Ficha Corrida

06/11/2016

Índio começou na roça aos 9; eu, aos 8!

Filed under: Índio,Inter — Gilmar Crestani @ 10:58 am
Tags:

Não é porque eu tenha, e todos no meu tempo também, que concorde!

É comum ver em pessoas que passaram pelas mesmas circunstâncias dizerem que era um tempo feliz. É só uma confusão entre juventude x condição de vida.

Quem é da aldeia colorada conhece seu Índio! 

"Comida mais cara do mundo" foi a paixão de Índio antes de brilhar no Inter

Marcello De Vico e Vanderlei Lima – Do UOL, em Santos e São Paulo – 05/11/201606h00

  • Jefferson Bernardes/Agência Preview

    Índio é homenageado pelo Inter na reinaguração do Beira-Rio, em 2014

    Índio é homenageado pelo Inter na reinaguração do Beira-Rio, em 2014

Antes de chegar ao Internacional e se apaixonar pelo Colorado, Índio teve outra paixão, ainda no início de sua vitoriosa carreira no futebol: a panqueca. Foi no Novorizontino, primeiro clube de sua carreira, que o ex-zagueiro foi ‘apresentado’ à comida que virou uma de suas maiores alegrias. Local de Maracaí, interior de São Paulo, Índio trabalhou na roça desde os nove anos. Até os 18, quando iniciou a carreira profissional no futebol, ainda não havia tido a oportunidade de comer o que, para ele, era a ‘comida mais cara do mundo’.

Edu Andrade/Agência Freelancer

"Eu comecei um pouco tarde, com 18 anos, porque eu trabalhava, e tive a oportunidade de fazer um teste, e depois fui com fé, lutando, acreditando em um dia chegar num grande clube. Eu comecei no Novorizontino, a primeira vez que eu comi panqueca foi no Novorizontino, eu nem sabia o que era panqueca [risos]. Na minha cidade, Maracaí-SP, todo mundo sabe… Lá eu trabalhava na roça e eu nunca tinha comido panqueca, passei muita dificuldade, e quando eu fui jogar no Novorizontino, tinha um cardápio assim: feijão, arroz e panqueca, e para mim panqueca era a comida mais cara do mundo, mas era massa enrolada com carne e ovo. Para mim eu estava comendo a comida mais cara do mundo, e eu comi muito, parecia que estava comendo a melhor comida do mundo [risos]. Eu adoro panqueca, é bom demais", conta o ex-zagueiro colorado em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

Marcos Antônio de Lima, o Índio, recorda o momento em que pediu as contas do trabalho, aos 13 anos, para se arriscar na ainda incerta carreira de futebol. Escolha acertada.

"Eu trabalhei numa empresa, na roça… Eu cortava cana e o meu pai era motorista em Maracaí. Eu comecei a trabalhar cedo na roça, com nove anos, aí com 13, já trabalhando na empresa, um certo dia eu pedi uma folga e a empresa não queria me dar, mas tinha o chefe meu que conseguiu e eu fui fazer o teste e acabei passando. Aí eu voltei e pedi a conta", lembra.

Índio na ponta direita?

Antes de ser recuado para o setor defensivo, Índio arriscou alguns jogos atuando no ataque, ainda em um time amador de sua cidade. Mas foi prontamente deslocado pelo técnico.

"Quando eu jogava no time da Usina, na minha cidade em Maracaí, eu era forte, e fui jogar de ponta direita, e o treinador de lá falou: ‘não, pelo amor de Deus, na ponta direita não, joga lá para trás’ [risos], aí eu fui para a zaga até encerrar a carreira [risos]", brinca Índio, que ainda cita suas principais referências da posição que o consagrou no futebol. "Eu me espelhava no Antônio Carlos Zago, no Márcio Santos, eu admirava muito esses dois jogadores… o Márcio Santos jogou no Novorizontino e também no Internacional", acrescenta o ex-zagueiro.

O começo no Internacional…

Reuters

Índio lembra que a chance de defender o Internacional em 2005, após uma rápida passagem pelo Palmeiras, deu-se graças à indicação de Muricy Ramalho, técnico do Inter na época.

"Foram 10 anos de Internacional, e foi o Muricy Ramalho [que pediu sua contratação], ele acabou me ligando… Falei com o presidente Fernando Carvalho e também com o Newton Drummond, que era gerente de futebol, mas foi o Muricy quem pediu a minha contratação, eles fizeram a reunião e o Muricy pediu a minha contratação", revela.

Amor pelo Inter e ‘zaga-artilharia’

Foram dez anos atuando pelo Internacional, com ao menos um título conquistado em cada um deles. Índio tornou-se ídolo da torcida e o maior zagueiro artilheiro do clube: 33 gols.

Alexandre Lops/AI Inter

"O Internacional mudou a minha vida. Hoje, graças a Deus, tudo que eu conquistei, onde estou trabalhando hoje, é no Internacional, então o Internacional mudou a minha vida, o Internacional é amor, paixão, lutei demais por este clube, tudo valeu a pena. O Internacional é uma família que eu tenho, foram vários títulos no Internacional, carreira, a condição financeira que o clube me proporcionou… Claro que eu lutei, batalhei e trabalhei para isso, reconhecimento, foi muita mudança na minha vida. A identificação com o Internacional e a torcida foi fatal, sem dúvida eu me identifiquei muito, é um clube que eu tenho carinho mesmo agora que está passando por momento difícil no Brasileiro, mas eu acredito que vai sair desta situação", afirma o zagueiro, que superou os 26 gols de Figueroa em uma partida de 2010, contra o Avaí.

"Quando eu cheguei no Internacional, um clube vitorioso… Passaram vários jogadores, vários zagueiros com muita qualidade, e eu sempre ouvi falar muito no Figueroa, é um nome mundial e ele era o atleta que mais tinha feito gols, e eu consegui superar esse número e ultrapassá-lo. Eu fui trabalhando e as coisas foram acontecendo, e hoje, no Internacional, eu tenho 33 gols, sendo o maior zagueiro artilheiro na história do clube", acrescenta Índio.

‘Homem Gre-Nal’

Edu Andrade/Agência Freelancer

Dos 33 gols marcados, quase 20% deles (seis) foram marcados diante do maior rival do Internacional, o Grêmio. Mais um motivo para aumentar a idolatria da torcida com Índio.

"Aqui no Rio Grande do Sul você pode estar disputando 10 campeonatos, mas chegou no Gre-Nal os campeonatos param, é totalmente diferente, é muito diferente. Os torcedores nas ruas falando: ‘vamos ganhar, vamos ganhar’, e eu gostava muito de jogar e fazer gol", diz.

"Em Gre-Nal eu sou um dos zagueiros que mais fez gols no rival. O Gre-Nal é gostoso demais de se jogar, eu fiz seis gols em Gre-Nal e nunca perdi quando eu fiz gol. Gre-Nal, na semana, para o Rio Grande Sul, é bom demais. Na véspera do jogo a gente não dorme pensando no jogo, é gostoso demais, é diferenciado, um dos maiores clássicos do mundo. É o mais disputado, tem qualidade", opina o ex-zagueiro colorado.

O jogo mais especial pelo Inter

EFE/Kimimasa Mayama

Dentre os 391 jogos que disputou com a camisa colorada, um deles se tornou mais marcante na memória de Índio. E não podia ser diferente: uma vitória sobre o poderoso Barcelona na final do Mundial, em 2006.

"Todos os jogos, desde que eu cheguei aqui, foram especiais, mas um dia maravilhoso e marcante para a nação colorada, com certeza, foi o Mundial de 2006 contra o Barcelona. A maioria não acreditava na gente, quem acreditava era o torcedor colorado, e a gente foi para lá e se sagrou campeão. O Barcelona jogou o primeiro jogo e tinha aplicado uma goleada de 4 a 0 no América do México, e ninguém acreditava que a gente ia ganhar. É um jogo que me marcou muito", conta Índio.

Inter até depois de pendurar as chuteiras

Índio e Internacional não se desligaram mesmo após o zagueiro pendurar as chuteiras, atuando pelo Inter (claro), em dezembro de 2014. Depois de um tempo de descansando, ele foi convidado pelo clube para fazer um trabalho social com os torcedores. E aceitou.

"Eu tirei um tempo depois que eu parei de jogar futebol, fiquei na minha cidade, cuidando das minhas coisas, mas eu não gostei de ficar fora do futebol. Acabei recebendo o convite e estou trabalhando para o clube. Trabalho na área social, com torcedores que têm dificuldade em vir ao Beira-Rio… Então o clube pega e leva os ex atletas – ou até mesmo os atletas que estão em atividade, mas estão de folga – para o interior para tirar uma foto com o torcedor; uma festa com o torcedor para as pessoas cada vez mais se sentirem próximas ao Internacional, e a gente tem viajado e tenho sentido a importância deste trabalho", completa.

05/05/2015

Papai é o maior

Filed under: Campeão de Tudo,Inter,Papai é o Maior — Gilmar Crestani @ 8:15 pm
Tags:

Cada ano cresce o número de jogadores que abandonam o Porto Alegrense em busca de novas paragens onde possam ganhar títulos. Eles até garimpam o Celeiros de Ases em busca do DNA campeão, mas o pijama não veste bem. No Pampa todos sabem. Quer título, vá pro Inter. Eles são imortais; o Inter, mortal! Como na disputa da taça mais recente!!

giuliano gremio

Desde os tempos do Rolo Compressor que os colorados cantam e o mundo se encanta, agora a Revista Placar confirma:

Papai É O Maior (rolo Compressor)

Sport Club Internacional

Papai é o maior
Papai é que é o tal
Que coisa louca, que coisa rara
Papai não respeita a cara
Papai é campeão
Papai não tem rival
Papai “tá” com a razão
É colorado , Internacional!!

Placar aponta: Inter é o maior campeão do Brasil


Pentacampeonato alçou o Inter ao primeiro posto do ranking da Placar

A revista Placar atualizou nesta terça-feira (5/5) o levantamento que aponta quem é o maior campeão do Brasil. E o Internacional passou a ocupar a primeira posição isolada do ranking após a conquista do pentacampeonato gaúcho, o 44ª título estadual em seus 106 anos de história.

O levantamento, publicado na versão digital da tradicional revista, levou em conta todas as equipes do país que possuíam, no mínimo, 15 títulos estaduais. Também foram computados todos os torneios sul-americanos oficiais organizados pela Conmebol. No Brasil, todos os torneios nacionais entraram na lista, além dos regionais e, claro, os estaduais.

Legítimo Campeão de Tudo, o Internacional assumiu a ponta de forma absoluta, com 55 títulos, impulsionado, em grande parte, pelo elevado número de conquistas estaduais e diversidade de títulos nacionais e internacionais. Confira o cartel colorado:

* Campeão Mundial
* Bicampeão da Libertadores
* Bicampeão da Recopa Sul-Americana
* Campeão da Copa Sul-Americana
* Campeão da Copa Suruga
* Tricampeão Brasileiro
* Campeão da Copa do Brasil
* Gauchão: 44 vezes campeão

27/04/2015

Grêmio ou ganha ou é culpa da arbitragem

Filed under: Grêmio,Grenal,Inter — Gilmar Crestani @ 7:56 am
Tags:

Por falta de ídolos em casa, torcida gremista assedia D’Ale colorado!

dalessandro_gcom62Na vida, absorvente é pra xeca. Só no Grêmio é Pacheco!

Com síndrome de abstinência, devido ao longo jejum de títulos, os dirigentes gremistas saíram da Arena da OAS, no Humaitá, atirando contra o árbitro Anderson Daronco e D’Alessandro. O que os gremistas não sabem, porque não INTERessa saber, é que  Daronco assinalou três dos quatro pênaltis contra o Inter no estadual. Dos cinco recebidos pelo Grêmio, dois foram assinalados pelo árbitro deste final de semana. Ora, pensar em jogar futebol, nem pensar.

Para os dirigentes gremistas, ou o Grêmio ganha ou é prejudicado pela arbitragem; em relação ao Inter, ou perde ou favorecido pela arbitragem. Se os dirigentes do Grêmio parassem de dar migué, fizessem menos cera, batessem menos e jogassem mais futebol em casa, com todos os gremistas nas arquibancadas, poderiam até ter ganho do Inter. Marcelo Grohe ficou quase cinco minutos deitado pedido água. Na entrevista, depois do jogo, Grohe admitiu e justificou dizendo que faz parte do jogo. Sim, faz parte de quem não tem jogo. De quem tem medinho.

Visivelmente o Inter entrou retrancado para não levar gol. Não conseguindo, o Grêmio partiu para a porrada. Até Geromel, que não é disso, chutou D’Alessandro no chão. Alguém deve ter dito:

– Geromel, se quebrares a perda do D’Alessandro, ídolo colorado, teu bicho será dobrado!

O ódio do Grêmio ao D’Alessandro é diretamente proporcional à falta de ídolos. O último ídolo do Grêmio, Renato Portaluppi, é torcedor do Flamengo. É compreensível a irritação tricolor.

É até engraçado, porque o Grêmio costuma chamar de alma castelhana a deslealdade. Bater em jogador deitado não é só antidesportivo, é também covardia.

É impressionante como a diretoria e a comissão técnica do Grêmio tentaram e tentam condicionar a arbitragem.

Será que o Felipão também culpa a arbitragem pela derrota de 7 x 1 pra Alemanha?!

07/04/2015

Fabrício e o mito de Sísifo

Filed under: Fabrício,Futebol,Inter,Racismo — Gilmar Crestani @ 8:41 am
Tags:

sisifoEstive no jogo do Inter com Ypiranga de Erechim, pelo Gauchão, na arquibancada inferior, lado sul do Gigante da Beira-Rio. Ouvindo as vaias ao jogador Fabrício me lembrei do mito de Sísifo. O cara se esforça para levar a bola ao ápice e, enquanto isso, os corvos ficam bicando no seu traseiro. Se é verdade que por vezes a bola lhe pesava como pedra, também é verdade que não se lhe pode negar o esforço em leva-la ao gol adversário. Jamais se omitiu. Tanto que foi fundamental na conquista da vaga para a Libertadores. E ele estava metido nesse metier quando foi vaiado. Covardemente vaiado!

Desde o anúncio da escalação do time, pelos telões, a torcida se manifesta, apoiando ou vaiando. Poucos se manifestavam favoravelmente ao Fabrício.

Na ocasião o jogo estava chocho e o Inter, jogando mal, se arrastava em campo sem conseguir furar o bloqueio montado pelo bem postado time adversário, o que deixava a torcida ansiosa. Como um time grande como o Inter não fazia um gol no simples Ypiranga de Erechim?!

O Fabrício tomou a bola na área defensiva, avançou, passando por três adversários, pela esquerda até a linha dá área do adversário. Os demais jogadores do Inter não se movimentaram para receber e Fabrício ficou, diante de três defensores, sem alguém para quem dar o passe. Manteve a posse da bola. Impaciente, a torcida começou a vaia-lo. Indignado pelo esforço que vinha fazendo, Fabrício fez gestos obscenos para a torcida.

Fabrício tem razão. Eu teria feito o mesmo.

Eu também, se no ambiente de trabalho, ao invés de me apoiarem começassem a me apupar, revidaria. Até porque, outros jogadores perdiam a bola, se esforçavam menos e nem por isso eram vaiados. A torcida, no meu modo de entender, e disse isso durante o jogo aos torcedores que estavam do meu lado, que não concordava com as vaias.

Do meu ponto de vista, as vaias a Fabrício parte de pessoas frustradas cuja alegria depende, não de si, mas de outros. Por exemplo, a satisfação pessoal passa pela vitória do Inter. São frustrados que, por mais que se esforçam, jamais terão salário igual ao de Fabrício. Pior, há muitos clubes interessados em contar com o futebol de Fabrício. E nenhum interessado em contar com torcedores iguais ao que torceram contra Fabrício. Não só em virtude da falta de educação, mas também pelo baixo nível de inteligência. Como pode alguém, em sã consciência, depreciar o próprio patrimônio? Perguntei aos torcedores que estavam ao meu lado quem eles poriam no lugar de Fabrício e não conseguiram escalar ninguém.

Por que não esperar o final do jogo para criticar? É o que fazem, por exemplo, as torcidas na Argentina!

Racismo

Muito provavelmente haja racistas também na torcida do Inter. O ambiente de ódio fomentado pelos meios de comunicação social contra movimentos sociais cria um ambiente propício para manifestações de ódio. Isso é fato. Eu estive lá e não vi. Quem não tem graça e acha que faz humor, só porque tem o privilégio de ocupar espaço nobre na mídia, não pode usar episódios chocantes só para se promover.

Na ocasião ouvi toda sorte de xingamentos que torcidas estão acostumadas a proferir contra juízes, bandeirinhas e jogadores adversários. FDP, pqp, caralho, vagabundo. Mas não ouvi ninguém proferir manifestações racistas.

E se tivesse ouvido e quisesse fazer uma acusação de racismo, gravaria em áudio e/ou imagens e entregaria às autoridades.

Assim como manifestações racistas são extremamente graves e devam ser condenadas, as acusações de racismo, exatamente por se trata de crime grave, também devem ser fundamentadas, provadas. Não se pode acusar alguém sem prova. Só no STF alguém pode dizer, sem prova, apenas porque a “literatura jurídica me permite”, ou que chicana “foi feita pra isso, sim”.

Fazer o contrário, depõe contra quem acusa. É imbecilidade. A torcida do grêmio que votou no Jardel, inclusive o Felipão, que fez campanha para o desarticulado, deveria dar satisfação à sociedade pela escolha do tiririca gremista para a Assembleia gaúcha. Jardel é do mesmo nível do governador Sartori, ambos provam de que uma manada bem conduzida se atira do alto do rochedo. Querer meter a torcida colorada no atoleiro do Humaitá é desejo que Freud explica.

A torcida do Grêmio, como torcida, tem razão em querer que o Inter seja condenado por racismo.

Querer querer, pode.

Mas pedir condenação do tipo Chaves, só “sem querer querendo”, não passa de desejo incontido de frustrados querendo ver o Inter sofrendo pelos crimes que parte da torcida do Grêmio cometeu. Tanto cometeu que restou provado e condenado. O que tornou o Grêmio o único clube do mundo eliminado de uma competição nacional por racismo. Isso machuca mas não elimina a verdade. As imagens falam por si sós. É melhor lamber as próprias feridas que chutar no vazio para querer ver no Inter o que por lá aconteceu.

Nós colorados temos mais é que evitar o racismo para que não nos aconteça o que aconteceu ao Grêmio.  O resto é choro de frustrados.

Mas enquanto os cães ladram a caravana passa.

22/03/2015

RBS e seus jornalistas de aluguel

Filed under: Grupo RBS,Inter,Jornalismo de Aluguel,Manipulação,RBS — Gilmar Crestani @ 9:58 pm
Tags:

MidiaLatuffA RBS detém os direitos de transmissão do Campeonato Gaúcho. Inter e Grêmio são as estrelas não só para os clubes do interior faturarem nos jogos locais como também para faturamento das transmissões da RBS. É também por esta razão que a detentora dos direitos exigiu a limitação de 32 jogadores por clube participante do certame deste ano. A tentativa busca fazer diminuir as chances de os times da Capital escalarem reservas, pois são os jogadores titulares, as estrelas, que trazem faturamento. Mesmo quando o interesse maior do Clube esteja na Libertadores. Ano passado o Grêmio focou na Libertadores; este ano, o Inter.

Até aí, nada de novo no pampa. São fatos e contra fatos a RBS tem aversão e sua versão. Se os fatos estiverem em desacordo com os interesses da RBS, pior para os fatos. A RBS poderia jogar claro e dizer: “pagamos direitos de transmissão por isso exigimos a participação das estrelas de cada time”. Não, prefere a manipulação. Senão não seria RBS, né.

Neste domingo o Inter encarou o Veranópolis, uma espécie de “tôca”, quando manda seu jogos em casa. Tendo jogado no meio da semana contra o EMELEC, no Equador, pela Libertadores, o treinador do Inter entendeu por bem escalar um time do grupo de 32 inscritos. Mas não os titulares… Sabia-se disso pelo menos desde sexta-feira, e confirmado no sábado.

Antes de continuar, um parêntesis. Os jornalistas esportivos da RBS, e nisso não são muito diferentes dos demais veículos, falam que se deve valorizar a “prata da casa”, que o “Gauchão” é para fazer experimentações e prospectar “revelações da base”. Ah, sem contar da necessidade de dar “ritmo de jogo” para melhor se desincumbir quando for escalado em partidas oficiais, principalmente Libertadores e Brasileirão.

É isso que o Grêmio faz com Felipão no início do ano, é isso que o Inter vem fazendo. Não foi diferente neste domingo em Veranópolis. O Inter botou em campo uma gurizada desentrosada.

Mas desde sexta-feira os muitos comentarias da RBS vem batendo contra a “escalação de reservas”, que era “hora de botar o titulares pra jogarem”. Quem não conhece a RBS pode pensar que seja uma opinião isenta e legítima dos comentaristas. Contudo, nunca é demais lembrar que a pegação de pé  está centrada no Inter do Diego Aguirre. A Libertadores é da Fox; o Gauchão, da RBS. Assim como a RBS, a Fox escala jogo às 17 hs no Beira-Rio. A RBS quer ver os titulares para ter um elenco para vender seu “charmoso gauchão” aos patrocinadores. Ao escalar reservas o Inter diminui o tamanho do espetáculo e, portanto, o faturamento da RBS, posto que diminui o número de telespectadores. Os patrocinadores gritam, a verdade factual padece.

O pessoal da Rádio Gaúcha fez severas críticas a escalação do Inter. Não entendem porque não jogaram os titulares. Se eles não entendem, eu entendo. Entendo também porque a RBS pensa assim. Entendo também porque a memória desse pessoal é tão seletiva. Como se não soubesse que o ritmo forte deste início de ano já botou vários jogadores no Departamento Médico. Nestas horas que cobram a presença de titulares eles não lembram dos desfalques do Inter contra o EMELEC por lesões.

Há dois exemplos que ajudam a entender o que estou querendo dizer. Quando a ULBRA tinha um time no Gauchão, a RBS se recusou a chamar de Ulbra, para não fazer propaganda “gratuita” para a Universidade. Chamava de Canoas. Aliás, a Globo faz o mesmo em São Paulo. Chama o Red Bull Brasil de RB Brasil. Não quer fazer propaganda da Red Bull. Por interesse comercial, esconde o nome do Clube. Fazem isso também no vôlei. Isso não é jornalismo, isso não é informação. É MANIPULAÇÃO! Por intere$$e!

Se os fatos estão em desacordo com interesses comerciais da RBS/Globo, pior para os fatos. Acredita quem quiser, ou quem não tem por costume usar seus dois neurônios. Acontece que jornalismo é informação. Quem deturpa informação por interesses comerciais não deveria se chamar de grupo de informação, mas de grupo empresarial. Se fazem isso com o futebol, por que não fariam com o resto. Por exemplo, como fazem com a Lista Falciani do HSBC

Quando vaza informação, sem lastro com a realidade de que há dinheiro das empresas envolvidas na Operação Lava Jato com alguém do PT, culpam o Lula e Dilma. Quando os mesmos dizem que deram mensalmente ao Aécio, baixa a lei Rubens Ricúpero. Silêncio geral. Dá para entender porque a Globo não trata do helipóptero?! Não é por falta de informação. Se maltratam os dados factuais que são de conhecimento público, por que não o fariam com fatos que não são do nosso conhecimento?!

São, como diria o velho Brizola, os tais de “interé$$es”…

Pense nisto.

28/11/2014

Eleições no Inter

Filed under: Giovanni Luigi,Inter,Marcelo Medeiros,Povo do Clube,Vitório Piffero — Gilmar Crestani @ 9:03 am
Tags:

Inter saciSe desenha uma eleição com cheiro de… Vitório.

Mas há um problema,  ele é Piffero! Embora seja um grande colorado e tenha já dado mostras de suas capacidade, nestas eleições explico porque não voto nele.

E não é só porque sou de remar contra maré!

Na comparação entre um Piffero e um Giovanni, voto no seu poste, Marcelo Medeiros.

Fui talhado para nadar contra a corrente. Por isso explico porque vou de Marcelo Medeiros na cabeça, e Chapa 4, POVO DO CLUBE, para o Conselho Deliberativo.

Por que Marcelo Medeiros?

– estamos com um dos Estádios, não Arena, mais belos do mundo;

– uma das sedes mais bem sucedida da Copa do Mundo de 2014;

– o Clube não deve nada pra ninguém;

– mesmo sem poder usar o Beira-Rio em alguns jogos, em virtude da Copa, o Inter está chegando ao final de 2014 muito melhor que muitos clubes que fizeram investimentos maiores;

– temos uma boa base de jogadores para a próxima temporada;

– Giovani Luigi está deixando um Clube financeiramente equilibrado, sem precisar pedir chave do campo para treinar;

– ninguém teria a paciência e a capacidade de negociação de Luigi, vendendo aquele perna de pau do Leandro Damião por quarenta, QUARENTA, milhões de reais;

– o Grêmio caiu duas vezes jogando dentro de casa; o Inter passou pelo menos dois anos jogando fora e não caiu;

– a campanha deste ano, por pior que tenha sido, e com todos os prejuízos por ter sediado a Copa e pelas lesões, ainda é uma das melhores dos últimos anos;

– apesar de jogar fora, o Inter manteve a escrita de botar no armário pelo menos uma taça por ano, encima do clube da OAS;

– dois anos sem perder greNAL!

– renovado por Luigi, o Beira-Rio ligado é o estádio mais bonito do Brasil; desligado, é o segundo mais bonito do Brasil; vazio, é o terceiro mais bonito do Brasil!!!!!!!!!!!!

Por que NÃO Vitório Piffero?

– dono de empreiteira, defendeu a reforma do Beira-Rio com recursos (im)próprios, sendo que não havia recursos, muito menos próprios;

– para tornar a reforma fato consumado, em benefício de um pool de empreiteiras gaúchas, ainda em Abu Dhabi mandou destruir arquibancadas do Beira-Rio;

– só a RBS foi a favor do Vitório Piffero, a ponto de tentar melar o contrato do Inter com a Andrade Gutierrez, por mero interesse de especulação imobiliária, da copabanização da orla do Guaíba;

– com Piffero a possibilidade de a sanguessuga RBS retornar ao Beira-Rio para explorar o entorno, sonho de todo especulador imobiliário, é garantido e certo;

– Fernando Carvalho, que foi o maior dirigente do Inter, virou cartola e papagaio de pirata na RBS, vê em Piffero melhores chances de melhorar seus negócios no meio futebolístico;

– se tivesse perdurada a ideia de Vitório Piffero não teríamos terminado o Estádio, não teríamos sediado a Copa do Mundo, teríamos sido rebaixados e, pior, estaríamos quebrados!!!!

– Celso Roth, NÃO!

A administração atual arrumou a casa. Agora, quando os frutos do sacrifício estão para serem colhidos, merece pelo menos mais uma gestão para abrir as portas à torcida para a FESTA!

11/08/2014

greNAL 402

Filed under: Grenal,Inter,Mel — Gilmar Crestani @ 3:55 pm
Tags:

20140810_150124Com Beira-Rio remodelado, padrão FIFA, posso levar meus filhos a jogos, e também em greNAL. E a Mel tem dado sorte. Todos os jogos que ela foi, o Inter venceu. A cada novo jogo ela passa curtir mais. Se tiver pipoca, facilita….

Tirando o barulho ensurdecedor da torcida que assusta os pequenos, a festa contagia. E, por enquanto, é tudo novidade.

Ontem minha filha queria saber que barulho era aquele de uuuuuuh!. Expliquei:

– Vaia, da torcida colorada quando o time da OAS ia bater falta.

– Pra quê, o Inter vai ganhar!, respondeu a Mel.

Mel, que tem só 7 anos, ainda não viu o Inter perder.

No dia em que o Inter consagrou-se Campeão do Mundo sobre o todo poderoso Barcelona, Mel estava na barriga da mãe. A mãe, grávida, muito nervosa, não conseguiu assistir o jogo. Esperava, fora de casa, brincando com os labradores Ulisses e Penélope, o término do jogo. Mel, mesmo antes de nascer, já dava sorte. Ao contrário de mim, que devo meu nome ao amor de meu pai ao Santos de Pepe, Pelé e… Gilmar, ela nasceu menina e, assim, se livrou de se chamar Gabiru…

Mais vaias. Desta vez para o canto fúnebre desrespeitoso ao ídolo Fernandão. Logo Fernandão, que nunca tripudiou encima do rival.

– Aquele que morreu? – perguntou a Mel.

Depois, quando a torcida adversária se alvoroçou porque Dudu, sozinho, de frente para o gol do Dida, chutou para a lateral, ouviu-se o ão, ão, ão. A Mel interrompeu meu canto e fez outra pergunta?

– O que é segunda divisão?

Como explicar para um criança que ainda não conhece futebol, nem a rivalidade, o que  é segunda divisão?

– É um tipo de castigo, como aquele do coleguinha que não se comportou direito e vai para o “cantinho de pensar”…

20/06/2014

Tem copa, tem Beira-Rio

Filed under: Beira-Rio,Copa 2014,Gigante para Sempre,Inter — Gilmar Crestani @ 8:10 am
Tags:

No Twitter: estrangeiros encantados com o Beira-Rio

Beira-Rio vem recebendo torcedores de diversos lugares do mundo

O imponente Beira-Rio está causando impacto no público estrangeiro. Palco de dois jogos da Copa do Mundo até agora – França x Honduras e Holanda x Austrália – a sede gaúcha tem chamado a atenção por sua beleza, tanto que muitos torcedores de outros países estão manifestando admiração pelo visual majestoso da casa dos colorados.

No Twitter é possível conferir diversos elogios feitos ao Gigante por internautas de diferentes partes do mundo. ‘Beautiful’ (lindo, em inglês) e ‘Beira-Rio’ são palavas que estão aparecendo bastante associadas na rede social. Confira alguns tweets:

Benzema também se rendeu

O atacante francês Benzema é outro que ficou com execlente lembrança do Beira-Rio. O camisa 10 dos Bleus marcou dois gols na vitória de 3 a 0 sobre Honduras, no dia 15 de junho, e postou como foto de capa no seu perfil do Facebook uma imagem de comemoração com o Gigante ao fundo.


ImprimirComentarEnviar

23/04/2014

Rede Baita Sanguessuga: o dia em que o colorado amarelou

Filed under: Engage Eventos,Grupo RBS,Grupos Mafiomidiáticos,Inter,RBS,Sanguessugas — Gilmar Crestani @ 8:55 am
Tags:

rbs menteVenho dizendo isso muito antes de ter sido confirmada a entrega da festa à RBS. Qualquer colorado medianamente informado sabia que a RBS não se conformaria em ter sido preterida pela Andrade Gutierrez na reforma do Beira-Rio. Desde o jogo do Inter x Santos na Vila Delmiro, quando os funcionários deliraram encima do Inter, viu-se que algo de anormal estava acontecendo.

Para refrescar a memória, no tempo em que a ex-funcionária da RBS a-vaca-lhava o Piratini, a RBS deitava seus olhos de “ávida por todos os lados” pra cima da área do Asilo Padre Cacique. A escolha do Inter para sediar a Copa do Mundo abriu o apetite dos maiores especuladores imobiliários do RS. Estavam de olho na especulação imobiliária encima de um complexo hoteleiro e shoppings junto ao Beira-Rio. E as construtoras gaúchas seriam o cavalo de tróia que a RBS tentava enfiar no rabo do Inter.

Desde então, a RBS não largou o pé do Inter. Atacando sempre a instituição e livrando a cara da empreiteira encarregada do projeto. A única forma de calar a boca do câncer da Azenha e de seus colonistas, os mais boçais estão sempre na RBS, foi dar um jeito para que a RBS pudesse forrar os bolsos encima do Inter.

Tudo tem um preço. A Festa da Reinauguração rendeu R$ 80 milhões à RBS. Mas ela ainda não abriu mão de fincar seus tentáculos pelos lados do Gigante para Sempre. Outras obras, se vierem, poderão ter o dedo da RBS, via Nex Group, principalmente se envolverem Hotéis e Shoppings.

A RBS é o verdadeiro atoleiro do RS. Ou o RS acaba com a RBS, ou a Rede Baita Sanguessuga vai sugar o Rio Grande.

Polêmica sobre a festa de reinauguração do Beira-Rio

Postado por Juremir em 21 de abril de 2014

A festa de reinauguração do Beira-Rio foi polêmica.

Poucos entenderam a escolha da banda Blitz para a abertura do espetáculo.

Mais polêmica ainda foi a escolha da empresa que organizou a festa. Depois de alguns dias de silêncio, os insatisfeitos estão aí para mostrar os seus argumentos, revelar suas perplexidades e questionar alguns procedimentos.

Pela versão divulgada a comissão encarregada da seleção escolheu o projeto do produtor Edson Erdmann, que, por sua vez, teria convidado a Engage, pertencente à RBS, para a ser a produtora/executora do evento.

O empresário Cláudio Fávero, do Opinião, não vê as coisas assim. Ele e seus parceiros – DM9 (conceito), Zeppelin (som) e Lupi (áudio) –  gastaram R$ 200 mil com o projeto “Nascido para ser gigante”, materializado num livro magnífico de capa dura, todo colorido, num vídeo e numa demonstração num hotel com uma simulação em 360º do que seria a festa. Fávero afirma que a proposta do seu grupo arrancou a unanimidade da comissão na primeira apresentação.

– Creio que foram 10 ou 12 as empresas que apresentaram projetos. Nossa proposta foi considerada a melhor. O diretor de marketing do Inter, o Jorge Avancini, e o Adauri Silveira ficaram entusiasmados. Pelo nosso orçamento, o custo seria de R$ 18 milhões vindos da bilheteria. Acima disso, tudo acima disso ficaria para o Internacional. No projeto da RBS, o Inter só ficaria com o que superasse R$ 24 milhões. Pelo nosso projeto, a festa e o jogo aconteceriam num só e dia e estimávamos uma receita em torno de R$ 28 milhões. A divisão em dois dias aumentou a receita. Pelo nosso projeto seria tudo baseado em tecnologia. Não teria banda alguma. Para que Hermes Aquino, Nenhum de Nós, Blitz? Entendíamos que o Inter era maior e bastava. Aí aconteceu uma coisa estranha. Resolveram que haveria uma segunda apresentação com os três melhores projetos.

Fávero não tem dúvida de que isso aconteceu por pressão da RBS.

– Um dos envolvidos chegou a nos dizer assim: “Temos a medalha de ouro, a medalha de prata e a medalha de bronze. Vamos fazer uma nova apresentação para dar a medalha de ouro à medalha de prata”.

O empresário garante que a RBS sempre esteve diretamente envolvida na disputa:

– O Edson Herdmann não teria nem condições de disputar sozinho. Teve alguns fracassos antes disso. Desde o começo a envolvida era a Engage, a RBS. A prova disso é que a RBS tentou fazer uma composição conosco para não ficar de fora. Depois, no Inter, inventaram que nós tínhamos desistido por não aceitar dar garantias. Não foi assim. Além disso, um documento no Conselho Fiscal definiu que o Inter pode fazer a auditoria da receita alcançada, mas não da despesa. Como saber quanto foi gasto? Fizemos a segunda apresentação no hotel Millenium. Fomos novamente os melhores. Mas, finalmente, recebemos a informação de que não seríamos os escolhidos. O Avancini me ligou para agradecer. Não disse explicitamente, mas entendi que a pressão da RBS tinha sido mais forte.

Corre o boato de que a RBS teria ameaçado não dar cobertura ao evento se a produção não fosse da Engage.

Cláudio Fávero entende, por fim, que o projeto do seu grupo foi “chupado” pelos ganhadores:

– Há uma série de coincidências. O projeto ficou lá no Inter. Basta ver a coisa da água no começo. Está no nosso livro. O evento dividido em atos era uma ideia nossa. O gol iluminado do Figueroa, com o jogador de terno preto. Vai por aí…

Liguei para Jorge Avancini, que foi lacônico:

– Acho que o Magrão está no choro de perdedor. Fala com Gélson Pires, presidente da Comissão.

Gelson Pires resumiu assim a situação:

– O projeto do pessoal da Opinião era muito bom. Ficou cabeça com cabeça até o fim. Só que, na hora das garantias, eles não as apresentaram. Aí a RBS entrou como fiadora e garantiu tudo. Precisávamos de tranquilidade para uma festa dessas. Temos atas de tudo. Quanto a aspectos comuns do evento entre os diferentes projetos, só pode ser coincidência. Não acho que isso seja importante. São coisas da história do internacional como ter água e aterro no começo.

Juremir Machado da Silva – Blogs – Correio do Povo | O portal de notícias dos gaúchos

14/04/2014

Imagens pra zoar dos gremistas

Filed under: Grêmio,Inter — Gilmar Crestani @ 9:07 pm
Tags:

Grêmio é a Disney, o parque de diversões, do Inter…

Quem chama INTERclubes de Mondial é porque só vai levantar taça MUNDIAL FIFA se for ao museu do INTER…

Gremio x Inter campeão e vice

Mundial FIFA X Toyota Cup

Desabafo de Gremista

Desabafo de Colorado

 

Estatistica Gremio Real

1 real x gremo o

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fernandão Tça Mundial

FIFA INTER GREMIO MUNDIAL ScreenShot_20171218225727

fifa inter gremio

Gremio x INter dubai.jpg

Gremio x Tagua.jpg

Gremio Zumbi.jpg

Imortal que mais morre.jpg

INter 2006 elenco.jpg

Inter Campeão do Mundo

Inter Campeao Mundial.png

Inter Gremio Barcelona.png

 

Inter Poster Mundial.jpg

INTER RS Campeão FIFA ÚNICO.jpg

Inter Time Grande Time Pequeno.jpg

INTER X Barcelona gremio x Real Madri.png

Inter x Gremio Mundial FIFA.jpg

Inter x Gremo.jpg

Inter X Pachuca.png

Luan Gabiru.jpg

M de Madrid.jpg

Marcelo e Cristiano Ronaldo.jpg

Mondial Legitimo.jpg

Mundiais.jpg

Mundial Gremio Real Madrid Navas VAR.jpg

Mundial Marcelo Cristiano Ronaldo Renato Gremio INter.jpg

Peninha Não, deu.jpg

Proporção Aurea Falta Gremio Cristiano Ronaldo Mundial

Proporção áurea, cobrança de falta do ristiano Ronaldo no Mundial contra inquilinos do Humaitá

Real Madrid x Gremio Estatística.jpg

Renato Cristiano Ronaldo Mundial.jpg

Renato Cristiano Ronaldo.png

Riquelme Libertadores.png

Ronaldos o.jpg

RS Gremio Inter.png

Saci Troféu.jpg

Taças Mundial e Serie B.jpg

Taças.jpg

Zoando Barreira Gremista.jpg

Fim do Mundo Cancelado Gremio Mundial

Este slideshow necessita de JavaScript.

Gauchão.png

Goethe 2006 x 2017

Gremio BI Campeão Mundial SQN

Humildade ou arrogância?!

Gremio Dubai Torcida

Gremio Dubai.png

Gremio e Mundial e vaca no telhado.png

Gremio Inter Campeao Vice.png

 

 

Gremio Inter rebaixamento 2017.jpg

Gremio Inter x Titutlos.png

Gremio Morreu na praia.jpg

Gremio Mundial Real Madrid

Gremio Planeta.jpgGremio Planeta Atlantida.jpg

Gremio Posto Ipiranga.jpg

Gremio Real Madrid.jpg

Gremio Toyota 1983

Gremio x INTER bebes.png

Barcelona Ronaldinho

Barreira Gremista

Cesar Prates Cristiano Ronaldo Faltas.jpg

Chaves Gremio.png

Cristiano Ronaldo Colorado

Cristiano Ronaldo Colorados

Cristiano Ronaldo Renato

Cristiano Ronaldo Salva o Planeta

Cristiano Ronaldo Silencio

Cristiano Ronaldo Tça Mundial

Cristiano Ronaldon

Dalessandro inter titulos gremio

Diogo Olivier 18122017

Usuário de craques do grêmio, pj da RBS!

Dupla Grenal Mundial.png

 

Farid Germano Biscoitos Zeze Gremio Mundial Real Madrid

Taça maior comedor: Biscoitos Zezé!

Tradições Gaúchas Edinho

 

 

 

 

Wonka imortalGremio Poka TaçaGremio Imorta ou Morto VivoEsporte de Gremista - NataçãoTaça CaxumbaGrito É campeão entalado na garganta

 

 

 

Quem achou que o Grêmio ia ganhar pelo menos o Gauchão foi... Bobô

Só Bobo acredita no Gremio…

Gol do Gremio & Gol do Juventude

Ronaldinho vem, vinha, aí…

Tamanho do Grêmio segundo o Juventude

Futebol deste tamanho, ó!

Tchau Gremio

Tchau, mais uma vez, tchauzinho….

Eliminado

Até o Pará já conseguiu, depois que saiu do Grêmio, erguer taça, no Flamengo. Marcelo Grohe ficou e…. NADA!

Eliminação é sempre dificil de EngolirEu acreditoPoka TaçaEliminates Arena

Gremio_n1 Gremio_n2

saci

Inter beria rio e nosso

intertuano

corneta gre-nal grêmio inter (Foto: Reprodução)

Gremio

Gremio e Libertadores

Gremio e Taças


corneta gre-nal grêmio inter (Foto: Reprodução)

corneta gre-nal grêmio inter (Foto: Reprodução)

corneta gre-nal grêmio inter (Foto: Reprodução)

corneta gre-nal grêmio inter (Foto: Reprodução)

inter campeão de tudo

inter n cai

INTER RS

Inter x Aflitos

inter1

Inter nao cai

gremio saido

gremio secreto

Gremio vhs

GREMIO

gremion

gremios

barcos gremista

Cesar Prates Cristiano Ronaldo Faltas.jpgGremio x INter dubai.jpgINter 2006 elenco.jpg

13/04/2014

Tetracampeão gaúcho – 13/04/2014

Filed under: Campeão de Tudo,Inter — Gilmar Crestani @ 7:26 pm
Tags:

 

13/04/2014

Grupo de jogadores tetracampeão gaúcho

Inter mostrou superioridade durante toda a campanha do Gauchão 2014

A soberania é colorada nos Pampas! O Inter foi guerreiro e trouxe mais uma vez a taça estadual para o Beira-Rio. Confira abaixo os jogadores que fizeram parte da campanha do 43º título gaúcho.

Goleiros

Zagueiros

Laterais

Volantes

Meias

Atacantes

Técnico

* Também participaram da conquista do tetracampeonato os atletas do grupo Sub-23: Jean e Eduardo (zagueiros); Raphinha e Diogo (laterais); Rodrigo Dourado, Gladestony e Nathan Índio (volantes); Fernando Baiano, Alex Santana e Alex Nemetz (meias) e Aylon, Reis, Ruan e Murilo (atacantes).
** O volante Josimar, negociado com o Palmeiras, também esteve em campo.

Departamento de Futebol Profissional

Vice-presidente de futebol: Marcelo Medeiros
Assessores de futebol: Eduardo Lacher e Roberto Melo
Diretor executivo: Jorge Macedo

Comissão técnica

Auxiliares técnicos: Leomir de Souza e Odair Hellmann
Preparador físico: Cristiano Nunes
Preparador de goleiros: Marquinhos Lopes
Auxiliar/preparador de goleiros: Daniel Pavan
Observador técnico: Fábio Moreno
Analista de vídeo e estatística: Maurício Dulac
Coordenador de preparação física: Élio Carravetta
Auxiliares de preparação física: Marcelo Chirol e João Goulart
Fisioterapeutas: Marcelo Mutuberria, Guilherme Bergamo e Mauro Matos
Diretor-médico: Paulo Rabello
Médicos: Carlos Poisl, Guilherme Caputo, Matheus Falcão e Luiz Crescente
Enfermeiro: Vladimir Dutra

Apoio

Supervisor de logística: Adriano Loss
Nutricionista: Cintia Carvalho
Assistente social: Patrícia Vasconcelos
Massagistas: Paulo Renato Avis da Silva (Banha) e Juarez Quintanilha
Roupeiros: Gentil Passos, Ismael da Silva e Fabiano de Oliveira (Buiú)
Seguranças: Alessandro da Silva Santos, Trajano Teixeira e Osmair Silva
Auxiliares de campo: Marcos Vinícius (Bigode), Guilherme Gonçalves e Jônatas ‘Chokito’

Gestão do presidente Giovanni Luigi 2013-2014

Assessoria de Comunicação

Alexandre Mussoi Moreira (vice-presidente de serviços especializados)
Alexandre Correa (assessor de imprensa)
Rodrigo Weber (assessor de imprensa do futebol profissional)
Gabriel Cardoso (assessor de imprensa do futebol profissional)
Felipe Silveira (gestor do site e repórter)
Rogério Stinieski (editor de arte)
Alexandre Lops (fotógrafo)
Adriana Montes (repórter)
Natalia Mauro (repórter)
Márcio Toson (editor de imagem/cinegrafista)
Anderson Kblo (estagiário/videografista)
João Vicente Linck (estagiário) 
Diego Brião (estagiário)

Site oficial do Sport Club Internacional – Grupo de jogadores tetracampeão gaúcho – 13/04/2014

06/04/2014

25 jogos que sedimentaram o Gigante para Sempre

Filed under: Futebol,Inter — Gilmar Crestani @ 7:16 am
Tags:

festagigante_050414

Nos 45 anos de Beira-Rio, o Inter entrou em campo 1434 vezes. Não faltaram bolas na trave, defesas milagrosas e gols históricos. Gols, por sinal, foram 2736, conforme dados do jornalista e pesquisador Laert Lopes, 97 de Valdomiro, o maior artilheiro do estádio. Enfim, muito drama, emoção e alegria para quem frequentou a casa colorada.

ZH escolheu 25 jogos inesquecíveis do Beira-Rio, começando pela partida inaugural, em 1969, e o Gre-Nal com 20 expulsos, no mesmo ano. A gloriosa década de 70 está registrada em oito partidas, mas poderiam ser 15 ou até 30. Porém, faltaria espaço nas páginas do jornal.

Seguem os jogos inesquecíveis com o Gre-Nal do Século, o título da Copa do Brasil e a vitória sobre o Palmeiras, que evitou o rebaixamento em 1999. Os anos 2000 completam a lista de partidas que ficaram marcadas na memória dos colorados, como o bicampeonato da América. Nas páginas a seguir leia mais e relembre.

6/4/1969
Inter 2×1 Benfica – Amistoso
O primeiro jogo inesquecível do Beira-Rio foi justamente a inauguração do estádio, em 6 de abril de 1969. Numa partida contra o Benfica, o centroavante Claudiomiro marcou o primeiro gol da nova casa colorada. O craque português Eusébio empatou, mas Gilson Porto _ que morreu vítima de câncer em 2003 _ garantiu a primeira das muitas vitórias que o Inter conquistaria em seu estádio.

20/4/1969
Inter 0x0 Grêmio – Amistoso
No clássico 189, que fez parte dos festejos de inauguração do Estádio Beira-Rio, ocorreu a maior pancadaria já registrada em um Gre-Nal. Após uma semana de discussões entre dirigentes, o clássico quase foi cancelado. A confusão teve início aos 37 minutos do segundo tempo, depois de uma disputa entre o gremista Espinosa e o colorado Urruzmendi. Ao final do "combate", o árbitro Orion Satter de Mello expulsou 20 jogadores. Não levaram vermelho apenas o goleiro Alberto (Grêmio) e o meio-campo Dorinho (Inter).

17/12/1969
Inter 0x0 Grêmio – Gauchão
O empate em 0 a 0 com o Grêmio, no dia 17 de dezembro de 1969, tem bons motivos para ser um dos jogos inesquecíveis dos 45 anos de história do Beira-Rio. A partida valia o título do Gauchão. Se o Grêmio vencesse, seria octa. Ao Inter, bastava um empate para, pela primeira vez, conquistar o Estadual em um duelo contra o maior rival. Além disso, seria o primeiro título da Era Beira-Rio. No segundo tempo, o ponteiro Valdomiro fez um gol, para alegria dos colorados, mas o árbitro Zeno Escobar Barbosa anulou o lance. Ibsen Pinheiro invadiu o campo e ameaçou abrir os portões da coreia (antigo setor em que os ingressos eram mais baratos, pois os torcedores assistiam ao jogo em pé). O clássico foi reiniciado, a partida seguiu 0 a 0, e o Inter conquistou o primeiro dos seis oito títulos seguidos do Gauchão.

14/12/1972
Inter 3×2 Cruzeiro – Brasileirão
Considerado um dos jogos mais emocionantes do Beira-Rio. O Inter de Figueroa, Carpegiani e Claudiomiro perdia por 2 a 1 para o Cruzeiro de Piazza e Dirceu Lopes até os 39 minutos do segundo tempo, quando Escurinho empatou. O gol deixou em êxtase o Beira-Rio e dois torcedores infartaram. Eles foram socorridos e morreram a caminho do hospital. Nem conseguiram testemunhar a virada, consumada com gol de Valdomiro aos 44 da etapa final.

10/8/1975
Inter 1×0 Grêmio – Gauchão
A conquista do hepta está entre os jogos eletrizantes do Beira-Rio. O centroavante Flávio Minuano, também chamado de Flávio Bicudo, foi o personagem do clássico Gre-Nal disputado no dia 10 de agosto de 1975. Depois de três temporadas no Porto, o jogador foi contratado para fazer sombra a Claudiomiro e acabou se consagrando _ foi artilheiro do Brasileirão daquele ano. No jogo que valia o título, marcou o gol da vitória aos 14 minutos da prorrogação. O duelo também foi marcado por uma cotovelada desferida por Figueroa que quebrou o nariz do gremista Tarciso.

14/12/1975
Inter 1×0 Cruzeiro – Brasileirão

Manga; Valdir, Figueroa, Hermínio e Chico Fraga; Caçapava, Falcão e Carpegiani ; Valdomiro (Jair), Flávio e Lula. Esse foi o time do Inter que entrou em campo na tarde de 14 de dezembro de 1975 e venceu o Cruzeiro por 1 a 0. O resultado deu o primeiro título de Brasileirão a um clube gaúcho.

Com o Beira-Rio lotado, aos 11 minutos do segundo tempo, Piazza fez falta em Valdomiro ao lado da área. O próprio Valdomiro ajeitou a bola para a cobrança. Após levantamento para a área, Figueroa subiu mais alto que a defesa mineira e desviou de cabeça. No momento da conclusão, um facho de luz, oriundo do pôr-do-sol no Guaíba, iluminou o zagueiro. Delírio no Beira-Rio. O Gol Iluminado entrou para a história.

23/5/1976
Inter 14×0 Ferro Carril – Gauchão

O Ferro Carril, de Uruguaiana, foi a vítima do maior massacre nos 45 anos de história do Beira-Rio. Pelo Gauchão de 1976, ano em que o Inter buscava o octacampeonato, o time treinado por Rubens Minelli aplicou incríveis 14 a 0 na equipe visitante. Valdomiro e Ramón marcaram três vezes cada um. Caçapava fez dois. Completaram a supergoleada: Genau, Paulo César, Flávio, Cláudio, Figueroa e Escurinho.

22/8/1976
Inter 2×0 Grêmio – Gauchão
A histórica conquista do octacampeonato gaúcho, em 22 de agosto de 1976, ocorreu em um Gre-Nal. O clássico de número 227 foi um dos jogos inesquecíveis do Beira-Rio. O Inter de Manga; Cláudio Duarte, Figueroa, Marinho e Vacaria; Caçapava (Escurinho), Batista e Falcão; Valdomiro (Jair), Dario e Lula, bateu o maior rival por 2 a 0. Os gols do título foram marcados por Lula e Dario. Mais de 70 mil pessoas compareceram ao estádio.

5/12/1976
Inter 2×1 Atlético-MG – Brasileirão
Outra partida inesquecível. No dia 5 de dezembro de 1976, em duelo pela semifinal do Brasileirão, o Inter saiu perdendo para o Atlético-MG de Toninho Cerezo, Paulo Isidoro e Cafuringa. Aos 28 minutos do segundo tempo, Batista empatou. E, no último minuto, um gol antológico garantiu a vitória colorada. Após uma tabelinha de cabeça entre Falcão e Escurinho, Falcão mandou para as redes. Dias depois, a equipe gaúcha sagrava-se bicampeã brasileira.

12/12/1976
Inter 2×0 Corinthians – Brasileirão
Com a base do time campeão em 1975, o Inter fez outra grande campanha em 1976 e conquistou o bicampeonato brasileiro. No dia 12 de dezembro, milhares de corintianos invadiram o Beira-Rio para apoiar o clube paulista, mas o Colorado foi soberano e venceu por 2 a 0. Aos 29 minutos do primeiro tempo, Dadá saltou alto para cabecear e abrir o placar. Na etapa final, aos 12 minutos, Valdomiro cobrou uma falta, a bola bateu no travessão e cruzou a linha. O árbitro José Roberto Wright validou o gol, para a explosão vermelha no estádio, que recebeu um público pagante de 84 mil pessoas. O Inter, do técnico Rubens Minelli, jogou com Manga; Cláudio, Figueroa, Marinho Peres e Vacaria; Caçapava, Falcão e Batista; Valdomiro, Dario e Lula.

23/12/1979
Inter 2×1 Vasco – Brasileirão

A terceira estrela na camiseta colorada foi conquistada de forma invicta. Em 23 jogos, 16 vitórias e sete empates. O último capítulo foi inscrito em 23 de dezembro de 1979. Sob o comando de Ênio Andrade, Benítez; João Carlos, Mauro Pastor, Mauro Galvão e Cláudio Mineiro; Batista, Falcão e Jair; Valdomiro (Chico Spina), Bira e Mário Sérgio levaram o Inter a vitória por 2 a 1 sobre o Vasco. Jair e Falcão marcaram os gols do tricampeonato brasileiro.

7/11/1982
Inter 3×1 Grêmio – Gauchão
O Gre-Nal em que brilhou o centroavante Geraldão. Num clássico pela fase final do Gauchão, ele marcou os três gols na vitória por 3 a 1. Os colorados ainda festejaram um pênalti cobrado por Bonamigo e defendido por Benitez. No mesmo mês, o Inter conquistou o bicampeonato estadual com uma vitória por 2 a 0 no Olímpico, dois gols de Geraldão.

12/2/1989
Inter 2×1 Grêmio – Brasileirão

Não há dúvidas de que o clássico de 12 de fevereiro de 1989 é um dos principais jogos da história do Beira-Rio. Naquele que foi batizado como o Gre-Nal do Século, o Inter foi para o intervalo com um jogador a menos (Casemiro recebeu o vermelho) e perdendo por 1 a 0. Mas em uma tarde fantástica da dupla Mauricio e Nilson, o Colorado virou para 2 a 1 e deixou a torcida em êxtase _ Nilson fez os dois gols. Com o resultado, o Inter se classificou para a final do Brasileirão _ acabou perdendo o título para o Bahia _ e para a Libertadores do mesmo ano. Abel Braga escalou Taffarel; Luis Carlos Winck, Aguirregaray, Nenê e Casemiro; Norberto, Leomir (Diego Aguirre), Luis Carlos Martins e Mauricio (Norton); Nilson e Edu Lima.

5/4/1989
Inter 6×2 Peñarol – Libertadores
Na campanha da Libertadores de 1989, o Inter aplicou uma impiedosa goleada no Peñarol. Um dia após completar 80 anos, o Colorado venceu o tradicional time uruguaio por 6 a 2, em jogo pelas oitavas de final. Nilson, Norton e Heider marcaram duas vezes cada um.

17/11/1992
Inter (3) 1×1 (0) Grêmio – Copa do Brasil
Três anos depois do Gre-Nal do Século, Inter e Grêmio voltaram a se enfrentar em um mata-mata por competições nacionais. E, outra vez, o Colorado levou a melhor. No jogo de ida, no Olímpico, 1 a 1. Na volta, mais de 75 mil torcedores lotaram o Beira-Rio. O centroavante Gérson fez 1 a 0 para os donos da casa, mas Carlinhos empatou. Como o placar se repetiu, a disputa foi para pênaltis, onde brilhou o goleiro paraguaio Gato Fernández. Ele defendeu os chutes de Vilson e Jandir, e o Inter venceu por 3 a 0.

13/12/1992
Inter 1×0 Fluminense – Copa do Brasil

Depois de 13 anos sem um título nacional, o Inter voltou a festejar em 13 de dezembro de 1992. Após perder para o Fluminense por 2 a 1, no Rio, era necessário vencer por pelo menos 1 a 0 em Porto Alegre. O jogo se encaminhava para o empate quando o árbitro paulista José Aparecido de Oliveira marcou pênalti no zagueiro Pinga. A responsabilidade da cobrança ficou a cargo de outro defensor, o capitão Célio Silva. Ele chutou forte, no meio do gol, garantindo a vitória e o título da Copa do Brasil. Explosão de alegria dos mais de 50 mil colorados presentes no Beira-Rio. Treinada por Antônio Lopes, a equipe que jogou a final teve: Fernández, Célio Lino, Célio Silva, Pinga e Daniel Franco; Ricardo, Élson (Luciano) e Marquinhos; Maurício, Gérson (Nando) e Caíco.

2/7/1997
Inter 1×0 Grêmio – Gauchão
Contra um Grêmio que vinha dos títulos do Brasileirão de 1996 e da Copa do Brasil de 1997, o Inter era azarão. Mas o bem organizado time de Celso Roth surpreendeu. Com Gamarra na zaga, e a dupla Fabiano e Christian no ataque, o Inter ganhou por 1 a 0, gol de Fabiano. A equipe campeã jogou com: André; Enciso, Márcio, Gamarra e Régis; Ânderson, Fernando, Sandoval (Celso Vieira) e Arílson; Fabiano (Luiz Gustavo) e Christian (Paulo Diniz).

10/12/1999
Inter 1×0 Palmeiras – Brasileirão

Um dos jogos mais tensos dos 45 anos de história do Beira-Rio. O Inter precisava vencer o Palmeiras, treinado por Felipão e campeão da Libertadores, para se livrar do rebaixamento. A angustia colorada perdurou até os 35 minutos do segundo tempo, quando o centroavante Celso foi derrubado em frente à área. O próprio Celso levantou para a área, Dunga mergulhou e, com um desvio de cabeça, marcou o gol do alívio e da explosão vermelha em todo o Rio Grande do Sul.

10/7/2004
Inter 2×0 Grêmio – Brasileirão
Marcado como o Gre-Nal do Gol 1000, o clássico apresentou ao torcedor colorado aquele que seria um de seus maiores ídolos. Vindo do futebol francês, Fernandão teve sua situação regularizada dias antes da partida. O técnico do Inter, Joel Santana, deixou o novo reforço no banco. Ele entrou, sofreu a falta que resultou no gol 999, de Vinicius, e fez o gol 1000. A vitória por 2 a 0 rendeu placa no vestiário e uma edição limitada de camisas alusivas ao feito.

16/8/2006
Inter 2×2 São Paulo – Libertadores

A noite de 16 de agosto de 2006, possivelmente, tenha sido a de maior alegria da história do Beira-Rio. Após décadas perseguindo a conquista da América, o Inter alcançou o objetivo, e o torcedor pôde soltar o grito de campeão da Libertadores. A antológica partida contra o São Paulo terminou empatada em 2 a 2. Os gols colorados foram marcados por Fernandão e Tinga. Fabão e Lenílson fizeram para os paulistas. A decisão ficou ainda mais dramática porque o Inter jogou os últimos 27 minutos com um jogador a menos devido à expulsão de Tinga. O apito final deu início a uma festa inesquecível. O time da decisão: Clemer; Índio, Bolívar e Fabiano Eller; Ceará, Edinho, Tinga, Alex (Michel) e Jorge Wagner; Sobis (Ediglê) e Fernandão.

7/6/2007
Inter 4×0 Pachuca – Recopa Sul-Americana
Vencedor da Libertadores de 2006, o Inter teve a oportunidade de disputar a Recopa Sul-Americana em 2007. Na decisão contra o Pachuca-MEX, o Colorado patrolou. Ganhou por 4 a 0, conquistou a Tríplice Coroa (tinha vencido também o Mundial) e passou a adotar a alcunha de Campeão de Tudo. Alex, de pênalti, Pinga, Alexandre Pato e Mosquera (contra) marcaram os gols da partida, prestigiada por mais de 50 mil torcedores. Alexandre Gallo mandou a campo: Clemer; Ceará, Índio, Sidnei (Mineiro) e Rubens Cardoso (Maycon); Edinho, Wellington Monteiro, Alex e Pinga (Perdigão); Iarley e Alexandre Pato.

4/5/2008
Inter 8×1 Juventude – Gauchão
O jogo da desforra no Beira-Rio. Depois de alguns anos amargando resultados ruins contra o Juventude, o Inter enfrentava o time de Caxias em jogo que valia o título do Campeonato Gaúcho. Após perder o jogo de ida por 1 a 0, o time de Abel Braga precisava vencer para ficar com a taça. E o que se viu foi um massacre colorado. Danny Morais, Fernandão (2) e Alex abriram 4 a 0 já no primeiro tempo. Na etapa final, Fernandão, mais uma vez, Nilmar e Índio ampliaram. O requinte de "crueldade" foi último gol. Andrezinho sofreu pênalti, e a torcida gritou o nome de Clemer. Escalado para a cobrança, o goleiro marcou com estilo e fechou o placar, para delírio dos mais de 40 mil colorados presentes no estádio.

O Inter jogou a decisão com Clemer; Índio, Orozco e Marcão; Bustos (Jonas), Danny Morais, Magrão, Alex (Andrezinho) e Guiñazu; Fernandão (Iarley) e Nilmar.

28/9/2008
Inter 4×1 Grêmio – Brasileirão
Apesar de já ter goleado o maior rival no Olímpico, o Inter nunca havia goleado o Grêmio no Beira-Rio. Isso até 28 de setembro de 2008, quando o Colorado venceu por 4 a 1, em jogo pelo Brasileirão.

O clássico inesquecível no Beira-Rio teve como grande destaque o argentino D’Alessandro. Ele fez o primeiro gol e participou dos outros três, marcados por Alex, Índio e Nilmar _ Tcheco descontou. Além de patrolar o rival, o Inter ainda tirou o Tricolor da liderança da competição. O técnico Tite escalou o Colorado com: Clemer; Ângelo (Danny Morais), Índio, Bolívar e Gustavo Nery; Edinho, Magrão, Guiñazu e D’Alessandro (Taison); Alex e Nilmar (Adriano).

3/12/2008
Inter 1×1 Estudiantes – Sul-Americana

Mais uma data de dezembro histórica para o Beira-Rio. Em 3 de dezembro de 2008, o Inter empatou com o Estudiantes em 1 a 1 e tornou-se o primeiro clube brasileiro a conquistar a Copa Sul-Americana. Em uma final eletrizante, o time argentino fez 1 a 0 no tempo normal. Como o Inter havia vencido o jogo de ida pelo mesmo placar, o duelo foi para a prorrogação. Daí, brilhou a estrela de Nilmar, que aproveitou uma sobra na área e marcou o gol do título. Festa para os mais de 50 mil torcedores presentes no Beira-Rio. O técnico Tite escalou o time campeão com Lauro; Bolívar, Danny Morais, Álvaro e Marcão; Edinho, Magrão (Sandro), Andrezinho (Gustavo Nery) e D’Alessandro; Alex (Taison) e Nilmar.

18/8/2010
Inter 3×2 Chivas – Libertadores
O Beira-Rio foi determinante para a conquista do bicampeonato da América. Desde o primeiro jogo, a torcida empurrou o time para as vitórias. Foi assim também no mata-mata, contra Banfield, Estudiantes e São Paulo. Na decisão, uma vitória de virada por 3 a 2 sobre o Chivas Guadalajara. Rafael Sobis, herói no título de 2006, fez o gol de empate em 1 a 1. O então garoto Leandro Damião saiu do banco para fazer o 2 a 1. O terceiro foi de Giuliano, autor do gol mais importante da campanha do bi, contra o Estudiantes, nos instantes finais em La Plata. A equipe mexicana ainda descontou, mas nada que prejudicasse a festa da massa vermelha. Celso Roth escalou o Inter com Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Sandro, Guiñazu, Tinga (Wilson Matias), D’Alessandro e Taison (Giuliano); Rafael Sobis (Leandro Damião).

15/10/2013

Setorização do Beira-Rio

Filed under: Campeão de Tudo,Inter — Gilmar Crestani @ 7:24 am
Tags: , ,

Esse puxadinho maravilhoso é nosso. E a Fifa escolheu para, uma vez mais, sediar jogos da Copa do Mundo.

No Humaitá, a Arena é da OAS. O Inter administra a cobrança de ingresso no estádio porque os ingressos, como não poderia deixar de ser, é dinheiro que só pode caber ao dono. Na Arena, a OAS cobra e embolsa. Por pelo menos mais 20 anos…

Teremos estádio nosso e o Inter terá preferência ao show do Roberto Carlos. No Humaitá, se a OAS decidir, o Tiririca terá preferência no mando de campo. E teremos um estacionamento enorme, com vista para o pôr-do-sol do Guaíba, com vaga, azulzinho gosta disso, garantida para quem quiser conhecer um estádio PADRÃO FIFA!

SIMPLES ASSIM!

A nova setorização do Beira-Rio

14 de Outubro de 2013

Confira todos os detalhes do projeto para os sócios colorados no novo Gigante da Beira-Rio
O Conselho Deliberativo do Sport Club Internacional aprovou por unanumidade na noite desta segunda-feira (14/10) o novo projeto de setorização para o Gigante da Beira-Rio. Com isso, o sócio colorado vai poder escolher onde ficará no moderníssimo estádio que será palco da próxima Copa do Mundo.  Você encontrará o seu estádio com o mesmo padrão dos melhores do mundo e exatamente no mesmo lugar onde você vibrou, torceu, chorou e acompanhou a trajetória vitoriosa deste que é o maior clube do Sul do País. Será um Beira-Rio com novo corpo e mesma alma. Em 15 dias, o sócio será informado sobre o cronograma e as regras do projeto de setorização.


Você, sócio colorado, está prestes a conhecer um Beira-Rio com novo corpo e mesma alma

Para se chegar a este projeto, a gestão do Clube trabalhou durante os últimos 12 meses ouvindo de forma técnica (reuniões e pesquisas realizadas por empresas especializadas) todos os segmentos – sócios, imprensa, conselheiros, torcedores, formadores de opinião, movimentos de oposição, movimentos de situação e comissões. Estudou ainda os principais casos de sucesso e insucesso sobre este tema no mundo inteiro para se basear e criar um modelo colorado com as virtudes dos grandes projetos já realizados na área ao mesmo tempo que corrige problemas que outros modelos enfrentaram.
O novo Beira-Rio terá mais de 70% dos lugares com o preço mais acessível. Não poderia ser diferente se tratando do Clube do Povo. Terá ainda menos de 30% de lugares marcados, muito abaixo da média mundial e dos novos estádios construídos no país, para atender um desejo dos associados colorados ouvidos durante o projeto.
O resultado disso é que você, associado, terá o modelo de estádio novo mais acessível e livre do mundo. Todo o estádio será administrado pensando em você, o grande parceiro do Sport Club Internacional. Você poderá circular por todo o estádio graças à nova arquitetura e os novos acessos do Gigante.
Além disso, o Clube vai obter com este projeto receita importante para seguir montando times competitivos como vem fazendo nos últimos anos, o que garantiu a escolha do Inter como clube brasileiro mais vitorioso do Século XXI. Serão receitas de mais de 20 milhões que irão ajudar o seu Inter a seguir investindo pesado no seu principal fim: o time de futebol.
O Sport Club Internacional pensou em todas as questões e há total segurança jurídica e respeito aos direitos adquiridos de todos os associados. A proposta guarda amparo legal nos contratos existentes com sócios, locatários de cadeiras e com parceiros, não alterando categorias sociais nem direitos de acesso e valorizando os sócios colorados.
Confira então o que é o projeto do novo Beira-Rio para você: 
Um Beira-Rio com novo corpo e mesma alma.
Lembra de onde Figueroa saltou para marcar o gol iluminado? Recorda da goleira onde o Célio Silva chutou a bola e a cal para marcar o gol do título de 1992? Sabe onde Fernandão e Clemer cantaram Vamo, vamo, Inter para um Beira-Rio lotado para receber os campeões mundiais? Pois todos estes locais seguem no mesmo lugar, mas muito mais modernos e tão bonitos e históricos quanto sempre foram.  Confira tudo o que você terá no novo Gigante
– Um estádio completamente renovado padrão FIFA com qualidade de projeto, materiais e contínua verificação de sua construção.
– A melhor localização da cidade para um estádio. Localizado na zona potencialmente mais valorizada da cidade a beira de um rio, dentro de um parque num dos principais eixos turísticos e comerciais da cidade.
– Maior facilidade de acesso com ruas mais amplas, maior número de estacionamentos, mais possibilidades de transporte público até o estádio.
– Acessível por terra, ar e água, o novo Beira-Rio apresenta as melhores condições de acessibilidade possíveis.
– 81 novos banheiros masculino, feminino, infantil e PNE.
– Haverá um anel circundando todo o estádio, que servirá para circulação das pessoas também. Os torcedores de qualquer setor poderão se encontrar neste ambiente, antes e depois das partidas para confraternizarem.
– Os torcedores da parte inferior do estádio vão ter mais portões de acesso e com uma lógica mais moderna. Antes, o torcedor entrava no Beira-Rio na altura do primeiro degrau da arquibancada. Com a obra pronta, o torcedor subirá uma pequena escada até o nível central da arquibancada, podendo se deslocar pra cima, pra baixo ou para os lados. Isso vai fazer com que se diminua a circulação na frente das pessoas que já estão sentadas.
– Com mais portões de acesso e facilidades de deslocamento, o Beira-Rio lotado poderá ser completamente evacuado em apenas oito minutos.
– Mais opções de gastronomia.
– Bares localizados em todos os setores do Gigante.
– Com o estádio totalmente coberto e cadeiras retráteis e de mesmo espaço em todos os setores, o Beira-Rio inteiro terá excelente conforto. Não haverá mais um lado que "seja mais ensolarado" ou "com mais espaço para as pernas", por exemplo.
– Um Beira-Rio coberto. A nova cobertura abrangerá todos os setores dos espectadores. A cobertura de alta tecnologia terá 65 folhas metálicas preenchidos por membrana de PTFE.
– Dois telões de LED de alta qualidade de reprodução, alta fidelidade de cores e homogeneidade, alto valor de contraste (mesmo sob luz direta solar), alto brilho, ângulos de visão horizontais e verticais amplos (H &Vwide).
– Todos os lugares com cadeiras bem mais confortáveis, resistentes e modernas do que as anteriores. Entre 51 mil e 54 mil assentos de capacidade de acordo com potencial futura retirada de cadeiras a ser oportunamente avaliada.
– Teremos assentos com melhor ergonomia. Os torcedores também ficarão mais próximos dos ídolos pois a arquibancada avançou 15 metros. As cadeiras serão retráteis, ou seja, de abrir e fechar, facilitando a circulação, além de uma contarem com uma melhor ergonomia.


O Beira-Rio será um estádio com padrão Fifa totalmente remodelado
para você, sócio colorado.

– O torcedor terá mais espaço para se acomodar. Para se ter uma idéia, a profundidade do degrau da arquibancada para cada torcedor sentar passará de 60cms, em alguns setores, para 90cms, dando mais espaços para as pernas e a circulação. As cadeiras serão retráteis, ou seja, de abrir e fechar, também facilitando a circulação.
– Um shopping Street Mall com 44 lojas.
– Um estacionamento com 3 mil vagas cobertas e 2 mil vagas descobertas.
– 19 novos elevadores.
– 66 camarotes e suítes.
– 55 skyboxes.
– 5 mil cadeiras Vip
– Um gramado com drenagem a vacuo, o que garante perfeitas condições da grama sob qualquer tipo de intempérie.
– E o mais importante, colorado: O Beira-Rio é de propriedade e gestão do seu Sport Club Internacional.
Onde você vai ficar

O modelo de setorização proposto resguarda os direitos e hábitos dos sócios do clube sem deixar de abrir possibilidades para novos segmentos e serviços. Veja como vai funcionar:
Cadeiras perpétuas
Permanecem no local original apenas readequadas em função da retirada da tribuna de honra e colocação das cabines de imprensa.
Camarotes e suítes
Ficarão entre os anéis inferior e superior. São 70 suítes, ideal para empresas, grupos de amigos e família. Proporciona ações de relacionamento e entretenimento para clientes e convidados. Visão privilegiada da Grande Área.
Skyboxes
Ficarão suspensos na cobertura. Serão 55 camarotes montados sobre estrutura metálica no local onde havia as antigas marquises. Cada skybox terá 24 lugares – totalizando 1320 lugares.
Espaço para os associados
Mais de 28 mil lugares sem assento marcado em áreas livres localizadas atrás do gol, no escanteio, grande área  e centro do campo no lado da Padre Cacique a preços acessíveis podendo ser escolhido por jogo onde sentar além de movimentar-se por todo o anel durante o jogo. Isso equivale a quase 60% da capacidade do Beira-Rio
Cadeiras vip
As cadeiras VIP ficarão localizadas nas antigas sociais no anel inferior no lado da Avenida Beira Rio.
Cadeiras locadas Beira-Rio
As5 mil cadeiras centrais superior (antigas locadas) com lugar marcado permanecerão no lado da Avenida Beira-Rio.
Novas cadeiras locadas centrais superiores e inferiores Padre Cacique
Serão disponibilizados de 5500 a 5800 cadeiras centrais superiores e inferiores no lado da Avenida Padre Cacique com lugar marcado para os sócios.
Novos reservados
Vendidos por jogo de 1149 lugares denominados reservados na altura dos camarotes atrás dos dois gols.
Descontos para quem mora longe
As mensalidades sociais terão desconto para sócios de outras localidades.
Circulação total entre os setores
Haverá possibilidade de total circulação em todo anel superior e inferior.
Torcidas Organizadas
As torcidas organizadas seguirão em suas localizações atuais.
Torcida adversária
Destinação da torcida adversaria para o anel superior atrás do gol do lado do Gigantinho com os devidos isolamentos necessários.
Como vai funcionar a escolha? Direito de escolha
Todos os locais do novo Beira-Rio são destinados aos sócios que poderão escolher onde sentar. Não haverá no Beira-Rio nenhum tipo de migração. Os sócios e locatários de cadeiras serão convidados a escolher onde querem ficar no novo Beira-Rio. Em breve o Clube irá divulgar o cronograma detalhado mas por enquanto confira como funcionará para cada categoria social:
Sócios contribuintes e demais sócios com acesso garantido
Serão convidados a escolher contratação de lugares marcados mediante pagamento de valor adicional ou permanecerão na zona livre sem lugar marcado com check in obrigatório ou garantido.
Sócios campeão do mundo
Serão convidados a adqurir serviço de acesso garantido em lugar marcado ou comprar por jogo cadeiras em zona livre sem lugar marcado ou em cadeiras centrais superiores e inferiores por jogo assim como reservados de acordo com disponibilidade.
Sócios contribuintes e campeão do mundo atualmente locatários de cadeiras
Serão convidados a optar pela manutenção nos locais atuais ou escolha das novas cadeiras centrais com lugar marcado.
Critérios para o direito de escolha
O processo do Direito de Escolha consiste em convocar todos os sócios para que exerçam a preferência de escolha de seu local caso optem por assistir aos jogos em lugares marcados ou zona livre.
O processo será exercido por tipo associativo, tempo de associação e idade por meio de diferentes canais.
Todos os sócios serão comunicados com antecedência pelos mais variados canais. A escolha será realizada das mais variadas formas, da melhor maneira que o sócio optar: internet, CAS, lojas do inter, pontos remotos, consulados.
Acompanhe tudo pelo site do Clube http://www.internacional.com.br, que irá centralizar todas as informações a respeito do assunto.
Todos os lugares com e sem lugar marcado são prioritariamente destinados ao sócios do Sport Club Internacional em suas diferentes modalidades.
Preferência para os sócios atuais escolherem se preferem a zona livre sem lugar marcado ou as cadeiras com lugar marcado bem como o pacote de serviços.
Possibilidade de atuais locatários de cadeira juntar suas cadeiras atualmente dispersas de acordo com disponibilidade.
Possibilidade de familiares (pais, cônjuges, irmãos e filhos) exercerem escolha conjunta presencialmente no CAS.
Possibilidade de sócios contribuinte que forem escolher cadeiras com lugar marcado trazer dois amigos para escolha conjunta presencialmente no CAS.
Haverá uma ferramenta na internet para identificação, sob prévia autorização de cada sócio, de sua localização em cadeiras com lugar marcado a fim de facilitar aproximação de amigos. 
Um novo projeto para você, associado
O Beira-Rio renovado será um passo gigantesco para o sucesso do Internacional a partir de 2014, assim como já havia sido em 1969. E o Sport Club Internacional pensou fundamentalmente em você, associado, como parceiro e protagonista destes novos tempos. Para isso, estudou a fundo nos últimos 12 meses qual a melhor maneira de você seguir estando ao lado do seu clube. como sempre ocorreu, ao mesmo tempo que você poderá contribuir para que o Inter siga cada vez maior. Todos os direitos dos associados foram preservados, sem exceção. Em primeiro lugar, entenda como o Clube chegou a este projeto:
Um estádio para todos
O novo estádio propicia ao Inter reavaliar o aproveitamento de seus mais de 42.000 lugares no estádio Beira-Rio como forma de atender as diferentes demandas de seus sócios e torcedores e garantir fontes adicionais de receitas para o Clube.
Um modelo com a participação de todos
O projeto foi criado por um grupo de trabalho da gestão, assessorado pela Comissão de Obras do Executivo e pela Comissão Especial de Sócios do Conselho Deliberativo.
Análise dos melhores modelos
O projeto é produto de criteriosas análises técnicas, pesquisas qualitativas e quantitativas de mercado realizadas por empresas especializadas, análise de exemplos de sucesso de mais de 15 estádios no Brasil, Estados Unidos e Europa bem como de visita in loco em todas os novos estádios em operação no Brasil e em vários outros no exterior.
Uma nova opção de receita
O estádio é para os maiores clubes do mundo como o Sport Club Internacional uma das fontes de receitas mais importantes e estáveis representando diferencial competitivo tecnico em campo e econômica fora dele. O novo Beira-Rio fará o Inter ter cada vez mais condições de montar equipes competitivas em busca de títulos.
Um modelo exclusivo e colorado
Depois de dez meses de trabalho desenvolveu-se um modelo feito sob medida para o Sport Club Internacional onde privilegia-se os sócios atuais e cria-se oportunidades para novas receitas.
Mais de 70% do estádio com preços acessíveis
O modelo proposto contempla mais de 70 % do estádio com preços altamente acessíveis e sem lugares marcados atendendo o anseio de parte da torcida colorada.
De colorado para colorado
O produto aqui apresentado foi criado por milhares de colorados a partir de diferentes formas de engajamento sejam elas reuniões com os movimentos políticos do clube, seus órgãos representativos, comissões, pesquisas, internet e eventos presenciais.
Sem alterações contratuais
A proposta da gestão guarda amparo legal nos contratos existentes com sócios, locatários de cadeiras e com parceiros, notadamente a BRIO, não alterando categorias sociais nem direitos de acesso e valorizando os sócios colorados.
Serviços inovadores sem perder o conceito original
A proposição adota serviços e inovações dos novos estádios sem perder o conceito original de estádio de futebol onde o principal objetivo é auxiliar o Sport Club Internacional a vencer seus jogos e pressionar os adversários bem como manter todas as lembranças que permanecem enraizadas no Gigante da Beira Rio ao longo dos últimos 44 anos.
Mesmo modelo de utilização
O modelo permitirá o uso do estádio de forma similar ao antigo Beira Rio sem perder os avanços conforto, segurança e acessibilidade.
Apenas 30% com lugares marcados
O novo Beira-Rio disporá de até 30% de lugares marcados incluindo as cadeiras perpétuas e os novos reservados, parcela bem inferior aos atuais novos estádios e menor do que solicitado em pesquisa.
Sócios fora de Porto Alegre
Serão estabelecidos preços especiais para sócios até 150km; de 151 a 300km e acima de 301km.
Dependentes de sócios contribuintes
Deverão pagar o valor integral das mensalidades para terem os mesmos direitos de acesso.
Projeção de estoque para os sócios campeão do mundo
O Clube projeta um estoque de 15 a 20 mil lugares para venda por jogo para os sócios campeão do mundo por meio de reserva de 5.000 lugares e controle de demanda por check in (aviso de confirmação de que vai ao jogo para quem optar por zona livre) e check out (aviso que não vai ao jogo para quem tem lugar marcado). 
Novos serviços para um novo Beira-Rio
O Beira-Rio contará com um conjunto de novos serviços que facilitarão o uso do estádio e auxiliarão o crescimento de sua taxa de ocupação. Confira:
– Check in obrigatorio para sócio contribuinte demais modalidades com acesso garantido que tiverem optado por ficar na zona livre sem lugar marcado.
– Oferta de serviço de Check-in garantido para sócio contribuinte em zona livre sem lugar marcado pagando valor adicional.
– Check out para locatários de cadeiras centrais superior e inferior com lugar marcado quando não forem ao jogo (por jogo ou tempo determinado) para venda com remuneração de 25% do valor bruto ao sócio em desconto de mensalidades futuras em caso de seu assento ter sido comercializado.
– Pacote de agradecimento Obrigado Colorado, com desconto de valor de mensalidade por tempo determinado para sócios em zona livre ou com lugar marcado ue permaneceram adimplentes durante o período em que o estádio esteve fechado.
– Ingressos precificados por qualidade de jogo em A, B e C com os jogos B sendo cobrados até 40% mais baratos do que os jogos A e os jogos classificados como C com até 70% de desconto sobre os jogos A definidos no início da temporada.
– Check in kids para crianças de até 10 anos acompanhantes de sócios com ou sem lugar marcado com numero previamente definido pelo clube por jogo com prioridade para o sócio Coloradinho.
– Oferta de desconto progressivo para sócios campeão do mundo na compra de ingressos em função da qualidade do jogo (A, B e C).
– Check in + para sócios com acesso garantido em zona livre assistirem ao jogo em cadeiras com lugar marcado ofertado jogo a jogo de acordo com disponibilidade sendo cobrado valor adicional.

Sport Club Internacional – Sócios

16/09/2013

Se a FIFA diz, tá fifado!

Filed under: Campeão de Tudo,FIFA,Inter — Gilmar Crestani @ 10:58 pm
Tags:

Copa Toyota uma vez (1983) x Copa do Mundo de Clubes da FIFA (2006)

Porto Alegre

Porto Alegre - City Hall

© PMPA

Do clima subtropical aos hábitos culturais, Porto Alegre é bastante diferente das outras capitais brasileiras. Fundada em 1742 por casais açorianos, a capital do Rio Grande do Sul recebeu milhares de imigrantes não só de Portugal, mas também de outros países europeus, principalmente Itália, Alemanha e Polônia. 

Além disso, como o estado está localizado bem ao sul do Brasil, os gaúchos têm diversas características culturais em comum com os  vizinhos da Argentina e do Uruguai, da música folclórica ao hábito de beber o chimarrão.

Porto Alegre fica na margem leste do Rio Guaíba, exatamente no ponto de convergência de outros cinco rios, os quais formam a enorme Lagoa dos Patos. Os 497 quilômetros quadrados são cobertos por mais de um milhão de árvores, fazendo da capital gaúcha uma das mais verdes cidades brasileiras, apesar de ser o núcleo da quarta região metropolitana mais populosa do país, com aproximadamente quatro milhões de habitantes. Mais de 1,4 milhão de pessoas moram dentro dos limites do município de Porto Alegre. 

As temperaturas são muito mais amenas em Porto Alegre do que no restante das capitais brasileiras, com uma média anual de 19,5º C e invernos rigorosos com recordes históricos de neve e temperaturas abaixo de zero. Entretanto, as quatro estações são bem definidas, e durante o verão a temperatura pode passar facilmente dos 35º C. A capital do Rio Grande do Sul também é famosa por apresentar um dos maiores índices de desenvolvimento humano (IDH) do país inteiro. 

Futebol
A cena futebolística na cidade de Porto Alegre está dividida em duas: de um lado, o azul, preto e branco do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense; do outro, o vermelho e branco do Sport Club Internacional. As duas equipes dividem a paixão dos porto-alegrenses e são dois dos mais importantes clubes da história do futebol brasileiro.
Além de dominarem os livros de história do Rio Grande do Sul, Grêmio e Inter também possuem um bom número de títulos nacionais e internacionais: enquanto o Tricolor já conquistou o Campeonato Brasileiro duas vezes (1981 e 1996), a Copa do Brasil quatro vezes (1989, 1994, 1997 e 2001), a Copa Libertadores duas vezes (1983 e 1995) e a Copa Toyota uma vez (1983), o Colorado abriga no seu salão nobre três troféus brasileiros (1975, 1976 e 1979), uma Copa do Brasil (1992), duas Libertadores (2006 e 2010), uma Copa do Mundo de Clubes da FIFA (2006) e uma Copa Sul-Americana (2008) entre tantas outras conquistas.
Tanto o Grêmio como o Internacional dispõem de estádios próprios, ambos tradicionais, respeitados e com capacidade para mais de 50 mil torcedores, separados apenas por 2,5 km: o Olímpico Monumental e o Beira-Rio, respectivamente. As duas divisões de base também estão entre as mais produtivas do Brasil. Enquanto o Tricolor formou craques como Ronaldinho Gaúcho, Emerson e Renato Gaúcho, o Colorado revelou ao mundo jogadores do calibre de Falcão, Taffarel e Alexandre Pato.
O Beira-Rio foi o estádio escolhido para sediar os jogos da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. Ele será totalmente modernizado, ganhando em conforto e segurança para os torcedores.

Mais sobre…

Estádio Beira-Rio - Porto Alegre

Estádio Beira-Rio – Porto Alegre

Erguido em uma área aterrada do Rio Guaíba, um dos cartões-postais de Porto Alegre, o Beira-Rio é a casa do Sport Club Internacional, que divide com o arquirrival Grêmio os holofotes do polarizado futebol gaúcho.

Porto Alegre: cidade-sede da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 – FIFA.com

06/08/2013

Com a Engage Eventos, o Inter acoca para RBS

Filed under: Engage Eventos,GEO EVENTOS,Inter — Gilmar Crestani @ 11:12 pm
Tags: ,

Com a Globo, a RBS tem a Geoeventos, para lucrar com o Inter, a Engage Eventos. Se o Inter recusasse teria mais boicotes, como foi o caso do contrato com a Andrade Gutierrez? Sei, não, das duas, uma: ou o Inter foi capturado pela RBS ou foi chantageado. Estes caras não brincam em serviço e tem faro para meter o bedelho onde o lucro é certo. Se a RBS começar a mandar no Inter como mandou no Grêmio de Odono, correremos o risco da segunda divisão. Luigi, ainda é tempo, bota estes meliantes a correr. Se a Engage Eventos estiver lá, eu não vou! Vou, sim, cancelar minha mensalidade de sócio!

Definido o evento da abertura oficial do Novo Beira-Rio

Da esq. para dir.: Gelson Pires (secretário geral do Inter), Eduardo Smith (vice-presidente do Grupo RBS), Giovanni Luigi (presidente do Inter), Marcelo Flores (presidente da Brio), Edson Erdmann (sócio-diretor da Histórias Incríveis) e Flavio Steiner no encontro que marcou o anúncio da empresa que fará festa oficial de abertura do Novo Beira-Rio

A Comissão Novo Beira-Rio formada por dirigentes e conselheiros do Clube definiu por unanimidade a empresa que irá realizar o evento que marcará a reabertura do estádio colorado. A Comissão analisou as propostas por dois meses levou em conta a qualidade do espetáculo e a viabilidade financeira para chegar à sua escolha.

A vencedora é o consórcio formado pelas empresas Histórias Incríveis e Engage Eventos, que venceu concorrência com outras empresas que apresentaram propostas. A grande festa será criada e dirigida pelo diretor artístico gaúcho e colorado Edson Erdmann. O torcedor colorado irá receber um evento grandioso, digno dos melhores espetáculos do mundo, ao mesmo tempo em que o Clube não terá custos. Em breve, todos os detalhes da grande festa serão apresentados para os sócios e torcedores.
“Será uma festa inesquecível e motivo de orgulho para todos os colorados. Nomeamos uma comissão que ficou meses estudando e avaliando todas as propostas. Foi uma decisão tomada de forma unânime. Uma festa que não será apenas inesquecível para o Inter, mas para o mundo, tal a envergadura e qualidades técnicas das pessoas envolvidas”, afirmou o presidente do Internacional, Giovanni Luigi.
“As empresas apresentaram ótimas propostas, mas a vencedora conseguiu apresentar a melhor relação espetáculo/condições financeiras. O Inter vai ter o gerenciamento do evento, não precisará ter gastos nem riscos e ainda poderá obter lucro. Com isso, seguimos com a nossa política de direcionar os recursos para a nossa atividade fim: o futebol. Tenho a convicção que será uma festa inesquecível, digna do Sport Club Internacional”, disse o coordenador geral da Comissão, Gelson Pires.

“Estamos muito felizes pelo jeito que foi conduzido o processo de seleção. O trabalho do comitê foi muito nobre e chegamos a essa conclusão, que envolve os melhores profissionais e de coração colorado”, disse o presidente da Brio, Marcelo Flores.
“Vamos fazer uma festa extremamente emocionante e nunca mais vamos esquecer. Não posso revelar os segredos, mas terá momentos que veremos nossa vida inteira no Beira-Rio, além de projetar o futuro. A gente vai rir, chorar, se emocionar… Preparem seus corações”, projetou o Sócio-diretor da Histórias Incríveis, Edson Erdmann.

Presidente Giovanni Luigi (C) e integrantes da Comissão Novo Beira-Rio

O Novo Beira-Rio

A partir da parceria entre Internacional e a Brio, as obras para a remodelação do Gigante da Beira-Rio, conduzidas pela Construtora Andrade Gutierrez, estão em pleno curso, para transformar o estádio colorado em um dos mais modernos do mundo. O projeto vai deixar o estádio muito mais confortável e seguro para o grande patrimônio do Clube, o torcedor colorado.

O clube se adaptará às mais recentes exigências e padrões internacionais do futebol, pronto para sediar qualquer jogo ou evento nacional ou internacional, com um complexo esportivo sustentável. O estádio sediará cinco jogos da Copa do Mundo de 2014 e continuará sendo motivo de orgulho para todos os colorados e para todo o Brasil, que passará a contar com um dos mais modernos e belos complexos esportivos do mundo.
Maior conforto, melhoria da acessibilidade, mais segurança e novos serviços disponíveis. Possibilidade de desenvolver novos empreendimentos, dentro e no entorno do estádio. A aproximação da arquibancada ao gramado possibilitará maior sinergia com o time. Outra herança positiva será a relação do Clube com a manutenção do seu patrimônio, estádio, encarando como fonte geradora de receitas que necessita de intervenções contínuas. Por fim, a nova compreensão da importância e alcance do dia do jogo, tornando um momento onde a família possa desfrutar do antes-durante-depois do jogo.

O Beira-Rio é e seguirá sendo único. Poucos são os estádios dentro de parques e também são poucos aqueles à margem de rios. À margem de rio e dentro de parque somente o Gigante, casa do Campeão de Tudo. Beira-Rio ontem, hoje e sempre.
Sobre a Histórias Incríveis

Histórias Incríveis é uma produtora cultural e audiovisual, especializada em conteúdos artísticos, jornalísticos, publicitários e educacionais para os mercados de televisão, cinema, internet, mobile, universidades, espetáculos e mega eventos. Em oito anos de atuação seus sócios, Edson Erdmann e Valéria Chalegre já dirigiram e produziram mais de 30 projetos, entre eles a exposição do i9, dentro da Embaixada brasileira, em Londres, para os Jogos Olímpicos, Criança Esperança, Show da Virada, 450 Anos de São Paulo, Carnaval Globeleza, 40 anos da TV Globo e a novela Eterna Magia. Recentemente produziu e dirigiu o principal palco que recebeu o Papa no Brasil para Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro.

Sobre a Engage Eventos

Em três anos de atuação, a empresa contabiliza mais de 200 eventos em seu portfólio e se consolida como a maior empresa de eventos do sul do Brasil. Com sedes em Porto Alegre, Florianópolis e São Paulo, a empresa tem como foco o desenvolvimento de projetos diferenciados, aliando a experiência na operação de iniciativas já existentes e o know-how em propor novas ações. Entre os eventos já assinados estão Paul McCartney, Pop Music Festival com Shakira, Eric Clapton, Justin Bieber, Elton John, Jogo Contra a Pobreza, Estação Gramado, Floripa Tem, DreamValley Festival, Maratona de Porto Alegre e muitos outros. Além disso, produz e organiza eventos de sucesso como o festival Planeta Atlântida e Garota Verão.

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: