Ficha Corrida

24/11/2014

Diário do Centro do Mundo » Mãe de dançarino morto critica Regina Casé: “É uma mentirosa”

Globo Manipulação

Mãe de dançarino morto critica Regina Casé: “É uma mentirosa”

Postado em 23 de novembro de 2014 às 6:11 am

Do site Notícias da TV:

Maria de Fátima Silva, mãe do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, conhecido como DG, criticou a Globo e, principalmente, Regina Casé, pelo Esquenta especial em homenagem ao filho dela, que trabalhava no programa e foi morto a tiros em abril no Rio de Janeiro.

Durante um debate sobre negros no Brasil, na última quinta (20), em Brasília, disse que foi censurada pela emissora e chamou a apresentadora de farsante e mentirosa. O vídeo do debate está na internet.

“A Regina Casé é uma farsa. Ela é uma artista, é uma mentirosa! Mentirosa!”, gritou a mãe de DG no evento, sendo aplaudida pela plateia. Ela continuou: “Alguém jogou na minha bolsa uma agenda do programa escrita à mão, na qual dizia: ‘Não pode falar que foi a polícia, solta as fotos sensacionalistas para a mãe chorar’. Em nenhum momento, vocês que assistiram ao programa viram a Regina Casé falar de violência, contra a polícia. E toda vez que eu mencionava, era cortada”, relembrou.

Maria de Fátima Silva também reclamou do tratamento que a Globo deu a ela e a sua família antes e depois do Esquenta. “Encurralaram a gente em um cômodo 3×3, trancaram a porta até o início do programa. O único local onde a gente podia circular era o salão de beleza, foram me oferecer unha e cabelo. Eu lá queria saber de fazer unha e cabelo? Eu queria uma solução imediata que esclarecesse a morte do meu filho”, recordou.

Diário do Centro do Mundo » Mãe de dançarino morto critica Regina Casé: “É uma mentirosa”

“Mostra fotos do filho para ela chorar”

Postado em 23 nov 2014 – por : Paulo Nogueira

Maria e Casé a Globo, nos dias de comoção pela morte do dançarino DJ

Maria e Casé na Globo, nos dias de comoção pela morte do dançarino DJ

Um vídeo comoveu as pessoas neste final de semana nas redes sociais.

A estrela é Maria, mãe do dançarino DG, assassinado pela polícia do Rio há alguns meses.

Num debate sobre questões dos negros, ela falou sobre a maneira como a mídia tratou a morte de seu filho.

Mais especificamente, a Globo e Regina Casé. Regina Casé comanda o Esquenta, programa da Globo no qual DG fazia algumas participações.

Não impressiona a forma como a Globo e Regina Casé exploraram a dor de Maria.

No calor da revolta da sociedade, Maria foi levada ao programa de Regina Casé, na louca e cruel cavalgada pela audiência.

Maria foi usada e abandonada ainda no palco. Terminado o programa, ela conta que Regina Casé simplesmente a largou.

“Estou esperando até agora”, disse Maria.

Ela não precisou o que esperava. Imagino que fosse algum tipo de solidariedade. Não me pareceu, pelo que vi de Maria, que ela estivesse atrás de dinheiro ou coisas materiais.

Mas nada.

O máximo que ofereceram a ela foi produzi-la para o programa em que ela falaria do filho assassinado, como se fosse uma atriz. Ela rejeitou a suprema dádiva de fazer unha e cabelo num salão global. “E eu queria lá unha e cabelo?”, diz ela no vídeo.

Se a atitude da Globo e de Regina Casé absolutamente não me surpreendem, a firmeza lúcida de Maria me impressionou.

Ela representa um novo brasileiro simples, muito distante do “bovino” na já célebre definição de Diogo Mainardi.

É lúcida, sabe o que quer, não se deixa enganar – e fala com um tipo de clareza sincera que eu gostaria de ver, por exemplo, nos juízes do STF.

É este novo brasileiro que impediu que, nas últimas eleições, as manobras da mídia para eleger seus amigos não funcionassem.

Ele sabe que, no fundo, estão tentando bater sua carteira quando fazem campanhas pseudomoralistas em épocas de eleições.

Maria é Maria e milhões de brasileiros iguais a ela, que despertaram de um longo torpor do qual a mídia e seus amigos sentem uma torrencial saudade.

Eles votam não em quem seus patrões gostariam que votassem, mas em quem melhora sua vida.

No vídeo, uma parte, especificamente, me doeu. É quando Maria conta que, para fazê-la chorar, e assim conseguir mais audiência, a instrução era mostrar a ela fotos do filho morto.

Não vou retornar a um tema que trago sempre à discussão no DCM: 600 milhões em dinheiro público vão dar, na forma de publicidade federal, na Globo todos os anos.

Para fazer este tipo de coisa.

Procurada, a Globo disse que as acusações de Maria não têm fundamento.

Mas quem acredita nisso, para usar a grande frase de Wellington, acredita em tudo.

(Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui).

Paulo Nogueira

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: