Ficha Corrida

22/02/2016

Abuso de confiança

Midia DesonestaOs crimes praticados pela velha mídia se equiparam aos crimes praticados no seio das Igrejas: a pedofilia dos padres aos quais foram entregues por confiança crianças e jovens se equivale ao abuso praticado pelas concessões públicas, o monopólio mafiomidiático. Diversamente da pluralidade das religiões que abusam da confiança nelas depositada, no Brasil temos apenas cinco famílias que monopolizam os negócios da informação: Civita, Frias, Mesquita, Marinho & Sirotsky. E não é demais repetir, são concessões públicas, portanto, deveriam zelar por um bem público.

Como se dá o crime no lumpenjornalismo?

Iguais ao bandido grego, Procusto, as cinco irmãs estendem suas vítimas na cama de seus interesses. Jogar simplesmente a culpa no patrão é o mesmo que fizeram os subalternos de Hitler, muito bem demonstrado nos livro “Os carrascos voluntários de Hitler”. Com o agravante de que os jornalistas têm a opção, já aqueles que extrapolavam as medidas da cama de Hitler perdiam, literalmente, a cabeça.

Não me iludo com o repentino reaquecimento do caso Miriam Dutra. O reaparecimento de FHC atende apenas e exclusivamente ao objetivo de servir de álibi para a caçada ao Lula. FHC é candidato a presidiário; Lula é pré-candidato para 2018. Pouco importa se Bumlai é amigo de Lula e que Fernando Lemos e Jorge Bornhausen não sejam amigos de FHC, ou que Zezé Perrella já não é mais amigo de Aécio Neves. O povo que não come pelas mãos dos bandidos mafiomdiáticos já percebeu a manipulação grosseira dos golpistas paraguaios.

Nem ao mais beócio dos jornalistas faleceria o entendimento de que estão indo, para usar um termo caro à Escola FHC de bandidagem, muito além do “limite da responsabilidade”. E o objetivo é de uma clareza meridiana: impedir uma nova candidatura do grande molusco. Não precisa ser inteligente, basta não ser burro nem safado para entender que o reaparecimento do caso Miriam Dutra é extemporâneo e serve apenas para vender aos incautos o balcão do MPF de que pau que bate em Chico também bate em Francisco. O assunto Miriam Dutra é mais velho que Matusalém. Então, por que só agora?!

Fica por demais evidente quando mantém o foco na moça. E a Rede Globo? Qual é a participação da Rede Globo nesta armação ilimitada? E a famiglia Bornhausen da Brasif, quando lucrou nesta parceria de cama, mesa e banho?

Será que  Rede Globo não sabia de nada?! A fonte de abastecia a funcionária na Espanha é mesma que financia a compra de estatuetas para capturar mariposas?!

Por que nunca interessou ao MPF a captura do governo FHC, via Miriam Dutra, pelas Organizações Globo? Seria pelas mesmas razões que levam o MPF a fazer novas parcerias, via vazamentos seletivos, com os mesmos grupos mafiomidiáticos. Esses procuradores da Lava Jato são daltônicos? Só viam a cor do subsídio mas nada da vênus platinada?! De repente, viraram arautos do combate à corrupção e caçadores de obras primas: Lula e sua ousada determinação de instituir políticas sociais reconhecidas mundialmente. Nesta Belíndia, com forte apoio midiático, os procuradores da Bélgica se insurgem para manterem as castas da Índia.

Desde o início pressenti que o combate à corrupção dos movimentos orquestrados pela velha mídia tinham por objetivo combater a concorrência à corrupção. Pior, os pretextos não passam de cortina de fumaça para que pudessem voltar a roubar não só impunemente mas com o apoio despudorado dos que, ao longo da própria história, se locupletaram com a corrupção: a velha mídia.

As recentes decisões apontam para inimputabilidade do PSDB. Aécio Neves figura na mesa dos inocentes. A justiça acaba de passar uma camada de teflon nele. Toda vez que virem notícia da apreensão de menores com maconha lembrem-se: um helipóptero com 450 kg de cocaína virou pó…

Todos os golpistas que querem derrubar Dilma estão envolvidos em corrupção. A começar por populares e até pessoas pessoas próximas da gente. Quem dá atestado médico falso; quem sonega; quem recebe mais créditos no cartão de estacionamento mais do que lhe é devido e não devolve; quem estaciona em lugar de deficientes ou idosos; quem fura fila; quem altera nota fiscal; quem altera recibo médico; quem busca atestado falso para não trabalhar: todos são tão ou mais corruptos do que aqueles que alegam combater. E quem não conhece estridentes combatentes da corrupção alheia que não tenha incorrido nestes atos de corrupção?!

Agora vejamos o decálogo dos famosos arautos do combate à corrupção:

1) famiglia Marinho: os donos da Rede Globo compõem, segundo a Forbes, a família mais rica do Brasil. Se há mérito no que conseguiram,também é verdade que alcançaram graças à parceria que fizeram com os ditadores e capturando FHC viam Miriam Dutra. Quando não encontraram governo útil aos seus propósitos, partiram para o golpe pura e simplesmente. A sonegação descoberta relativamente às copas de 2002 e 2006 é apenas a cereja do bolo. A parceria com a Time-Life é o registro da longevidade da parceria com a corrupção. O documentário Muito Além do Cidadão Kane está aí para provar. Os Escândalos da Parabólica e da Proconsult dão uma pálida ideia até onde vai o comportamento mafioso.

2) famiglia Frias: os combativos donos da Folha de São Paulo não só apoiaram a ditadura como emprestavam suas peruas para transportarem os corpos destroçados dos presos políticos. A comissão da verdade provou que eles também participavam, pelo menos como assistentes, das sessões de tortura. Como sabemos, eles não se contentavam em prender quem pensava diferente. Mas se compraziam em prender, torturar, estuprar, esquartejar e depois escondiam os corpos dilacerados nas valas clandestinas do cemitério de Perus, em São Paulo. A Rede Globo que tanto acusa o BNDES agora foi apontada pela Miriam Dutra de ter se beneficiado, via FHC, de empréstimo subsidiado. O tCU não viu nada, nem a PF nem o MPF. Para a Rede Globo, o BNDES é quem “faz a diferença”…

3) famiglia Mesquita: o Estadão que ajudou a ditadura, voltou-se contra ela quando já não podia fazer nada. A mesma família que constantemente busca criminalizar a Lula e seus filhos, jamais respondem pelo crime que seu chefe de Redação, Pimenta Neves, cometeu. Como sabemos, os assédios morais e sexuais sobre Sandra Gomide ocorriam nas barbas dos impolutos Mesquitas.

4) famiglia Sirotsky: como filial da Rede Globo, a RBS está envolvida até a medula na Operação Zelotes. Como o PSDB, a RBS parece também ser inimputável. Aliás, a parceria da RBS com Augusto Nardes lembra outra parceria de maior espanto da Rede Bunda Suja, aquela com Antonio Britto que lhe rendeu, de mão beijada, a CRT.

5) famiglia Nardes – Augusto Nardes está na Zelotes, aliás, como todo o PP gaúcho está na Lava Jato.

6) famiglia Cedraz – que faz dobradinha com a famiglia Nardes no tCU!

7) famiglia Capez – fraudando a merenda escolar na Capitania Hereditária do PSDB.

8) familia PSDB – desde a fundação afundando o Brasil. Desde FHC, Mário Covas, José Serra, Cássio Cunha Lima, Yeda Crusius, Beto Richa, todos inimputáveis, como a famiglia Corleone. Luciana Cardoso encabeça uma réstia de alho de uma famiglia dada ao emprego sem trabalho. Antes dela Aécio Neves, com 17 anos e estudando no RJ, tinha cargo em Brasília. Agora esta da irmã da Miriam DutraMargrit Schmidt é a verdadeira face da cruza da meritocracia com o choque de gestão vendido pela mídia como sendo filosofia do PSDB… Fernando Lemos e Fernando Gouveia fazem parte da mesma constelação.

9) famiglia MPF – esses procuradores arrotando combate à corrupção e que já recebiam seus subsídios religiosamente nas duas gestões FHC deveriam devolver o que receberam por falta não justificada. É dinheiro mal havido. Que os políticos de qualquer matiz façam o discurso que quiserem para derrotarem seus adversários é da regra do jogo, que procuradores arrotem prepotência com tamanho rabo preso é de uma desfaçatez sem precedentes. De regra, são seguidores de Geraldo Brindeiro, como Rodrigo de Grandis ou Douglas Kirchner: criminalizam seus adversários ideológicos como cortina de fumaça para encobrirem seus partidários.

10) famiglia Marcola – bem, aqui entram Marcola, o heliPÓptero e toda sorte de facínoras que tem assento nas conversas com golpistas sem serem incomodados pela mídia. Pode-se incluir toda pena de aluguel, aquelas que gozam com o pau do patrão. Como o bandoleiro mitológico Procusto, desde que caiba na cama dos golpistas qualquer bandido é bom. Pode-se ter assento com bandidos, aos quais é dado o benefício da dúvida. Só não há dúvida quando se trata de criminalizar Lula. Aí, até transportar uma caixa de isopor com cerveja vira motivo para criminalizar. Na famiglia do Marcola entram todos os fascistas padrão FIFA que vestem a camisa com escudo da CBF para pedir ditadura e defender a sonegação. Entra Eduardo CUnha e sua trupe de Kim Kataguiri Brasil afora. Entra a Lista Falciani do HSBC. Entram todos os que o noticiário deixa de fora de seus ataques, cujo silêncio grita mais alto.

24/12/2015

Falha de São Paulo

fsp 24122015Neste ano de 2015, muitos foram os problemas enfrentados por todos os governos estaduais. Quase todos ganharam manchetes negativas da Folha, nenhuma contra o PSDB. E não faltaram motivos.

A começar pelo racionamento d’água em São Paulo, que nas internas a Folha chamou de crise d’água, e assim a Folha terceirizou a culpa ou a São Pedro ou ao PT. Da mesma sorte, não faltaram problemas no Paraná, onde a parceria do Beto Richa com Fernando Francischini conseguiram uma façanha de violentarem mais de 200 professores. Nenhuma capa incriminadora.

Voltando a São Paulo, violência contra alunos. As milícias treinadas pelo PCC e a serviço do soldado da Opus Dei baterem sem dó nem piedade nos alunos que se manifestavam contra o fechamento de suas escolas. Unindo as duas ações não estava apenas a mesma sigla, mas também o mesmo método e com o mesmo sentido: atingir de forma implacável que as pessoas tenham acesso à informação. O PSDB demonstrou com estas ações que odeia quem tenha discernimento.

O retrocesso educacional é uma política de estado do PSDB pelo menos desde que FHC ocupou por dois mandatos o Governo Federal. Todos os que não sejam completos midiotas amestrados devem saber que foi FHC que proibiu a criação de Escolas Técnicas, impediu a renovação das Universidades e impôs o PDV. Com o dinheiro economizado, investiu no PROER. No RS, Yeda Crusius, que conseguiu o pior governo que este Estado já teve, tentou fechar, com a parceria da RBS, a UERGS, criada pelo Olívio Dutra.

As tentativas de destruir as instituições que podem melhorar o país contaram sempre com as bênçãos da Veja, Folha, Estadão, Rede Globo & RBS. Estas cinco irmãs se fundem e se confundem ideologicamente com o PSDB. Se acham escolhidos por direito divino para conduzirem os destinos do Estado, por isso nunca perdem uma eleição: pra velha mídia e o coronelismo do PSDB e aliados ou eles ganham ou são roubados. Não é sem motivo que ao longo de mais de 20 anos de PSDB em São Paulo a única iniciativa que não mudou foi o de distribuir milhares de assinaturas da Veja, Folha, Estadão para as escolas públicas.

E para se colorarem no governo se unem e com eles toda sorte de milícias. Eduardo CUnha, por exemplo, não passa de um chefe de milícia. A mesma milícia que atacou Guido Mantega e agora Chico Buarque, um bando de desocupados que são diuturnamente excitados pela mídia golpista. Nem as famigeradas milícias da SS ou do fascismo usaram de tanta violência contra pessoas honestas. Ninguém viu eles molestarem bandidos como Marcola ou o próprio Eduardo CUnha. No entanto, a velha mídia preferiu jogar seu manto protetor aos fascistas e responsabilizou a vítima, Chico. Como sempre, os jornais ficaram ao lado dos bandidos.

A manchete da Folha desta véspera de Natal explica o critério que norteia o jornalismo dos Frias. Ataca e busca denegrir, nem importa se com ou sem razão, o Rio de Janeiro. Por quê? Por que o Rio de Janeiro jogou ao mar Eduardo CUnha. O PMDB do Rio abandonou o arauto da moralidade que subia aos píncaros da glória com sua louca cavalgada para tirar Dilma e colocar em seu lugar o Napoleão das Alterosas. Bastou aos peemedebistas do Rio tirarem os votos do Eduardo Cunha que a Folha se volta contra o Rio. Não fossem estes motivos, a Folha teria dado o mesmo tratamento nem digo aos governos de São Paulo e Paraná, mas ao governo do RS. Também o Tiririca Gaudério é peemedebista como Pezão. A diferença está em que José Ivo Sartori, como todo ventríloquo da RBS, esteve e, diferentemente de Pezão, está com Aécio Neves.

Nem todo mundo é um midiota que compra versão pronta e acabada. Antes de engolir tudo o que estes grupos mafiomidiáticos tentam nos impingir como oráculos temos de nos lembrarmos que eles sempre estiveram ao lado da plutocracia e contra os avanços sociais. Eles não praticam jornalismo, mas lumpenjornalismo. Os Associados do Instituto Millenium, como a SIP, têm uma única preocupação: manter o controle do Estado para garantir enriquecimento e poder, não necessariamente nesta ordem.

04/09/2015

Sartori é a CUnha da RBS no do gaúchos

sartoriA história se repete como farsa, mas só quando o inquilino do Piratini é um ventríloquo da RBS. A estratégia de achincalhar as partes mais frágeis não é novidade. Foi assim com Antonio Britto, com Rigotto e com Yeda Crusius. Em todos estes governos títeres da RBS a estratégia foi a mesma. Até na violência. Mas uma violência seletiva, somente contra os párias da sociedade. Não há violência, por exemplo, contra os que sonegam bilhões, como mostra a Operação Zelotes. Duvido que a Brigada Militar seria orientada para atirar pelas costas do que estão na Zelotes, no CARF, na Lista Falciani do HSBC.

Quando um deputado diz que os servidores públicos são vadios está legitimando a violência. Além de sofrerem com o corte dos salários também são violentados na sua dignidade. O RS está infestado de cafajestes como este porque contam com a complacência da RBS. Há exemplos saídos das fileiras da RBS como o Luis Carlos Prates, mas há outro, o Luis Carlos Heinze que nada deixa a desejar ao xará da RBS. O PP gaúcho está inteiro na Lava Jato, mas a RBS não cobra explicações de sua funcionária, Ana Amélia. O PMDB de Sartori é o mesmo do Eduardo CUnha, a RBS não faz esta relação. Isto é, não criminaliza nem o PP, nem o PMDB, mas criminaliza o PT. Mas eles conseguem atribuir ao Tarso Genro patifarias do Sartori…

Infelizmente, a RBS deita e rola pra cima de seus midiotas. Cabresteia e leva de roldão, a ponto de ter, sozinha, dois senadores: Ana Amélia Lemos e Lasier Martins. Ambos parceiros do Tiririca da Serra, mas também do Napoleão das Alterosas. Direito deles, o problema é a passividade bovina da manada gaúcha. A forma como a RBS se imiscui na Feira  Agropecuária de Esteio e no acampamento do Parque da Harmonia, endeusando o latifúndio e justificando que a peonada se contente com galpões é uma forma de livrar a casa-grande de culpa.

A estratégia da violência, violência em todos os sentidos, é a mesma. Até no assassinato. A RBS tem sido a grande incentivadora da criminalização dos movimentos sociais, exceto quando o movimento social veste camisa da CBF  e pede a volta da ditadura, a derrubada de um governo recém eleito.

O assassinato pelas costas do trabalhador sem terra, Eltom Brum da Silva, foi tratado pela RBS como “um mártir para o MST”. Novamente a estratégia da violência, seja contra os servidores públicos, seja contra jovens da periferia, é posta em prática. Como o colono Brum, agora o assassinato, também pelas costas, do jovem Ronaldo Lima evidencia uma ideologia da violência que toma proporções sempre que lumpenjornalismo movimenta seus ventríloquos. Para os desavisados e midiotas convém lembrar que as forças que estão no governo do Estado estiveram unidas entorno de Aécio Neves no RS. Inclusive a RBS. Agora imagine se a Dilma ou Pimentel em Minas ou Haddad em São Paulo adotasse a tática de criminalizar os pobres para resolver o problema dos ricos, o que aconteceria?!

A alegação de que o jovem assassinado teria envolvimento com tráfico não é só uma imbecilidade como uma tremenda hiPÓcrisia. Até porque já tivemos governador notório consumidor de cocaína. Outro, também eleito devido aos favores da RBS, também tinha irmão envolvido com coca. Vamos dar de boa que o jovem de fato tivesse algum envolvimento com drogas. É lá isso motivo para ser assassinado, desarmado, pelas costas? O que tem de ficar claro nem é a culpa do assassino, mas do mandante, a violência como método contra pobres. A hipocrisia fica evidente quando se vê o tratamento que é dado com os traficantes são aliados da mídia, como o caso do helipóptero com 450 kg de cocaína. Não houve assassinato, tiroteio, polêmica. A notícia virou pó. Ninguém quer mais saber quem estava por trás porque certamente não era um jovem de periferia. O assassinato é analisado na Zero Hora como “política linha dura”. Por que não há a dureza com os parceiros da RBS na sonegação?!

Não nos esqueçamos, a estratégia da violência no desgoverno Yeda Crusius guindou o Cel. Mendes ao posto de julgador no Tribunal Militar…

EXTRA.. EXTRA… EXTRA! CRISTALVOX DESCOBRIU O QUE ANA AMÉLIA FARIA SE FOSSE GOVERNADORA

By jloeffler – On 03/09/2015

Leudo Costa 3 de setembro de 2015 Uncategorized

Sessão solene conjunta do Congresso Nacional para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 5 de junho.
Em discurso na tribuna do plenário do Senado, senadora Ana Amélia (PP-RS).

Sessão solene conjunta do Congresso Nacional para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 5 de junho.

Em discurso na tribuna do plenário do Senado, senadora Ana Amélia (PP-RS). Sessão solene conjunta do Congresso Nacional para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 5 de junho. Em discurso na tribuna do plenário do Senado, senadora Ana Amélia (PP-RS).
O jeito de Governar de Tarso Genro, o Rio Grande conhece. Gerou o caos! Sartori que venceu a eleição não consegue sair do chão. A cada hora, a cada dia uma incerteza, um recuo e uma explicação repetida. Mas se, se, Ana Amélia fosse a governadora o que faria?

Cristalvox descobriu as ações imediatas de AA numa postagem nofacebook de seu chefe de gabinete, se porta-voz e seu melhor confidente…

Leia o que Marco Aurélio Ferreira postou..

Marco Aurelio Ferreira 9 h ·

O Governo do RS poderia ter deixado de nomear tantos CCs ou ter entrado com uma liminar para garantir os salários dos servidores, que têm preferência sobre a dívida; poderia ter usado maior parte dos depósitos judiciais ou apresentado um refinanciamento de dívidas de ICMS com financiamento bancário e garantias de quem deve; poderia propor a venda dos milhares de imóveis do estado obsoletos e abandonados ou destravar centenas de Projetos de investimentos parados na Fepam. Poderia entrar num embate contra a União e exigir créditos da Lei Kandir e o refinanciamento da dívida ,poderia ter proposto cortes e novos rumos, mas preferiu somente o atraso dos salários e o aumento de impostos… Conseguiu unir contra suas medidas a sociedade e os servidores, pois todos se sentem prejudicados.

Quer que o Cristalvox explique ou desenhe?

Copiado de: http://cristalvox.com.br/

Praia de Xangri-Lá | Saiba tudo o que REALMENTE acontece em Xangri-Lá

12/05/2015

Homenagem a Jorge Pozzobom

Filed under: Jorge Pozzobom,Lumpenjornalismo,Poder Judiciário,PSDB — Gilmar Crestani @ 9:54 am
Tags:

Quando Jorge Pozzobom revelou a promiscuidade que o beneficia, não estava falando só de si. O PSDB, com revelou a Folha em editorial, é rotineiramente beneficiado, seja pelos Engavetadores Gerais, do tipo Rodrigo de Grandis, Gilmar Mendes e Assas JB Corp, sem contar os praticantes do lumpenjornalismo que fazem às vezes de porta-vozes partidários.

Paulo Batista: O juiz parceiro

publicado em 30 de abril de 2015 às 09:01

Captura de Tela 2015-04-17 às 11.03.32

Paulo Batista: O juiz parceiro – Viomundo – O que você não vê na mídia

11/05/2015

Lumpenjornalismo

Filed under: Lumpenjornalismo,Manipulação,Procusto — Gilmar Crestani @ 9:33 am
Tags:

OBScena: flagrante de produção jornalística

ProcrustoO Fernando Brito, do blog Tijolaço, revisitou o termo criado por Carl Marx, Lumpenproletariat, que significa “seção degradada e desprezível do proletariado”, de lump ‘pessoa desprezível’ e lumpentrapo, farrapo’ + proletariatproletariado’. Brito fala da lumpenburguesia, “as franjas degeneradas e desprezíveis da própria burguesia”. Eu mesmo conheço alguns que dão nó em pingo d’água para pagar condomínio, mas tem carro cheio de adesivos de Punta del Est, Miami e Aspen.

Os filhos do lumpenjornalismo odeiam qualquer programa social que não sejam aqueles conduzidos por socialites. Mas não vivem sem uma universidade pública, totalmente gratuita para os filhos.

O modus operandi pode ser explicado por um personagem da mitologia grega: Procusto. Este bandido que inspira nosso jornalismo fazia suas vítimas caberem numa cama. Os menores espichava; os maiores, cortava. Os Grupos MafioMidiáticos têm na cama de Procusto a medida de seus intere$$es!

Poderia dizer que há uma boa parcela de jornalistas produzidos na escola de Procuste, saídos da lumpenburguesia. Mas há casos ainda piores, como se para fazer parte de um patota, como se dizia antigamente, tivesse que vomitar junto no mesmo pote. O meio sabe recrutar vira-latas que, por qualquer pedaço de salsicha, abanam o rabo e se mostram agradecidos pela oportunidade única de lamber o rabo do poodle do patrão.

Qualquer um pode encontrar inúmeros exemplos bem próximos, nos jornais, rádios, tvs de sua terra. Por menor que seja o pedaço de chão, sempre há invertebrados para rastejaram se fazendo de capacho para a idiotia desfilar. Uma vez prestados os serviços, caem em desgraçados e são cuspidos como bagaço de cana.

Começo por alguns exemplares aqui da terrinha. A RBS, um monopólio construído em parceria durante e com a ditadura, só aceita capacho. Os capachos com flatulência verbal viram chefes, assumem postos de maior visibilidade. Quem não lembra de um José Barrionuevo, que administrava a “central de recados”, também chamada de “página 10’ do jornal Zero Hora do Grupo RBS?! A Godiva do bairro Bela Vista, que cavalgava nua seu moralismo de aluguel pelas páginas do jornal dos Sirotsky, foi para na Operação Rodin… Não menos famoso, em na filial de Florianópolis desfilava a fina flor do pensamento Sirotskyano: Luis Carlos Prates

O que Barrionuevo vomitava na página 10 era reproduzido por outro vira-lata na Rádio Gaúcha, Rogério Mendelsky. Ambos foram defenestrados e substituídos por outros menos conhecidos e com a barra ainda limpa para fazerem o mesmo trabalho sujo dos saídos. Foi assim, por exemplo, que ascendeu Ana Amélia Lemos, aquela que sendo chefe da sucursal de Brasília do Grupo RBS, também recebia pelo Senado. Se no lugar do Mendelski entrou a ex-miss Lagoa Vermelha, na central de recados entrou a Rosane de Oliveira. Ela escreve os recados do PRBS e ainda tem espaço da repercuti-los na Rádio e TV Gaúcha. Cumpre, assim, na prática  a velha teoria do Goebbels: repetir em jornal, rádio e tv a mesma mentira para que a manada embasbacada de gaúchos assuma como verdade. É assim que a RBS vai conseguindo emplacar governos títeres. Sem contar os carrascos voluntários, ainda se pode contabilizar como umbilicais Antonio Britto, Yeda Crusius. Só a RBS pode se vangloriar de ter sua própria bancada “multipartidária”. A RBS tem hoje, sozinha, dois senadores para chamar de seus: Ana Amélia(PP Gaúcho) e Lasier Martins (PDT, que virou sigla de aluguel). Nenhum outro partido conseguiu ter dois senadores no RS ao mesmo tempo. Só a passividade bovina de uma manada que segue abestada uma égua madrinha chamada RBS justifica tamanha façanha.

Se avançarmos para o centro do país, as coisas não melhoram. De raízes gaúchas, mas fincadas bem fundo no que existe de pior em São Paulo, Diego Escosteguy transita de lixo em lixo com a desenvoltura de um rato. Já teve de engolir pelo traseiro torpedos do ex-ministro e comensal da Globo, Joaquim Barbosa. Praticante de coprofilia jornalística, teve, em poucos dia, de engolir por pelo menos duas vezes sua própria “obra”.

A família Mesquita, dona do Grupo Estado, que se compraz em atacar qualquer coisa de esquerda como se fossem fantasma que assombrassem seus sonos, não teve dificuldades de colocar como Diretor de Redação do Estadão ninguém menos que o assassino de Sandra Gomide, Pimenta Neves. E, claro, eles  não sabiam de nada….

A Folha não precisa de capacho para fazer o serviço sujo. Desde que a famiglia Frias fez consórcio com que eles chamam de ditabranda, o pudor, se é que um dia existiu, passa longe da sede da empresa. Presenciar sessões de tortura, como revelou a Comissão da Verdade, estupro e morte, era uma prezar de pai para filho. Para inventar uma ficha falsa da Dilma ou justificar a ditadura não precisam de alguém por eles.

Isso não é lumpenjonalismo. É banditismo! Perto deles, Fernandinho Beira-Mar fica parecendo Tiradentes…

A Rede Globo, que tem a maior lista, segundo o WikiLeaks, de colaboradores da CIA, continua fazer o que está no seu DNA. Dar golpes. Pratica desde sempre um jornalismo conhecido pela Lei Rubens Ricúpero. Fez um editorial saudando a chegada da ditadura. Diz que errou, mas não pediu desculpas nem devolveu o que auferiu na parceria com a ditadura. Continua diariamente perpetrando pequenos golpes. Para isso recruta o rebotalho de penas de aluguel como mafiosos que recrutam mãos-leves e toda sorte de trombadinhas para pequenos golpes em centros movimentados.

Se hoje, em plena democracia, quando a internet não deixa nada passar batido, Folha, RBS, Globo, Veja, Estadão continuam utilizando informação como instrumento de lucro, imagine durante a ditadura, com quem faziam dobradinha?!

Hoje o banditismo não está nas prisões de segurança máxima. Está nas redações. É lá que são perpetrados os grandes crimes, como os de lesa pátria. Diariamente praticam assassinatos de reputação. Não há dia que não há haja vítima deste tipo de banditismo.

Procusto continua mais ativo do que nunca. Para as acusações, capa; para os desmentidos, o silêncio. O silêncio dos indecentes!

Joseph Pulitzer: “Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma.”

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: