Ficha Corrida

22/02/2016

Abuso de confiança

Midia DesonestaOs crimes praticados pela velha mídia se equiparam aos crimes praticados no seio das Igrejas: a pedofilia dos padres aos quais foram entregues por confiança crianças e jovens se equivale ao abuso praticado pelas concessões públicas, o monopólio mafiomidiático. Diversamente da pluralidade das religiões que abusam da confiança nelas depositada, no Brasil temos apenas cinco famílias que monopolizam os negócios da informação: Civita, Frias, Mesquita, Marinho & Sirotsky. E não é demais repetir, são concessões públicas, portanto, deveriam zelar por um bem público.

Como se dá o crime no lumpenjornalismo?

Iguais ao bandido grego, Procusto, as cinco irmãs estendem suas vítimas na cama de seus interesses. Jogar simplesmente a culpa no patrão é o mesmo que fizeram os subalternos de Hitler, muito bem demonstrado nos livro “Os carrascos voluntários de Hitler”. Com o agravante de que os jornalistas têm a opção, já aqueles que extrapolavam as medidas da cama de Hitler perdiam, literalmente, a cabeça.

Não me iludo com o repentino reaquecimento do caso Miriam Dutra. O reaparecimento de FHC atende apenas e exclusivamente ao objetivo de servir de álibi para a caçada ao Lula. FHC é candidato a presidiário; Lula é pré-candidato para 2018. Pouco importa se Bumlai é amigo de Lula e que Fernando Lemos e Jorge Bornhausen não sejam amigos de FHC, ou que Zezé Perrella já não é mais amigo de Aécio Neves. O povo que não come pelas mãos dos bandidos mafiomdiáticos já percebeu a manipulação grosseira dos golpistas paraguaios.

Nem ao mais beócio dos jornalistas faleceria o entendimento de que estão indo, para usar um termo caro à Escola FHC de bandidagem, muito além do “limite da responsabilidade”. E o objetivo é de uma clareza meridiana: impedir uma nova candidatura do grande molusco. Não precisa ser inteligente, basta não ser burro nem safado para entender que o reaparecimento do caso Miriam Dutra é extemporâneo e serve apenas para vender aos incautos o balcão do MPF de que pau que bate em Chico também bate em Francisco. O assunto Miriam Dutra é mais velho que Matusalém. Então, por que só agora?!

Fica por demais evidente quando mantém o foco na moça. E a Rede Globo? Qual é a participação da Rede Globo nesta armação ilimitada? E a famiglia Bornhausen da Brasif, quando lucrou nesta parceria de cama, mesa e banho?

Será que  Rede Globo não sabia de nada?! A fonte de abastecia a funcionária na Espanha é mesma que financia a compra de estatuetas para capturar mariposas?!

Por que nunca interessou ao MPF a captura do governo FHC, via Miriam Dutra, pelas Organizações Globo? Seria pelas mesmas razões que levam o MPF a fazer novas parcerias, via vazamentos seletivos, com os mesmos grupos mafiomidiáticos. Esses procuradores da Lava Jato são daltônicos? Só viam a cor do subsídio mas nada da vênus platinada?! De repente, viraram arautos do combate à corrupção e caçadores de obras primas: Lula e sua ousada determinação de instituir políticas sociais reconhecidas mundialmente. Nesta Belíndia, com forte apoio midiático, os procuradores da Bélgica se insurgem para manterem as castas da Índia.

Desde o início pressenti que o combate à corrupção dos movimentos orquestrados pela velha mídia tinham por objetivo combater a concorrência à corrupção. Pior, os pretextos não passam de cortina de fumaça para que pudessem voltar a roubar não só impunemente mas com o apoio despudorado dos que, ao longo da própria história, se locupletaram com a corrupção: a velha mídia.

As recentes decisões apontam para inimputabilidade do PSDB. Aécio Neves figura na mesa dos inocentes. A justiça acaba de passar uma camada de teflon nele. Toda vez que virem notícia da apreensão de menores com maconha lembrem-se: um helipóptero com 450 kg de cocaína virou pó…

Todos os golpistas que querem derrubar Dilma estão envolvidos em corrupção. A começar por populares e até pessoas pessoas próximas da gente. Quem dá atestado médico falso; quem sonega; quem recebe mais créditos no cartão de estacionamento mais do que lhe é devido e não devolve; quem estaciona em lugar de deficientes ou idosos; quem fura fila; quem altera nota fiscal; quem altera recibo médico; quem busca atestado falso para não trabalhar: todos são tão ou mais corruptos do que aqueles que alegam combater. E quem não conhece estridentes combatentes da corrupção alheia que não tenha incorrido nestes atos de corrupção?!

Agora vejamos o decálogo dos famosos arautos do combate à corrupção:

1) famiglia Marinho: os donos da Rede Globo compõem, segundo a Forbes, a família mais rica do Brasil. Se há mérito no que conseguiram,também é verdade que alcançaram graças à parceria que fizeram com os ditadores e capturando FHC viam Miriam Dutra. Quando não encontraram governo útil aos seus propósitos, partiram para o golpe pura e simplesmente. A sonegação descoberta relativamente às copas de 2002 e 2006 é apenas a cereja do bolo. A parceria com a Time-Life é o registro da longevidade da parceria com a corrupção. O documentário Muito Além do Cidadão Kane está aí para provar. Os Escândalos da Parabólica e da Proconsult dão uma pálida ideia até onde vai o comportamento mafioso.

2) famiglia Frias: os combativos donos da Folha de São Paulo não só apoiaram a ditadura como emprestavam suas peruas para transportarem os corpos destroçados dos presos políticos. A comissão da verdade provou que eles também participavam, pelo menos como assistentes, das sessões de tortura. Como sabemos, eles não se contentavam em prender quem pensava diferente. Mas se compraziam em prender, torturar, estuprar, esquartejar e depois escondiam os corpos dilacerados nas valas clandestinas do cemitério de Perus, em São Paulo. A Rede Globo que tanto acusa o BNDES agora foi apontada pela Miriam Dutra de ter se beneficiado, via FHC, de empréstimo subsidiado. O tCU não viu nada, nem a PF nem o MPF. Para a Rede Globo, o BNDES é quem “faz a diferença”…

3) famiglia Mesquita: o Estadão que ajudou a ditadura, voltou-se contra ela quando já não podia fazer nada. A mesma família que constantemente busca criminalizar a Lula e seus filhos, jamais respondem pelo crime que seu chefe de Redação, Pimenta Neves, cometeu. Como sabemos, os assédios morais e sexuais sobre Sandra Gomide ocorriam nas barbas dos impolutos Mesquitas.

4) famiglia Sirotsky: como filial da Rede Globo, a RBS está envolvida até a medula na Operação Zelotes. Como o PSDB, a RBS parece também ser inimputável. Aliás, a parceria da RBS com Augusto Nardes lembra outra parceria de maior espanto da Rede Bunda Suja, aquela com Antonio Britto que lhe rendeu, de mão beijada, a CRT.

5) famiglia Nardes – Augusto Nardes está na Zelotes, aliás, como todo o PP gaúcho está na Lava Jato.

6) famiglia Cedraz – que faz dobradinha com a famiglia Nardes no tCU!

7) famiglia Capez – fraudando a merenda escolar na Capitania Hereditária do PSDB.

8) familia PSDB – desde a fundação afundando o Brasil. Desde FHC, Mário Covas, José Serra, Cássio Cunha Lima, Yeda Crusius, Beto Richa, todos inimputáveis, como a famiglia Corleone. Luciana Cardoso encabeça uma réstia de alho de uma famiglia dada ao emprego sem trabalho. Antes dela Aécio Neves, com 17 anos e estudando no RJ, tinha cargo em Brasília. Agora esta da irmã da Miriam DutraMargrit Schmidt é a verdadeira face da cruza da meritocracia com o choque de gestão vendido pela mídia como sendo filosofia do PSDB… Fernando Lemos e Fernando Gouveia fazem parte da mesma constelação.

9) famiglia MPF – esses procuradores arrotando combate à corrupção e que já recebiam seus subsídios religiosamente nas duas gestões FHC deveriam devolver o que receberam por falta não justificada. É dinheiro mal havido. Que os políticos de qualquer matiz façam o discurso que quiserem para derrotarem seus adversários é da regra do jogo, que procuradores arrotem prepotência com tamanho rabo preso é de uma desfaçatez sem precedentes. De regra, são seguidores de Geraldo Brindeiro, como Rodrigo de Grandis ou Douglas Kirchner: criminalizam seus adversários ideológicos como cortina de fumaça para encobrirem seus partidários.

10) famiglia Marcola – bem, aqui entram Marcola, o heliPÓptero e toda sorte de facínoras que tem assento nas conversas com golpistas sem serem incomodados pela mídia. Pode-se incluir toda pena de aluguel, aquelas que gozam com o pau do patrão. Como o bandoleiro mitológico Procusto, desde que caiba na cama dos golpistas qualquer bandido é bom. Pode-se ter assento com bandidos, aos quais é dado o benefício da dúvida. Só não há dúvida quando se trata de criminalizar Lula. Aí, até transportar uma caixa de isopor com cerveja vira motivo para criminalizar. Na famiglia do Marcola entram todos os fascistas padrão FIFA que vestem a camisa com escudo da CBF para pedir ditadura e defender a sonegação. Entra Eduardo CUnha e sua trupe de Kim Kataguiri Brasil afora. Entra a Lista Falciani do HSBC. Entram todos os que o noticiário deixa de fora de seus ataques, cujo silêncio grita mais alto.

2 Comentários »

  1. […] Sourced through Scoop.it from: fichacorrida.wordpress.com […]

    Pingback por Abuso de confiança | Q RIDÃO... — 22/02/2016 @ 12:28 pm | Responder

  2. […] Os crimes praticados pela velha mídia se equiparam aos crimes praticados no seio das Igrejas: a pedofilia dos padres aos quais foram entregues por confiança crianças e jovens se equivale ao abuso praticado pelas concessões públicas, o monopólio mafiomidiático. Diversamente da pluralidade das religiões que abusam da confiança nelas depositada, no Brasil temos apenas cinco…  […]

    Pingback por Abuso de confiança | EVS NOTÍCIAS... — 22/02/2016 @ 12:28 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: