Ficha Corrida

12/06/2015

Entenda porque as entidades médicas odeiam os médicos cubanos

caiadoTodo dia aparece alguma falcatrua perpetrada exatamente por quem deveria dar o exemplo. As entidade médicas, como o SIMERS, parecem ter adotado o método tucano de atacar para se defender. Em nível nacional, os médicos cubanos sofreram toda sorte de ataques. As entidades médicas que se aliaram aos políticos corruptos para atacar os médicos cubanos deveriam trocar Esculápio por Roger Abdelmassih.

A máfia de branco aparece quase todos os dias com o jaleco manchado de corrupção. Com professores como esse, não é de admirar que os novos médicos saiam da faculdades defendendo as mesmas práticas. Infelizmente, a mentalidade não é a de preparar pessoas voltadas aos cuidados da saúde, mas o de encher, a qualquer preço, as burras de dinheiro.

Manchete de O GLOBO é sintomática do que virou a medicina de mercado: ”Quinze médicos são denunciados por dia em São Paulo”. E assim fica fácil entender porque a máfia é contra a vinda de médicos melhores preparados para atenderem, gratuitamente, a população.

Precisamos de mais médicos e menos hipocrisia. O ódio da direita e dos seus profissionais da corrupção é notório e todo dia aparecem mais exemplos. Ronaldo Caiado, o modelo dos combatentes, recebeu uma avaliação demolidora de seu correligionário Demóstenes Torres: “uma voz à procura de um cérebro”. E no entanto é, para os sem noção, alguém a ser levado a sério.

 

Professor da UFSM é condenado por estelionato

Profissional tinha contrato de dedicação exclusiva como docente, mas atendia em consultório particular

Profissional tinha contrato de dedicação exclusiva como docente, mas atendia em consultório particular | Foto: Ítalo Padilha / Divulgação / CP Memória

Profissional tinha contrato de dedicação exclusiva como docente, mas atendia em consultório particular | Foto: Ítalo Padilha / Divulgação / CP Memória

A 3ª Vara Federal de Santa Maria condenou um professor da UFSM pelo crime de estelionato. De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF), ele exercia atividade remunerada em consultório particular enquanto era contratado para atuar, com dedicação exclusiva, como docente no Centro de Ciências da Saúde.
Segundo o MPF, o réu induziu a universidade ao erro ao obter autorização para eventualmente colaborar em assuntos da especialidade dele, quando, na verdade, pretendia atender como médico, fora do ambiente acadêmico. A prática se estendeu por cinco anos, conforme o processo.
O acusado se defendeu alegando que as consultas, realizadas em casa, eram esporádicas e autorizadas pelo Conselho Departamental de Microbiologia e Parasitologia da UFSM. Sustentou, ainda, que a renda extra declarada à Receita Federal, em um total de mais de R$ 200 mil, era decorrente de aplicações de vacinas em pacientes que, eventualmente, o procuraram.
O juiz federal substituto Gustavo Chies Cignachi entendeu que ficaram comprovadas a materialidade e a autoria do crime. Ele condenou o médico a dois anos e oito meses de reclusão em regime aberto. A pena restritiva de liberdade, porém, foi substituída pela prestação de serviços à comunidade – pelo período de uma hora para cada dia de condenação – e pelo pagamento do correspondente a 30 salários mínimos. Ele ainda deve restituir aos cofres públicos o valor do dano. Cabe recurso da decisão ao TRF da 4ª Região.

Correio do Povo | Notícias | Professor da UFSM é condenado por estelionato

16/03/2015

Por que será que são os brancos de olhos azuis que nutrem ódio às políticas sociais?!

Na imagem, formandos de Medicina da UFBA: na capital com maioria negra, procure um negro!

Medicina-UFBAParadoxal mas na capital onde há, proporcionalmente, o maior número de negros, as manifestações contra Dilma, Lula e o PT partiram exatamente da parcela branca, de olhos azuis. As manifestações pelas ruas de Salvador são auto explicativas. Trata-se de uma classe média conservadora, que odeia as políticas sociais.

As cotas raciais e as leis em benefícios às domésticas e das camadas mais necessitadas da população enlouquece quem sempre achou que o Estado era seu. Quer enlouquecer essa classe média, branca de olhos azuis, e olha que meu filho tem olhos azuis, fale que o Curso de Medicina da UFRGS será frequentado também por alunos oriundos das escolas públicas.

Antes, quase só pessoas oriundas de escolas particulares, cujo ensino custa caro, sei porque pago, chegava às universidades públicas. Por que quem estuda em escola particular não estuda em Universidade… Particular?

Ah, agora também nas Universidade Particulares há, graças ao FIES e PROUNI, alunos oriundos de escolas públicas, filhos das camadas sociais menos privilegiadas.

Torço para que meu filho de olhos azuis, que estuda em escola particular, possa cursar Universidade Pública ou Particular, em turmas com alunos das mais diversas cores e origens. A miscigenação é a cara do Brasil. Querer um Brasil com políticas destinadas apenas às camadas que sempre foram privilegiadas é coisa de gente com ascendência nazista.

Governo chama Gilmar às falas

Ministros reiteram necessidade da reforma política e do fim do financiamento empresarial de campanha.

Os ministros José Eduardo Cardozo, da Justiça, e Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral da Presidência, foram escolhidos pelo Governo para comentar as manifestações populares realizadas hoje (15) e na última sexta-feira (13).
Ambos respeitaram o caráter democrático das manifestações, rejeitaram qualquer tentativa de golpe e impeachment, e apontaram os caminhos a serem seguidos para combater a corrupção: reforma política e fim do financiamento empresarial de campanha. Além disso, novas medidas contra a corrupção serão anunciadas pela presidenta Dilma Rousseff.
O Supremo Tribunal Federal já rejeitou, por 6 votos a 1, o financiamento empresarial de campanha. O ministro Gilmar Mendes, por sua vez, pediu vistas e suspendeu a votação. Desde então o Brasil aguarda o voto de Gilmar, que segura a ação há quase um ano.
O ministro da Justiça ressaltou a necessidade de uma reforma política e do fim do financiamento empresarial nas eleições. “Um ponto deve ser debatido por todos os brasileiro: não é mais possível permitir o financiamento empresarial de campanhas eleitorais”, declarou José Eduardo Cardozo.
Rossetto reforçou a posição do Governo no combate à corrupção e deixou claro que o financiamento empresarial das campanhas é um grande elemento corruptor.
Durante a entrevista dos ministros, foram relatados panelaços em diversos bairros do Brasil, como Higienópolis e Moema, em São Paulo, e Leblon, no Rio de Janeiro.
Em tempo:
comentário de Rodrigo Vianna no Twitter:
210 mil em SP (diz Folha), 5 mil no Rio, 25 mil em BH, 20 mil em POA, 10 mil em Curitiba. Nao chega a 500 mil! Kamel quer apavorar vcs!
João de Andrade Neto
, editor do Conversa Afiada

Governo chama Gilmar às falas | Conversa Afiada

26/08/2013

Melhor que importar médicos seria importar o tipo de formação

Filed under: Cuba,Médicos Cubanos,Medicina — Gilmar Crestani @ 9:10 am
Tags:

 

O espírito da medicina cubana

Diario do Centro do Mundo 26 de agosto de 2013

Num momento em que se debate tanto se vale a pena ou não importar médicos de Cuba, o Diário faz um mergulho no tema.

Estudantes americanos formados pela aclamada Escola de Medicina América Latina

Estudantes americanos formados pela
aclamada Escola de Medicina América Latina

O que a Grã-Bretanha pode aprender com o sistema médico de Cuba?

Assim começou uma reportagem de um dos mais prestigiosos programas jornalísticos britânicos, o Newsnight, da BBC.

Uma equipe do programa foi enviada a Cuba para entender por que é tão comum o “olhar de admiração” sobre a medicina cubana.

O Diário selecionou trechos que jogam luzes sobre um tema que vem despertando discussões apaixonadas no site e fora dele: a questão da importação de 6 000 médicos cubanos para trabalharem em áreas remotas no Brasil.

O relato do Newsnight foi acrescido de trechos do relatório de uma visita de integrantes do Comitê de Saúde do Parlamento britânico. Da mistura surgiu um retrato da saúde de Cuba.

Bom proveito.

“A lógica subjacente do sistema cubano é incrivelmente simples. Em razão principalmente do bloqueio econômico americano, a economia cubana continuamente sofre.

Saúde, no entanto, é uma prioridade nacional, por razões em parte românticas : Che Guevara, ícone do Partido Comunista, era médico. Mas muito mais por pragmatismo: a saúde admirável da população é certamente uma dos principais razões pelas quais a família Castro ainda está no poder.

A prioridade em Cuba é impedir que as pessoas fiquem doentes, em primeiro lugar.

Em Cuba você recebe anualmente a visita de um médico. A idéia não é apenas verificar a sua saúde, mas ter um olhar mais amplo sobre seu estilo de vida e o ambiente familiar. Essa visita é feita de surpresa, para ser mais eficiente.

Os médicos estão espalhados por toda a população, e o governo lhes fornece habitação, bem como às enfermeiras.

A expectativa de vida em Cuba é maior do que a dos Estados Unidos. A relação médico-paciente ser comparada a qualquer país da Europa Ocidental.

Há em Cuba um médico por cada 175 pessoas. No Reino Unido, é 1 por 600 pessoas.

Cuba dá ênfase à formação generalista. O currículo foi alterado na década de 80 para garantir que mais de 90 por cento de todos os graduados completem três anos em clínica geral.

Há um compromisso com o diagnóstico triplo (físico / psicológico / social). Os médicos são reavaliados frequentemente.

Também chama a atenção a Policlínica – uma engenhosa invenção que visa proporcionar serviços como odontologia, pequenas cirurgias, vasectomias e raios-X sem a necessidade de uma visita a um hospital.

Cada Policlínica  tem uma série de especialistas (pediatria, ginecologia, dermatologia, psiquiatria) que resolvem boa parte dos problemas de saúde das comunidades e assim reduzem a necessidade de busca de hospital. Com isso, a lista de espera nos hospitais é quase inexistente.

Todos os lugares que visitamos eram geridos por profissionais da saúde (médicos e enfermeiros).

Fizemos uma visita à Escola de Medicina América Latina, onde médicos estagiários  de todo o mundo -  muitos deles, para nossa surpresa, americanos –  recebem treinamento à moda cubana.

E nos deparamos em nossa visita com  pequenos detalhes que podem fazer uma grande diferença: pelotões de aposentados se exercitando todas as manhãs nos parques de Havana.

Apesar de os hospitais não serem equipados com o nível de TI encontrado no Reino Unido, por causa do bloqueio americano, os profissionais de saúde têm uma paixão por dados e estatísticas que eles usam com freqüência para fins de governança na saúde.

O contexto da revolução cubana e as estruturas sociais desenvolvidos localmente levaram ao envolvimento contínuo do Estado no sistema de saúde. Isto é visto não como a cereja no topo do bolo, mas como uma parte muito importante do próprio bolo.

O espírito da medicina cubana | Diário do Centro do Mundo

09/06/2013

Como dizem os reservistas da medicina, “não se faz saúde sem médicos cubanos”…

Filed under: Medicina — Gilmar Crestani @ 8:38 am
Tags: ,

O problema dos conselhos regionais e nacional de medicina é que eles só pensam corporativamente, no bolso. De um médico sempre se espera que pense em saúde e em salvar vidas, inclusive a dos outros… Como dos que não têm acesso a médicos. Mas a mentalidade moldada à moda da Veja faz parecerem profissionais da idade da pedra, pelo menos que são contra a vinda dos médicos cubanos.

MEDICINA

Hospitais buscam médicos para urgências e negócios

Brasil tem mais de uma vaga para cada aluno que termina a graduação

COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

O Brasil tem hoje mais vagas de primeiro emprego para médicos do que profissionais formando-se na universidade nessa área.

Dados do Censo da Educação Superior do Inep (órgão ligado ao Ministério da Educação e responsável por avaliações de ensino) e da Relação Anual de Informações Sociais indicam que, em 2011, os 12.982 médicos recém-formados no Brasil tinham à disposição 18.722 vagas de primeiro emprego (taxa de 1,44 vaga por profissional). Em 1994, o índice era de 0,76.

"O que se observa é a melhoria na empregabilidade da categoria, formalização do trabalho e quase inexistência de desemprego", diz o Ministério da Saúde, em nota.

De acordo com Francisco Balestrin, presidente do conselho de administração da Anahp (Associação Nacional de Hospitais Privados), a procura por médicos é generalizada, mas existe uma forte demanda principalmente por profissionais com formação no atendimento de urgências e plantonistas de pronto-socorro (de áreas como cirurgia, clínica geral e neurologia). Esses profissionais ganham entre R$ 1.500 e R$ 2.000 em um plantão de 24 horas.

Isso acontece pelo maior acesso da população a planos de saúde e, consequentemente, a hospitais privados.

O número de atendimentos nessas instituições cresce entre 10% a 15% ao ano, segundo a Anahp.

Como muitos desses atendimentos exigem a realização de exames, outra área com busca intensa por profissionais é a radiologia.

"Nego propostas de emprego o tempo todo. A procura é feita por e-mail e também em eventos e congressos", diz a médica radiologista Ingrid Aguiar Littig, 29, que tem o título de especialista há apenas um ano e meio. Ela trabalha no grupo Fleury fazendo diagnósticos por ultrassom.

De acordo com Emerson Gasparetto, diretor-executivo do grupo Dasa, dono de laboratórios como Lavoisier, há uma carência preocupante de radiologistas no Brasil ""especialmente de ultrassonografistas.

NEGÓCIOS

Outra demanda dos hospitais hoje é por especialistas em gestão, para postos administrativos e de comando.

Raphael Revert, gerente da área de saúde da consultoria Michael Page, afirma que o setor procura médicos com conhecimentos de gestão, administração ou finanças. Ele recomenda que o profissional que queira trabalhar na área administrativa de um hospital faça MBAs e cursos de pós-gradução (há modalidades específicas em gestão hospitalar).

Já para os que são formados em administração, é recomendável que adquiram algum conhecimento na área de saúde.

"Para entrar nessa área, é preciso ter sensibilidade. O administrador não pode se esquecer de que seu cliente é também um paciente ""ele está lidando com vidas."

Para ele, é justamente por causa da "visão humana" dos profissionais da saúde que os hospitais privados tendem a preferir um médico a um administrador em cargos de comando. Mas há cada vez mais espaço para administradores entrarem no segmento.

"O mercado vem se profissionalizando muito e permitindo essa abertura", diz Thiago Medeiros, gerente da consultoria Manpower.

A carreira é atrativa –um administrador de um hospital particular de grande porte ganha cerca de R$ 45 mil por mês. Caso seja uma clínica menor, o salário é de aproximadamente R$ 20 mil. (ANA MAGALHÃES)

28/05/2013

Quem disse que Copa é só derrubada de árvores?

Filed under: Copa 2014,Dilma,Medicina,Saúde — Gilmar Crestani @ 8:07 am
Tags:

Dunga elogia medicina brasileira e destaca a prevenção em novo centro de traumatologia e medicina do esporte

Com ampliação da área, Hospital Mãe de Deus se credencia a representar Porto Alegre na Copa

Dunga elogia medicina brasileira e destaca a prevenção em novo centro de traumatologia e medicina do esporte Félix Zucco/Agencia RBS

Saul Berdichevski (diretor médico do Grêmio, à esquerda), o técnico colorado Dunga, o vice-governador Beto Grill e o médico responsável pelo Instituto, Félix Drummond Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Uma nova área, mais ampla, capacita o Hospital Mãe de Deus a se credenciar como centro de excelência em traumatologia e medicina do esporte, em Porto Alegre, para a Copa de 2014. A inauguração da ampliação — que atende às exigências da Fifa — ocorreu na noite desta segunda-feira, no auditório do hospital, no bairro Menino Deus, na Capital.
Dunga, técnico do Inter, esteve presente, e elogiou a medicina brasileira.
— Na minha época, a medicina já era importante, já tinha questões como suplementos etc. Hoje, mais do que nunca, o Brasil é top. A prevenção é cada vez mais importante, já que temos menos tempo de pré-temporada e exige-se mais dos atletas — disse o treinador.
A estrutura recém-inaugurada foi duplicada e terá capacidade para atender em torno de quatro mil pacientes por mês, em salas para avaliação física e consultório de avaliação, além de fisioterapia e pilates, com serviços 24 horas.
— Com essa nova estrutura, resolvemos todo o problema do paciente em nossa própria unidade e ganhamos mais agilidade para encaminhar para o bloco cirúrgico, por exemplo — declarou o médico responsável pelo Instituto de Traumatologia, Sérgio Hennemann.

ZHESPORTES

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: