Ficha Corrida

19/10/2014

Manchete do tipo Folha, SQN: Na gestão Alckmin, gerente da CPMF ligado a cartel é afastado

Filed under: Corrupção,CPTM,Folha de São Paulo,Propinoduto Tucano,PSDB,Tremsalão — Gilmar Crestani @ 9:21 am
Tags:

Se a CPTM fosse administrada pelo Governo Federal, a culpa seria da Dilma e estaria na capa, como esta do desmatamento na Amazônia: “Desmate da Amazônia na gestão Dilma volta a crescer”…

propinoduto tucanoCPTM afasta gerente ligado a empresas do cartel de trens

Decisão veio após Folha revelar e-mails que apontam vínculo com firmas investigadas

Secretaria Estadual dos Transportes diz que abriu sindicância interna para apurar possível irregularidade

FLÁVIO FERREIRADE SÃO PAULO

A estatal de trens de São Paulo CPTM afastou seu gerente de Engenharia de Manutenção Henry Munhoz após a Folha revelar e-mails que apontam relações comerciais do funcionário público com empresas acusadas de integrar o cartel do setor que atuou no Estado.

Após a reportagem questionar a CPTM sobre as mensagens eletrônicas descobertos pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), a Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos informou que foi aberta uma sindicância interna para apurar os fatos.

É o segundo documento obtido pela Folha com indícios de ligações de Munhoz com as empresas denunciadas por participação no cartel de trens que atuou em São Paulo entre 1998 e 2008, em sucessivos governos do PSDB.

Na edição do último domingo (12), o jornal revelou e-mail de 2001 descoberto na empresa MGE, que também é investigada pelo Cade.

A mensagem eletrônica apontou que Munhoz, então assistente técnico da CPTM, passou à empresa MGE dados confidenciais sobre os planos da estatal de trens e comprometeu-se a ajudar a companhia privada a viabilizar os projetos de seu interesse.

Na ocasião, Munhoz e a CPTM negaram favorecimentos à MGE.

A nova série de mensagens obtida agora pela Folha é de janeiro de 2011 e foi encontrada na empresa Temoinsa, outra das firmas sob acusação.

Os primeiros e-mails do conjunto recolhido pelo Cade foram trocados entre Munhoz e Rodrigo Lobo, da empresa MPE, que também é investigada nas apurações sobre formação de cartel.

Em 7 de janeiro de 2011, Lobo enviou um e-mail a Munhoz no qual pediu a apresentação de uma "proposta comercial" relativa a um contrato do Metrô para prestação de serviços de substituição de peças de uma das frotas, no valor de R$ 7,3 milhões.

O contrato havia sido ganho pela MPE após licitação do Metrô de junho de 2010.

Em resposta a Lobo no dia 13 de janeiro de 2011, Munhoz afirmou que "o orçamento para a prestação de serviços ficou em R$ 154.800, dividido em 24 parcelas mensais de R$ 6.450".

Porém, no e-mail o funcionário público sugeriu haver um entrave para a realização do negócio e afirmou que ele poderia ser superado com a participação da Temoinsa.

A última mensagem da série achada pelas autoridades federais foi encaminhada pelo executivo da Temoinsa Wilson Daré para Lobo.

Na mensagem, ele apontou a solução para o problema "dos faturamentos solicitados pelo Henry". Segundo Daré, o caminho seria fazer um contrato de prestação de serviços entre a MPE e a empresa Fator, que ele sugeriu ser ligada à Temoinsa.

"Neste caso nós (a Fator) cuidaremos de repassar os valores em dinheiro", escreveu o executivo.

Os e-mails que mencionam Munhoz foram encontrados pelo Cade em operação de busca e apreensão realizada em julho do ano passado, em meio às apurações iniciais sobre o cartel dos trens.

A investigação começou em maio de 2013 após a multinacional alemã Siemens ter informado ao Cade sobre a formação do cartel, do qual admitiu ter participado. Em troca, a empresa espera obter redução de penas ao término do caso.

O conluio entre as companhias e o pagamento de propinas a agentes públicos para acobertar as fraudes nas licitações de trens também são alvo de apurações do Ministério Público, da Polícia Federal e da Corregedoria da Administração Estadual.

3 Comentários »

  1. […] a outra manchete de ontem, também na Folha: ”CPTM afasta gerente ligado a empresas do cartel de trens”. Quando trata do Cartel dos trens, na CPTM, não menciona o nome de partido nem de gestor. Nem […]

    Pingback por Racionamento d’água: e se, ao invés de São Paulo, fosse no RS? | Ficha Corrida — 20/10/2014 @ 8:32 am | Responder

  2. […] Manchete do tipo Folha, SQN: Na gestão Alckmin, gerente da CPMF ligado a cartel é afastado […]

    Pingback por Manchete do tipo Folha, SQN: Na gestão Alckmin, gerente da CPMF ligado a cartel é afastado | MANHAS & MANHÃS — 19/10/2014 @ 9:24 am | Responder

  3. […] Quando se trata de um órgão federal, sempre é culpa da Dilma. Quando é estadual, em São Paulo, é a tal de crise d’água, a SABESP, o Sistema Cantareira… nunca é Geraldo Alckmin! Por quê? Na Folha de hoje há outra manchete típica da Folha: CPTM afasta gerente ligado a empresas do cartel de trens. Viram, a Folha não põe “na gestão Alckmin”?! […]

    Pingback por Quem finanCIA o IMAZON? | Ficha Corrida — 19/10/2014 @ 9:22 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: