Ficha Corrida

20/07/2016

Golpe en Brasil: Genealogía de una farsa

Sae em todos os países de língua espanhola, inclusive se pode baixar em língua espanhola, um livro narrando o percurso da maior farsa já montada pela plutocracia brasileira para assaltar o erário público mediante um governo formado, majoritariamente, por cleptomaníacos. Até parece que os novos ministros foram retirados das listas policiais. Quanto maior o crime, mais chances tem o investigado de se tornar Ministros. E tudo graças ao patrocínio da FIESP e o adestramento da Rede Globo.

Os mais renomados intelectuais das Américas e da Europa furam o bloqueio dos grupos mafiomidiáticos brasileiros e contam o que os golpistas escondem do público brasileiro.

Graças ao livro também os intelectuais e o povo de língua espanhola passam a saber mais a respeito do golpe, que a cada dia compõe num painel irretocável do que existe de mais perverso em nossa sociedade.

Golpe en Brasil: Genealogía de una farsa

AA. VV. & Leonardo Boff & Cuauhtémoc Cárdenas Solórzano & Boaventura d…

Español

Descargar (magnet link) aqui, para fazer o download

Golpe en Brasil: Genealogía de una farsa

Sinopsis

Golpe en Brasil reúne textos escritos entre abril y junio de 2016, período en el que se dio inicio al proceso de destitución de la presidenta Dilma Rousseff. Los autores aquí presentados nos ayudan a entender cómo se ha gestado y qué perspectivas se abren en el complejo proceso de desestabilización del orden democrático que vive actualmente Brasil.
Escrito en la intensidad y la vertiginosidad de un proceso que aún está en curso, este libro pretende ser el testimonio de un momento trágico de la historia latinoamericana. La mayor nación de la región, la que supo liderar durante la última década un proceso de cambio y de transformaciones sociales sin precedentes; la que apoyó y promovió un activo proceso de integración regional, contribuyendo a su reconocimiento global como país soberano y solidario, dispuesto a revertir una historia de negación de derechos, de exclusiones y discriminación; Brasil, el país de todos, convertido ahora en el laboratorio de experimentación de un nuevo tipo de golpe institucional que puede extenderse por todo el continente.
El golpe: la farsa. La aniquilación de la soberanía popular, base de la democracia, y su substitución por una república de autócratas corruptos. Brasil, el país donde la dictadura prometió durar un día y se instaló por larguísimos 21 años, nuevamente poniendo en evidencia el desprecio de sus élites hacia la democracia y hacia los derechos ciudadanos.

Autores:

Leonardo Boff

Cuauhtémoc Cárdenas Solórzano

Boaventura de Sousa Santos

Eduardo Fagnani

Amy Goodman

Glenn Greenwald

Michael Löwy

Immanuel Wallerstein

Pablo Gentili

epublibre – Golpe en Brasil: Genealogía de una farsa

11/11/2012

O ORVIL do Conegundes

Filed under: Ditadura,Livro,ORVIL — Gilmar Crestani @ 8:48 am

Chegou às livrarias a edição impressa de "Orvil – Tentativas de Tomada do Poder". O título significa "Livro", escrito ao contrário.

Trata-se de um compêndio organizado em 1985 no falecido Centro de Informações do Exército. Destinou-se a contar a história do combate a grupos esquerdistas durante os anos 60 e 70 sob a ótica dos agentes de uma política de Estado que patrocinou, estimulou e encobriu torturas, assassinatos e extermínios.

Quando o livro ficou pronto, o governo Sarney resolveu arquivá-lo, para não reabrir feridas que nunca cicatrizaram. O texto foi para a internet e agora tem 922 páginas. Foi organizado pelo tenente-coronel Lício Maciel (veterano do Araguaia, onde foi ferido no rosto) e pelo tenente José Conegundes do Nascimento.

É uma árvore sem tronco. Omite os crimes do Estado, mas é um relato informativo das ações, assaltos e assassinatos praticados durante o surto terrorista.

Quando trata da Guerrilha do Araguaia, informa que no final de 1973 os efetivos do PC do B "haviam-se reduzido a um terço do existente em abril de 1972", quando o foco foi descoberto. Aceitando-se esse cálculo, eles seriam pelo menos vinte.

É aí que entra uma pergunta que poderá ser respondida por veteranos da "tigrada" e pelos atuais comandantes militares à Comissão da Verdade. Se o Exército estava lá para capturá-los, como se explica uma operação militar que não conseguiu pegar um só? Sumiram todos. Foram-se embora num disco voador albanês?

Nunca é demais lembrar: em maio de 1945, depois do suicídio de Hitler, havia 20 pessoas no seu bunker, em Berlim. Sumiu só uma.

Elio Gaspari

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: