Ficha Corrida

14/12/2014

Reencontro do elo perdido

ditadura da informaçaõO filho do modus operandi dos EUA, Militares & PSDB veio à luz em Roraima. A informação saiu pelo insuspeito parceiro dos militares, que saudou em editorial a chegada do Golpe Militar de 1964,  O Globo. Para os ingênuos, mal informados ou mal intencionados que diziam que na ditadura militar não tinha corrupção, que com milico estas coisas não aconteciam, pois vem O Globo e enfia no rabo dos idiotas. E como sempre, com a participação ativa dos EUA. O ápice do reencontro entre a alavanca, os militares, com o ponto de apoio, os EUA, só poderia resultar em corrupção. Como o Brasil já não é mais uma ditadura, a alavanca da corrupção precisou de apoio, e encontrou no PSDB, em Roraima, uma forma de mover mundo e fundos e a grana…

Se fazem isso na democracia, quando a Polícia Federal tem total autonomia e com aumento de efetivo para investigar, o que não faziam quando tinham licença para roubar sem ter de prestar contas?! Se fazem isso quando há mais risco de serem descobertos, o que não faziam quando não corriam risco algum? Não é por acaso que a primeira coisa que os gorilas fizeram foi uma parceria com as cinco irmãs (Globo, Veja, Folha, Estadão & RBS). Veja que O Globo, na matéria, omite o partido do governador envolvido. É que o PSDB tem da Globo não só licença, mas parceria… (Veja-se o caso da jornalista da Globo, Miriam Dutra, e FHC, cujo fruto foi escondido na Espanha, ainda sem ter ficado claro quem sustentou-os por lá…)

Coincidentemente, foi durante a ditadura que se consolidaram as cinco irmãs e as empreiteiras. A corrupção que hoje começa a vazar por todos os cantos, inclusive a de que a Folha emprestava peruas e dinheiro para a Ditadura só foi possível agora, com a Comissão Nacional da Verdade. Se dependesse dos assoCIAdos do Instituto Millenium, jamais haveria CNV muito menos democracia. Tanto que com a ditadura cresceram e se fortaleceram, e na democracia estão definhando a olhos vistos.

O terceiro interessado é o ex-governado de Roraima. Mas como é do PSDB, não há com que se preocupar. As cinco irmãs, como bem orientou Judith Brito e a ANJ leva a sério, fazem às vezes de relações públicas do PSDB. Não sendo pobre, preto, puta ou petista o silêncio é regra. Omite-se o nome do partido e dos envolvidos. Fica evidente pelas páginas dos jornais que o PSDB, DEM, PMDB e acessórios, têm licença para roubar. Até porque os próprios partidos não são contra a corrupção, são contra a concorrência na corrupção. Tanto é assim que só denunciaram o PT quando este resolveu concorrer com o PSDB no esquema do Marcos Valério. Os que seguiram o esquema foram julgados, condenados e cumprem a pena. Já os que criaram o esquema estão por aí, soltando a língua nos grupos mafiomidiáticos, dando lição de moral…

O tripé veio à luz: EUA, militares e PSDB! Se individualmente já são o que são, imagine formando consórcio…

11/12/2014 21h30 – Atualizado em 12/12/2014 09h12

Empresa americana diz que pagou propina a FAB e ao governo de RR

Dallas Airmotive admitiu à Justiça dos EUA subornos entre 2008 e 2012.
FAB vai apurar caso e ex-governador se pronunciará posteriormente.

Do G1, em São Paulo

Facebook

Uma empresa americana de manutenção de motores de aeronaves admitiu à Justiça dos Estados Unidos que pagou propina a dois oficiais da Força Aérea Brasileira (FAB) e a um funcionário do gabinete do ex-governador de Roraima José de Anchieta Júnior (PSDB). Um comunicado do Departamento de Justiça dos EUA publicado nesta quarta-feira (10) informa que a Dallas Airmotive pagará US$ 14 milhões de sanção penal por descumprir a lei que pune empresas do país que praticam corrupção no exterior. 

Procurada, a FAB disse que soube do caso pela imprensa e que abriu processo para apurar os fatos. José de Anchieta Júnior disse que se informará sobre o assunto antes de se pronunciar. Em nota, a Dallas Airmotive confirmou o pagamento de suborno e atribuiu as ilegalidades a funcionários que já estão fora da empresa.

Datalhe de documento apresentado à corte federal do Texas sobre pagamento de propina da Dallas Airmotive a autoridades Brasileiras (Foto: Reprodução)Detalhe de documento entregue à corte do Texas
sobre pagamento de propina à autoridades
brasileiras (Foto: Reprodução)

Segundo o Departamento de Justiça dos EUA, a Dallas detalhou que, entre 2008 e 2012, subornou funcionários da FAB e do gabinete do governo estadual de Roraima, na época sob administração de José de Anchieta Júnior.

Entre os mecanismos usados pela empresa para o pagamento da propina estavam acordos com empresas de fachada, pagamentos a terceiros e oferecimento de presentes aos funcionários, como pagamento de viagens de férias, diz o comunicado, que não cita os nomes dos envolvidos .
O processo apresenta também trocas de e-mails que teriam indícios de pagamento de propinas. Em um deles, um dos militares escreve a um agente de vendas da empresa americana. "Envio as informações da companhia, não se preocupe. A companhia aqui no Rio mostra o meu nome como sócio e por isso eu não poderia fazer negócios com você, o TCU [Tribunal de Contas da União] não permite (risos)", diz a mensagem eletrônica.
Ainda de acordo com o documento, um escritório da Dallas Airmotive em Belo Horizonte (MG) realizava os contratos de serviços da empresa com clientes comerciais e governos da América Latina. A filial brasileira foi procurada, mas ainda não se pronunciou sobre o caso.  Veja aqui a íntegra do documento, em inglês.
Segundo o "Wall Street Journal", no documento de informação criminal em que a empresa assume os atos, os promotores acusam a Dallas Airmotive de conspiração e de violar as disposições anti-suborno da Foreign Corrupt Practices Act – lei americana de 1977 que proíbe empresas do país de pagarem funcionários de governos estrangeiros para obter ou manter negócios.

FAB e José de Anchieta Júnior
"Não vou declarar nada, porque vou me inteirar da notícia primeiro. Eu não vou me declarar enquanto eu não apurar isso direito. Eu não tenho conhecimento, não me lembro. Vou apurar isso aí. Vou me inteirar disso e só me pronuncio depois", disse por telefone José de Anchieta Júnior ao ser procurado pelo G1.

Em nota, a FAB informou que tomou conhecimento através da imprensa nacional do acordo firmado entre a Dallas Airmotive e o Departamento de Justiça Americano, onde foi citado o fornecimento de propina a militares de seu efetivo. "Sobre o assunto a FAB esclarece que não recebeu nenhuma notificação oficial do Departamento de Justiça Americano. Informa ainda que já iniciou uma processo investigativo sobre o fato denunciado.”

Em nota, um porta-voz da empresa Dallas Airmotive disse que a ética e a governança são valores da empresa e atribuiu as irregularidades a "um número limitado" de empregados terceirizados e funcionários que atuavam na América do Sul no período investigado – e que não formam mais parte dos quadros da empresa.

Também informa que foi trocada a chefia de operações da empresa na América do Sul e que o Departamento de Justiça americano reconheceu a cooperação da Dallas Airmotive com as investigações e as melhorias em programas de governança e controle, e no compromisso da empresa para futuros aprimoramentos.

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: