiu à tribuna para evitar a convocação de Policarpo Júnior pela CPI do caso Cachoeira mereceu espaço de destaque na revista deste fim de semana: foi retratado como um dos principais defensores da liberdade de expressão no País; isso é que é gratidão

18 de Agosto de 2012 às 09:06

247 – No cálculo político do deputado Miro Teixeira (PDT-RJ), deve ter valido a pena. Na terça-feira passada, quando a CPI do caso Cachoeira discutia se deveria convocar ou não o jornalista Policarpo Júnior, editor de Veja, ele subiu à tribuna e foi o único a condenar o requerimento apresentado pelo deputado Doutor Rosinha (PT-PR) – amparado na evidência de que o jornalista solicitara ao bicheiro Carlos Cachoeira, especialista em grampos ilegais, que levantasse ligações do deputado Jovair Arantes (PTB/GO).

Os que pretendiam ver Policarpo na CPI perderam. Miro, além de ter ganho a disputa, também recebeu uma retribuição da revista Veja neste fim de semana. Na seção de frases da publicação, as três com maior destaque, com direito a foto bem editada no alto de página, são do deputado carioca. A elas:

“Quando vejo o líder do PT assumindo um discurso de restrição, de coação ao exercício da profissão de jornalista, me sinto no dever de falar. Estamos falando de um grande partido. É assim que começam os estados policiais.”

“É assim que começa um movimento, não é uma questão pessoal. Esse seria o primeiro, e outros virão atrás. A intimidação, a coação poderá ir até o plano estadual, ao plano municipal. A imprensa é a única entidade que investiga o poder. O resto é tudo chapa-branca.”

“O Brasil está se preparando para ser um estado policial como a Argentina. Querem correr atrás de quem grita ´pega ladrão´ao invés de pegar o ladrão”.

Miro Teixeira, que já era amigo das Organizações Globo, como foi na época em que esteve ministro das Comunicações, agora é também amici da Editora Abril.

O Brasil, na sua visão, estava prestes a se transformar numa ditadura apenas porque um jornalista, que mantinha relações íntimas com um contraventor especializado em grampos ilegais, falaria diante de uma CPI. Na Inglaterra, berço da liberdade, a editora Rebekah Brooks, uma das principais jornalistas do país, se tornou ré porque seu jornal, o já fechado News of the World, se envolveu em grampos ilegais. O dono, Rupert Murdoch, foi convocado e não escalou lobistas para evitar seu depoimento.

Lá, o parlamentar carioca não teria vez.

No Brasil, a imprensa deve ser livre até para grampear deputados como Miro Teixeira. (leia aqui reportagem anterior do 247 a respeito do caso)

Em agradecimento, Veja presta tributo a Miro | Brasil 247

14/08/2012

Com PDT, bandido tem defensor

Filed under: Andressa Mendonça,Bandidagem,CPI da Veja,Miro Teixeira,PDT — Gilmar Crestani @ 10:09 pm

 

A imprensa é livre para grampear Miro Teixeira?

A imprensa é livre para grampear Miro Teixeira?Foto: Edição/247

Deputado Miro Teixeira (PDT/RJ) se levantou contra a convocação de Policarpo Júnior, de Veja, alegando que, depois dele, outros jornalistas seriam coagidos. “Não querem pegar o ladrão, mas quem pega o ladrão”, disse. Num grampo oficial, Policarpo pede ao bicheiro Carlos Cachoeira que levante ligações de um deputado. Ou seja: à imprensa, tudo é permitido, inclusive grampear Miro Teixeira

14 de Agosto de 2012 às 20:39

247 – Policarpo Júnior, editor de Veja em Brasília, teve um aliado na sessão da CPI do caso Cachoeira que, nesta terça-feira, vetou sua convocação. Foi o deputado Miro Teixeira, ex-ministro das Comunicações no primeiro governo Lula, e que mantém boas relações com as Organizações Globo.Policarpo será o primeiro, mas depois isso aqui vai se tornar um estado policial. Isso aqui vai se tornar uma Argentina. Não querem pegar o ladrão, mas quem busca o ladrão", disse Miro, defendendo a não convocação do editor-chefe de Veja. "Chamo a atenção de cada jornalista deste país, dos meios de comunicação. É assim que começa um movimento, não é uma questão pessoal. Esse seria o primeiro, e outros virão atrás. A intimidação, a coação poderá ir ao plano estadual, ao plano municipal". Para Miro, a imprensa é a única entidade privada que investiga o poder. "O resto é tudo chapa branca".

Neste fim de semana, reportagem de capa da revista Carta Capital trouxe uma ligação telefônica em que Policarpo pede ao bicheiro Carlos Cachoeira que levante “algumas ligações” do deputado Jovair Arantes (PTB/GO), que concorre à prefeitura de Goiânia. E o bicheiro repassa a tarefa ao araponga Idalberto Matias, o Dadá, especializado em grampos ilegais e, portanto, clandestinos.

Pela lógica de Miro, Jovair deve se encaixar na figura do “ladrão”. Dadá e Cachoeira seriam integrantes da “entidade privada que investiga o poder”. Como Miro já foi ministro das Comunicações, onde se envolveu em algumas questões bilionárias, como a definição do padrão de televisão digital no Brasil e as disputas societárias do setor, não haveria nada de anormal se alguém decidisse, por exemplo, contratar espiões particulares para levantar suas informações financeiras e suas ligações telefônicas.

Passar essa história a limpo, na verdade, não significa implantar um Estado Policial no Brasil. E Policarpo Júnior, como jornalista de ponta da principal revista brasileira, deveria ser o primeiro interessado em comparecer à CPI para falar diante dos parlamentares.

Na Inglaterra, país livre, Rupert Murdoch falou diante de uma CPI. No Brasil, os parlamentares se acovardam diante de uma falsa liberdade de imprensa, que tem sido usada como instrumento de chantagem e extorsão.

A imprensa é livre para grampear Miro Teixeira? | Brasil 247

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: