Ficha Corrida

21/09/2016

Eu, gênio? Não, arregão!

Filed under: Assas JB Corp,Assassinato de Reputação,Eugênio Aragão,José Genoino — Gilmar Crestani @ 8:38 am
Tags:

Resposta do Eugênio Aragão ao meu artigo abaixo:

s.com
dearev@gmail.com
177.79.30.31
Pare de julgar os outros, meu amigo. Estive sempre defendendo Genoino publicamente. Nadando contra a maré dentro de minha instituição. Frequentei sempre meu amigo, mesmo nos piores momentos. Não tornei isso tudo público antes porque acreditava ainda que o MPF poderia fazer uma diferença na crise política do país. Me segurei sofrendo. Mas, consumado o projeto de retirar o PT do poder e constatando que o MPF foi parte desse processo, resolvi, mesmo com pedidos de dentro de minha instituição que não o fizesse, abrir o jogo. O Senhor se coloque na minha posição, de enfrentar a ira de toda a corporação de que sou parte, e depois fale. Quero ver se o Senhor tivesse coragem de ir à luta como estou indo, no final de minha carreira, quando poderia estar pensando em descansar. Ah sim… E denuncio os abusos do MPF desde 2010. É só o Senhor olhar minha biografia.

É inacreditável que, sabendo de tudo, como o sabia, Eugênio Aragão só venha se confessar agora. Por que não antes? Quer dizer que antes eles não se preocupava com o fato de uma pessoa inocente, um amigo(?!), ser condenada para fazer número e assim justificar a prisão de outros? Como acreditar nas instituições quando os que sabem, investidos de autoridade pública para fazer respeitar as leis, se calam por tanto tempo?

Qual o tamanho do caráter dos que privavam da amizade com Genoíno e ficaram de bico calado diante da palhaçada comandada por Assas JB Corp?! Hoje fica mais claro que, comparativamente, JB tinha mais contas a prestar à justiça do que Genoíno. E não é só pelo apartamento comprado por U$ 10 dólares em Miami, mas por ter assumido, numa provocação do Lewandowski sobre chicanas, que elas foram “feitas pra isso, sim”.

É por isso que não surpreenda que 450 kg de cocaína passe como se fosse um simples carga de açúcar. Ou que o primeiro a ser comido continue intocável no prato até esfriar. E aí chegamos ao momento em que até Eduardo CUnha, com as toneladas de provas produzidas na Suíça, continue ditando os rumos do governo atual como se fosse uma Madre Teresa de Calcutá.

Se for verdade o que diz Aragão, os Ministros do STF eram só moldura ou também figuravam no quadro? E por aí se explica a expressão antológica usada pela Ministra Rosa Weber para mandar inocentes pra cadeia: “não tenho provas, mas a literatura jurídica me permite”.

Aragão parece aquele personagem interpretado pelo ator Brandão Filho, o Sandoval Quaresma, na Escolinha do Professor Raimundo: Opa! Tá na ponta da língua!”. Quando o assunto ficava complicado, tremia: “Agora que eu me estrepo!”. E ao ganhar uma nota cinco, lamentava com o bordão: “Eu estava indo tão bem!

Desculpe, seu nome não lhe cai bem, “não tenho provas mas tenho convicção” que és um tremendo arregão!

Como José Genoíno foi envolvido no mensalão

ter, 20/09/2016 – 20:24 Atualizado em 20/09/2016 – 22:24 – Luis Nassif

Segundo depoimento recente do procurador Eugênio Aragão, do grupo de procuradores que se aproximou do ex-presidente do PT José Genoíno no início do governo Lula, havia convicção de que ele era inocente. Foi um pesado desabafo contra o que Aragão considerou uma extrema deslealdade para com Genoíno.

O que teria ocorrido, então, para que fosse indiciado, condenado e preso?

Hoje consegui o relato de advogado que acompanhou os principais episódios do relacionamento Genoíno-Ministério Público Federal.

Seu indiciamento ocorreu, primeiro para completar o número de quatro – com José Dirceu, Delúbio Soares e Silvio Pereira (que, depois, colaborou com as investigações), para poder enquadrar o tal núcleo político do PT em organização criminosa.

Depois, para permitir chegar a José Dirceu. Como sustentar a tropicalização da tal “teoria do domínio do fato”, partir de Delúbio e chegar a Dirceu sem passar, antes, pelo presidente do PT?

Havia a necessidade desse elo na corrente. Por aí se entende a razão do indiciamento de Genoíno. Mais do que isso, o episódio é bastante revelador sobre como se dão as disputas de poder em Brasília, os relacionamentos de interesse, as guerras entre corporações, ou intra-corporações, no ambiente de corte que caracteriza as capitais federais.

Genoíno foi indiciado pelo PGR Antônio Fernando de Souza, mas não perdeu o poder de imediato. Permaneceu presidente do PT e deputado influente na Câmara.

No MPF havia dois grupos disputando a atenção de Genoíno. O PGR Antônio Fernando e seu vice Roberto Gurgel; e outro, Rodrigo Janot, dirigindo a Escola Superior do Ministério Público da União, com seu assessor Odim Brandão. Entre eles, a ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República).

Antônio Fernando e Gurgel eram frequentadores assíduos do gabinete de Genoíno, assim como a ANPR.

E Genoíno era convidado frequente para confraternizações na PGR, para seminários promovidos por lá, com a presença constante de Antônio Fernando, Gurgel e Janot. Em todo esse período, foi permanentemente procurado por José Arantes, assessor parlamentar da PGR, para viabilizar pedidos da PGR na Câmara.

Várias vezes Genoíno se mostrou incomodado com as visitas, sabendo que, afinal, tinha sido indiciado. Mas sempre era tranquilizado. O indiciamento tinha sido mera formalidade, algo menor, como se a denúncia fosse um equívoco.

A estratégia de aproximação de Janot com Genoíno foi a constituição de um grupo de conjuntura no âmbito da ESMPU com o propósito de subsidiar o plano estratégico de atuação do MPF. Janot foi pessoalmente ao gabinete de Genoíno, na Câmara, para convidá-lo a atuar como seu consultor informal.

Havia um grupo permanente, composto por Janot, Eugênio Aragão, Antônio Carlos Alpino Bigonha (então presidente da ANPR) e Odim Brandão, atualmente assessor de Janot na PGR. Entre os convidados, havia a presença constante do Almirante Othon Luiz da Silva, Pedro Celestino, Genoíno e Luiz Moreira.

Foi um período de grandes emoções, especialmente no dia em que Odim apresentou Genoíno ao seu filho como um “herói brasileiro”.

No STF, Gurgel partiu com tudo para cima de Genoíno, para compor o quadro probatório. E, indicado PGR, o primeiro ato de Janot foi solicitar a prisão de Genoíno. O jogo já havia virado, com o fim do período de bonança e a entrada de uma presidente sem experiência alguma com os jogos de poder.

Como José Genoíno foi envolvido no mensalão | GGN

17/09/2016

O que é o assassinato de Lula para os que já assassinaram a democracia com golpe?!

NYT mauricio

Días oscuros

Por Alberto Ferrari Etcheberry *

“Días oscuros para la democracia brasileña”: así sintetizó The New York Times las consecuencias de la destitución (impeachment) de la presidente Dilma Silva Rousseff. Un resultado cantado: en abril un leak mostraba al vice Michel Temer ensayando el discurso de asunción de la presidencia. Había un consenso generalizado sobre los cargos: irrelevantes para The New York Times, de menor cuantía para Financial Times; minucia contable para El País que explicaba: el retraso por parte del Gobierno en reembolsar un pago efectuado por un banco público a un programa estatal. Son las “pedaladas” que han usado todos los presidentes; sin duda Fernando Henrique Cardoso hoy con sus tucanos la vanguardia del ataque a la presidente. También Para The Economist se usó “un pretexto flojo (flimsy) aunque perfectamente legal”, que contradice su correcta definición anterior: “los presidentes solamente pueden ser destituidos por actos criminales cometidos durante su mandato corriente. No hay prueba contra la Presidente…y ninguno cree que se haya enriquecido…El impeachment llevaría a una caza de brujas.” Además en un sistema no parlamentario aceptar esto como proceso constitucional equivale a reconocer que un poder legislativo puede imponer lo que se le ocurra. Queda claro: se formalizó una decisión tomada mucho antes inventando una causa en una conducta habitual que permite a pocos lo que se niega a muchos: “proibido mais tolerable”: se rechaza a Dilma lo que se acepta para sus juzgadores. Ocurrió contra el presidente Lula con el mensalâo: su antecesor Fernando Henrique le imputaba comprar votos de legisladores, lo hecho casi públicamente por él para lograr su reelección. Con Dilma, ni los más duros invocaron la corrupción; era obvio: de los 81 senadores/jueces, 47 son procesados por corrupción y 15 condenados. Elemental sentido común: Eduardo Cunha abandonó la presidencia de la Cámara de Diputados por una cuenta suiza con cinco millones de dólares de coimas de Petrobras, aunque se le permitió seguir como principal atacante.

¿Y Dilma? No es ajena a esta tragicomedia. El famoso Joâo Santana resumió lo que sería un presagio: “Votaron a una persona y eligieron a otra”. Dilma asumió el 1 de enero de 2015 designando ministro a Joachim Levy, chicagoboy y banquero para cumplir el programa liberal del derrotado Aecio Neves. Como en 1999: Fernando Henrique venció a Lula sosteniendo la paridad del real con el dólar; asumió y se produjo la devaluación que propugnaba Lula. Dilma fue más allá: dejó la economía a Levy y las negociaciones políticas a Temer. Había ignorado las relaciones externas: en los primeros seis meses de 2015 viajó más que en esos cuatro años anunciando privatizaciones y apertura comercial como ocurrió en Estados Unidos junto a Obama. Reconoció públicamente los reclamos del capital: 9 veces dijo humildad y 12 diálogo. Pretendía ser otra ante una crítica generalizada: carece de carisma, competencia y humildad, inexperta, arrogante, autócrata, carácter violento, retó públicamente al Banco Central y no ocultó su disgusto con aliados que dejarían el barco ante su debilidad.

Lava Jato y el juez Moro aceleraron la destitución que lograda se pretende esfumarla: lo han dicho ministros ya renunciados de Temer cuyo rumbo será el de sus apoyos y los tucanos con J.Serra en Itamaraty sonriendo a Obama. Lava Jeto ha corrido el velo sobre la corrupción endémica que uniendo hipocresía y cinismo es motor de la política, la justicia y el gran capital. No es cierto que el PT sea un principal responsable pero sí lo es que no ha mantenido la limpidez que lo prestigió. Debe autocriticarse y es necesario pues es el único partido político y único representante de los de abajo: aceptar a la corrupción como el principal desafío. El vicepresidente de Bolivia ha dicho: si se infecta un dedo hay que cortarlo; a los movimientos populares no se les acepta lo que es norma en los que responden a los intereses creados. El PT no lo entendió pero no está muerto y es difícil que Temer supere el rechazo actual.

* Director del Instituto de Estudios Brasileños de la Untref.

Página/12 :: El mundo :: Días oscuros

27/03/2016

DETRAN e seus cadáveres insepultos

Diante de mais esta morte, de Lucas Arcanjo, como não lembrar do Deputado Jorge Pozzobom, do PSDB gaúcho: “Me processa. Eu entro no Poder judiciário e por não ser petista não corro o risco de ser preso”. Neste mesmo rumo estaria a investigação até hoje inconclusa do Marcelo Cavalcante.  Estas mortes guardam semelhança à do Amilton Alexandre, que publicava o Tijoladas do Mosquito! Devem ser apenas coincidências.

E aí uma pergunta se impõe: Por que as investigações contra o PSDB, ou são arquivadas liminarmente(Geraldo Brindeiro & Rodrigo de Grandis) ou então se arrastam por décadas, enquanto as ações contra o PT podem se resolver em apenas 28 segundos (Catta Preta)?!

Durante décadas o PSDB posou como vestal graças ao compadrio de quem deveria zelar pelo cumprimento das leis. Até parecia um partido teflon, nada grudava. Hoje sabe-se que há vários tipos de teflon. E que pelo menos um é mais mortal que 450 kg de cocaína.

Há o outro teflon (vênus platinada), mais duradouro, e travestido de informação, mas que também cobra seu alto pizzu… São os a$$oCIAdos dos Instituto Millenium que estabeleceram a simbiose com mais hermetismo. Os sinais exteriores atendem por estatuetas. Mas também pode ser observadas pelos constantes aparecimentos, sem o menor constrangimento, em manchetes positivas. Os que ousam manterem-se independentes são massacrados.

Os elencos mais recentes que estrelam grandes esquemas de corrupção confirmam o que a Rede Globo e suas filiais sempre esconderam. Basta consultar quem são os que aparecem nas Lista de Furnas, Lista Falciani (HSBC); Lista Zelotes, Lista Portocred e agora a Lista Odebrecht.Todos blindados pelos grupos mafiomidiáticos. E pela mesma razão os que aparecem em todas estas são os mesmos que caçam Lula e querem o golpe paraguaio para Dilma. O ódio deve-se à falta de companheirismo.

Marcelo Cavalcanti e Lucas Arcanjo são sinais de que as ameaças ao Ministro Teori Albino Zavascki devem ser levadas a sério. Não se deve menosprezar o ódio insuflado pela Rede Goebbels! E são fáceis de serem identificados: costumam usar camisas padrão FIFA com escudo da CBF. Como até o mundo já sabe, são duas entidades acima de qualquer suspeita com as quais a Rede Globo mantém longa tradição de bons negócios…

Os esquemas nos DETRANs Brasil a fora já engolfaram uma tradicional famiglia gaúcha. Um dos rebentos teria roubado, na emissora onde perpetrava suas patacoadas, sempre contra a honestidade alheia, biscoitos Zezé….

Estes são os varões de Plutarco da Elite Cleptocrata!

Enviar por WhatsApp

Policial que denunciou Aécio é encontrado morto em BH; a versão oficial é de suicídio, mas não se descarta retaliação

publicado em 26 de março de 2016 às 18:47

Lucas Arcanjo 1No topo, Lucas Arcanjo (de boné) na Corregedoria de Policia Civil de Minas Gerais, em 16 de outubro de 2014, quando foi depor. Na ocasião, fez denúncias ao senador Aécio Neves e aliados, como Antônio Anastasia e Clésio Andrade

Aécio, Anastasia e Clésio

Da Redação

Em 2014, o policial civil Lucas Gomes Arcanjo postou no Facebook com graves denúncias ao senador Aécio Neves, então candidato à Presidência da República pelo PSDB.

O vídeo viralizou na rede. Teve mais de um milhão de visualizações, além de 120 mil compartilhamentos

Neste sábado, 26 de março, Lucas Arcanjo foi encontrado morto em sua casa em Belo Horizonte (MG).

Segundo informações recebidas pelo site Debate Progressista, Arcanjo se enforcou utilizando uma gravata:

Como Lucas era muito conhecido pelas denúncias contra caciques tucanos em MG, a possibilidade de retaliação não é descartada.

O investigador já tinha sido vítima de 4 atentados em respostas às denúncias que fazia, uma delas o deixou com uma sequela na perna, Arcanjo andava com ajuda de uma bengala.

O Debate Progressista sente muito pelo ocorrido e expressa todo o sentimento de pesar para a família.

O deputado estadual Durval Ângelo (PT-MG) conheceu bem Lucas. Em sua página na rede social, ele postou a seguinte nota: morte de Lucas Arcanjo:

O Mandato Durval Ângelo lamenta profundamente a morte do policial civil e amigo Lucas Gomes Arcanjo, neste sábado (26), e se solidariza com toda a família e amigos.

Lucas foi um exemplo de coragem na luta pela ética, legalidade e moralidade no serviço público. Não se acovardou diante das ameaças e retaliações e enfrentou a cúpula do poder em Minas Gerais, durante a gestão do PSDB, para denunciar um esquema milionário de fraudes no Detran-MG. Por várias vezes, esteve na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas – quando presidida por este deputado – para relatar irregularidades, cuja apuração cobramos, insistentemente, dos órgãos competentes.

Por suas denúncias, foi punido e perseguido. Sofreu três atentados e após um deles, chegou a ficar meses na UTI. Ainda assim, nunca desistiu. Em outubro de 2014, postou no Facebook um video no qual descrevia o suposto esquema de desvio de recursos no Detran – e de outros órgãos públicos de Minas – para irrigar o Caixa 2 de campanhas tucanas. O video viralizou e, com mais de um milhão de visualizações e 120 mil compartilhamentos, contribuiu para a derrota do candidato à presidência Aécio Neves.

Sem dúvida, uma perda imensurável para todos os que lutam por uma sociedade mais justa, sobretudo, nestes tempos sombrios de atentado à democracia. Mas Lucas não se foi. Permanece vivo no exemplo que nos deixa como seu grande legado. É um dos imprescindíveis de que nos falava Bertolt Brecht em seu célebre poema…

“Há aqueles que lutam um dia; e por isso são muito bons;
Há aqueles que lutam muitos dias; e por isso são muito bons;
Há aqueles que lutam anos; e são melhores ainda;
Porém há aqueles que lutam toda a vida; esses são os imprescindíveis.”

Em 16 de outubro de 2014, o repórter Caio Castor entrevistou o policial Lucas Arcanjo para o Viomundo.

Naquele dia, o policial tinha sido ouvido na Corregedoria da Polícia Civil, em Belo Horizonte.

A Caio Castor, disse que descreveu a base das denúncias que fez na internet contra o ex-governador Aécio Neves e aliados.

No vídeo abaixo, ele resume algumas das acusações, dentre as quais o uso do Departamento de Trânsito (Detran) mineiro para lavar dinheiro e o uso de órgãos do governo de Minas para fazer caixa dois.

https://vimeo.com/109290941

Abaixo, o último vídeo que Lucas Arcanjo postou. Foi ontem, sexta-feira 25, às 19h22. Gerson Carneiro nos enviou

 

Acompanhe o VIOMUNDO também no Facebook e no Twitter

Policial que denunciou Aécio é encontrado morto em BH; a versão oficial é de suicídio, mas não se descarta retaliação – Viomundo – O que você não vê na mídia

03/09/2015

Anastásia: “podemos tirar, se achar melhor”

JB Estatueta GloboQuando o suspeito é adversário do PT, Lula e Dilma, nem confessando vai preso. Há casos em que o corruptor admite, mas o corrompido continua gozando de imunidade. O exemplo mais notório, porque atual, é Robson Marinho. Nestas horas surgem aqueles papos “não vem ao caso”, “podemos tirar, se achar melhor”, “foi feito pra isso, sim”, a “literatura jurídica me permite”. Quando o suspeito é a cunhada do Vaccari, primeiro vai presa, depois verificam se era ela mesma ou outra pessoa.

O cuidado jornalístico é levado ao extremo para não ferir suscetibilidades. Não se acusa, e a linguagem é sempre na condicional. Se por do PT, a primeira palavra é Petralha. Se é do PSDB, mesmo sendo canalha, não vem ao caso.

Diante desta seletividade canhestra não basta insistir aos poderes para levarem ao cabo as investigações. Como o julgamento começa por meio dos AssoCIAdos do Instituto Millenium, a única forma de mudarmos este quadro é redirecionarmos as baterias contra as cinco famiglias: Civita, Mesquita, Frias, Marinho & Sirotsky. São elas que ditam a pauta da PF, MPF e Judiciário.

A Cosa Nostra tem uma forma de auto reconhecer, entre eles se cumprimentam com um beijo. A Rede Globo aperfeiçoou os métodos da Cosa Nostra, evoluiu da captura mediante a gravides de uma funcionária (Miriam Dutra) para a entrega de estatuetas.

PETROLÃO

PF reivindica continuação de apuração sobre tucano

Em ofício ao STF, Polícia Federal diz ter novidades sobre o caso Anastasia

Solicitação foi feita logo após o procurador Janot pedir arquivamento; PF cita um e-mail enviado ao gabinete de Dilma

RUBENS VALENTEMÁRCIO FALCÃO, DE BRASÍLIA, para a FOLHA

A Polícia Federal pediu ao Supremo Tribunal Federal o prosseguimento das investigações sobre o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), ao contrário do que havia decidido o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Em ofício na terça (1º) ao relator do caso no STF, Teori Zavascki, a PF apontou ter recebido novas informações que não eram de conhecimento de Janot quando o chefe do Ministério Público fez seu pedido de arquivamento.

A Polícia Federal ressaltou que os dados não são conclusivos, mas que as dúvidas precisam ser esgotadas.

Segundo a PF, a principal novidade do caso é um e-mail, acompanhado de anexos, enviado em janeiro por uma moradora de Minas Gerais ao Gabinete Pessoal da presidente Dilma Rousseff.

A Presidência, no mesmo mês, reenviou a informação, classificada como "correspondência de cidadã", ao Ministério da Justiça, que a encaminhou à PF para averiguação.

O e-mail aponta qual seria a casa de Belo Horizonte em que o policial federal Jayme Oliveira Filho, o Careca, homem ligado ao doleiro Alberto Youssef, teria entregue R$ 1 milhão, em 2010.

Inicialmente, Careca não soube dizer para qual político entregou o dinheiro. Depois, quando a polícia exibiu uma foto de Anastasia, ele disse que a pessoa era "muito parecida" com o senador.

Youssef não confirmou a informação e, em depoimentos posteriores, Careca permaneceu em silêncio.

A mensagem eletrônica foi objeto de um relatório da PF de Minas, também agora anexado aos autos. Os policiais concluíram pela "compatibilidade entre a narrativa de Jayme e o endereço indicado" na comunicação à Presidência.

O e-mail e o resultado do trabalho de checagem da PF só chegaram no último dia 25 ao grupo de trabalho montado pela PF em Brasília para tocar os inquéritos que apuram envolvimento de autoridades com foro privilegiado no caso Lava Jato, dois dias antes do parecer de Janot.

Em 27 de agosto, Janot solicitou a Teori o arquivamento do inquérito, sob o argumento de que não havia elementos mínimos que justificassem a continuidade da apuração. O pedido ainda está sendo analisado por Teori –os ministros do STF têm adotado como norma confirmar o arquivamento do inquérito quando o pedido é feito pelo procurador-geral.

Após o novo pedido da PF, Teori enviou os autos à PGR, para manifestação.

03/05/2015

O Exército Islâmico, versão do PSDB

Manipulação midiaticaOs profissionais da imprensa foram e são o triunfo do PSDB. Vamos começar pela origem. A Rede Globo plantou em FHC sua funcionária Miriam Dutra. Convenceu o amante da funcionária de que ela estava grávida dele. Disso resultou duas providências: a) degredaram a moça para a Espanha; b) FHC foi assim capturado e ficou à mercê dos desígnios da Rede Globo. O silêncio sobre esta operação poderia ter sido quebrado, não houvesse um Engavetador Geral no MP chamado Geraldo Brindeiro. De outro lado, a Globo não fez nada diferente do que mandava a Lei Rubens Ricúpero, revelada no Escândalo da Parabólica, quando Carlos Monforte mostrou a mão leve do jornalismo.

Se é folclórica as sucessivas ligações de José Serra pedindo a cabeça de jornalistas, também não é menos verdade que ele sempre teve à mão sujeitos como Mauro Chaves. Sem um ventríloquo à mão Serra não teria detonado correligionário e concorrente à candidato pelo PSDB, Aécio Neves, com o antológico artigo: “Pó pará, governador!” O jornal Estado de Minas, que comia e come pelas mãos de Andrea Neves, vestiu a carapuça e respondeu: “Minas a reboque, não”. Seja brigando entre si, seja como bucha de canhão contra seus adversário, o PSDB sempre pode contar com uma Judith Brito, um Sirotsky, um Frias, um Mesquita, um Civita, um Marinho. A ANJ está aí para isso mesmo.

A distribuição de milhares de assinaturas de impressos dos assoCIAdos do Instituto Millenium é como alfafa para burros. Vira esterco e sobe à cabeça da manada da marcha dos zumbis.

Fala-se nas execuções de jornalistas pelo EI, mas quando o PSDB faz o mesmo, os comparsas silenciam! É tal de Omertà à moda mafiomidiática!

Jornalistas do Paraná protestam contra violência de máfia tucana

2 de maio de 2015 | 16:33 Autor: Miguel do Rosário

img_1_3_6738

Quem censura a imprensa no Brasil?

Quais os governos estaduais ameaçam o trabalho da imprensa?

Segundo jornalistas do Paraná, o perigo vem de bandidos ligados a esquemas inscrustados no governo do estado, presidido pelo tucano Beto Richa.

Não há denúncia na grande imprensa, apesar de profissionais da própria imprensa local, em subsidiárias de grandes grupos, estarem à frente de protestos.

No máximo, os protestos chegam ao site da CBN Paraná, mas não à CBN São Paulo ou do Rio de Janeiro.

A denúncia de que membros do governo Beto Richa, assim como fazia o governo de Minas, tem relação autoritária e truculenta com a imprensa, agredindo a parte mais fraca, o profissional de jornalismo, não sai na mídia corporativa.

Os políticos, quando não gostam de uma reportagem, não descontam nos barões de mídia. Eles atacam o trabalhador da imprensa, que a própria empresa de mídia sacrifica facilmente, se for necessário.

Destaco um trecho da notícia publicada há pouco na CBN/PR: “Depois da veiculação de reportagens sobre a rede de corrupção e pedofilia dentro da Receita Estadual do Paraná, um dos jornalistas da RPC TV foi ameaçado de morte, e precisou ser retirado do estado. O produtor James Alberti foi ameaçado por meio de um telefonema no dia 09 de abril. Ele estava em Londrina e recebeu a ligação em que se revelava um esquema para matá-lo por meio de um suposto assalto a uma churrascaria na cidade. Diante da ameaça, a empresa providenciou a retirada do jornalista da cidade onde realizava a investigação que envolve pessoas muito próximas ao governador Beto Richa, como seu parente, Luiz Abi Antoun, e o ex-inspetor geral de fiscalização da Receita Estadual, Marcio de Albuquerque Lima.”

*

Na CBN Paraná.

Jornalistas fazem protesto pela liberdade de imprensa no Paraná

Jornalistas do Paraná fazem neste domingo (03) um protesto contra os casos de intimidação e ameaça a profissionais do estado. A data foi escolhida porque marca a comemoração da Liberdade de Imprensa.

A manifestação foi convocada pelo Sindijor, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná. Uma campanha, com o tema “Basta de perseguição a jornalistas” vai ser lançada no ato, com o apoio do Sindicado dos Jornalistas do Norte do Paraná, Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Federación de Periodistas de América Latina y el Caribe (FEPALC) e a Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ).

Depois da veiculação de reportagens sobre a rede de corrupção e pedofilia dentro da Receita Estadual do Paraná, um dos jornalistas da RPC TV foi ameaçado de morte, e precisou ser retirado do estado. O produtor James Alberti foi ameaçado por meio de um telefonema no dia 09 de abril. Ele estava em Londrina e recebeu a ligação em que se revelava um esquema para matá-lo por meio de um suposto assalto a uma churrascaria na cidade. Diante da ameaça, a empresa providenciou a retirada do jornalista da cidade onde realizava a investigação que envolve pessoas muito próximas ao governador Beto Richa, como seu parente, Luiz Abi Antoun, e o ex-inspetor geral de fiscalização da Receita Estadual, Marcio de Albuquerque Lima.

Outro caso de intimidação de jornalistas do Paraná pela Polícia Civil também ganhou repercussão. Profissionais do jornal Gazeta do Povo e do Metro foram pressionados a revelar as fontes de uma reportagem que investigou irregularidades de policiais civis e militares.

O protesto acontece neste domingo (03), na Feira do Largo da Ordem. A concentração foi marcada para 10h, atrás das ruínas.

Jornalistas do Paraná protestam contra violência de máfia tucana | TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”

08/03/2015

Os assassinos estão soltos

Por Justiça MIlitar CAPA Nada de novo no front. Continua a louca cavalgada das bestas do Apocalipse. O que Paul Baumer, personagem construído pelo escritor Erich Maria Remaque, viu na Alemanha nazista pode ser visto no Brasil, diariamente, pelas páginas dos jornais da cinco famílias cujo patrimônio foi construído sob tortura, estupro e morte, na ditadura.

O que foi um horror para os brasileiros, para as cinco famílias e seus ventríloquos, a ditadura foi uma benesse. É encima deste cenário que se desenha, literalmente, n’O Globo. Já não se faz editorial para saudar a implantação da ditadura. Desenha-se o assassinato. O exército fundamentalista da Globo prepara corações e mentes para o jihadismo golpista.

Triste coincidência. Na ditadura, os verdugos tapavam a cara não só por falta de hombridade, por falta de vergonha na cara. Na democracia, conquistada graças a lutadores como Dilma, os assassinos continuam tapando a cara, para disfarçar o ódio que nutrem a quem ousa distribuir um pouco de dignidade aos brasileiros mais necessitados.

Por mais que a Globo tenta esconder a cara, é como na fábula da rã e do escorpião, é da natureza da Globo o golpismo com eliminação de quem ousa pensar diferente. Quem não consegue vencer pelo debate de ideias, elimina o adversário. Se nem sempre literal, mas subliminarmente, como na lição da lei Rubens Ricúpero no Escândalo da Parabólica: pelo silêncio ou pela mentira.

Como não poderia deixar de ser, a Globo se alia aos dois principais envolvidos com a corrupção, Renan Calheiros e Eduardo Cunha. Segue o scrip daquele documentário, Inimigo do meu inimigo é meu amigo. A CIA fez isso com o que sobrou dos nazistas. Aliou-se a eles para derrubarem governos latinos-americanos e implantarem ditaduras. Em relação à Globo, a história, como os filhos, se repete como farsa. Muito além do Cidadão Kane

Será que o Globo quer cortar a cabeça de Dilma?

Edição 247/Fotos: Divulgação/ Wilson Dias/Agência Brasil:

Charge principal do jornal dos irmãos José Roberto, Roberto Irineu e João Roberto Marinho mostra a presidente Dilma Rousseff prestes a ser degolada pelo Estados Islâmico; feita pelo cartunista Chico Caruso, a ‘arte’ não parece contextualizada com nenhum fato atual e nem indica quem seria o terrorista que empunha a lâmina; em meio ao clima de radicalização política no País, estimulado por setores da imprensa, fica no ar a dúvida: trata-se de um desejo secreto da família midiática mais rica e poderosa do mundo?

8 de Março de 2015 às 07:00

247 – Ao contrário da torcida e da militância de setores da mídia brasileira, a presidente Dilma Rousseff não foi implicada na Operação Lava Jato. Não teve um caso arquivado, porque não chegou sequer a ser investigada, como lembrou, ontem, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Neste domingo, no entanto, a charge principal do jornal O Globo, dos irmãos Marinho, a veste de laranja, como os prisioneiros do Estado Islâmico, e a coloca prestes a ser degolada por um terrorista.

Produzida pelo cartunista Chico Caruso, a ‘arte’ não parece contextualizada com nenhum fato atual e deixa no ar a dúvida: será que a família midiática mais rica e poderosa do mundo quer a cabeça da presidente Dilma?

Será que o Globo quer cortar a cabeça de Dilma? | Brasil 24/7

06/05/2014

Assassinato à moda Rachel Sheherazade

ali kamelO radicalismo, o ódio, o nonsense espalhado pela mídia, não é de hoje, tem ensejado este tipo de acontecimento. Inclusive as manifestações de racismo. O responsável pelo jornalismo da Rede Globo, Ali Kamel, escreveu um livro para provar que não somos racistas. Aí, a mesma manada que engole tudo com passividade bovina, veste, hipocritamente, a camisa de que somos todos iguais.

Será que somos todos racistas?! Até porque não somos todos macacos. Neste bando há sagui, mas também há bugios. São macacos mas não são iguais. Respeita-se o ser humano por ser humano, não por se igual. E aos animais, por serem diferentes. Somos todos diferentes. Até as árvores contam com seus defensores. No Brasil, na mídia só não há defensor para os quatro PPPP: pobre, puta, preto e petista.

Taí a Rachel Sheherazade para provar que, definitivamente, não somos todos iguais, embora todo os que pensam igual a ela, sejam também seres inferiores. Há séculos este modo de pensar já foi enterrado. Hoje, manter este espírito medieval, de caça às bruxas, resulta em crimes como este, de fazer corar os assassinos de Joana D’Arc…

Espancada após boatos sobre magia negra, mulher morre em Guarujá

Fabiane de Jesus, 33, foi confundida com falso retrato falado espalhado em redes sociais, diz família

Família diz que site divulgou a imagem; organizador da página afirma ter citado caso apenas como ‘rumor’

(DIÓGENES CAMPANHA)ENVIADO ESPECIAL A GUARUJÁ (SP)

Uma dona de casa de 33 anos, mãe de dois filhos, morreu ontem em Guarujá (SP), após ser espancada por moradores insuflados por notícias falsas divulgadas em redes sociais. Ela foi confundida a partir de um retrato falado de uma suposta sequestradora de crianças, segundo a família.

Os moradores acusavam Fabiane Maria de Jesus de sequestrar os menores para rituais de magia negra.

Sherazade04Segundo a polícia, não há registro recente de desaparecimento de crianças na cidade e as histórias sobre sequestros na região são falsas.

O linchamento ocorreu na tarde de sábado, quando Fabiane voltava para casa, no bairro de Morrinhos, periferia de Guarujá. Sob o olhar de dezenas de pessoas, que se aglomeraram, inclusive crianças, a dona de casa foi agredida com pauladas, socos e chutes.

Com celulares, moradores da região gravaram a ação.

Airton Sinto, advogado da família de Fabiane, entregou ontem ao delegado dois vídeos que mostram trechos do ataque. A polícia usará as imagens para buscar os responsáveis pelo linchamento.

Em um dos vídeos, ela aparece estendida no chão, é jogada contra o solo, chutada, arrastada e tem os cabelos puxados. Em seguida, um homem passa com uma bicicleta sobre a cabeça de Fabiane.

As imagens mostram que ela teve uma mão amarrada com uma corda e seu corpo foi arrastado por alguns metros. "Já era", diz um homem presente. Outras pessoas dizem frases como "é ela mesmo" e "é a mesma cara". Outros, porém, repudiam a ação.

Fabiane foi levada em estado gravíssimo a um hospital da cidade e morreu ontem.

A Polícia Civil afirmou que a história sobre o suposto sequestro de crianças na região é falsa. "Essas reportagens sobre uma loira que sequestrava crianças foram veiculadas em São Paulo, Rio de Janeiro e outros Estados", disse o delegado Luiz Dias Jr.

A família da dona de casa diz que ela foi vítima de um engano e que o linchamento foi uma "crucificação em vida". "Essa história de magia negra é mentira. Ela era católica e quis dar nome bíblico, Esther, para a nossa filha", diz Jailson Alves das Neves, marido da vítima.

O advogado atribuiu a divulgação da informação falsa ao "Guarujá Alerta", um perfil noticioso no Facebook.

Em nota, a página na rede social afirmou ter citado o caso como rumor e com um aviso: "Se é boato ou não, vamos ficar alertas". O "Guarujá Alerta" ainda afirmou repudiar o linchamento.

O delegado diz não ter visto o retrato falado que teria motivado a agressão e disse ser "prematuro" responsabilizar o "Guarujá Alerta".

Segundo ele, o responsável pela página se apresentou e se comprometeu a ajudar nas investigações

‘JUSTIÇA POPULAR’

Casos de justiçamento sempre ocorreram, principalmente fora dos grande centros, diz Renato Sérgio de Lima, coordenador do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e pesquisador da FGV.

"A diferença é que a internet potencializou essa cultura de ódio. O que está em xeque é a figura do Estado", diz.

O antropólogo e professor da Unesp Claudio Bertolli Filho concorda. "Onde o Estado não está, a chamada justiça popular’ aparece", diz.

A empregada doméstica Nilda Mota, 43, se surpreendeu ao saber que a vítima dessa "justiça popular" era sua vizinha. Ela diz que tentou ir até o local da confusão, mas foi barrada por moradores.

Segundo ela, Fabiane teria tingido os cabelos de loiro no dia do linchamento para ir à igreja e visitar amigos. "Ela foi crucificada viva", diz Nilda.

20/02/2014

Ué, mas bandido bom não é bandido morto?!

Filed under: Assassinato de Reputação,Escola de Base,Linchamento,SBT,STJ — Gilmar Crestani @ 7:27 am
Tags:

A Babilônia, de 4 mil anos atrás, com Hamurabi, tinha ideias muito mais avançadas sobre justiça do que os valentões do tipo Rachel Sheherazade, Luis Carlos Prates, Lasier Martins, Vianey Carlet, Arnaldo Jabor e todos os jornalistas da Veja juntos.

O episódio da Escola de Base é emblemático nesta história de linchamentos, que os valentões das cavernas chamam de justiça pelas próprias mãos. Se os justiceiros tivessem assassinado os “facínoras” da escola de base, a única vantagem é que as vítimas não teriam conseguido provar a inocência e vencer disputas judiciais contra Globo, Folha, Estadão, SBT… A única coisa em comum nestas condenações que, para encontrar informação dos condenados, precisa garimpar. Os grupos mafiomidiáticos são muito zelosos das notícias que mostram suas patifarias. É por isso que todo bandido que se excita com linchamento encontra espaço e tem voz nestes grupos. A menoridade penal não elimina a violência do linchamento moral praticado em nome da liberdade de informação. Para estes bandidos, há outros de igual jaez para defende-los.

STJ determina que SBT indenize ex-proprietários da Escola Base

DE BRASÍLIA – A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça rejeitou um recurso do SBT e determinou que a emissora pague R$ 100 mil a cada um dos ex-donos da Escola Base.

O estabelecimento de ensino foi fechado após a veiculação de uma série de reportagens, em 1994, sobre uma investigação da polícia a respeito de supostos abusos sexuais que teriam sido cometidos contra crianças que ali estudavam.

Quando ficou provada a inocência dos ex-donos, alguns veículos de comunicação se retrataram, mas a escola já havia sido saqueada e depredada.

O pedido de indenização por danos morais começou a tramitar no Tribunal de Justiça de São Paulo, que concedeu indenização de R$ 300 mil a cada um. O STJ manteve a condenação, mas reduziu a indenização a R$ 100 mil. O SBT informou que entrou com recurso.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: