Ficha Corrida

28/09/2014

Quem não tem ideias, ataca!

O portal do Estadão deste domingo confirma a coluna do Janio de Freitas, na Folha. Aécio e Marina têm, coincidentemente, um único propósito, tirar Dilma e o PT do poder. Nada dizem a respeito do que têm a oferecer, do que pretendem por no lugar. É muita pobreza, mas atende perfeitamente o que o Instituto Millenium abraçou para si. A desconstrução contínua do PT (de Lula e Dilma) visa unicamente devolver a chave do tesouro aos bancos (Banco Itaú via Neca Setúbal a futura Ministra da Economia se Marina ganhar). O Banco Itaú é o maior financiador ideológico deste modelo de desconstrução. Via Rede Globo, Itaú patrocina qualquer coisa que sirva para transferir dinheiro a quem propague sua ideologia de desmonte do Estado.

D. Judith Brito já tinha avocado para os Grupos MafioMidiáticos o papel de partido político de oposição ao PT. A ANJ endossou e hoje não há nas cinco famiglias (Marinho, Frias, Mesquita, Civita & Sirotsky) um texto que não vise de alguma forma promover seus funcionários e candidatos em detrimento de tudo que seja de investimentos feitos pelo PT.

Há um ditado árabe que as mais recentes pesquisas comprovam: enquanto os cães ladram, a caravana passa…

ataques

JANIO DE FREITAS

Feia, grossa e errada

Vê-se que o fracasso da agressividade de José Serra, na disputa com Lula, não serviu de ensinamento

Aí estão os dias finais de uma campanha feia. Antecipada por Eduardo Campos e Aécio Neves, que em maio já tinham atitudes eleitoreiras, nos cinco meses até agora não deixou nem um só instante de brilho pessoal ou de criatividade política. Não é menos notável que, em se tratando de candidaturas à Presidência, também não aparecesse nem uma só proposta capaz de distinguir-se do que tem composto o palavrório trocado entre oposições e governos.

Em compensação, não faltou grossura. Desde sua queda na pesquisa anterior à de agora, Marina Silva consumiu muito das oportunidades de atração eleitoral com o discurso de vítima na campanha baseada em ataques. É claro que algum efeito o tiroteio político sempre produz, em quem é alvo e no atirador. Mas ninguém sai desta campanha na condição de devedor de ataques aos adversários diretos. E daí vem uma ameaça às eleições futuras.

Vê-se que o fracasso da agressividade de José Serra, na disputa com Lula, não serviu de ensinamento aos políticos que os sucedem em confrontos iguais. E com os mais afortunados marqueteiros parece ter ocorrido o mesmo, sendo que, no seu caso, também nada aprenderam com o mestre marqueteiro, Duda Mendonça, e o seu Lula cativante e proponente.

A grossura foi até institucionalizada agora, como técnica marqueteira, sob o nome enganoso e enganado de "desconstrução" do adversário. Agressão e desconstrução são coisas diferentes. Mas como ao final da batalha verbal haverá, necessariamente, vencedor que praticou a "desconstrução", é grande o risco de que a nova "técnica" fique consagrada como chave do sucesso eleitoral.

O ataque como campanha não fará a vitória nem as derrotas nesta eleição. Explicar as suas quedas nas pesquisas pelos ataques recebidos, como fazem Marina e seus correligionários, equivale a dizer que os ataques eram fundados, porque ela decaiu, em apenas um mês, dos 50 pontos que tinha no fim de agosto para os 27 do fim de setembro.

Da mesma maneira, se "desconstruir" por ataques levasse ao êxito, Aécio Neves teria hoje outra situação. E Dilma Rousseff não poderia estar na liderança, porque durante os cinco meses foi o alvo principal de Aécio, inaugurador da campanha baseada na "desconstrução" e divulgador desse nome.

Aécio tem motivos para lamentar sua campanha. As perspectivas que o levaram à candidatura caíram com o avião de Eduardo Campos, mas as últimas pesquisas mostram que errou duplamente. Primeiro, ao relaxar por causa da entrada impetuosa de Marina na disputa e nas pesquisas. Segundo, por se limitar aos ataques. Quando viu o movimento descendente de Marina, há duas semanas, Aécio reanimou a campanha e, para isso, afinal fez um pouco mais do que atacar. A resposta veio nos dois últimos Datafolha: subida equivalente a 20% do total anterior.

A campanha de Marina não foi capaz de demonstrar ser ela o tal novo, que lhe fora atribuído pela mistura de aversão ao PT, rescaldo de votações passadas, escassa identificação de Aécio e morte de Eduardo Campos. Marina preferiu aderir aos ataques, e leva o troféu do mais violento deles, na acusação aos governantes do PT de "nomear diretores para assaltar a Petrobras". A expectativa do novo refluiu, à falta de sua exibição, e várias contradições tornaram Marina mais vulnerável. Na queda, à sua fixação no ataque juntou apenas a lamentação de vítima. Será pouco para explorar os próximos e últimos dias.

Dilma entrou na campanha com um patrimônio único. Se bem trabalhadas, muitas das ações do seu governo traziam um potencial grande de atração do eleitorado. Mas sua campanha pendeu, de início, para um populismo barato, levado a extremos no horário eleitoral. Depois, entrou e ficou no jogo dos ataques, escolhido pelos adversários.

Só nas duas últimas semanas Dilma adotou o papel de candidata diante dos eleitores. E recebeu, como resposta, o aumento de sua vantagem no primeiro turno e a liderança no eventual segundo, perdida por Marina. E, a depender dos próximos dias, até a hipótese de encerrar a eleição no primeiro turno.

    Anúncios

    1 Comentário »

    1. […] — Marina Silva criada por Washington para derrubar Dilma Rousseff. O jornal, fundado em 19 2h Quem não tem ideias, ataca! O portal do Estadão deste domingo confirma a coluna do Janio de Freitas, na Folha. Aécio e Marina […]

      Pingback por Eleitores paulistas preferem sujos a tomarem banho | MANHAS & MANHÃS — 28/09/2014 @ 10:55 am | Responder


    RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

    Deixe um comentário

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s

    Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

    %d blogueiros gostam disto: