Ficha Corrida

05/11/2014

Diversionismo militante da Folha

De onde menos se espera, de lá mesma é que não sai nada. cp05112014Mais uma capa diversionista, para mudar o foco da crise d’água em São Paulo do PSDB, para o fornecimento de energia no Governo Federal. Cabe a pergunta: o RS e o Ceará diversificaram investindo em energia eólica. O que fez São Paulo da Veja, da Folha, do Estadão, do PSDB?

A Folha não deu nenhuma capa sobre o racionamento d’água em São Paulo. E, pelo jeito, a torcida pelo apagão de energia, como aconteceu com FHC, pode acontecer não só por falta de água, mas para se concretizar mais um desejo da Folha. A partir desta capa, a sabotagem não pode ser descartada. Depois da capa da Veja, da capa desta Folha, para derrubar a Dilma, vale convocar Gilmar Mendes, a família Bolsonaro armada, ressuscitar os fantasmas de 1964. Fala sobre o que pode vir a acontecer, a falta de energia, é mais benéfico para a Folha e o PSDB, do que falar sobre o que está acontecendo exatamente no Estado em que o PSDB governa por mais de 20 anos.

O texto abre com esta pérola: “O Operador Nacional do Sistema (ONS) avisou na quinta-feira (30) a distribuidores e geradores que há risco de serem necessários cortes seletivos de energia para garantir o fornecimento durante os horários de pico, entre janeiro e fevereiro, quando há forte aumento no consumo de eletricidade.”

Uns parágrafos adiante, em soneto de pé quebrado, fecha com chave de ouro: “Procurado, o ONS não se pronunciou, mas sua assessoria confirmou que o alerta foi dado na reunião.”

Com parceiros com a Folha da d. Judith Brito, não é de admirar que o PSDB perca a quarta eleição seguida. Se continuar no mesmo nível dos reservatórios do Sistema Cantareira, perderão mais duas, para o Lula

Verão pode trazer ‘corte seletivo’ de luz

Para garantir que usinas estejam preparadas para pico de demanda, energia seria cortada durante madrugadas

ONS fez alerta ao setor em reunião na última 5ª; para evitar medida, nível de reservatórios tem que chegar a 30%

MACHADO DA COSTADE SÃO PAULO

O Operador Nacional do Sistema (ONS) avisou na quinta-feira (30) a distribuidores e geradores que há risco de serem necessários cortes seletivos de energia para garantir o fornecimento durante os horários de pico, entre janeiro e fevereiro, quando há forte aumento no consumo de eletricidade.

Para manter os reservatórios em nível seguro e evitar apagões nos horários de pico, as usinas deixariam de fornecer energia de madrugada. Os cortes afetariam grandes centros urbanos do Sudeste, como Rio, São Paulo, Campinas, Belo Horizonte e Vitória.

A medida pode ser necessária se as chuvas não forem suficientes para elevar os reservatórios ao nível de 30% em janeiro. Atualmente eles estão em 18,27%. No ano passado, neste período, estavam com 41,62% da capacidade.

Durante reunião do Programa Mensal de Operação (PMO), Francisco José Arteiro de Oliveira, diretor de Planejamento e Programação da Operação do ONS, afirmou que o órgão precisaria operar as usinas hidrelétricas de forma a prepará-las para os horários com maior demanda.

Para evitar quedas inesperadas do sistema, o ONS cortaria seletivamente parte do fornecimento na madrugada. Isso permite o aumento do volume de água nas represas.

EM 2001

PSDB MIDIAn

A operação seria semelhante à planejada pelo governo de Fernando Henrique Cardoso em 2001, quando os reservatórios encontravam-se em nível superior ao atual.

Em novembro daque- le ano, o nível médio dos reservatórios do Sudeste estava em 23,04%.

Em 2001, esse plano foi evitado por fortes precipitações entre novembro e dezembro, mas o governo não escapou de decretar o racionamento no ano seguinte.

Isso porque, diferentemente do que ocorre hoje, as térmicas não complementavam a base do sistema elétrico.

Procurado, o ONS não se pronunciou, mas sua assessoria confirmou que o alerta foi dado na reunião.

O órgão espera um crescimento da demanda de energia da ordem de 5% em fevereiro, mês no qual são registradas as maiores demandas.

Em 6 de fevereiro 2014, foi registrada a máxima histórica de consumo: no Sudeste, a demanda atingiu pico de 51.261 MW. Como comparação, no domingo (2), último dado disponível, o consumo atingiu 38.542 MW.

A Folha apurou que o órgão vem avisando o setor durante as reuniões há três meses e que sua preocupação aumentou recentemente.

O ONS, porém, espera que ocorra um período chuvoso com volume normal de precipitações a partir da segunda quinzena deste mês, o que seria suficiente para atingir um nível seguro de operação dos reservatórios.

A perspectiva é embasada por institutos meteorológicos contratados pelo operador, segundo o órgão.

Caso em abril de 2015 as reservas hídricas do Sudeste alcancem nível próximo de 40%, o racionamento deverá ser descartado pelo ONS.

Anúncios

3 Comentários »

  1. Em outras palavras, foi o que eu disse esta manhã.
    http://tijolaco.com.br/blog/?p=22768

    Comentário por Gilmar Crestani — 05/11/2014 @ 3:47 pm | Responder

  2. […] Diversionismo militante da Folha […]

    Pingback por Diversionismo militante da Folha | EVS NOTÍCIAS. — 05/11/2014 @ 8:38 am | Responder

  3. […] De onde menos se espera, de lá mesma é que não sai nada. Mais uma capa diversionista, para mudar o foco da crise d’água em São Paulo do PSDB, para o fornecimento de energia no Governo Federal.  […]

    Pingback por Diversionismo militante da Folha | BOCA NO TROM... — 05/11/2014 @ 8:27 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: