Ficha Corrida

18/12/2014

Ninguém sabe, ninguém viu, ninguém vai ver na velha mídia

Filed under: Choque de Gestão,Geraldo Alckmin,Isto é PSDB!,Meritocracia — Gilmar Crestani @ 9:16 am
Tags:

Mas o povo vê, sabe e por isso Dilma, apesar de todo bombardeio dos grupos mafiomidiáticos, ou até por isso, só vê sua popularidade crescer.  Imagine se cada vez que alguém do PSDB fosse preso as cinco irmãs pusessem o partido do meliante na manchete, só se elegeriam para síndico. De presídio… Já que FHC está sempre de prontidão para dar suas opiniões assertivas, por que a velha mídia não o consulta nestas horas?

14/12/2014 – Copyleft

Tucano é cassado. Cadê a mídia?

Por que a chamada grande imprensa, sempre tão ‘neutra e imparcial’, prefere encobrir escândalos envolvendo vários caciques tucanos?


Altamiro Borges

Luciano Pereira / Aloysio Nunes - Flickr

No domingo passado (7), o empresário Omar Najar (PMDB) venceu as eleições para a prefeitura de Americana, município com 226 mil habitantes no interior de São Paulo. A mídia chapa-branca, servil ao governador Geraldo Alckmin, deu pouca atenção para o pleito fora de época. O motivo é simples: o prefeito Diego De Nadai, do PSDB, foi cassado por graves denúncias de corrupção. Na sua seletividade, a chamada grande imprensa, sempre tão “neutra e imparcial”, prefere encobrir escândalos envolvendo caciques tucanos. As manchetes são garrafais apenas para os políticos de esquerda. Desta forma, a mídia hegemônica estimula na sociedade o ódio doentio, quase fascista, ao PT e ao chamado “lulopetismo”.

Durante várias semanas, a cidade de Americana ficou acéfala. Na ausência do prefeito, sacos de lixos se acumularam nas ruas, prontos-socorros ficaram fechados e a merenda não foi entregue nas escolas. A população sofreu e os protestos viraram rotina no município, a 127 quilômetros da capital paulista. Os jornalões e as emissoras de rádio e televisão, porém, não deram maior atenção a este sofrimento. O prefeito cassado sempre foi ligado ao governador Geraldo Alckmin. Sua cassação foi uma verdadeira novela, apesar das provas de irregularidades na prestação de contas da eleição de outubro de 2012. Desgastado, o PSDB preferiu não lançar candidato e, oportunista, apoiou o industrial eleito. Pobre Americana!
São inúmeros os casos de políticos tucanos cassados ou envolvidos em corrupção que não merecem as manchetes da mídia “imparcial”. Em abril passado, o governador Siqueira Campos, do Tocantins, renunciou ao cargo para escapar da cassação. Pesavam sobre o histórico chefão do PSDB várias denúncias de desvio de recursos do Estado. A renúncia foi uma manobra para garantir a candidatura de Eduardo Siqueira Campos, filho do tucano, ao governo estadual. Ele justificou a manobra alegando que a medida foi tomada “com o propósito de continuar servindo ao bravo povo tocantinense, respeitando as normas sobre inelegibilidade definidas pela Constituição Federal”. A mídia nunca fez alarde com este caso bizarro!

A seletividade é a regra. O deputado Carlos Alberto Lereia, do PSDB de Goiás, foi flagrado em negociações com o mafioso Carlinhos Cachoeira. A Câmara Federal até cogitou sua cassação. Em abril passado, ele até foi suspenso e o caso sumiu do noticiário. Já o ex-governador e ex-senador Eduardo Azeredo, que inaugurou o esquema do “mensalão” com o publicitário Marcos Valério, renunciou ao mandato de deputado federal para evitar seu julgamento no STF. Na sequência, ele também desapareceu da mídia – que sempre tratou o escândalo de “mensalão mineiro” – e não tucano. Cadê o tal “jornalismo investigativo” da grande imprensa? Cadê as suas famosas campanhas moralistas de linchamento público?

E tem gente que acredita que Globo, Folha, Estadão e Veja ainda farão uma investigação isenta sobre o “trensalão tucano” em São Paulo ou sobre o “aecioporto” em Minas Gerais. A mídia hegemônica nunca investigou a fundo as denúncias de corrupção no processo da privataria – até porque ela sempre defendeu a privatização das estatais. Ela também evitou dar continuidade às apurações sobre a compra de votos na reeleição de FHC – que sempre foi seu protegido. A escandalização da política, com suas manchetes garrafais e diárias, servem apenas para atacar os que não rezam da sua cartilha. Não há qualquer imparcialidade ou isenção no jornalismo. A mídia tem dono e defende sua classe!

Tucano é cassado. Cadê a mídia? – Carta Maior

Anúncios

05/12/2014

Por que cargas d’água este tremsalão não anda?!

Simples, porque é pilotado pelo PSDB!

tremsalao

Mesmo tendo as justiças suíça e alemã já condenadas, respectivamente, as matrizes da Alstom e Siemens, no Brasil de Gilmar Mendes este trem anda para trás. Depois de ter dormido no estaleiro do Rodrigo de Grandis, que Gilmar Mendes resolveu absolve-lo do sono providencial.

Mas é o estertor de caso natimorto. O breve suspiro serve apenas para fazer álibi para Gilmar Mendes. A ressuscitação momentânea é o álibi perfeito para dizer que o Poder Judiciário vai atuar de forma republicana, isonômica, doa a quem doer….

Os atuais acusados terão, se chegar às mãos de Gilmar Mendes, o mesmo destino que ele deu a Daniel Dantas, José Roberto Arruda, Demóstenes Torres, Carlinhos Cachoeira, Roger Abdelmassih. Enquanto Gilmar Mendes estiver no STF, Robson Marinho, como Presidente do Tribunal de Contas de São Paulo, poderá fazer ou deixar o que bem entender. É assim que funciona a máquina do Instituto Millenium azeita e ajeitada pelo jagunço de Diamantino

PF acusa 33 de integrar cartel de trens em SP

Polícia indicia o presidente da CPTM, Mário Manuel Bandeira, o gerente de Operações, José Luiz Lavorente, e ex-diretores

Deputados José Aníbal (PSDB) e Rodrigo Garcia (DEM), que foram secretários de Alckmin, são investigados no STF

DE SÃO PAULO

A Polícia Federal concluiu a investigação sobre o cartel de empresas que fraudou licitações de trens em São Paulo entre 1998 e 2008, em governos do PSDB, e indiciou o presidente da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), Mário Manuel Bandeira, por suposto envolvimento no esquema.

Também foram indiciados o atual gerente de Operações da CPTM, José Luiz Lavorente, e ex-diretores da companhia de trens, como João Roberto Zaniboni e Ademir Venâncio de Araújo, que tiveram valores encontrados na Suíça, como informou o "Jornal Nacional", da TV Globo, nesta quinta-feira (4).

Ao todo, a PF acusou 33 pessoas de participação em crimes de corrupção ativa e passiva, formação de cartel, crime licitatório, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Na lista de acusados estão ex-diretores das empresas Siemens, Alstom, CAF, Bombardier, Daimler-Chrysler, Mitsui e TTrans. Um deles é Adilson Primo, que presidiu a Siemens de 2001 a 2011.

O consultor Arthur Gomes Teixeira é acusado de ser o intermediário do pagamento de propina das empresas para os servidores públicos.

O suborno era pago para que as companhias fossem favorecidas em licitações e contratos públicos, segundo a Polícia Federal.

O relatório encerra o inquérito relativo a suspeitos que não ocupam cargos políticos e que não possuem foro privilegiado, como informou o jornal "O Estado de S. Paulo" nesta quinta-feira.

Agora o trabalho será encaminhado ao Ministério Público, que poderá pedir a realização de novas diligências, apresentar denúncia contra os acusados ou pedir à Justiça que o caso seja arquivado.

O inquérito foi aberto em 2008 e ganhou impulso em 2013 quando a Siemens realizou uma delação premiada ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

A multinacional alemã contou às autoridades que participou de um cartel com empresas do setor de trens e o grupo fraudou licitações do Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) de 1998 a 2008.

Um dos acusados é João Roberto Zaniboni, que foi diretor de Operação e Manutenção da CPTM de 1999 a 2003.

Ele já estava indiciado desde o ano passado sob a acusação de ter mantido o valor de US$ 836 mil (cerca de R$ 2,2 milhões) em conta na Suíça, que seria resultante do pagamento de propinas.

A apuração relativa ao suposto envolvimento de políticos no esquema foi desmembrada do inquérito e está em curso no STF (Supremo Tribunal Federal), em razão da regra do foro privilegiado para congressistas.

Os deputados federais José Aníbal (PSDB-SP) e Rodrigo Garcia (DEM-SP) são os investigados no STF. Eles negam qualquer ligação com as empresas do cartel de trens.

30/11/2014

Eu ainda lembro que vocês fizeram na gestão passada!

Todos tínhamos melhores expectativas quanto aos resultados dos governos Lula e Dilma. Gostaríamos de termos visto inclinações mais à esquerda, com gente do calibre de um Stédile no lugar de uma Katia Abreu nos Ministérios. De ter vistor mais políticas e obras destinadas aos menos favorecidos. Tudo isso era e continua sonho. Mas, se não fomos tão felizes como desejamos, evitamos uma catástrofe maior do que a tragédia que nos legaram. Não é fácil administrar um país com uma tradição de quinhentos anos governado pela e para a elite. O problema do Brasil continua sendo aqueles que enriquecem encima de seu povo e vai a Miami comprar quinquilharias.

Para quem já estudou um pouco do latifúndio no RS vai entender isso. Nossos fazendeiros e seus filhos estudavam em Paris. Os peões dormiam em galpões e até hoje festejam terem sido deixados dormirem com os cavalos nos galpões enquanto os patrões dormiam na Casagrande com suas escravas, mulheres, filhas. O lucro auferido nas fazendas eram gostos nos “Moulins Rouges”, de Paris, mas também de Porto Alegre. Nada era reinvestido no município onde se localizava a fazenda. Hoje, a EMBRATEL, Vale, Santander e tantas outras empresas entregues ao capitalismo internacional lucram encima do povo brasileiro mas investem nas sedes das matrizes, como mostra a Folha de hoje: Espanha aposta no Brasil para crescer

Os mais jovens não sabem ou não lembram, mas todo dia havia uma sigla dando pitacos sobre o Brasil. O FMI mandava e desmandava, até porque era ele quem condicionava a condução do país aos empréstimos necessários para cobrir a quebradeira geral.

28/11/2014 – 32 capas de jornal que vão te lembrar como foi o Brasil tucano nos tempos de FHC

psdb002

Desemprego. Arrocho salarial. Apagão elétrico. Escândalos. Mendigagem ao FMI e, claro…privatizações. Relembre.

(Por Paulo Henrique Amorim, em Conversa Fiada)

Fernando ​Henrique Cardoso governou o Brasil por 8 anos. Entre 1995 e 2002, colecionou fracassos e terminou o seu segundo mandato com 26% de aprovação.

​(​Lula, apenas como comparação, saiu do Governo aprovado por ​87% dos brasileiros.)

O Príncipe da Privataria​ não empolgou nem seus correligionários. Tanto que Padim Pade ​​Cerra e Geraldo Alckmin não defenderam o legado de FHC em suas disputas eleitorais. Ambos o esconderam e não dividiram o palanque com o grão-tucano.

Afinal, como se sabe, o FHC vendeu as joias da família e aumentou a dívida da família. Um “jênio”!

Mas o tempo passa e, 12 anos depois de seu mandato, inúmeros feitos de FHC foram esquecidos. O Conversa Afiada, sempre preocupado em ajudar, relembra momentos marcantes do tucano. As manchetes da época são suficientes para matar a saudade de FHC.


É como fizeram com a Vale do Rio Doce já faziam com a Petrobrás: encolhem a empresa para que ela desvalorize e seja mais fácil para vender barato.


Além de tudo FHC quase acabou com o plano Real.

32 capas de jornal que vão te lembrar como foi o Brasil tucano nos tempos de FHC « Poços10 – Poder e Política

24/08/2014

PSDB do câncer; PS(d)B da virgem?!

Filed under: Câncer,Dentadura,Isto é PSDB!,Jornalismo de Aluguel,PSDB — Gilmar Crestani @ 10:26 am
Tags:

 

Os dois dentes de D. Nalvinha valem menos que o câncer cenográfico do PSDB?

23 de agosto de 2014 | 20:15 Autor: Fernando Brito

raspada

A Folha fez hoje um escândalo com uma prótese de dois dentes que a D. Marinalva Gomes Filha, 46, conhecida como Nalvinha, recebeu da Prefeitura de Paulo Afonso e que ela disse que, como tudo o que tinha, fora dada por Lula e Dilma.

Provavelmente, foi mesmo, porque as prefeituras trabalham com recursos do programa Brasil Sorridente, do Governo Federal. Como foram as cisternas que ela e outros moradores da zona rural do Município de Paulo Afonso agora têm. Aliás, nem foi Dilma, porque o Brasil Sorridente credenciou a Prefeitura de Paulo Afonso em 12/06/07 para isso.

O site Muda Mais faz o desmonte deste factóide muito bem.

Não sei se foi coincidência ou puxa-saquismo de alguém ter antecipado o atendimento daquela senhora. Mas é irrelevante, até porque o repórter sabe que se for para distribuir próteses aos eleitores pobres de Lula e Dilma não haverá protético que chegue no Brasil.

Acrescento, apenas, que a crueldade da nossa elite acha abjeto ter dentes que substituam os que já se foram, mas saúda a “agregação de valor” do luxo de quem ainda reclama do visual que os desdentados exibem nas ruas das nossas grandes cidades. O do interior não incomodam, porque não são vistos.

Mas, que ironia!

Recebo de um leitor e vou conferir, no mesmo dia, uma empresa de casting – que seleciona atores e figurantes para comerciais –  convocar pelo Facebook uma mulher “de 25 a 35 anos, castanha ou loira” que aceite simular um câncer, raspando a cabeça em cena, para os comerciais do PSDB.

A empresa de figuração – que está fazendo seu trabalho – anuncia que pagam  R$ 2 mil, líquidos, (pelo que eu rasparia meus cabelos também, porque a coisa anda pesada, com a “fortuna” que recebo como “blogueiro sujo” que não tem anúncio do Governo) se não fosse para simular a desgraça alheia,  de muitas pessoas, ou a desgraça coletiva dos brasileiros, arrumando votos para os tucanos.

Os dentes da dona Nalvinha são uma baixaria.

O câncer da figurante é arte!

Os dois dentes de D. Nalvinha valem menos que o câncer cenográfico do PSDB? | TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”

26/07/2014

Choque de gestão: com Alckmin, ladrão tem 13º!

Filed under: Geraldo Alckmin,Isto é PSDB!,PCC,Roubo,Segurança Pública — Gilmar Crestani @ 7:27 am
Tags:

Choque de gestão do PSDB em Minas é aeroporto em terras da família; em São Paulo, segurança saindo pelo ladrão! Tudo o que os gaúchos já viveram com a choque da pedra lascada da funcionária da RBS, Yeda Crusius, na Operação Rodin.

PSDB é isto4_nNo Brasil, os Estados têm duas grandes atribuições: cuidar da saúde e da segurança. Na educação, nem se fala. O nível educacional em São Paulo, inclusive e principalmente nas escolas particulares, se viu na abertura da Copa do Mundo… O mundo ficou sabendo da excelência educacional de São Paulo.

Em São Paulo, num dia a Santa Casa quebra,no outro ladrão tem 13º. Como disse o Fernando Haddad, se cobrassem do PSDB, que está há mais de 20 no poder daquele Estado, o que cobram dele com um ano e meio de prefeitura, Geraldo Alckmin estaria puxando água de pipa no interior do Piauí.

Aquele que era o Estado mais rico da Federação, a locomotiva do Brasil, que tinha as melhores universidades (UNICAMP e USP), virou isso aí. Na área da saúde, recebe repasses do Governo Federal para a Santa Casa mas repassa apenas parte do que deveria, deixando quebra-la. Na área da Segurança Pública, o PCC manda e desmanda. Já são treze meses seguidos de aumento de roubos. Sabe o que significa mais de um ano com aumento diário do número de roubos?  Imagine isso acontecendo num governo petista?

Estou para dizer que não falta água em São Paulo, ela foi roubada… Claro, se um ladrão, por ser ladrão, é posto no Tribunal de Contas do Estado, como fez Mário Covas com Robson Marinho… Roubada pelos incompetentes que preferem distribuir assinaturas da Veja, Estadão e Folha pelas escolas de todo o Estado ao invés de investir na distribuição de água potável. Só a parceria da velha mídia e a ignorância do povo salva o PSDB.

Na medida que os paulistas continuarem com estes celerados no poder só posso dizer: BEM FEITO!

Estado de São Paulo tem a 13ª alta seguida de roubos

Roubos têm aumento de 21% na capital paulista; homicídios caem

Apesar da 13ª alta seguida nos assaltos, ritmo do crescimento diminuiu, diz governo estadual

‘É a primeira vez que temos neste ano uma taxa inferior a 15%’, afirma secretário da Segurança Pública

DE SÃO PAULO

O Estado e a capital de São Paulo registraram no mês de junho a 13ª alta consecutiva de roubos. Apesar disso, os dados foram considerados positivos pela gestão Geraldo Alckmin (PSDB) por ter havido uma redução no ritmo de crescimento. Os homicídios voltaram a cair.

De acordo com números divulgados pela Secretaria da Segurança Pública, os registros de roubos na capital cresceram 21% em junho, em comparação ao mesmo mês do ano passado. Passaram de 10.896 para 13.185.

Em junho, o policiamento da capital teve reforço de cerca de 4.500 policiais militares por causa da Copa.

Os homens se concentraram em locais relacionados ao evento, como o Itaquerão (zona leste) e a Fan Fest do Anhangabaú (centro).

Para o secretário da Segurança Fernando Grella, pode haver ligação entre o policiamento da Copa e a redução do crescimento de roubos, mas "não dá para fazer uma relação absoluta entre os indicadores".

No Estado, o aumento nos registros de roubos foi de 14,7%. "Se verificarmos os meses anteriores deste ano, o resultado de junho já indica uma desaceleração. É a primeira vez que temos neste ano uma taxa inferior a 15% [no Estado]", afirmou Grella.

Neste ano, o menor aumento no Estado havia ocorrido em abril (29,7%).

Em fevereiro, foi registrado a maior alta (37,2%) –sempre em relação ao mesmo mês do ano anterior.

"A ordem é de fazer operações com firmeza para manter essa tendência", disse Grella. Apesar da redução no ritmo de alta, não é possível afirmar que essa é uma tendência. Para isso, é preciso observar um período maior, segundo especialistas.

‘RELAÇÃO NÃO ABSOLUTA’

Apesar da redução no ritmo de crescimento, o primeiro semestre de 2014 foi o recordista em número absoluto de roubos desde o início da série histórica, em 2001.

De acordo com esse histórico, São Paulo havia registrado uma sequência de 13 meses seguidos de aumento de roubos entre novembro de 2007 e novembro de 2008. Depois, porém, ocorreu um ano inteiro de quedas.

Segundo estudo divulgado pelo governo, se não fosse o advento da delegacia eletrônica (que em dezembro de 2013 passou a aceitar registros de roubo), o aumento dos casos no Estado seria a metade (7%).

O estudo não contemplou os dados da capital.

Ainda segundo a análise feita pela secretaria, 52,8% dos roubos ocorreram contra pedestres e em 54% dos registros as vítimas relataram que seus celulares foram levados pelos criminosos.

Se os roubos continuam subindo, os homicídios voltaram a cair no mês passado. No Estado, os casos tiveram uma redução de 9,8% e, na capital, de 13,1%. Um boletim de ocorrência pode ter mais de uma vítima.

Considerado o número de vítimas, a redução no Estado foi de 10,8% e, na capital, de 16,5%.

Na década de 90, o Estado de São Paulo chegou a ter taxa de 35,3 casos de homicídio por 100 mil habitantes. Em junho, a taxa ficou em 10,3.

(ROGÉRIO PAGNAN E ANDRÉ MONTEIRO)

23/07/2014

PSDB faz dança da chuva

Governo tenta fazer chover no Alto Tietê

FABIO LEITE – O ESTADO DE S. PAULO

23 Julho 2014 | 03h 00

Pela segunda vez, Sabesp contrata empresa para bombardear nuvens sobre represas secas

Governo Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou nesta semana que também vai utilizar 25 bilhões de litros do volume morto do Alto Tietê

SÃO PAULO – Cinco meses após ter iniciado o “bombardeio” de nuvens para tentar fazer chover no Sistema Cantareira, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) vai repetir a estratégia no Alto Tietê, que também passa por grave crise de estiagem. A concessionária assinou um novo contrato com a empresa Modclima, no valor de R$ 3,68 milhões, para induzir chuvas artificiais sobre as represas do segundo maior manancial da Grande São Paulo, que estava ontem com apenas 22,2% da capacidade.

A tecnologia consiste na aceleração da precipitação de chuvas com o despejo de gotículas de água potável feito por um avião na base das nuvens, um processo conhecido como semeadura ou bombardeio. Conforme o Estado revelou em fevereiro, a prática tem sido adotada há cinco meses no Cantareira e, segundo a Sabesp, provocou a queda de cerca de 11,5 bilhões de litros nos reservatórios, o que representa 1,2% de todo o volume do sistema.

Para a concessionária, “esse resultado já justifica a contratação do serviço” para o Sistema Alto Tietê, mas não impediu o esgotamento do Cantareira. No início dos bombardeios de nuvens, que devem custar R$ 4,48 milhões por dois anos, o principal manancial paulista estava com cerca de 20% da capacidade de seu volume útil. Em cinco meses de sobrevoos, apenas em março a pluviometria acumulada no mês ficou acima da média histórica. Resultado: no dia 10 deste mês, o sistema se esgotou e só continuou operando com a retirada de água do volume morto, reserva abaixo do nível das comportas.

Segundo a Sabesp, o sobrevoo depende das condições climáticas e da formação das nuvens. “Há um monitoramento constante e diário e acompanhamento por radares para identificar potenciais nuvens com capacidade de provocar chuvas exatamente na área das represas”, informou a companhia.

O contrato de chuva artificial para o Alto Tietê também tem prazo de dois anos e começou a ser executado neste mês, depois que o Estado revelou que o sistema que abastece cerca de 4 milhões de pessoas na Grande São Paulo também apresentava baixo índice pluviométrico, queda no nível das represas e alto risco de esgotamento neste ano. Após negar a crise, o governo Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou nesta semana que também vai utilizar 25 bilhões de litros do volume morto do Alto Tietê, o que deve garantir menos de um mês de sobrevida ao manancial.

Os idos de março

Filed under: Choque de Gestão,Crise da Água,Isto é PSDB!,Racionamento de Água — Gilmar Crestani @ 9:20 am
Tags:

A história dos idos de março está em Vidas Paralelas, do historiador greco-romando Plutarco, quando traça o paralelo entre César e Alexandre o Grande. Quem tiver curiosidade, poderá ler a tragédia Júlio César de Shakespeare mas eu ainda prefiro o clássico de Plutarco.

Empurrar com a barriga ou com a barrica, nisso deu o choque de gestão do PSDB. Os tais gestores não conseguem, num país como o Brasil, garantir água potável aos paulistanos. Se já consomem “volume morto”, o que consumirão em março?

águaoÁgua do Cantareira não está garantida até 2015, diz ministra

Para titular do Meio Ambiente, ‘não é possível afirmar que vai chover’ no sistema a partir do mês de outubro

Sabesp afirma que as medidas tomadas até agora no Estado suprem a demanda na região até março

AGUIRRE TALENTODE BRASÍLIA

A ministra do Meio Ambiente do governo Dilma Rousseff (PT), Izabella Teixeira, disse nesta terça (22) que o abastecimento de água pelo sistema Cantareira não está garantido até março, como prevê a Sabesp, companhia de água do governo de São Paulo.

Izabella participou de reunião sobre o tema convocada pela ANA (Agência Nacional das Águas) com especialistas de instituições como USP e Unicamp. Não foram convidados representantes da gestão Geraldo Alckmin (PSDB).

Segundo ela, estudos do Ministério da Ciência apontam que "não é possível fazer a afirmação de que vai chover no Cantareira". "É muito prematuro falar isso", disse.

A Sabesp conta com chuvas a partir de outubro e com o "volume morto", reserva de água que fica abaixo do ponto de captação das represas, para alcançar essa meta, mas o governo federal avalia que a previsão é arriscada.

"O ministério nos informou que, embora o Brasil já esteja vivendo os efeitos do El Niño [aquecimento das águas do Pacífico], não há nenhuma garantia de que o fenômeno vai gerar chuvas em São Paulo", afirmou a ministra.

Na reunião, especialistas defenderam o aumento das tarifas para quem consumir muito –um complemento ao bônus já concedido pelo governo paulista para quem reduzir o consumo.

"É necessário ser reduzido o consumo ou a vazão", disse Vicente Andreu, diretor-presidente da ANA.

A ANA já havia recomendado a redução de vazão do Cantareira. Segundo Andreu, o assunto continuará em discussão. No caso do aumento da tarifa, porém, ele afirma que não cabe à ANA fazer a recomendação.

Ontem, o nível do sistema Cantareira estava em 16,8%.

MEDIDAS

Procurada, a Sabesp afirmou que, graças a medidas adotadas, "garante o abastecimento até março de 2015".

Segundo a empresa, as principais medidas foram a transferência de vazões dos sistemas Alto Tietê, Rio Grande e Guarapiranga para atender áreas abastecidas pelo Cantareira, o uso do "volume morto" e a criação, em fevereiro, dos bônus para clientes que reduzirem o consumo.

"Se necessário, outra parte da reserva técnica pode ser acionada. E, se as chuvas voltarem à normalidade, o uso deverá ser suspenso, com retorno ao modelo de captação anterior", diz a nota.

Neste mês, Alckmin, candidato à reeleição em outubro, recuou da intenção de sobretaxar quem não economizar água. Ele tinha lançado a ideia em abril, em meio à crise hídrica histórica enfrentada no Estado.

A crise da água chegou a ser explorada pelo candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha.

22/07/2014

Uma mão lava a outra: as duas, abunda!

Empreiteira que fez obra doou para tucano

Marcelo Portela

Tags: eleições Aécio Neves empreiteira @estadaoconteudo Margarida Neide | Ag. A TARDE

  • Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência

A empresa responsável pelas obras no aeroporto de Cláudio, Vilasa Construções Ltda., doou recursos para a campanha de Aécio Neves ao governo de Minas em 2006. Além do atual senador, seu sucessor no Executivo estadual, o ex-governador Antonio Anastasia (PSDB), também recebeu doação da construtora para a campanha ao governo em 2010.

Segundo as prestações de contas apresentadas à Justiça Eleitoral, Aécio recebeu três doações da empresa em 2006, totalizando R$ 67 mil. Já na disputa seguinte pelo governo mineiro, a campanha de Anastasia – que deixou o cargo em abril para disputar uma vaga no Senado, além de coordenar a elaboração do programa de governo do presidenciável tucano -, recebeu doação oficial de R$ 20 mil da construtora.

Nesta segunda-feira, 21, a reportagem tentou falar com algum representante da empresa, mas ninguém atendeu o telefone na sede da construtora no início da noite. A assessoria da coligação Muda Brasil, da candidatura de Aécio à Presidência, informou que as doações foram feitas de forma legal e declaradas à Justiça, como exige a legislação eleitoral. "Nunca houve qualquer tipo de favorecimento ou discriminação em razão de doações eleitorais", afirmou a coligação por meio de nota. "Registre-se também que, em outras eleições, a mesma empresa fez doações a candidatos de outros partidos, inclusive o PT", acrescenta o documento.

Nas eleições ao governo de Minas em 2006 e 2010, Aécio e Anastasia foram, respectivamente, os únicos candidatos que receberam doações da Vilasa. Aécio declarou gastos de R$ 19,4 milhões na sua disputa à reeleição ao Executivo estadual, enquanto a campanha de Anastasia declarou à Justiça Eleitoral gastos de R$ 38 milhões em 2010. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Portal A TARDE – Empreiteira que fez obra doou para tucano

21/07/2014

Choque de indigestão

Aecio 3 irreais

RICARDO MELO

Choque de indigestão

Aécio presenteou a família com um aeroporto; a conta, R$ 14 milhões, foi espetada no lombo do contribuinte

"Os equívocos em relação à Petrobras foram muitos. E taí. Hoje a empresa frequenta mais as páginas policiais […] do que as páginas de economia." As palavras são do candidato tucano Aécio Neves em sabatina realizada na quarta (16), ao criticar o governo Dilma Rousseff.

Nada como um dia depois do outro. Graças ao repórter Lucas Ferraz, ficamos sabendo neste domingo (20) que, antes de deixar o cargo de governador, nosso impoluto Aécio presenteou a própria família com um aeroporto no interior de Minas Gerais, na cidade de Cláudio. Deu de presente é modo de dizer. A conta, R$ 14 milhões, foi espetada novamente no lombo do contribuinte. Tudo dinheiro público.

O Brasil conhece à exaustão obras e estradas construídas perto de propriedades de políticos, sempre sob o argumento de pretensos interesses rodoviários e sociais. Cinismo à parte, para não dar muito na vista, ao menos se permite a circulação de anônimos pelas rodovias.

No caso do aeroporto de Cláudio dispensaram-se maiores escrúpulos. "Choque de gestão" na veia. A pista é de uso praticamente privado da família Neves e seus apaniguados. Um diálogo esclarecedor: perguntado pelo repórter se alguém poderia usar o aeroporto, o chefe de gabinete da prefeitura local foi direto. "O aeroporto é do Estado, mas fica no terreno dele. É Múcio que tem a chave." O dele e o Múcio citados referem-se a Múcio Tolentino, tio-avô de Aécio e ex-prefeito do município. Pela reportagem, descobre-se ainda que Aécio é figura frequente no lugar –a cidade abriga um de seus refúgios favoritos.

Pego no escândalo, o candidato embaraçou-se todo. Alega que a área do aeródromo particular foi desapropriada. O que, vamos e venhamos, já é discutível: no mínimo não pega bem um governador indenizar sua própria família para uma obra de utilidade social mais do que duvidosa.

Mas a coisa só piora: o processo de desapropriação está em litígio, ou seja, a propriedade permanece sob controle do clã Neves & Cia. Talvez uma ou outra aeronave de conhecidos, ou algum Perrella da vida, tenha acesso à pista. Fora isso, ignoram-se benefícios econômicos gerados pela empreitada ao povo mineiro. Questionado pela reportagem sobre quantas vezes esteve no estacionamento aéreo familiar e o motivo pelo qual uma obra custeada com dinheiro público tem uso privado, Aécio não respondeu. Ou melhor: o silêncio equivale a uma resposta. E a campanha mal começou.

CHEIRO DE QUEIMADO NO AR

Um avião civil é fulminado a 10 mil metros de altura, matando centenas de inocentes. Israel volta a atacar Gaza sem piedade. No Iraque, os anos de intervenção americana resultaram na criação de um califado. Na ausência de lideranças convincentes, a primavera árabe desembocou no inverno de outra ditadura sanguinária no Egito. A direita avança na Europa.

Com a economia mundial em pandarecos, guerras são sempre uma válvula de escape para lubrificar a engrenagem do capital, fazer a máquina girar. A extensão dos conflitos é imprevisível, principalmente quando a ONU mostra-se cada vez mais uma entidade decorativa. Mas que há um odor muito forte de queimado no ar, isto há.

15/07/2014

Veja como funciona o “cheque de gestão” do PSDB

E os eleitos não tem feio feio ao partido. Desde Cássio Cunha Lima, cassado na Paraíba, Mário Covas, FHC, José Serra, Geraldo Alckmin, Yeda Crusius, Aécio Neves. Por onde passam as sete pragas, tudo soçobra…

psdbSecretário de SP intermediou doações eleitorais, diz e-mail

Mensagem indica que Tejofran deu R$ 50 mil ao PSDB a pedido de Marcos Penido

Assessor de Alckmin afirma que não pediu dinheiro a empresa acusada de participação no cartel dos trens

FLÁVIO FERREIRAMARIO CESAR CARVALHODE SÃO PAULO

O secretário de Habitação do governador Geraldo Alckmin (PSDB), Marcos Rodrigues Penido, intermediou duas doações eleitorais da empresa Tejofran para o PSDB, indica e-mail encontrado por autoridades federais em buscas feitas em computadores da companhia.

A Tejofran é acusada de integrar o cartel de trens que fraudou licitações em São Paulo entre 1998 e 2008, em sucessivos governos tucanos.

As duas contribuições de R$ 25 mil para o PSDB citadas na mensagem foram feitas durante a campanha para prefeitos e vereadores de 2012, quando Penido era diretor-técnico da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano).

Penido foi promovido a secretário em abril deste ano, após ter sido secretário-adjunto de Silvio Torres (PSDB).

À época das doações, a CDHU mantinha contrato com um consórcio do qual a Tejofran fazia parte. Logo após as eleições de 2012, o consórcio conseguiu um aditivo de R$ 3 milhões com a estatal paulista.

Conforme a legislação eleitoral, diretores de empresas públicas são proibidos de arrecadar para o partido. A função cabe só aos tesoureiros.

O e-mail que menciona a doação foi escrito por Henriqueta Giolito Porto, gerente da Tejofran, em 2 de agosto de 2012 e enviado a seu irmão, o engenheiro Telmo Giolito Porto, diretor do grupo.

A mensagem cita um outro executivo que teve negócios com a CDHU, o engenheiro João Razaboni, que disse à Folha ser prestador de serviços para empresas do setor.

Na mensagem, Henriqueta diz que recebeu uma ligação de Razaboni passando informações de Penido –os dados bancários do PSDB para que o depósito fosse feito.

A gerente da Tejofran frisa que se trata de uma "contribuição oficial" e que Penido pediu um comprovante do depósito, que teria de ser feito "o mais breve possível".

Penido diz que nunca pediu doação. A Tejofran diz que fez as doações legalmente e ressalva que a mensagem não comprova contato com o ex-diretor da CDHU.

Na eleição de 2012, o ex-governador José Serra era o candidato tucano à Prefeitura de São Paulo e foi derrotado pelo petista Fernando Haddad.

Mesmo sendo comumente descrito como um funcionário de perfil técnico, Penido tem ligações com diversos setores do PSDB paulista.

Segundo tucanos, o servidor de carreira da CDHU tem bom trânsito na família do governador Mário Covas (1930-2001) e desfrutava da confiança do antecessor na secretaria, Torres, que o nomeou adjunto e diretor da CDHU.

Na companhia estatal, sua principal função era contornar os embates entre Torres e o deputado Paulo Maluf, chefe do PP no Estado, sigla que comandava o órgão. O atual secretário de Alckmin não é filiado ao PSDB.

O fundador do grupo Tejofran, Antonio Dias Felipe, era amigo do governador Mário Covas e foi padrinho de casamento de seu filho, Mário Covas Neto, o Zuzinha.

Ele emprestou um escritório a Covas e chegou a alugar uma casa para o governador paulista por valor simbólico.

A executiva da Tejofran que escreveu a mensagem sobre a doação, Henriqueta Porto, já ocupou cargos de confiança em empresas do governo paulista.

Ela foi chefe de gabinete do Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A) de 2007 a 2009, no governo de José Serra, e ocupou a mesmo posição na CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), de 2003 a 2006, na gestão de Geraldo Alckmin.

Colaborou DANIELA LIMA, de São Paulo

12/07/2014

Depois da necrofilia hídrica, vem aí o óleo da mumificação made in Tietê

Filed under: Aécio Neves,Choque de Gestão,Crise da Água,Geraldo Alckmin,Isto é PSDB!,SABESP — Gilmar Crestani @ 6:03 pm
Tags:

agua sabesp cantareiraSabesp estuda usar ‘volume morto’ do sistema Alto Tietê

DE SÃO PAULO

Depois do sistema Cantareira, a Sabesp poderá a começar usar o chamado "volume morto" do sistema Alto Tietê, que também passa por situação crítica, com falta de chuvas neste ano.

A empresa diz estar realizando "estudos para o possível aproveitamento da reserva técnica do sistema Alto Tietê que será feito caso haja necessidade".

"Volume morto", ou reserva técnica, é a água que fica abaixo do ponto de captação das represas. Por isso, precisa ser bombeada.

O nível do Alto Tietê, que atende principalmente os municípios de Arujá, Itaquaquecetuba, Poá, Ferraz de Vasconcelos, Suzano e Mogi das Cruzes, estava ontem (11/7) em 24% de sua capacidade.

Ao todo, o Alto Tietê abastece 3,1 milhões de pessoas na Grande São Paulo, além de parte da zona leste da capital. É o sistema mais vazio depois do Cantareira, que operava ontem em 18,6%. Ambos ficam geograficamente próximos.

Outros estudos também estão sendo feitos, diz a Sabesp, para que mais água do "volume morto" do Cantareira seja usada.

Pelas previsões do governo, a reserva usada agora pode acabar em março, caso as chuvas da primavera e do verão fiquem bem abaixo da média.

02/07/2014

STF derrota Reis dos Camarotes

Filed under: Copa 2014,Eleições 2014,Isto é PSDB!,PSDB,Rei dos Camarotes — Gilmar Crestani @ 7:09 am
Tags:

joaquim-barbosa-luciano-huck

Foi-se o fiel escudeiro do PSDB e da velha mídia. JB deixou o STF pela porta dos fundos não sem antes deixar um voto de apoio ao seus parceiros do PSDB. Sempre ele e Gilmar Mendes dando apoio aos Reis dos Camarotes

Veja o que é a indigência mental de um Ministro que leva a vida com ódio. O ódio lhe tira resquícios de vida racional. Se é verdade que, por haver financiamento público, pode-se se usar os jogos para fazer protesto contra o governo, então porque o mesmo não permitiu protestos dentro do STF? O STF foi construído, não com FINANCIAMENTO, mas com dinheiro público.  E os Ministros são pagos também com dinheiro público. Já vai tarde quem nunca não mereceu estar lá.

STF nega pedido do PSDB para garantir protestos em arenas

DE BRASÍLIA – Por oito votos a dois, o Supremo Tribunal Federal negou nesta terça (1º) pedido do PSDB para garantir a realização de protestos "ideológicos" dentro dos estádios na Copa.

A sigla pedia que a corte derrubasse o artigo da Lei Geral da Copa que proibia o uso de faixas e cartazes "para outros fins que não o da manifestação festiva e amigável". Para a maioria dos ministros, porém, a lei não obstrui a liberdade de expressão.

Na sua última sessão na corte, o presidente do STF, Joaquim Barbosa, votou a favor da ação do PSDB. Ele disse que a Copa foi feita com financiamento público e "não faria sentido limitar a expressão" daqueles que custearam o evento.

30/06/2014

Aécio faz 69 com Aloysio

Filed under: Aécio Neves,Aloysio 300 Nunes,Isto é PSDB! — Gilmar Crestani @ 7:09 pm
Tags:

alô isioTirem as crianças da sala. Sabe aquele papo do “vamos conversar”? Aécio alterou, na convenção do PSDB, para “vamos sugar”. E nesse lero-lero levou no papo Aloysio Nunes.

E quem conversa de boca cheia vota em quem? Nas redes sociais, Aloysio recebeu o sobrenome de 300, por suas preocupações sociais…

Vem aí a concorrência aos mãos leves do mercado, Aloysio 300

Aécio anuncia hoje que senador Aloysio Nunes será seu vice

Depois de meses de especulações sobre seu companheiro de chapa, mineiro escolheu nome que agrada mais ao PSDB

O sigilo da decisão até o limite do prazo busca ampliar exposição na mídia; Alckmin e FHC foram avisados ontem

DANIELA LIMADE SÃO PAULONATUZA NERYDE BRASÍLIA

O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) foi avisado por interlocutores do mineiro Aécio Neves que será anunciado como vice na chapa do presidenciável tucano nesta segunda-feira (30).

A indicação encerrará meses de especulações sobre quem seria o companheiro de Aécio na disputa presidencial de outubro. A comunicação foi feita no fim da noite deste domingo (29).

Ao longo do dia, o senador ainda dizia a aliados ter duas opções: Aloysio Nunes e a ex-ministra do Supremo Tribunal Federal Ellen Gracie.

Aécio fez um cálculo político para manter o sigilo de sua decisão. Quis criar um fato novo no ambiente eleitoral depois de os principais adversários, a presidente Dilma Rousseff (PT) e o ex-governador Eduardo Campos (PSB), terem feito suas convenções e apresentado seus aliados.

Com o anúncio tardio, Aécio quer garantir mais exposição na imprensa.

Aloysio sempre foi o mais cotado entre os tucanos. Senador mais bem votado em São Paulo nas eleições de 2010, a escolha de seu nome simboliza que São Paulo é uma prioridade de Aécio em sua campanha e fortalece o discurso de que o partido está unido em torno da candidatura do mineiro.

O senador é um dos nomes mais ligados ao ex-governador José Serra, com quem Aécio disputou por anos o protagonismo no PSDB.

SUSPENSE

O último passo para a decisão foi dado por Aécio na noite de domingo, quando ele consultou, pelo telefone, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. A interlocutores, disse que "só depois de ouvi-los" bateria o martelo.

Desde a formalização de sua pré-candidatura, pessoas próximas a Aécio apresentaram à imprensa diversos nomes como possíveis candidatos a vice do mineiro.

Já estiveram na lista o ex-senador e ex-governador do Ceará, Tasso Jereissati, o ex-governador José Serra e até FHC, que se apressou em dizer que, aos 83 anos, não seria mais candidato.

A deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP) também foi cotada para a vaga, mas as negociações não prosperaram. Até domingo, ela não havia sido contatada por Aécio para tratar do assunto.

Nos últimos dias, o presidenciável tucano deu pistas de que poderia trazer "uma surpresa". A aliados, chegou a dizer que tinha um terceiro nome "em sua cabeça", além de Aloysio e Ellen Gracie, e depois, em agenda no Nordeste, afirmou que sua vice poderia ser uma mulher.

No fim de domingo, no entanto, sinalizou ter feito a opção mais segura e com maior amparo dentro do PSDB e entre os partidos aliados.

País rico não é país onde oposição rouba até slogan

E quem diz isso não é nenhum petista. É  a própria Folha. Se os caras não são capazes de sequer criar um slogan, o que poderiam criar. Vem daí a expressão de que o PSDB não lega aos cidadãos onde governam nenhuma obra que se faz com cimento e tijolos.

Nem vender eles sabem. Até porque quem copia slogan é porque sequer sabe vender. Ou será porque o produto é muito pobre? O Brasil precisa se livrar de muitas pobrezas, uma delas é a indigência mental de uma direita larápia.

Pais rico é pais sem misériaCartaz une foto de tucano com slogan petista

DE SÃO PAULO

Cavaletes à entrada da convenção do PTB de São Paulo na manhã deste domingo (29) exibiam foto do senador Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência da República, com o slogan: "País rico é país sem pobreza".

A frase é a mesma repetida por campanhas publicitárias do governo da presidente Dilma Rousseff.

A assessoria de Aécio afirma que o material não foi fabricado pelo PSDB.

O partido chegou a emitir nota sobre o caso, assinada pelo deputado Duarte Nogueira, presidente do diretório paulista do PSDB.

Segundo os assessores de Aécio, o presidente do PTB-SP, o deputado estadual Campos Machado, dono da convenção, também negou a autoria da peça.

NEOALIADO

Aécio participou e discursou na convenção do PTB, seu novo aliado na disputa presidencial.

O partido integrava a base de apoio ao governo Dilma no Congresso Nacional até a última sexta-feira (27), quando decidiu embarcar na coligação do PSDB.

Em sua nota, o PSDB paulista se disse "surpreendido" com a exposição dos cavaletes. Além de reconhecer a semelhança entre a frase reproduzida e o slogan federal, o partido frisa o risco de ser punido por suposta propaganda eleitoral antecipada.

"Apesar de trazer a marca do PSDB, a peça não foi produzida pelo partido. O PSDB solicitou a imediata retirada do material. Além da nossa discordância com o conteúdo, a peça pode ser compreendida como material de campanha eleitoral, o que é proibido nesse momento.", diz a nota.

(DL)

17/06/2014

PSDB, Partido dos Sociopatas e Demofóbidos Brasileiros

Serra_Beto_paranavai_maoAécio não inova em absolutamente nada. E não é pelo fato de ressuscitar múmias. Também não inova em culpar o submundo da internet pela associação com o pó. Um dos seus humoristas de aluguel, Danilo Gentili, quando Aécio ainda era desafeto de José Serra, a quem os jornalistas dos grupos mafiomidiáticos paulistas servem como cães de aluguel, já falavam (e muito) sobre os costumes do candidato dos demofóbicos (veja aqui: https://www.youtube.com/watch?v=ILM7EurqvOk). Adoram um camarote VIP que seus financiadores ideológicos alugam para que possam mostrar ao público brasileiro e ao mundo o quanto são educados. Os reis dos camarotes do PSDB são sempre muito bem abrigados pelo Itaú, Natura, Vivo, Sony… E cheirosos, claro. Tem diplomas e curso no exterior, mas dizem palavrões à Presidente que os derrotou no voto e democraticamente.

Então, a bem da verdade, não é só Aécio Neves que sofre de demofobia. Lembram quando FHC chamou os aposentados de vagabundos?

José Serra é também um caso clássico. A ilustração ao lado prova o suficiente.

Também os funcionários dos grupos mafiomidiáticos, que são verdadeiras penas de aluguel do PSDB, têm verdadeiro pavor de povo. Alguém ainda lembra da “massa cheirosa do PSDB” da colonista da Folha, Eliane Cantanhêde?

O trabalhador que sua a camisa no trabalho, o trabalhador braçal não faz parte da massa cheirosa. Imagine Aécio Neves saindo pelo interior e abraçando trabalhadores rurais… Vem daí a importância de bonecos de papéis para que o povo possa fazer um selfie com o pancadão dos camarotes VIP. Como diria José Serra, pó pará, governador!

“O PSDB é um partido de massas, mas de MASSAS CHEIROSAS”….

O que os bonecos de papelão de Aécio Neves dizem sobre o PSDB

Postado em 17 jun 2014

por : Kiko Nogueira

boneco aecio

“Vamos conversar?”

A convenção do PSDB que sagrou o nome de Aécio Neves candidato à presidência teve o de sempre: discursos exaltados, abraços e juras de amor eterno, Fernando Henrique Cardoso, críticas ao PT, José Serra falando em união, Geraldo Alckmin sorrindo etc etc.

Mas houve pelo menos uma inovação que ficará para a crônica política como um dos símbolos do PSDB: bonecos em tamanho natural de Aécio, feitos de papelão, armados para os militantes tirarem fotos.

Foram colocados num saguão do Expo Center Norte, de acordo com assessores de Aécio que falaram ao jornal Extra, “como recurso para uma brincadeira”. A ideia era “fingir uma foto” e não “tapear as pessoas”.

Havia ao menos 5 mil correligionários. Algumas pessoas receberam 25 reais para comparecer, segundo o Estadão. Líderes políticos de São Paulo e de Minas fretaram ônibus.

Aécio, como Serra e FHC, não é chegado a esse tipo de contato pessoal. Um veterano de convenções do PSDB lembra que quem vai a um encontro desses quer cumprimentar a estrela do show, falar com ela, mostrar algum tipo de comprometimento. Ficaram na mão.

Há alguns precedentes. No mais famoso, em 2006, em pré-convenção numa churrascaria do Morumbi em que se decidia entre Alckmin e Serra para disputar a candidatura a presidente,  Serra, FHC, Aécio e Tasso Jereissati, então presidente do partido, abandonaram a festa e foram jantar no restaurante Massimo, no Jardins. Se existissem os bonecões na época, certamente estariam no lugar dos quatro. (Alckmin, aliás, acabaria saindo candidato).

O truque de mágica criado pela equipe de Aécio é sintomático. Nem com a torcida a favor, como era o caso do Center Norte, ele se dispõe a ter um contato mais próximo com algo parecido com povo. Alguém poderia chamar isso de demofobia.

Na véspera, estava num jantar com Andrea Matarazzo, coordenador de sua campanha. Na noite de sua entronização no Center Norte, não se sabe de seu paradeiro, apenas que era um lugar bem longe dali. Antes de ir para o lixo, os bonecos de cartolina viraram, compreensivelmente, uma piada na internet. O próximo passo é colocar um deles para governar.

Sobre o Autor

Diretor-adjunto do Diário do Centro do Mundo. Jornalista e músico. Foi fundador e diretor de redação da Revista Alfa; editor da Veja São Paulo; diretor de redação da Viagem e Turismo e do Guia Quatro Rodas.

Diário do Centro do Mundo » O que os bonecos de papelão de Aécio Neves dizem sobre o PSDB

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: