Ficha Corrida

12/07/2015

Juan Arias: leitor de pensamentos papais à moda Caiado

Por que Juan Arias escolheu a imagem do Papa mais sisudo  para construir sua teoria do esta cheia de alegria?!

crucifixo comunistaOlha só a que nível chegou a tentativa de reduzir as denúncias do em prol do interesse de uma elite mau caráter e golpista.

O colonista do El País no Brasil, Juan Arias, que pelo nome não se perca, tem este viés direitista de dar uma interpretação sempre segundo o interesse de seus finanCIAdores. Não foi a primeira, não será a última. Todos sabemos que o nível do jornalismo brasileiro corre abaixo do nível do esgoto, e o que vem apresentando este lambe bostas não é nada diferente.

Contra todas as evidências, de repente resolve fazer uma interpretação que seja do interesse de sua manada amestrada como se não houvesse pessoas inteligentes capazes de entenderem os gestos sem a necessidade desta viagem ao inconsciente do papa.

Com seu discurso franquista, Arias não passa, à moda Ronaldo Caiado, de um lacaio a procura de uma ideia. Preferiu se fixar numa interpretação totalmente fantasiosa, sem sentido, do que mostrar o discurso do Papa. O papa não usou meias palavras para condenar  a lógica do lucro a todo custo, lei maior do capitalismo, e também como não usou de eufemismos para condenar a concentração dos meios de comunicação.

Que Arias seja este sabujo entende-se. Afinal, sua linhagem intelectual descende da Opus Dei, Los Kikos, filhotes da Inquisição espanhola.

Não fosse a internet e a verdade seria aquela dos Juan Árias do jornalixo!

O Papa tem medo do crucifixo comunista?

Evo Morales não é comunista, mas sabia muito bem que, ao dar de presente a Francisco um crucifixo com o símbolo da foice e martelo, seu gesto teria repercussão mundial

Juan Arias 10 JUL 2015 – 14:33 BRT

Evo Morales presenteando o Papa com o crucifixo. / OSSERAVATORE ROMANO / HANDOUT (EFE)

O presidente da Bolívia, Evo Morales, não é comunista, mas sabia muito bem que, ao dar de presente ao papa Francisco a imagem de madeira de um crucifixo adornado com o símbolo da foice e martelo, seu gesto teria repercussão mundial. Foi, sem dúvida uma genial e eficaz cartada publicitária.

Ambas as figuras, a cristã e a comunista juntas, têm de fato uma grande força simbólica que atinge milhões de pessoas e aparecem quase como antagonistas e provocadoras.

Talvez daí decorra a cara feia de estranheza e quase de susto do papa Francisco frente a esse presente curioso e pouco artístico, que tardou em apanhar em suas mãos e soltou em seguida, como se dissesse: “Mas o que é isto?!”.

Francisco mudou de feição quando Morales lhe contou que aquele crucifixo comunista era obra do sacerdote espanhol Luis Espinal, assassinado em 1980, o que fazia dele um símbolo, já que recordava as perseguições aos seguidores da Teologia da Libertação considerados comunistas.

O Papa sempre quis distinguir o empenho da teologia na defesa dos mais pobres e humilhados, por um lado, e a sua possível ideologia comunista, por outro

Houve quem visse na estranheza e quase mal-estar do rosto de Francisco a suspeita de que aquele crucifixo poderia significar que também ele é visto como um “papa comunista” ou como um “teólogo da libertação”. É como se, diante daquele Cristo, Francisco se olhasse em um espelho e pensasse: “Será que me veem assim?”. Poderia ter pensado: “Teriam presenteado semelhante crucifixo ao papa alemão Ratzinger?”.

É verdade que o Papa jesuíta está reconhecendo teólogos da libertação condenados por seu antecessor, o papa Bento XVI, mas sempre quis distinguir entre o empenho dessa teologia na defesa dos mais pobres e humilhados da sociedade, por um lado, e a sua possível ideologia comunista, por outro.

Talvez por isso, o Papa reagiu imediatamente à possível carga simbólica daquele crucifixo e recordou a Morales que o sacerdote havia sido assassinado porque “pregava o evangelho, e isso incomodava”.

Era como dizer: “Eu sou um papa do Evangelho, e nada mais. Todas as outras etiquetas são alheias à minha missão”.

Fiquei curioso de ver como a foto do rosto de estranheza do Papa perante o crucifixo de Morales seria comentada nas redes sociais. E, como eu imaginava, ela despertou desde comentários engraçados sobre a feiura artística “daquela coisa que meteu medo no papa” até outros mais complexos. Um comentário dizia que ambas as imagens ficavam muito bem juntas, pois tanto a Igreja, com a Inquisição, como o Comunismo, com seus expurgos, “causaram morte e dor no mundo”.

Lembro que no Concílio Vaticano II, que representou uma revolução para a Igreja e aconteceu ainda com bispos e cardeais encarcerados pelo comunismo soviético, os Padres Conciliares admitiram que o comunismo “talvez não tivesse surgido se a Igreja não tivesse abandonado o mundo do trabalho”.

Sobre Jesus, dizia-se que teria sido “o primeiro socialista” da História. O primeiro cristianismo era essencialmente comunitário. Os primeiros cristãos se deixavam matar por defender o Evangelho dos pobres.

Depois, a Igreja se aburguesou, se imperializou e até perseguiu os teólogos que queriam voltar às origens do cristianismo cujos seguidores “tornavam tudo comum”. Aquele “comunismo cristão” durou pouco, possivelmente porque era utópico, e a Humanidade não pode viver só de utopias.

Talvez no salto da utopia à realidade os dois comunismos – o cristão e o soviético –tenham acabado fracassando.

Naquele crucifixo feio de Morales poderia se ler também a tragédia das melhores utopias quando se transformam em ideologia e conquista do poder.

Sobre Jesus, dizia-se que teria sido “o primeiro socialista” da História. O primeiro cristianismo era essencialmente comunitário

Francisco deu de presente a Morales algo que ele mesmo qualificou com fina ironia de “mais simples”. Sem dúvida mais belo artisticamente: a imagem bizantina da Virgem Maria com o Menino Jesus, das origens do cristianismo, que pode-se admirar na Basílica da Santa Maria Maior, em Roma.

A figura do Francisco, amada hoje por crentes e agnósticos por seu exemplo de vida e sua entrega à defesa da paz e dos direitos dos mais fracos, conjuga-se melhor com a imagem evangélica e materna de Maria, que recorda o cristianismo que ainda não se havia mundanizado, do que com o severo e ideológico crucifixo comunista de Morales.

Onde Francisco colocará o crucifixo que quase lhe meteu medo?

Talvez não caiba no modesto quarto do hotel Santa Marta, onde vive porque preferido isso aos luxuosos palácios vaticanos.

O Papa tem medo do crucifixo comunista? | Opinião | EL PAÍS Brasil

10/12/2014

O que Andrea Neves não aprendeu com Fidel?

Filed under: Aécio Neves,AécioPorto,Andrea Neves,Comunismo,Comunista,Cuba,Yoani Sánchez — Gilmar Crestani @ 9:28 am
Tags:

Aécio em Cuba, comendo na mão de Fidel Castro.

Aecio ComunistaHá mais liberdade em Cuba do que na Minas Gerais dos irmãos Aécio e Andrea Neves. A simples existência da festejada blogueira Yoani Sánchez, que circula pelo mundo pelas mãos dos grupos mafiomidiáticos traduz isso muito bem. O atrelamento da velha mídia brasileira, graças à mão de ferro da distribuidora das verbas do então governador Aécio Neves, ao donatário das alterosas explicam a diferença entre Cuba e Minas Gerais. A listas das vítimas processadas por Aécio Neves não para de crescer. Mantém uma banca de advogados especializados em processar quem ousa discordar ele: A lista dos twitteiros processados por Aécio Neves. O poder da irmã Andrea Neves sobre a velha mídia mineira é tão grande que quando Mauro Chaves publicou o clássico “Pó pará, governador”, o Jornal de Minas fez  a defesa do Aécio Neves: “Minas a reboque, não”. 

O azar dos ditadores atuais, como a famiglia Neves, é que a internet é o melhor detetive para encontrar as pernas curtas da mentira. Os xingamentos da direita raivosa encabeçada por Aécio Neves espalharam um monte de bobagens a respeito do  tal de bolivarianismo  e o tal de “Vai pra Cuba”, das manifestações pós eleições, patrocinadas por Aécio Neves e seus estafetas Lobão e Jair Bolsonaro.

Eles, Andrea e Aécio, estão brincando, mas sua manada levam a sério. São tantas as bobagens que não admira que o playboy mimado esteja em forte crise de abstinência. Não fosse a camisa de força que eles puseram em seus amigos nos grupos mafiomidiáticos e eles sequer poderiam sair à rua impunemente. Acontece que no Brasil do Instituto Millenium há Aécios, Serras, FHCs Alkmin, Gilmar Mendes, Joaquim Barbosa que tudo podem. Como nos filmes do velho oeste, têm licença para assassinarem, impunemente, reputações. Andrea e Aécio Neves aprenderam com Fidel que a condução da mídia com mão-de-ferro, mas não aprenderam a investiram no povo, em quem mais precisa. Ao contrário de Fidel, em Minas Aécio Neves investe em aeroportos em terras da família. A Minas de Aécio e Andrea jamais exportará mais médicos. Em compensação, transformaram Minas no principal ponto de distribuição de drogas pro Nordeste.

 

Os aloprados que gritam “Vai pra Cuba” podem pedir dicas para a poderosa irmã de Aécio — que foi e curtiu

Postado em 08 dez 2014 – por : Kiko Nogueira

Andrea e Lobão

Andrea e Lobão

A multidinha que invadiu as galerias do Congresso para gritar o clássico “Vai pra Cuba” do fundo de seus pulmões pode pedir à irmã de Aécio Neves informações sobre a ilha.

Andrea, a poderosa irmã do senador, seu braço direito, conselheira, confidente e coordenadora de campanha, esteve no país em 2013, como relata em seu blog. Portanto, em pleno auge do regime bolivariano brasileiro, pouco antes de Aécio se candidatar. Pouco depois ele perderia e viraria uma espécie de heroi macunaímico dos aloprados que têm certeza absoluta de que vivemos uma ditadura comunista.

O que pensariam os fascistas das visitas de Andrea? Seriam capazes de perdoá-la? Ou ela seria considerada uma traidora? E ao senador? Seria ele culpado por tabela? Deveria ter proibido a mana de embarcar naquele avião maldito rumo ao reduto vermelho maldito?

Aquela não foi a primeira vez. Num post sobre Havana, uma Andrea emotiva escreveu o seguinte: “Voltei a Cuba. Entre a primeira e a segunda viagem, quase 30 anos… Mudou Havana, mudei eu ou mudamos nós duas?”

Enigmático. Mas seu ânimo não era denuncista, como se depreende das fotos. Junto a cartões postais como o parlamento e uma rua com aqueles edifícios restaurados, há uma foto sua com um velhote, ambos sorridentes.

Em 2012, ela se indignara contra a morte do prisioneiro político Wilmar Mendoza após uma greve de fome, aos 31 anos. “Para a minha geração, durante muitos anos, a revolução cubana foi o símbolo do idealismo e a prova de que era possível construir uma sociedade mais justa”, escreve.

“Não sei em que exato momento muitos de nós começaram a perceber que, infelizmente, o processo não era tão linear, nem os princípios tão absolutos quanto imaginávamos. Em que momento tivemos que acrescentar ao nosso sonho de revolução as imagens da censura, dos prisioneiros políticos, da corrupção?”

(Ela reclamar de censura é lindo, mas sigamos adiante).

E então ela se lembra de que esteve lá em 1985, participando de um certo Diálogo Juvenil e Estudantil da América Latina e do Caribe sobre a Dívida Externa. Foi ali que teve sua estreia como oradora. “Para quem até hoje não se sente à vontade com os microfones, estrear sendo ouvida pelo próprio Fidel, num auditório lotado, não foi fácil”, diz.

Quando voltou, publicou um artigo no JB chamado “Mamãe, Eu Fui a Cuba”, devidamente replicado no blog.

O que você achou de Cuba? Perguntaram-me as pessoas. Uma sociedade surpreendente, ouso dizer, tendo plena consciência do quão provocativa a expressão pode soar. É claro que o país enfrenta uma série de dificuldades. Uma economia frágil, uma política de habitação que ainda não foi capaz de suprir as necessidades da área, são as mais evidentes. Mais algum tempo lá e, certamente, outras questões viriam à tona. Mas há outra realidade que salta aos olhos e que, juro, me encheu de orgulho.

Uma sociedade em que um especializado e eficaz serviço de educação e saúde é gratuitamente oferecido à população. Um país de nove milhões de habitantes em que a alimentação básica é subsidiada pelo Governo e onde se imprimem 2,5 milhões de livro a cada três meses. E isso sem falar na alegria das crianças, nas minissaias das moças e no olhar galante dos rapazes que se insinuam pelas ruas. Tudo regado a muito calor, a reclamações sobre o ônibus cheio e à irreverência dos soldados que, na hora do almoço tiram a farda para um mergulho no mar.

[…]

Chego em casa, desarrumo as malas e penso em como é grande o cordão da esperança. É isso aí. Mamãe, eu fui à Cuba. E qualquer dia desses eu quero voltar.

“No mais”, bate outra vez, com esperanças o meu coração”.

Andrea Neves não sobreviveria à canalha de extrema direita que seu irmão atiça — eventualmente, direto da praia.

(Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui).

Sobre o Autor

Diretor-adjunto do Diário do Centro do Mundo. Jornalista e músico. Foi fundador e diretor de redação da Revista Alfa; editor da Veja São Paulo; diretor de redação da Viagem e Turismo e do Guia Quatro Rodas.

Diário do Centro do Mundo » Os aloprados que gritam “Vai pra Cuba” podem pedir dicas para a poderosa irmã de Aécio — que foi e curtiu

31/05/2014

Bispo da Folha acusa Jesus de ter usado a multiplicação dos pães de forma eleitoreira

comunistanSegundo o Bispo, Jesus só pensava em ser Deus. Fazia milagres só para se promover. Onde já se viu, dar peixe e pão sem antes ensinar os seguidores a pescarem  e amassarem o próprio pão. Ponho reza braba que esse Bispo aí, quando morrer, vai é comer o pão que o diabo amassou…

Quando a Folha vai fazer uma boa reportagem a respeito do racionamento de água em São Paulo?!

 

Inacabada, transposição deve ter dois novos eixos

Órgão do governo diz que usará regime diferenciado de contratação

Crítico da obra no São Francisco, o bispo dom Luiz Cappio diz que possíveis novos canais são eleitoreiros

JOÃO PEDRO PITOMBODE SALVADOR

Apesar de obras da transposição ainda estarem em andamento, com orçamento quase dobrado e ao menos três anos de atraso, o governo já prepara a construção de dois novos canais que desviarão água do rio São Francisco.

Os projetos dos eixos sul e oeste deverão ser contemplados na terceira etapa do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), a ser lançado em agosto deste ano.

A principal novidade será a opção pela contratação do projeto via RDC (Regime Diferenciado de Contratação), com o objetivo de "evitar erros" cometidos nos eixos leste e norte, cuja obra foi dividida em vários lotes, todos contratados pela lei de licitação.

O RDC permite que todas etapas de um mesmo empreendimento possam ser tocadas por uma única empresa.

"O governo reconhece que a estratégia adotada inicialmente [com a lei de licitações] se mostrou pouco adequada", diz Elmo Vaz, presidente da Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba).

As deficiências contratuais e de gestão na construção dos eixos atuais fizeram o preço da obra saltar de uma estimativa inicial de R$ 4,6 bilhões para os atuais R$ 8,2 bilhões. O prazo de entrega da obra da transposição foi adiado de 2012 para 2015.

A decisão pelo RDC foi tomada no momento em que o governo tenta emplacar no Congresso mudanças na legislação para permitir o uso do modelo em todas as licitações e contratos federais, de Estados e de municípios.

Com a previsão de ter 350 km de canais, o eixo sul da transposição vai atender a Bahia e Sergipe com a perenização dos rios Vaza-Barris e Itapicuru.

Segundo a Codevasf, a água servirá para garantir o abastecimento em cidades como Senhor do Bonfim e Capim Grosso (BA), além de levar água para os perímetros irrigados existentes na região. O anteprojeto já foi licitado, e os estudos de viabilidade estão em curso.

O eixo oeste, com estudos em fase de licitação, vai abastecer o Piauí e deverá ser composto por mais de um canal.

Além da água do rio São Francisco, existe a possibilidade de retirar água do aquíferos do vale do rio Gurgéia, no sul do Piauí.

O objetivo principal é fazer a água chegar à barragem de Petrônio Portela, que fica numa das regiões mais secas e pobres do Estado nordestino.

Um dos principais críticos da transposição, o bispo da cidade de Barra (BA), dom Luiz Cappio, que chegou a fazer greve de fome em 2005 e 2007 contra os desvios no São Francisco, chama de "eleitoreira" a possibilidade de construção dos novos canais.

04/05/2014

Ah! Esses comunistas, sem Alca nem calças…

Filed under: ALCA,Comunismo,México,Petróleo,Venezuela — Gilmar Crestani @ 1:24 pm
Tags:

Venezuela petroleo

Não é na Venezuela…

Boi, porco e frango sobem 25% em um ano e o consumo cai 20%. E não é na Venezuela

Mauro Santayana

Para alimentar sua população, e afastar o risco de uma crise de abastecimento, governo mexicano pede que Brasil e Argentina forneçam, em caráter de emergência, 300.000 toneladas de frango.

É de dar pena. Mas, para infelicidade de seu próprio povo, o modelo neoliberal mexicano  continua fazendo água por todos os lados.

Empresa menos rentável da América Latina no ano passado, segundo o site especializado Latinvex, a PEMEX teve, em 2013, o maior prejuízo de sua história, da ordem de mais de 12 bilhões de dólares – e ele já passa de U$ 2.5 bilhões no primeiro trimestre deste ano. Enquanto isso, com todos os seus problemas, a Petrobrás – eleita no mesmo ranking a empresa mais rentável do continente latino-americano em 2013- lucrou, no mesmo período, mais de U$ 10 bilhões.

O conteúdo local dos produtos mandados para o exterior, pelos cinco principais setores exportadores mexicanos, segundo a revista local Paradigma, não chega a 60%, contra 90% no Brasil e na China.

Segundo a OCDE, quatro em cada 10 mexicanos não recebem um salário que dê para comprar uma cesta básica.

No país mais desigual das Américas, junto com o Chile, não existe seguro desemprego, e 60% da população ativa está na informalidade. 

Agora, para ilustrar melhor o que verdadeiramente está ocorrendo por lá, o site especializado em proteína animal www.eurocarne.com, citando a associação de importadores de carnes do México, acaba de divulgar que houve um aumento de 25% no preço da carne de frango, boi e porco – o suíno, por exemplo, passou de 30 para 48 pesos o quilo – no mercado mexicano, nos últimos meses, devido ao crescimento dos custos de produção nos EUA, seu principal fornecedor de alimentos.

Com isso, o consumo de proteínas no país de Zapata, com mais de 50% da população em situação de pobreza, caiu, também, no mesmo período, extraordinários 20%.

Para evitar o aumento da inflação e uma grave crise de abastecimento, o governo Peña Nieto está ultimando a importação, da Argentina e do Brasil, em caráter de emergência, de 300.000 toneladas de frango.

E ainda tem mexicano – que com certeza não precisa comer empanada na hora do almoço – que fica falando mal da Venezuela nos sites e redes sociais.

É isso aí.

Trata-se do incompetente e decadente Mercosul, dando de comer ao povo da nau capitânia da “próspera” – o México cresceu a metade do Brasil no ano passado – e “bem sucedida” – na opinião de The Economist e do Financial Times – Aliança do Pacífico.

http://www.eurocarne.com/noticias?codigo=28959

SQN

10/04/2014

Uma montagem indesmontável…

Filed under: Comunismo,Comunista,FHC,Fidel Castro,Folha de São Paulo,Hugo Chávez — Gilmar Crestani @ 11:28 am
Tags:

São Paulo, terça-feira, 14 de agosto de 2001

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice
VIAGEM PRESIDENCIAL
PT considera venezuelano aliado no combate ao neoliberalismo
Reforma agrária de FHC recebe elogios de Chávez

Patricia Santos/Folha Imagem

Fidel Castro, Hugo Chávez e o presidente FHC se cumprimentam em inauguração de subestação de energia elétrica, na Venezuela

FÁBIO ZANINI
ENVIADO ESPECIAL A SANTA ELENA DE UAIRÉN
O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, fez as vezes ontem de garoto-propaganda de seu colega Fernando Henrique Cardoso, elogiando o programa brasileiro de reforma agrária em cadeia nacional de rádio e TV.
"No Brasil, expropriaram, nos últimos seis anos, 20 milhões de hectares. Expropriados! Mas não foi um atentado contra a liberdade de propriedade, pelo contrário. Foi um ato a favor da busca da paz, do desenvolvimento, da liberdade e da igualdade", afirmou.
O presidente venezuelano, que utiliza retórica esquerdista e condena frequentemente o "imperialismo norte-americano", é visto com simpatia por vários setores do PT. O partido de Luiz Inácio Lula da Silva considera Chávez um aliado no combate ao neoliberalismo, que associa a FHC.
Os elogios foram feitos na cerimônia de inauguração de uma subestação de energia na cidade venezuelana de Santa Elena de Uairén, a 15 km da fronteira com Roraima. A subestação irá exportar energia elétrica para o Brasil. Serão 60 mil KWh neste ano.
O líder cubano Fidel Castro, que também visitava a Venezuela, esteve presente. Fazendo piada, prometeu ser breve em seu discurso. Falou por 35 minutos.
Ao final da cerimônia, FHC não perdeu a oportunidade de faturar politicamente o elogio: "Todas as pessoas que têm noção das coisas sabem que 500 mil famílias no campo em quatro ou cinco anos é uma coisa muito forte. Até o Fidel ficou impressionado", declarou.
Os três líderes enfatizaram a necessidade de integração dos países. Chávez repetiu a proposta de associar seu país ao Mercosul. "Espero que isso ocorra ainda no governo de Fernando Henrique."
Elogiando a posição cautelosa do Brasil quanto à Alca (Área de Livre Comércio das Américas), Chávez cometeu uma gafe: "A Alca é um projeto que quer integrar o grande e o pequeno. É como a seleção brasileira de futebol, grande, forte, enfrentar a seleção infantil desta cidade", disse, ignorando a crise da seleção brasileira.
FHC também destacou a necessidade de união. "Por muito tempo, Brasil e Venezuela estiveram de costas um para o outro. Isso foi um erro. Ou nos integramos, ou erramos", afirmou, em espanhol.
Apagão
FHC disse que a inauguração não alivia diretamente a crise energética no Brasil, visto que a energia transmitida da Venezuela irá servir apenas Roraima, que está fora do racionamento. Mas afirmou que é um "bom sinal". "O apagão está cada vez mais distante." Na hora da inauguração, houve um imprevisto. O sistema de rádio que Chávez e FHC usavam para ordenar o início do funcionamento falhou. Foi preciso usar um telefone para se comunicar com a sala de operações.

24/07/2013

Aldo Rebelo errou

Filed under: Aldo Rebelo,Comunismo — Gilmar Crestani @ 8:11 am
Tags:

Ele deveria ter levado a Manuela D’Ávila e a deixado lá em Cuba… Estes comunistas não me representam!

Ministro levou família a Cuba em jato oficial

Com avião cedido pela FAB, Aldo Rebelo deu carona para mulher e filho em missão a Havana durante o Carnaval

Legislação permite acompanhantes, mas parentes do ministro do Esporte não faziam parte de comitiva

FILIPE COUTINHODE BRASÍLIA

O ministro Aldo Rebelo (Esporte) usou um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) para ir a Cuba no Carnaval com a mulher, o filho e assessores.

Ele esteve em Havana em missão oficial e justificou a carona à mulher e ao filho dizendo que ambos também foram convidados pelo governo cubano.

Nenhum dos dois representou o governo brasileiro na missão. Quando o ministério publicou nota sobre a viagem de Aldo, em fevereiro, o nome deles não constava na lista oficial da comitiva.

A mulher do ministro, Rita, é coordenadora na Secretaria da Mulher do governo do Distrito Federal, controlada pelo PC do B, mesmo partido de Aldo. Já o filho, de 21 anos, é estudante universitário e estagiário.

A Folha revelou que três políticos usaram aviões da FAB para dar caronas a amigos e parentes a eventos fora da agenda oficial. Depois dos casos revelados, todos anunciaram a devolução dos valores das passagens.

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), foi o primeiro flagrado dando carona a parentes para ir ver o jogo do Brasil. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), levou a mulher a uma festa de casamento da filha de outro senador em Porto Seguro.

O ministro Garibaldi Alves (Previdência) foi outro que deu carona a um empresário também para ver o jogo do Brasil. No total, os três devolveram R$ 44.245,29.

O decreto 4.244/2002, que disciplina o uso de aviões da FAB por autoridades, diz que os jatos podem ser requisitados quando houver "motivo de segurança e emergência médica, em viagens a serviço e deslocamentos para o local de residência permanente". O texto do decreto não diz quem pode ou não viajar acompanhando as autoridades.

PARCERIA

No caso de Aldo, a missão oficial a Cuba serviu para o ministro assinar fechar intercâmbio de atletas entre os dois países para os jogos de 2016. O ministro recebeu diárias de R$ 1.776,25.

O grupo saiu de Brasília no sábado de Carnaval, dia 9, fez escala em Boa Vista (RR) e só voltou na Quarta-Feira de Cinzas, dia 13 de fevereiro.

A FAB destacou um jatinho Legacy, da Embraer, com capacidade de 14 passageiros, para levar a comitiva.

Em missão oficial, os ministros têm direito a usar os jatos da FAB ou podem viajar com aviões de carreira.

Foi o que ocorreu com Aldo depois de ir a Cuba em aviões da FAB. No mês seguinte ele foi à Suíça e o governo bancou passagens executivas ao custo de R$ 25 mil.

A Folha cotou preços para duas pessoas, em viagem de ida e volta entre Brasília e Havana na aviação civil. Na primeira semana de agosto, duas viagens de ida e volta custariam mais de R$ 5.500. Para novembro, o valor cai para R$ 3.600.

    19/05/2013

    Como agiam os comunistas que mereceram o golpe de 1964

    Filed under: Comunismo,Ditadura,Golpe Militar — Gilmar Crestani @ 10:49 am
    Tags:

    HÁ 50 ANOS 19.MAI.1963

    Veja o arquivo digital da Folha em acervo.folha.com.br

    Jango regulamenta lei que coíbe abusos e monopólios no mercado

    DO BANCO DE DADOS – O presidente João Goulart decretou ontem a regulamentação da lei 4.137, aprovada em setembro do ano passado pelo Congresso e conhecida como Lei Antitruste.

    As normas entram em vigor na segunda-feira (20) e visam combater o abuso do poder econômico e a monopolização do mercado nacional, que levam à eliminação da concorrência e travam o desenvolvimento econômico.

    O presidente também convidou o advogado Lourival Fontes para assumir a presidência do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), órgão encarregado da aplicação da lei.

    22/10/2012

    50 anos depois, o medo reencarna em Regina Duarte

    Filed under: Comunismo,Miguel Arraes — Gilmar Crestani @ 7:54 am

    Deve ser ainda resquícios deste medo atávico dos comunistas que derrotaram Manuela d’Ávila. Ou seria por ela ser Ávida de mais?

    HÁ 50 ANOS 22.OUT.1962

    Veja o arquivo digital da Folha em acervo.folha.com.br

    Vitória de Arrais significa perigo comunista, diz candidato em PE

    DO BANCO DE DADOS – O candidato a governador de Pernambuco João Cleofas, do Partido Republicano, divulgou manifesto ontem no Recife reconhecendo a vitória do adversário Miguel Arrais, do Partido Social Trabalhista, no pleito de 7 de outubro.

    As apurações, que já acabaram no interior, dão vantagem de 1.044 votos a Cleofas. Mas a situação mudará na capital, onde o rival do PST já tem maioria de votos.

    No manifesto, o candidato já derrotado disse que a eleição do oposicionista "representa um perigo para as instituições democráticas" e que Arrais promoverá a "cubanização" do Brasil.

    28/03/2012

    Negócio da China; comunismo compra capitalismo em liquidação

    Filed under: Capitalismo,China,Comunismo,Crise Financeira Européia — Gilmar Crestani @ 7:21 am

     

    Crise abre caminho para investimento chinês recorde na Europa

    Daniela Fernandes

    De Paris para a BBC Brasil

    Atualizado em  28 de março, 2012 – 05:43 (Brasília) 08:43 GMT

    Châteaux Grand Moueys (Foto: divulgação)

    Investidores chineses estão multiplicando aquisições de vinhedos em Bordeaux

    Os investimentos chineses na Europa foram multiplicados por sete desde o início da crise financeira mundial, em 2008, e vêm se acelerando nos últimos meses, após o agravamento da crise na zona do euro, segundo dados de organizações internacionais.

    Os chineses vêm acelerando seus investimentos no Velho Mundo nos últimos anos em setores variados. Já adquiriram ou compraram participação, por exemplo, em vinhedos na França, companhia de energia em Portugal, fábrica de máquinas na Alemanha e montadoras de veículos na Suécia e Grã-Bretanha. O perfil variado, incluindo indústrias de alta tecnologia, contrasta com a forte concentração de investimentos chineses no Brasil, bem como na América Latina, em setores como mineração, petróleo e gás.

    De acordo com a Unctad (Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento), o volume de recursos chineses investidos na Europa, em fusões ou aquisições de empresas, além da compra de participações acionárias, foi de US$ 876 milhões em 2008. Em 2010, últimos dados disponíveis na Unctad, o montante foi de US$ 6,76 bilhões.

    Apesar de expressivos, os números da Unctad são apenas um dos indicadores da tendência de avanço dos investimentos chineses na Europa.

    "Esses números estão subestimados, porque se referem somente à China continental, e não incluem Hong Kong", disse à BBC Brasil Guoyong Liang, do escritório de assuntos econômicos da Unctad.

    Hong Kong é uma importante plataforma para investimentos chineses no exterior, mas o governo chinês não divulga o destino, por país, dos investimentos provenientes da região administrativa especial da China.

    A entidade americana Heritage Foundation tenta superar esse obstáculo na obtenção dos dados acompanhando os investimentos no momento em que são anunciados e confirmados. Segundo a entidade, em 2011, os investimentos em 13 países europeus teriam atingido cerca de US$ 15 bilhões.

    Aceleração

    Inúmeros anúncios de aquisições de empresas (ou também de participação no capital de companhias europeias) por investidores chineses têm sido feitos nos últimos meses.

    Um dos negócios mais comentados, em razão do montante, ocorreu no final de dezembro: a China Três Gargantas comprou, por US$ 2,7 bilhões, a fatia de 21,35% que o governo português detinha na Energia de Portugal (EDP), afastando da disputa o grupo alemão e.ON e as brasileiras Eletrobras e Cemig.

    A recente compra em Portugal é exemplo de uma tendência observada pela Heritage Foundation de aceleração de investimentos em países fortemente afetados pela crise na zona do euro.

    A China, segundo a Heritage Foundation, não havia investido nada na Espanha entre 2005 e 2008, por exemplo. De 2009 até 2011, o fluxo de capitais chineses para o país atingiu US$ 1,5 bilhão.

    A situação em Portugal é mais emblemática. Ainda de acordo com a Heritage Foundation, a China não teria investido nada no país entre 2005 e 2010.

    Apenas em 2011, quando Portugal entrou no olho do furacão da crise das dívidas soberanas, o fluxo de investimentos chineses para o país atingiu US$ 3,5 bilhões.

    "Após o início da crise, em 2008, houve um grande aumento dos investimentos chineses na Europa. Mais recentemente, a crise na zona do euro passou a representar uma oportunidade para comprar ativos mais baratos", afirma Liang, da Unctad.

    Desfile da marca de prêt-à-porter de luxo Sonia Rykiel

    Fung Brands, de Hong Kong, comprou 80% do capital da marca de prêt-à-porter Sonia Rykiel

    Ele diz que a maior parte dos negócios na Europa começou a ocorrer desde meados do ano passado.

    Na Alemanha, um dos países que mais receberam investimentos chineses em 2009 e 2010, o interesse é pela indústria mecânica, que produz maquinário de alta tecnologia com reputação mundial, diz o economista da Unctad.

    Segundo ele, os investimentos chineses também são significativos na Grã-Bretanha porque o país reúne sedes de várias empresas importantes do setor de energia e também bancário.

    As empresas chinesas também têm investido em infra-estrutura na Europa, com concessões para operar nos portos dos Pireus, em Atenas, e de Nápoles, na Itália.

    Montadoras europeias, como a britânica Rover (que estava em concordata em 2005) ou ainda a sueca Volvo, em 2010, também foram compradas por grupos chineses, que tentaram ainda adquirir no ano passado a sueca Saab. Mas a operação foi vetada pela General Motors, proprietária da marca sueca de automóveis, que acabou pedindo concordata em dezembro.

    Na França, além de setores como o da energia, as companhias chinesas têm investido em segmentos ligados à imagem da França no exterior: marcas de moda de luxo e vinhos.

    A grife Cerruti foi adquirida por chineses em 2010 e, em fevereiro passado, foi a vez do fundo Fung Brands, de Hong Kong, comprar 80% do capital da marca de prêt-à-porter de luxo Sonia Rykiel.

    Investidores chineses também estão multiplicando as aquisições de vinhedos em Bordeaux com o objetivo de exportar para a China, que se tornou o primeiro importador mundial de vinhos dessa região francesa.

    BBC Brasil – Notícias – Crise abre caminho para investimento chinês recorde na Europa

    05/01/2012

    Papa flerta com o comunismo ao visitar Cuba

    Filed under: Comunismo,Papa Benedito XVI,Professor Hariovaldo — Gilmar Crestani @ 9:56 am

    Papa Don't Preach

    Segundo a Agência Ecclesia, o Papa Bento XVI marcou de forma definitiva a sua primeira viagem ao continente americano em 2012 ao anunciar que entre 23 e 28 de março o Pontífice visitará o México e Cuba. O anúncio foi feito também pelas respectivas Conferências Episcopais, que vão receber a primeira visita do atual Papa aos dois países.

    O anúncio da viagem de Joseph, Cardeal Ratzinger, hoje Papa Benedictus XVI ao País de Fidel e Raul Castro caiu como uma bomba entre os refugiados cubanos em Miami onde se afirma abertamente que o prelado alemão filho de um comissário de polícia, nascido Joseph Alois Ratzinger às 04h20 do dia 16 de Abril de 1927, um sábado Santo, na pequena localidade de Marktl am Inn, na diocese de Passau, na Alemanha e batizado no mesmo dia, “dá início com sua visita a Cuba aos acontecimentos que antecedem o Armagedon e o fim do mundo previsto pelos Maias”.

    “É o fim dos tempos” afirmou Dom Jose ElSierra Delamooca, um dos mais importantes líderes cubanos no exílio que garante que Bento XVI “virou comunista e vai abençoar Fidel Castro no complô mundial para transformar a Santa Madre Igreja Católica em reduto dos barbudinhos petistas do Brasil”.  Para ele, a visita do prelado “anuncia a confirmação da teoria Maia do fim do mundo em 2012 e confirma as suspeitas de que Joseph Ratzinger é agente do lulodilmocomunismo desde criança quando teria sido cooptado pela Stazi da Alemanha Oriental”.

    Dom Jose ElSierra garante também que a confirmação da viagem pelo L´Osservatore Romano, o jornal oficial da Santa Sé, “mostra que o Vaticano já é dominado pelo Zé Dirceu que hoje manda em toda a cúpula da Igreja tal forma que chega ao absurdo de nos comunicar como se fosse coisa normal a visita do Sumo Pontífice de mais de um bilhão de católicos no mundo ao ogro vermelho da ilha caribenha”.

    Segundo o jornal acusado pelos exilados em Miami de neocomunista, o L´Osservatore Romano, a agenda do Papa em Cuba prevê a chegada de Bento XVI ao país no dia 26 quando ele desembarcará em Santiago de Cuba, onde “vai ser acolhido pelo presidente Raul Castro e pela Conferência Episcopal Cubana”, antes de uma missa, ao fim da tarde, na Praça da Revolução ‘Antonio Maceo’.

    Na manhã de 27, Bento XVI fará uma visita privada ao santuário mariano nacional de Nossa Senhora da Caridade, padroeira de Cuba partindo depois, de avião, para a capital, Havana, onde deverá chegar ao meio-dia. O programa do segundo dia em solo cubano inclui um encontro com o presidente da República e uma reunião com o barbudo retirado Fidel Castro e os bispos locais.

    A viagem papal a Cuba encerra-se com uma missa na Praça da Revolução ‘José Marti’, Havana quando, de acordo com Dom Jose ELSierra, “haverá a mais importante cerimônia comunolulochavista da visita papal a Cuba com a proclamação de beatitude revolucionária de Che Guevara e dos 33 comunistas mortos em Sierra Maestra em 1959”.

    Diante de tais sombrios prognósticos e invocando as bênçãos dos padres Quevedo e Iscariotes, vamos nos penitenciar em sessões alongadas de cilício apertado e joelhos postos sobre chapinhas de Crush e Guarapan para exorcizar de vez essa interferência comunista no Continente.

    Papa flerta com o comunismo ao visitar Cuba | Professor Hariovaldo Almeida Prado

    26/12/2011

    Comunismo made in USA no Haiti

    Filed under: Capitalismo,Comunismo,Haiti — Gilmar Crestani @ 8:53 am

    A influência ianque deixou o Haiti com ares de Cuba. O capitalismo selvagem não difere do comunismo. O que muda para os povos de Cuba e Haiti uma e outra forma de governo? Pelo menos no Haiti há acesso universal à saúde e à educação…

    Não encontrei nos principais portais de internet brasileiros a notícia que deu La Repubblica. Deve ser porque nossos jornais são mais isentos. E eles não devem ter sucursal no Haiti e, pelo visto, nem em Cuba, já que o auxílio foi dado por Cuba. Ou seria exatamente por isso. Os a$$oCIAdos do Instituto Millenium só publicam o que têm autorização para publicar. Quem autoriza? Quem os paitrocina!

    Naufraga barcone di migranti, almeno 38 morti al largo di Cuba

    L’AVANA – Dramma dell’immigrazione nel Mar dei Caraibi: almeno 38 migranti haitiani sono morti e altri 87 sono stati soccorsi dalla guardia costiera cubana dopo il naufragio della loro imbarcazione al largo di Cuba. Lo rende noto la Difesa civile cubana (Dc). L’imbarcazione "semisommersa" è stata avvistata a un centinaio di metri dalla costa di Punta de Maisi (estremo est di Cuba) dalla guardia costiera, che ha recuperato i cadaveri di 21 uomini e 17 donne, spiega un comunicato la Dc. Ottantasette persone, tra le quali quattro bambini e sette donne, sono state soccorse e "ricevono cure nel campo immigrati internazionale di Punta de Maisi", secondo la Difesa civile.
    La Dc aggiunge che la Croce rossa e la guardia costiera proseguono le operazioni di ricerca di altri eventuali sopravvissuti al naufragio. I naufragi di imbarcazioni di fortuna con a bordo haitiani – ma anche cubani – dirette verso gli Stati Uniti sono frequenti nei Caraibi. Nel luglio 2009 circa 70 migranti haitiani sono morti nel naufragio della loro imbarcazione al largo dell’arcipelago britannico di Turks e Caicos.

    (25 dicembre 2011)

    Naufraga barcone di migranti almeno 38 morti al largo di Cuba – Repubblica.it

    Blog no WordPress.com.

    %d blogueiros gostam disto: