Ficha Corrida

08/01/2013

Carta aberta aos indignados com a posse de Genoíno

Filed under: Dj Lah,Grupos Mafiomidiáticos,José Genoino,Violência — Gilmar Crestani @ 8:09 am

Paulo Nogueira7 de janeiro de 2013

Faz muito mais sentido se indignar com coisas como o assassinato do rapper DJ Lah

Genoíno

Senhoras e senhores: antes de tudo, excluo os falsamente indignados, aqueles que usam o episódio com finalidades meramente políticas.

Dirijo-me apenas aos sinceramente indignados.

Isto posto, queria dizer o seguinte. Indignação é um bem que devemos usar com cálculo e reflexão demorada, para que não o gastemos erradamente. Se desperdiçamos indignação nas causas ruins, ela nos faltará nas boas.

Genoíno, em quem aliás jamais votei, tomou posse amparado na Constituição. Segundo ela, cabe ao Congresso, e apenas a ele, cassar mandatos. Não é atributo do STF, embora os integrantes deste tenham se concedido esse poder.

Genoíno – cujo patrimônio se resume a uma casa no Butantã, em São Paulo – tinha todas as razões para tomar posse, e nenhuma para não tomar.

Sabemos todos as circunstâncias em que ele foi condenado. No calor dos acontecimentos nos foi dada a oportunidade de conhecer o caráter dos juízes que o condenaram.

Luís Fux, por exemplo, foi buscar o apoio de Zé Dirceu para ser nomeado para o STF mesmo sabendo que teria que julgá-lo, num conflito de interesses que passará para a história como um dos piores momentos  da justiça nacional.

Senhoras e senhores: caso vocês tenham lido uma só recriminação à conduta de Fux nos editoriais dos grandes jornais brasileiros, me avisem, por favor.

Joaquim Barbosa comandou as condenações, e também sobre ele soubemos o caminho que percorreu até o Supremo. Impôs sua presença a Frei Betto, então influente no governo, porque sabia que Lula procurava um ministro negro – ou por demagogia ou pela causa anti-racismo, não importa.

E depois JB também foi atrás de apoio de poderosos que poderiam ajudá-lo a realizar suas ambições na carreira.

Senhoras e senhores: passo por cima da controvertida Teoria do Domínio dos Fatos, uma gambiarra jurídica que, se bem usada, permite condenações sem provas convencionais. Se mal usada, facilita aberrações.

Também aí, a questão está em aberto. Cada qual que tire suas conclusões, democraticamente. Lembremos apenas que uma mentira repetida mil vezes continua a ser isso, uma mentira.

O que é indiscutível é que foi um julgamento muito mais político do que técnico. Também parece haver consenso em que os holofotes pesaram sobre os juízes, que evidentemente sabiam que só seriam festejados pela mídia se condenassem.

Dj Lah

Também está fora de discussão a bravata do juiz Celso Mello ao dar seu voto decisivo contra os réus. Sem nenhuma necessidade, ele afrontou o Congresso.

Senhoras e senhores: quem foi eleito pelo povo foram os parlamentares, e não os juízes do STF.

Diante de tudo isso, restaria a Genoíno outro caminho se não tomar posse?

Se muitos brasileiros questionam o desempenho do Supremo, que dirá ele? Tomar posse – dentro da Constituição – é uma forma de ele manifestar seu inconformismo com o STF.

É um gesto tão aceitável e tão natural como foi o olhar matador que Dilma dirigiu a um Barbosa estranha e unilateralmente sorridente no enterro de Niemeyer.

Senhoras e senhores: volto ao princípio. Indignação é um sentimento que, como tudo, tem limites.

Indignação, para ficarmos num caso recente, cai muito melhor nas circunstâncias em que se deu a morte do rapper DJ Lah.

Sinceramente.

Paulo Nogueira

Leia mais: Sobre Fux, Dirceu e o STF

Leia mais: Sobre Barbosa, Frei Betto e Dirceu.

Leia mais: Sobre a foto de Dilma e Joaquim Barbosa no velório de Niemeyer

 

About the author: Paulo Nogueira View all posts by Paulo Nogueira

Paulo Nogueira é jornalista e está vivendo em Londres. Antes de migrar para o jornalismo digital e dirigir o site Diário do Centro do Mundo foi editor assistente da Veja, editor da Veja São Paulo, diretor de redação da Exame, diretor superintendente da Editora Abril e diretor editorial da Editora Globo.

Diário do Centro do Mundo – Carta aberta aos indignados com a posse de Genoíno

06/01/2013

Segundo a filosofia do Alckmin, “só morreu quem reagiu”

Filed under: Chacina,Dj Lah,Isto é PSDB!,Segurança Pública — Gilmar Crestani @ 8:56 am

Parece que a indicação do Alckmin para a segurança pública era técnica e não política…

Sete pessoas morrem na 1ª chacina do ano em SP

Rapper DJ Lah é uma das vítimas do homicídio múltiplo na zona sul

Testemunhas dizem que assassinos gritaram ‘polícia’ antes de atirar e que cena do crime foi alterada na sequência

Eduardo Anizelli/Folhapress

Pms observam vítima de chacina

Pms observam vítima de chacina

DE SÃO PAULO

Sete pessoas foram assassinadas na primeira chacina do ano em São Paulo, na noite de anteontem. Entre as vítimas está o rapper Laércio da Silva Grima, 33, o DJ Lah, do grupo Conexão do Morro.

Segundo a polícia, por volta das 23h20, ao menos 14 homens encapuzados chegaram atirando contra clientes de um bar no Campo Limpo, na zona sul de São Paulo. Testemunhas dizem que eles desceram de três carros, gritaram "polícia" e começaram a disparar.

As testemunhas também relataram que logo após o crime, ocupantes de um Corsa preto recolheram as cápsulas que estavam espalhadas pelo local.

Cinco pessoas morreram na hora. Quando a PM chegou, os atiradores já tinham fugido e as vítimas que sobreviveram haviam sido levadas ao hospital do Campo Limpo onde duas não resistiram.

Segundo a polícia, além de DJ Lah, as outras vítimas são: Ricardo Genoino da Silva, 40, Edilson Lima Pereira Santos, 27, Carlos Alexandre Claudiano da Silva, 27, João Batista Pereira de Almeida, 34, Almando Salgado dos Santos Júnior, 41, e Bruno de Cássio Cassiano Souza, 17.

O crime ocorreu na rua Reverendo Peixoto da Silva, a menos de 20 metros de onde um servente de pedreiro desarmado foi morto por PMs, em novembro, após estar rendido.

Na ocasião, o crime foi filmado por um morador, e o vídeo, divulgado pela TV Globo.

Pela manhã, policiais chegaram a afirmar que entre as vítimas estava essa testemunha. À Rede Globo, o delegado-geral da Polícia Civil, Maurício Blazeck, afirmou que se tratava do mesmo homem.

No início da noite, porém, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que "não há indício" de que essa testemunha esteja entre os mortos.

Segundo a investigação, a hipótese foi levantada pois umas das vítimas afirmava no bairro que seria o autor do vídeo da morte do servente.

Questionado se a chacina de anteontem teve envolvimento de policiais, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou que nenhuma hipótese será descartada.

"Tudo vai ser investigado com profundidade, rigor, até prender os criminosos. E a polícia já está trabalhando com vários indícios desde a madrugada", disse o governador.

HIP HOP

Dj Lah integrava um grupo que tem composições que abordam o uso de drogas, preconceito contra moradores da periferia e violência policial.

Uma das músicas tem o refrão: "Saiam da mira dos tiras; são eles é quem forçam, são eles quem atiram; rezem para sobreviver".

Entre os sobreviventes está o rapper Neivan dos Santos, conhecido como 2Pac, do grupo Sintonia Lado Sul. Ele foi internado em estado grave.

Em 2012, ocorreram ao menos 15 chacinas em São Paulo.

05/01/2013

O Marcelo Cavalcanti do Alckmin

Filed under: Chacina,Dj Lah,Geraldo Alckmin,Isto é PSDB!,Marcelo Cavalcanti — Gilmar Crestani @ 6:17 pm

Será por isso que o filho preferiu ficar preso no Uruguai?!

Rapper que filmou PMs morre na 1ª chacina do ano

:

DJ filmou em novembro cinco policiais matando um servente de pedreiro que já estava rendido e desarmado. Assassinato dele e de outras cinco pessoas ocorreu depois que os criminosos desceram de três carros, gritaram “polícia”, e atiraram contra o bar onde estavam as vítimas. Governador Geraldo Alckmin garante que “tudo vai ser investigado”

5 de Janeiro de 2013 às 15:43

247 – São Paulo já tem sua primeira chacina este ano. Seis pessoas morreram e outras três ficaram feridas em crime nesta sexta-feira (4/01), por volta das 23h. Entre elas, o rapper Laércio da Silva Grima, mais conhecido como Dj Lah. Ele era integrante do grupo Conexão do Morro e filmou, em novembro passado, cinco policiais matando um servente de pedreiro que já estava rendido e desarmado. Uma outra testemunha desse crime, que não teve até o momento seu nome revelado, também morreu na chacina desta madrugada.

Cinco pessoas morreram ainda no local. De acordo com testemunhas, assim que desceram do veículo, os assassinos gritaram "polícia" e começaram a atirar. Quando a PM chegou, os atiradores já haviam fugido e as vítimas que sobreviveram haviam sido socorridas a hospitais da região.

O governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), garantiu que nenhuma hipótese será descartada durante a investigação do crime. “Tudo vai ser investigado com profundidade, rigor, até prender os criminosos. E a polícia já está trabalhando com vários indícios desde a madrugada”, afirmou.

Rapper que filmou PMs morre na 1ª chacina do ano | Brasil 24/7

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: