Ficha Corrida

31/03/2015

Folha de São Paulo acusa judiciário pelo que ela também faz: proteção mafiosa ao PSDB

Ninguém lerá um editorial da Folha atacando a RBS ou Rede Globo pelas respectivas sonegações. Judith Brito já admitiu publicamente que a Folha exerce o papel de oposição. Faz das tripas coração, como na ditadura, para defender seus interesses comerciais. A Folha só tem um inimigo e o combate ferozmente deste seu (do inimigo) nascimento: o PT!

folhasangueEditorial: Justiça tarda e falha

30/03/2015 02h00

Prescrição, atrasos, incúria e engavetamento beneficiam políticos do PSDB acusados de irregularidades, inclusive no dito mensalão tucano

A liberdade, como ensina o lema dos inconfidentes, será sempre desejável, mesmo que tardia. Nem sempre se pode dizer o mesmo, contudo, da Justiça.

Uma decisão tardia pode bem ser o equivalente da iniquidade completa, e um processo que se arrasta sem condenados nem absolvidos só pode resultar no opróbrio de todos –inocentes e culpados, juízes e réus, advogados e acusadores.

Há um ano, o Supremo Tribunal Federal encaminhou à primeira instância da Justiça de Minas Gerais o julgamento do ex-senador Eduardo Azeredo, do PSDB. Nada aconteceu desde então.

Ex-presidente de seu partido, Azeredo é acusado de ter abastecido sua campanha ao governo de Minas, em 1998, com verbas desviadas de estatais, valendo-se de empréstimos fictícios.

Não são mera coincidência as semelhanças desse episódio com o que viria a ser revelado no escândalo do mensalão petista, alguns anos depois. Um de seus principais personagens, o empresário Marcos Valério, havia sido também responsável pelo esquema tucano.

Apesar de inúmeros adiamentos e dificuldades, o caso petista foi julgado no STF. Natural que inspire movimentos de revolta e consternação o fato de que, embora ocorrido alguns anos antes, seu equivalente tucano continue a repousar no regaço da Justiça mineira.

Correndo inicialmente no Supremo, uma vez que parlamentares como Clésio Andrade (PMDB) e o próprio Azeredo figuravam entre os implicados, o processo teve de ser enviado à primeira instância: os réus tinham renunciado a seus cargos no Congresso.

A decisão do STF, remetendo o caso a Minas Gerais, foi tomada em março de 2014. O trajeto de Brasília a Belo Horizonte consumiu cinco meses. Em 22 de agosto, o processo chega à 9ª vara criminal. Era só proceder ao julgamento; nenhuma instrução, nenhuma audiência, nada mais se requeria. Que o juiz examinasse os autos.

Juiz? Que juiz? A titular da vara aposentou-se em janeiro; não se nomeou ninguém em seu lugar.

Havia –e ainda há– pressa: alguns réus, dentre eles Azeredo, podem beneficiar-se da prescrição; outros envolvidos já escaparam por esse motivo.

A lentidão mineira se soma ao caso de entravamento da Justiça ocorrido em São Paulo, para benefício de outro político do PSDB.

Por três anos, um desembargador retardou o exame de irregularidades na gestão do hoje deputado estadual Barros Munhoz à frente da Prefeitura de Itapira. Veio a prescrição, e as suspeitas sobre crimes como formação de quadrilha e omissão de informações nem chegaram a ser julgadas.

Não se trata, claro está, da "liberdade ainda que tardia" ostentada na bandeira de Minas Gerais. Entre essas figuras do PSDB, "impunidade na última hora" há de ser lema bem mais adequado.

 

12 empresas negociaram propina no Carf, diz PF

Investigação aponta suborno para reduzir ou zerar débitos com Receita

Empresas negam irregularidades; operação desmantelou esquema de compra de sentenças em conselho

NATUZA NERYGABRIEL MASCARENHASDE BRASÍLIA

A Polícia Federal vê fortes indícios de que ao menos 12 empresas negociaram ou pagaram propina para reduzir e, em alguns casos, zerar débitos com a Receita Federal.

A Folha teve acesso à relação dos 74 processos que estão na mira da PF. Cada uma das empresas tem diferentes níveis de envolvimento no esquema de compra de sentenças desvendado pela Operação Zelotes, deflagrada na semana passada.

Segundo investigadores, muitas subornaram integrantes do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), colegiado responsável por julgar, em segunda instância, recursos de contribuintes autuados pela Receita. Outras, porém, foram procuradas por facilitadores que intermediavam o suborno a conselheiros do órgão, mas ainda não há contra elas elementos que comprovem o pagamento da propina.

Os casos que os investigadores consideram ter indícios mais consistentes atingem processos dos grupos Gerdau e RBS; das companhias Cimento Penha, Boston Negócios (parte do antigo BankBoston), J.G. Rodrigues, Café Irmãos Julio, Mundial-Eberle; das empresas do setor automotivo Ford e Mitsubishi, além de instituições financeiras, como Santander e Safra.

As companhias negam irregularidades (leia abaixo).

Embora o nome do Bradesco também esteja nessa lista, até agora os policiais conseguiram detectar apenas que funcionários do banco foram procurados por consultorias que intermediavam o acesso aos conselheiros do Carf.

A Folha apurou que, para o Ministério Público, até o momento os casos em que há indícios mais fortes de eventuais irregularidades envolvem a RBS e o grupo Gerdau.

O esquema de sonegação, de acordo com as investigações, é um dos maiores já identificados no país. O Carf julga hoje processos que correspondem aproximadamente a R$ 580 bilhões.

Além das empresas, a apuração chegou a nomes de lobistas que faziam a ponte entre os contribuintes e os conselheiros suspeitos de integrar o esquema. Um é Alexandre Paes do Santos. Ele foi sócio do ex-conselheiro do Carf José Ricardo da Silva, até 2012. Os nomes deles aparecem no quadro societário da Davos Energia Ltda., sediada em São Paulo. Silva deixou a empresa em agosto de 2012, e o lobista, em março de 2013.

A PF cumpriu mandado de busca e apreensão na casa e no escritório de Alexandre Santos. O empresário ainda não foi localizado.

Procurada, a assessoria de imprensa da PF informou que não comenta investigações que correm sob sigilo.

CADEIRA NO CONSELHO

Um aspecto do funcionamento do Carf chamou a atenção do Ministério Público. "Havia uma série de advogados pleiteando uma cadeira no conselho, embora a função não seja remunerada", diz o procurador federal Frederico Paiva, responsável pelo caso.

Os 74 processos da Zelotes somam R$ 19 bilhões. A PF diz que "já foram, efetivamente, identificados prejuízos de quase R$ 6 bilhões".

Mais de R$ 2 milhões foram apreendidos em Brasília e em São Paulo pela PF. Segundo balanço divulgado na sexta-feira (27), além de dinheiro (R$ 1,8 milhão, US$ 9.000 e € 1.500), foram apreendidos em Brasília 16 carros nacionais e importados, além de joias.

Em São Paulo, foram apreendidos dez veículos e R$ 240 mil (em moeda nacional e estrangeira), e, no Ceará, dois veículos.

26 Comentários »

  1. […] Comunicações da dupla Tancredo Neves & José Sarney. É bem verdade que O Globo fez publicar em editorial que o apoio à ditadura, assumida também em  editorial, o erro. Se apoiar a ditadura foi um […]

    Pingback por Dicionário ou Bestiário? | Ficha Corrida — 04/08/2016 @ 9:01 am | Responder

  2. […] sintomático que a Rede Globo já tenha admitido em editorial que foi um erro o apoio à Ditadura. Não pediu perdão, nem disse que não o faria de novo. Pior, […]

    Pingback por Globo rege a banda Ré Pública | Ficha Corrida — 15/06/2016 @ 9:28 am | Responder

  3. […] A  Rede Globo, com participação em golpes desferidos e nem sempre bem sucedidos, admitia em editorial, o erro, mas jamais pediria perdão. A Folha, que entende que ditadura é ditabranda, porque os […]

    Pingback por Golpistas e prostitutas sempre tem um programa agendado | Ficha Corrida — 28/03/2016 @ 8:16 am | Responder

  4. […] que a Folha entenda que isso não fora uma ditadura mas uma ditabranda, mesmo que a Globo admita, em editorial, que foi um erro ter apoiado ditadores, ainda assim e por isso mesmo, não gosto do Brasil que os […]

    Pingback por É deste Brasil que eu gosto | Ficha Corrida — 16/03/2016 @ 9:03 am | Responder

  5. […] é seu atributo mais constante. Até a Folha, um aparelho tucano por excelência, acusou em editorial os pesos e medidas que favorecem a imunidade do PSDB para achacar o Estado. Não é sem motivo que […]

    Pingback por MP/MG: uma mão lava a outra; duas, um aeroporto | Ficha Corrida — 23/08/2015 @ 10:20 pm | Responder

  6. […] mais realista que o rei. Recentemente a Folha de São Paulo publicou um editorial com o título “Justiça tarda e falha” uma denúncia acachapante sobre as muitas formas de compadrio com o […]

    Pingback por A saída totalitária | Ficha Corrida — 23/08/2015 @ 10:49 am | Responder

  7. […] quando a mídia vaza, como fez a Folha, em editorial, que o PSDB se protege via conivência do Poder Judiciário, ou os R$ 70 mil reais pagos por […]

    Pingback por Quem é o bandido oculto da frase: “PSDB pagou apresentadores de TV”? | Ficha Corrida — 11/07/2015 @ 12:25 pm | Responder

  8. […] de pancadas dos que não tem votos, ganha imunidade para roubar. É o que dizia a própria Folha em editorial, corroborado pela afirmação do deputado do PSDB gaúcho, Jorge Pozzobom: “me processa. Eu entro […]

    Pingback por Folha denuncia: em busca de imunidade, PT migra para o PSDB | Luizmuller's Blog — 26/05/2015 @ 7:50 pm | Responder

  9. […] de pancadas dos que não tem votos, ganha imunidade para roubar. É o que dizia a própria Folha em editorial, corroborado pela afirmação do deputado do PSDB gaúcho, Jorge Pozzobom: “me processa. Eu entro […]

    Pingback por Folha denuncia: em busca de imunidade, PT migra para o PSDB | Ficha Corrida — 26/05/2015 @ 9:37 am | Responder

  10. […] faz muito até a insuspeita e tucaníssima Folha de São Paulo, em editorial, disse, com outras palavras, a mesma coisa: “Prescrição, atrasos, incúria e engavetamento […]

    Pingback por Requiescat in pace | Ficha Corrida — 24/05/2015 @ 10:28 am | Responder

  11. […] blindagem do PSDB na velha mídia vem de longe. Mas vamos começar pela Folha, que em editorial admitiu que há proteção ao partido do Frias. Lá longe, quando Eliane Cantanhêde fazia parte […]

    Pingback por Para proteger PCC, PSDB persegue Lula | Ficha Corrida — 20/05/2015 @ 9:28 am | Responder

  12. […] pior, se vangloriam disso. A própria Folha, tucana em todas as linhas e entrelinhas, escreveu isso em editorial. Não é difícil de imaginar porque o notório bandido Alberto Youssef tenha virado herói […]

    Pingback por Partido de Serpentes Desova Bolsonaros | Ficha Corrida — 16/05/2015 @ 5:07 pm | Responder

  13. […] aqui como lá, quando as provas abundam, a justiça, como diria o Jorge Pozzobom e a própria Folha em editorial, passa a mão na bunda dos envolvidos. Imagine um helipóptero com 450 kg de cocaína sumindo como […]

    Pingback por Se o Brasil adotasse medida venezuelana, ex-candidato a presidente não poderia sair do Brasil | Ficha Corrida — 13/05/2015 @ 7:57 am | Responder

  14. […] revelou a promiscuidade que o beneficia, não estava falando só de si. O PSDB, com revelou a Folha em editorial, é rotineiramente beneficiado, seja pelos Engavetadores Gerais, do tipo Rodrigo de Grandis, Gilmar […]

    Pingback por Homenagem a Jorge Pozzobom | Ficha Corrida — 12/05/2015 @ 9:54 am | Responder

  15. […] até o reino mineral já entendeu, o PSDB já conseguiu imunidade para roubar. Primeiro a Folha, em editorial, admitiu; depois Jorge Pozzobom, do PSDB gaúcho, […]

    Pingback por No covil | Ficha Corrida — 11/05/2015 @ 10:57 pm | Responder

  16. […] admitido por Judith Brito e ANJ, com parcela de culpa inclusive do Poder Judiciário, como admitiu em editorial a própria Folha de São Paulo e confirmou o deputado do PSDB gaúcho, Jorge Pozzobom, entre o PSDB […]

    Pingback por PSDB opera fimose em mulher | Ficha Corrida — 05/05/2015 @ 8:47 am | Responder

  17. […] que nada lhe acontece. Em relação ao PSDB em geral, como admitiu o Jorge Pozzobom e até a Folha em editorial, e ao Aécio em particular, há uma verdadeira […]

    Pingback por Omertà é seu nome | Ficha Corrida — 04/05/2015 @ 8:35 am | Responder

  18. […] Folha deveria se lembrar que em editorial admitiu que o Poder Judiciário é complacente com seu partido, como já o fizera antes seu […]

    Pingback por Folha ajudou ditadores a prender, torturar, estuprar, matar e esconder os corpos. E chamou isso de ditabranda! | Ficha Corrida — 26/04/2015 @ 9:27 am | Responder

  19. […] máximo de idade para bandido! É um escárnio, como denunciou a própria Folha de São Paulo em editorial, que os criminosos do PSDB fiquem impunes porque a Justiça só é rápida para os quatro pês: […]

    Pingback por No Brasil, HSDB rima com FHC | Ficha Corrida — 25/04/2015 @ 10:14 pm | Responder

  20. […] Quem apoiou, em editorial, a implantação da ditadura no Brasil? A Rede […]

    Pingback por Gurizada enfia pau de selfie no rabo da Rede Globo | Ficha Corrida — 25/04/2015 @ 8:44 pm | Responder

  21. […] admitido publicamente pelo deputado gaúcho do PSDB, Jorge Pozzobom, também foi denunciado, em editorial, pela insuspeita, posto que tucana, Folha de São […]

    Pingback por O homem Bombril do PSDB | Ficha Corrida — 20/04/2015 @ 8:38 am | Responder

  22. […] O método não é novo. Durante a campanha, trolls a serviço do Antônio Imbassahy, do Agripino Maia, do Álvaro Dias e do Fernando Francischini tinham uma produção fordiana de memes com toda sorte de ódio anti-petista. Passadas as eleições e o vazamento de que também estavam envolvidos com corrupção, sumiram, mas seus trolls continuam. Com eles não acontece nada, como já disse a própria Folha em editorial simplesmente porque o PSDB está blindado no Poder Judiciário. […]

    Pingback por Geraldo Alckmin terceiriza ódio remunerado | Ficha Corrida — 19/04/2015 @ 1:20 pm | Responder

  23. […] Source: fichacorrida.wordpress.com […]

    Pingback por Folha de São Paulo acusa judiciário pelo que ela também faz: proteção mafiosa ao PSDB | psiu... — 31/03/2015 @ 1:18 pm | Responder

  24. […] Ninguém lerá um editorial da Folha atacando a RBS ou Rede Globo pelas respectivas sonegações. Judith Brito já admitiu publicamente que a Folha exerce o papel de oposição. Faz das tripas coração, co…  […]

    Pingback por Folha de São Paulo acusa judiciár... — 31/03/2015 @ 1:18 pm | Responder

  25. Republicou isso em TEM CAROÇO NESSE ANGU….

    Comentário por anisioluiz2008 — 31/03/2015 @ 12:08 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: