Ficha Corrida

29/11/2014

Não há o que não haja

Gilmar Mendes será provocado a defender um segundo Rodrigo De Grandis no Ministério Público. Depois da PEC-37, a única consequência das manifestações de junho de 2013, o Ministério Púbico tem licença para vestir a fantasia da Pantera Cor-de-Rosa. Bem lembrado pelo Miguel do Rosário, o caso Boimate e o Nueva Konigsberg catapultaram a Veja para o antro do Instituto Millenium.

Dia sim outro também, as cinco irmãs vão se estatelando. Como no samba, está lá O Globo estendido no chão. Ailton Benedito de Souza junta-se ao seleto grupo de Rodrigo Constantino, Rodrigo de Grandis, Lobão, Bolsonaro e outros quadrúpedes de menor expressão. Diante do que informa Miguel a pergunta que não quer calar: como anda o processo seletivo no Ministério Público? Não tem teste psiquiátrico, não?! E pensar que, acima deles todo, está o Silenciador-Geral do STF para dar cobertura a este tipo de sanguessuga do Estado.

Será que ele não é uma das vítimas, um sequelado do acidente com Césio 137 em Goiânia?! Ou teria sido contagiado pela epidemia de anencefalia que acomete os a$$oCIAdos do Instituto Millenium?

Os boimates bolivarianos do Ministério Público

29 de novembro de 2014 | 06:07 Autor: Miguel do Rosário

venezuela_criancas_goias01

Democracia é expor todas as instituições à crítica livre e transparente da sociedade.

Inclusive o Ministério Público, uma instituição fundamental ao combate à corrupção, mas que também deve ser vigiada.

Quem vigia os vigilantes?

O procurador exibicionista que expôs o MPF ao ridículo

SEX, 28/11/2014 – 23:41
ATUALIZADO EM 28/11/2014 – 23:49
Luis Nassif, em seu blog.

Não há nada que comprometa o esforço geral de uma corporação, do que o exibicionismo de um de seus membros – especialmente quando dispõe de prerrogativas de poder de Estado.

É o caso do Procurador da República em Goiás Ailton Benedito de Souza.

Ontem expôs o MPF ao ridículo, ao agir contra decisão do governo venezuelano de convocar 26 jovens do Brasil para compor uma tal Brigadas Populares de Comunicação.

Imediatamente o procurador Ailton intimou o Itamaraty, em um prazo de dez dias, a levantar a identidade dos jovens sequestrados e investigar uma possível rede de tráfico humano.

Era uma mera notícia de Internet, mencionando a comunidade Brasil, um bairro popular da cidade venezuelana de Cumaná que, com exceção do nome, não tem a menor relação com o país Brasil.

A barriga repercutiu no mundo todo, sendo ironizada em vários idiomas.

Uma barriga desse tamanho basta. Mas a atitude do Procurador em se basear em qualquer factoide para propor ações já virou compulsão.

Tornou-se membro do Instituto Millenium, valendo-se das prerrogativas do cargo para desmoralizar o Ministério Público.

Em maio passado tentou suspender toda a publicidade da Copa do Mundo (http://migre.me/nabDB) por estar “absurdamente divorciada da realidade”.

Montou um catatau de 50 páginas argumentando que “de fato, os brasileiros ficaram bastante esperançosos e que as obras da Copa, que consumiram bilhões de recursos públicos, proporcionassem um legado auspicioso, a ser usufruído nos anos vindouros pela sociedade, que, afinal paga a conta”.. No entanto, “vários empreendimentos projetados para o transporte público e o trânsito foram cancelados ou substituídos por outros de menor impacto, que, primeiro, não serão concluídos a tempo; e, segundo, visam, exclusivamente, mitigar os efeitos da desorganização, da falta de planejamento, da incompetência em executar o que se planejou, relativamente à infraestrutura e aos serviços voltados à realização da Copa, a fim de evitar que o pior”.

Consultasse o próprio MPF, esse despreparado saberia do enorme trabalho que juntou praticamente todos os poderes – do Executivo aos estados, da Polícia ao Ministério Público – na organização do evento. Baseou-se em meras notícias não confiáveis da mídia para sair atirando.

Em novembro de 2011, processou professores por desacato, depois de terem ido ao MPF-GO denunciar supostos desvios de verba do Fundeb (Fundo de Desenvolvimento do Ensino Básico) pela prefeitura de Goiânia.

Quando foi lançado o programa Mais Médicos, viu mais uma oportunidade de aparecer. Com base em notas de jornal, instaurou um inquérito civil-público para apurar “possíveis ações e omissões das administrações públicas – em todas as esferas – a respeito do programa Mais Médicos” (http://migre.me/nabUf).

Baseava-se exclusivamente em reportagens mal apuradas, sem a preocupação em aprofundar as investigações. Indagado sobre a razão do inquérito, alegou que:

“Primeiro: a notícia de que municípios estariam substituindo profissionais próprios por médicos do “Mais Médicos”. Segundo: a notícia de que profissionais originários de Cuba estariam sofrendo algum tipo de violação aos seus direitos, principalmente o direito de se locomover no território nacional. Terceiro: a situação de abandono do programa por médicos que se inscreveram no programa e ingressaram na atividade”( http://migre.me/nac3x).

Se amanhã um jornal noticiar que há indícios de propina no escavamento das crateras da Lua, não se tenha dúvida e que o bravo procurador atuará firmemente em defesa da moralidade intimando os lunáticos.

O procurador tem um blog, o “Bendito Argumento”, onde elabora textos assim:

“Portanto, todos nós, queiramos ou não, participamos ou omitamos, ajamos ou quedamos, ativos ou passivos, independentemente de nossos sonhos e pesadelos, virtudes e vícios, desejos e repulsas, crenças e incredulidades, saberes e ignorâncias, bravura e covardia, riquezas e misérias etc., somos seres políticos. E, como tais, responsáveis perante nós mesmos, as famílias, a sociedade, o mundo no qual vivemos”.

(…) Se eu fosse cruel, torceria pela vitória daqueles que almejam transformar a democracia do Brasil numa cópia dos regimes ditatoriais bolivarianos, para que eles fossem devorados pelo Saturno dos seus sonhos”.

Em seus textos, Ailton denuncia a “propaganda eleitoral subliminar”, “sobretudo a que se utiliza da máquina pública”.

Define a tal propaganda eleitoral subliminar como aquela que “consubstancia mensagem que não ultrapassa o limiar da consciência, que não é suficientemente intenso para penetrar na consciência, mas que, pela repetição ou por outras técnicas, pode atingir o subconsciente, afetando as emoções, desejos, opiniões; subconsciente. Nessa perspectiva, a propaganda política também se serve das técnicas subliminares para chegar à inconsciência dos cidadãos, sobretudo os eleitores, especialmente durante os processos eleitorais. Todavia, não é incomum que tais processos perdurem todo o período que medeia entre a posse dos eleitos num pleito e o próximo. Noutras palavras, políticos estão sempre em campanha, muitas das vezes sem que o cidadão-eleitor tenha consciência”.

Em um dos artigos, deblaterou contra a afirmação de Dilma Rousseff, de que poderia utilizar as Forças Armadas nas manifestações contra a Copa:

“Por que, em lugar usar que “o Exército pode agir contra manifestações anti-Copa”, não se determinar aos órgãos competentes, responsáveis pela segurança pública, que façam uso da apropriado da Lei de Segurança Nacional para punir os que atentam contra a democracia, o Estado de Direito, os direitos fundamentais dos brasileiros, seja antes, durante ou depois da Copa? Pois que, sendo necessário, que se invoquem as Forças Armadas para defender a sociedade, a democracia, o Estado de Direito, não a #CopaDasCopas” (http://migre.me/nacLy)”.

Os boimates bolivarianos do Ministério Público | TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”

19/06/2014

Modus Operandi da imprensa pré-internet

Agora não da mais. Por isso, toda mentira dura menos que um picolé ao sol. Mas eles continuam com seus picolés. No pau!

Conti dá entrevista e confirma o que todos sabiam: confundiu mesmo!

qui, 19/06/2014 – 19:57

do Zero Hora

Mario Sergio Conti: "Pensei realmente que era o Scolari"

ZH falou com o colunista e com o sósia de Felipão, que disse não ter se passado pelo técnico da Seleção

por Cleidi Pereira e Isadora Neumann

Mario Sergio Conti: "Pensei realmente que era o Scolari" Divulgação e Reprodução do Facebook/ Montagem sobre fotos

Mario Sergio Conti e Wladimir Palomo, sósia de FelipãoFoto: Divulgação e Reprodução do Facebook / Montagem sobre fotos

Após a polêmica envolvendo a entrevista com um sósia de Luiz Felipe Scolari, o jornalista Mario Sergio Conti admitiu, em entrevista por e-mail a ZH, que realmente confundiu o ator com o técnico da Seleção Brasileira. O colunista de O Globo e da Folha de S.Paulo/UOL e apresentador da Globonews conversou com o sósia Wladimir Palomo em um voo do Rio de Janeiro para São Paulo.

O encontro foi relatado em um texto — publicado pela Folha e O Globo — com o título "Felipão sobre Neymar: ‘Se tivéssemos três como ele, a Copa seria uma tranquilidade’". Horas depois, os veículos admitiram o erro e retiraram a matéria do ar.

Mesmo com a errata publicada pelos veículos, internautas suspeitavam que Conti poderia estar sendo irônico, já que, na matéria, o jornalista contava ter recebido um cartão de visitas com os dizeres "Vladimir [sic] Palomo — Sósia de Felipão — Eventos". ZH conversou com o colunista e com o sósia.

Entrevista: Mario Sergio Conti
"Não afetará a Bolsa, a Copa ou as eleições"

Zero Hora — Foi uma brincadeira ou o senhor realmente confundiu o sósia de Felipão com o próprio técnico?

Mário Sergio Conti — Pensei realmente que era o Scolari. Nunca estive com Felipão. Sequer vi entrevistas dele na televisão; só nas partidas, ao lado do campo. Achei todas as respostas dele sensatas.

ZH — Vocês conversaram sobre Neymar, empate com o México, aeroportos, vaias a Dilma… Quanto tempo durou essa conversa? Em nenhum momento, o senhor desconfiou?

Conti — Cerca de meia hora. O tempo do voo do Rio a São Paulo. Não desconfiei em nenhum momento que não fosse ele. Lera em algum lugar que a seleção estava de folga.

ZH — O texto publicado pelo O Globo (que foi atualizado quase 30 min depois da publicação) termina com a história do cartão de visitas do sósia. Essa informação constava na primeira versão ou foi acrescentada depois?

Conti — A informação constava do texto enviado originalmente. Nada foi alterado nele. Quando perguntei se toparia ser entrevistado na televisão, ele disse que sim, mas que estava muito ocupado naqueles dias. Aí me deu o cartão e rimos. Imaginei que era uma piada dele: entreviste esse sósia meu…

ZH — O que o senhor tem a dizer aos seus leitores?

Conti — Perdão pela confusão. Felizmente, ela não prejudica ninguém. Não afetará a Bolsa, a Copa ou as eleições.

Entrevista: Wladimir Palomo
"Você acha que o Felipão ia ficar andando sozinho em um avião no dia da Copa?"

Trabalhando como sósia de Felipão há cerca de um ano, Wladimir Palomo (com W, e não V como foi publicado por Folha e O Globo), que interpreta o técnico da Seleção no humorístico Zorra Total, parecia nervoso com a repercussão de sua conversa com o colunista Mario Sergio Conti. Em entrevista por telefone, ele garantiu que "não teve maldade".

Zero Hora — Foi o senhor que deu uma entrevista ao colunista Mario Sergio Conti?

Palomo — Sim, estávamos dentro do avião, sentei ao lado dele. Foi uma conversa com um pessoa comum, como eu converso com você. Cinco a dez minutinhos no voo, só isso. E outra coisa: nem sabia que ele era jornalista. Só na hora de ir embora, eu perguntei quem ele era, e ele disse que era repórter.

ZH — O senhor entregou um cartão para ele?

Palomo — Entreguei um cartão onde diz que eu faço eventos como sósia do Felipão. Eu sou aquele rapaz que trabalha no Zorra Total.

ZH — O senhor acha que ele se confundiu ou que ele sabia que se tratava de um sósia?

Palomo — Provavelmente ele deveria saber. Tinha um monte de gente tirando foto com o sósia do Felipão e com o sósia do Neymar.

ZH — Foi uma brincadeira ou ele estava levando o senhor a sério?

Palomo — Eu acho que foi uma brincadeira o tempo inteiro. Ou então ele se confundiu. Você acha que o Felipão ia ficar andando sozinho em um avião no dia da Copa?

ZH — Entramos em contato com o Mario Sergio Conti e ele afirma que se confundiu mesmo. O senhor acha que a sua imitação está tão boa assim?

Palomo — Eu não imito, sou eu mesmo. Não imito nada.

Conti dá entrevista e confirma o que todos sabiam: confundiu mesmo! | GGN

02/04/2014

Primeiro de Abril!

Filed under: 1º de Abril,Arapongagem made in USA,Barriga,CIA — Gilmar Crestani @ 9:04 am
Tags:

O cara tem de ser muito otário para cair numa esparrela destas. A CIA é os EUA! Só os seus parceiros ideológicos brasileiros, a quem ela finaCIA, para cair num conto de primeiro de abril… Depois do Boimate e da Nueva Konigsberg, viva a barrigada dos nossos parceiros da Ditabranda

CIA enganou os EUA sobre uso de tortura, diz ‘Washington Post’

Relatório do Senado americano acusa o órgão de omitir métodos de interrogatório

DA AFP

A CIA enganou deliberadamente o governo e a população dos EUA quanto aos duros métodos usados nos interrogatórios durante a Presidência de George W. Bush, afirma um relatório do Senado ao qual tiveram acesso funcionários que falaram ao jornal "Washington Post".

No documento de 6.300 páginas redigido pela Comissão de Inteligência do Senado, a agência de inteligência é acusada de esconder detalhes sobre a brutalidade de seus métodos, similares à tortura.

Além disso, a agência é acusada de ocultar quais informações decisivas teriam sido obtidas por técnicas brutais de interrogatório.

"A CIA descreveu repetidamente seu programa ao Departamento de Justiça e ao Congresso como capaz de obter informações que não seriam obtidas de outro modo, desfazendo complôs terroristas e salvando milhares de vidas", disse ao "Washington Post" um funcionário do governo, sob anonimato.

"Isso era verdade? A resposta é não", acrescentou o funcionário, familiarizado com o relatório do Senado.

O jornal acrescenta que as informações mais preciosas sobre a rede terrorista Al Qaeda, "entre elas as que levaram à operação contra Osama Bin Laden em 2011", não foram obtidas graças aos métodos condenados.

O relatório ainda é confidencial, e o "Washington Post" disse ter divulgado as informações graças às indiscrições de alguns funcionários com acesso ao texto.

O documento foi feito com base em relatos de dezenas de pessoas detidas pela CIA entre 2002 e 2006.

Nessa época da "guerra ao terror", a agência empregava métodos como a privação do sono e o chamado "waterboarding" –imersão na água até quase alcançar o afogamento. O presidente americano Barack Obama proibiu essas práticas em 2009.

O texto do Senado aponta ainda conflitos dentro da própria agência de inteligência sobre o uso dessas técnicas em interrogatórios. Em um dos casos citados, funcionários de uma prisão secreta da CIA na Tailândia abandonaram o local por discordar dos métodos brutais empregados.

16/10/2013

A falta que faz um médico cubano

Filed under: Barriga,Mais Médicos — Gilmar Crestani @ 6:41 am
Tags: ,

Cisto gigante é retirado pelo umbigo de paciente no HC

Volume total era de 16 litros; foi a primeira operação desse tipo no país

Método comum para cisto ovariano desse porte usa corte de 15 cm; diarista esperou 2 anos por atendimento

CLÁUDIA COLLUCCIDE SÃO PAULO

Em uma cirurgia inédita na literatura médica brasileira, o setor de ginecologia do Hospital das Clínicas de São Paulo removeu um cisto de ovário de 16 litros por um corte de 1,2 cm no umbigo.

O volume equivale ao de duas melancias de 7 kg cada uma ou ao de oito garrafas PET de dois litros.

É a primeira cirurgia de cisto desse porte por videolaparoscopia –cistos menores já são rotineiramente retirados por via laparoscópica.

No caso do cisto gigante, além da incisão no umbigo, foram feitos outros dois cortes de 0,5 cm no abdome por onde passaram as pinças e outros instrumentos.

ASPIRAÇÃO

O ginecologista Sérgio Conti Ribeiros, chefe do setor de laparoscopia, explica que, primeiro, aspirou todo o líquido do cisto por meio da incisão no umbigo. Depois, retirou a cápsula (membrana) do cisto e o resto do material.

Segundo ele, o principal requisito para esse tipo de cirurgia é o cisto ser benigno.

Em geral, afirma o médico, a remoção de cistos gigantes é por laparotomia, operação que envolve um corte vertical ou horizontal de 15 cm de extensão na região pélvica (parecido com o da cesariana).

Nesse procedimento, a paciente fica três dias internada e leva até um mês para retomar as atividades. Com a videolaparoscopia, em 24 horas está de alta e, em uma semana, pode voltar à rotina.

O sucesso do método foi demonstrado em mais dez casos de pacientes com cistos de ovário acima de seis litros, atendidas no HC.

Os resultados serão apresentados em congresso médico que acontecerá em novembro, em Washington.

Segundo Ribeiros, os cistos ovarianos crescem nessas proporções por características próprias ou pela demora enfrentada pela paciente para conseguir um diagnóstico e um tratamento.

Foi o que aconteceu com a diarista Maria Aparecida Tenório, 46, a paciente que retirou o cisto de 16 litros.

Moradora de Embu-Guaçu, região metropolitana de São Paulo, ela conta que passou dois anos se queixando no posto de saúde sobre o aumento da barriga, mas não conseguiu se consultar com o ginecologista.

BARRIGA D’ÁGUA

"O clínico-geral disse que era barriga d’àgua’ [esquistossomose]. Como o meu exame de Papanicolaou sempre dava negativo, disseram que eu nem precisava passar com o ginecologista", diz Maria.

O Papanicolaou é usado para diagnóstico de câncer do colo do útero. É preciso um exame de imagem para detectar cistos ovarianos.

Enquanto isso, a barriga só crescia. "Se eu não tivesse ligado as trompas, pensaria em um bebê. Aquela coisa mexia dentro de mim", afirma a diarista, mãe de quatro filhos e laqueada há 14 anos.

Depois de muito insistir, Maria conseguiu se consultar com um gastroenterologista. "Só de me olhar ele disse: ou a senhora está com tuberculose ou tem cisto no ovário."

Encaminhada ao Hospital das Clínicas, ela fez a cirurgia de remoção do cisto após esperar mais dois meses. "Me internei pesando 79 kg e saí com 55 kg. Foi um alívio."

Conti comparou a barriga de Maria ao de uma gravidez de "20 meses". Segundo ele, de 4% a 5% das mulheres atendidas no HC com cistos ovarianos têm os gigantes.

A paciente mais nova tinha 16 anos, e teve removido um cisto de oito litros.

"No bairro, todo mundo pensava que a menina estava grávida e era mãe solteira. Ela ficou muito feliz de sair só com três furinhos na barriga e brincou: Pelo menos não vão achar que eu fiz uma cesariana e dei o bebê."

06/08/2013

Imagem de cadeira defecada na Arena do Grêmio era piada entre torcedores

Filed under: ARENA,Barriga,Grêmio,Merda,Wianey Carlet — Gilmar Crestani @ 11:03 pm
Tags: ,

Eu nem posso culpar os gremistas. Já foi demais terem de ficar sem estádio. E agora mais essa, resvalaram na própria merda. Os gremistas não reconhecem a própria merda e aí contratam o perito em merda, Wianey Carlet, da RBS, para diagnosticar. Depois de algumas lambidas, a acusação: É colorada! Depois que a Globo contratou o perito Molina para dizer que uma bolinha de papel era um objeto contundente, nada mais surpreende nesta putaria mafiomidiática. A RBS, depois que o Inter fechou o contrato com a Andrade Gutierres sem a participação dela, deram para buscar sempre desmerecer o campeão de tudo. Eles, sim, são uns campeões de merda!

Fezes em cadeira seriam brincadeira entre torcedores Foto: Reprodução Fezes em cadeira seriam brincadeira entre torcedores Foto: Reprodução

Tudo não passou de uma brincadeira. A imagem publicada na Internet por um torcedor do Internacional, supostamente após ter defecado em uma das cadeiras da Arena do Grêmio durante o clássico Gre-Nal, foi desmentida nesta terça-feira. O próprio rapaz que divulgou a imagem, creditando o ‘feito’ a um amigo, fez piada com a repercussão do episódio:

No perfil original do "acusado", que faz parte de uma torcida organizada do Internacional, algumas pessoas alteraram entre piadas, mensagens agressivas e até racistas, enquanto um grupo defendeu o rapaz.

​Outro fator confirma que a foto não aconteceu na Arena: nenhum dos encostos da cadeira do estádio tem o formato que aparece na foto. Procurados pela reportagem, um dos administradores da Arena Porto-Alegrense disse que não houve nenhum movimento suspeito durante o período no qual os 1, 5 mil torcedores do Inter estiveram nas arquibancadas, e as pessoas na limpeza não identificaram nenhum grande incidente.

Imagem de cadeira defecada na Arena do Grêmio era piada entre torcedores – Terra Brasil

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: