Ficha Corrida

22/03/2015

RBS e seus jornalistas de aluguel

Filed under: Grupo RBS,Inter,Jornalismo de Aluguel,Manipulação,RBS — Gilmar Crestani @ 9:58 pm
Tags:

MidiaLatuffA RBS detém os direitos de transmissão do Campeonato Gaúcho. Inter e Grêmio são as estrelas não só para os clubes do interior faturarem nos jogos locais como também para faturamento das transmissões da RBS. É também por esta razão que a detentora dos direitos exigiu a limitação de 32 jogadores por clube participante do certame deste ano. A tentativa busca fazer diminuir as chances de os times da Capital escalarem reservas, pois são os jogadores titulares, as estrelas, que trazem faturamento. Mesmo quando o interesse maior do Clube esteja na Libertadores. Ano passado o Grêmio focou na Libertadores; este ano, o Inter.

Até aí, nada de novo no pampa. São fatos e contra fatos a RBS tem aversão e sua versão. Se os fatos estiverem em desacordo com os interesses da RBS, pior para os fatos. A RBS poderia jogar claro e dizer: “pagamos direitos de transmissão por isso exigimos a participação das estrelas de cada time”. Não, prefere a manipulação. Senão não seria RBS, né.

Neste domingo o Inter encarou o Veranópolis, uma espécie de “tôca”, quando manda seu jogos em casa. Tendo jogado no meio da semana contra o EMELEC, no Equador, pela Libertadores, o treinador do Inter entendeu por bem escalar um time do grupo de 32 inscritos. Mas não os titulares… Sabia-se disso pelo menos desde sexta-feira, e confirmado no sábado.

Antes de continuar, um parêntesis. Os jornalistas esportivos da RBS, e nisso não são muito diferentes dos demais veículos, falam que se deve valorizar a “prata da casa”, que o “Gauchão” é para fazer experimentações e prospectar “revelações da base”. Ah, sem contar da necessidade de dar “ritmo de jogo” para melhor se desincumbir quando for escalado em partidas oficiais, principalmente Libertadores e Brasileirão.

É isso que o Grêmio faz com Felipão no início do ano, é isso que o Inter vem fazendo. Não foi diferente neste domingo em Veranópolis. O Inter botou em campo uma gurizada desentrosada.

Mas desde sexta-feira os muitos comentarias da RBS vem batendo contra a “escalação de reservas”, que era “hora de botar o titulares pra jogarem”. Quem não conhece a RBS pode pensar que seja uma opinião isenta e legítima dos comentaristas. Contudo, nunca é demais lembrar que a pegação de pé  está centrada no Inter do Diego Aguirre. A Libertadores é da Fox; o Gauchão, da RBS. Assim como a RBS, a Fox escala jogo às 17 hs no Beira-Rio. A RBS quer ver os titulares para ter um elenco para vender seu “charmoso gauchão” aos patrocinadores. Ao escalar reservas o Inter diminui o tamanho do espetáculo e, portanto, o faturamento da RBS, posto que diminui o número de telespectadores. Os patrocinadores gritam, a verdade factual padece.

O pessoal da Rádio Gaúcha fez severas críticas a escalação do Inter. Não entendem porque não jogaram os titulares. Se eles não entendem, eu entendo. Entendo também porque a RBS pensa assim. Entendo também porque a memória desse pessoal é tão seletiva. Como se não soubesse que o ritmo forte deste início de ano já botou vários jogadores no Departamento Médico. Nestas horas que cobram a presença de titulares eles não lembram dos desfalques do Inter contra o EMELEC por lesões.

Há dois exemplos que ajudam a entender o que estou querendo dizer. Quando a ULBRA tinha um time no Gauchão, a RBS se recusou a chamar de Ulbra, para não fazer propaganda “gratuita” para a Universidade. Chamava de Canoas. Aliás, a Globo faz o mesmo em São Paulo. Chama o Red Bull Brasil de RB Brasil. Não quer fazer propaganda da Red Bull. Por interesse comercial, esconde o nome do Clube. Fazem isso também no vôlei. Isso não é jornalismo, isso não é informação. É MANIPULAÇÃO! Por intere$$e!

Se os fatos estão em desacordo com interesses comerciais da RBS/Globo, pior para os fatos. Acredita quem quiser, ou quem não tem por costume usar seus dois neurônios. Acontece que jornalismo é informação. Quem deturpa informação por interesses comerciais não deveria se chamar de grupo de informação, mas de grupo empresarial. Se fazem isso com o futebol, por que não fariam com o resto. Por exemplo, como fazem com a Lista Falciani do HSBC

Quando vaza informação, sem lastro com a realidade de que há dinheiro das empresas envolvidas na Operação Lava Jato com alguém do PT, culpam o Lula e Dilma. Quando os mesmos dizem que deram mensalmente ao Aécio, baixa a lei Rubens Ricúpero. Silêncio geral. Dá para entender porque a Globo não trata do helipóptero?! Não é por falta de informação. Se maltratam os dados factuais que são de conhecimento público, por que não o fariam com fatos que não são do nosso conhecimento?!

São, como diria o velho Brizola, os tais de “interé$$es”…

Pense nisto.

1 Comentário »

  1. […] Source: fichacorrida.wordpress.com […]

    Pingback por RBS e seus jornalistas de aluguel | psiu... — 23/03/2015 @ 6:31 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: