Ficha Corrida

11/09/2014

Quem sai ao patrões, não degenera: Viva a RBS! Viva Ana Amélia Lemos! Viva a Putaria!

Como é mesmo aquela parte do Hino Riogrande? Povo que não tem virtude acaba por ser escravo. Tirando o fato de ser racista, por parece que escravo não tem virtude, de resto parece ter sido escrito prevendo a desova da Ana Amélia Lemos pela RBS.

Ana Amélia foi CC do marido no Senado enquanto era diretora da RBS

 | Foto: Ramiro Furquim/Sul21

Senadora no comício da campanha no Gigantinho, em Porto Alegre| Foto: Ramiro Furquim/Sul21

Da Redação

A senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS) foi Cargo em Comissão (CC) do próprio marido, já falecido, o senador biônico Octávio Omar Cardoso, em 1986, acumulando essa função com o cargo de diretora da Sucursal do Grupo RBS, em Brasília. A portaria nº 256, de 9 de junho de 1986, assinada pelo então Primeiro-Secretário do Senado, senador Enéas Faria, designou Ana Amélia de Lemos “para exercer a função de Secretária Parlamentar, do gabinete do vice-líder do Partido Democrático Social, Senador Octávio Cardoso, a partir de 1º de abril do corrente ano”.

Portaria de nomeação da  hoje senadora Ana Amélia Lemos em cargos em comissão do Senado

Portaria de nomeação da hoje senadora Ana Amélia Lemos em cargos em comissão do Senado

Segundo Ato da Comissão Diretora do Senado nº12, de 1978, a função de Secretária Parlamentar exercida pela então jornalista tinha como tarefa prestar “apoio administrativo ao titular do Gabinete, preparar e expedir sua correspondência, atender as partes que solicitam audiência, executar trabalhos datilográficos, realizar pesquisas, acompanhar junto às repartições públicas assuntos de interesse do Parlamentar e desempenhar outras atividades peculiares à função”.

Pelo exercício dessas funções, o ato em questão definia o salário mensal de Cr$ 9 mil, (cerca de R$ 8.115,00 em valores atualizados), sujeito o contratado ao regime de 40 horas semanais de trabalho, sendo de 8 horas a jornada diária, devendo a frequência ser atestada, quinzenalmente, pelo titular do Gabinete.

Normas do exercício da função de secretário parlamentar de Gabinete de senador

Normas do exercício da função de secretário parlamentar de Gabinete de senador

Na época, Ana Amélia era diretora da sucursal da RBS, em Brasília, assinando uma coluna no jornal Zero Hora. A jornalista mudou-se para Brasília em 1979, acompanhando seu então marido Octávio Omar Cardoso, suplente do senador biônico Tarso Dutra (falecido em 1983), que foi efetivado no cargo em 1983, exercendo-o até 1987. Na capital federal atuou como repórter e colunista do jornal Zero Hora, da RBS TV, do Canal Rural e da rádio Gaúcha. Em 1982, foi promovida à diretora da Sucursal em Brasília.

As preocupações com a informática cópia1

Coluna de Ana Amélia no dia 09/06/1986

No dia em que a portaria de nomeação era publicada (09/06/1986), Ana Amélia Lemos assinava sua coluna no jornal Zero Hora, com o título principal: “As preocupações da informática”.

Moralidade cópia (1)

Editorial de ZH em 09/06/1986

Neste mesmo dia, um editorial de ZH defendia a moralidade nas nomeações de cargos públicos.

“A obrigatoriedade do concurso para provimento efetivo de cargos públicos é constantemente ignorada pela política do nepotismo, do apadrinhamento e do favorecimento”, afirmava então o editorial do jornal.

Em outra coluna, de 11 de abril de 1986, a jornalista comentou “a repercussão crítica feita pelo senador Octávio Cardoso ao presidente do Senado, José Fragelli, que desrespeitando acordo de lideranças sobre encerramento de atividades do Senado no dia do jogo Brasil-Argélia apareceu na TV como se fosse o único senador presente naquele dia em Brasília”.

Quase um ano depois da nomeação, em 17 de março de 1987, a Diretoria da Subsecretaria de Administração de Pessoal do Senado convocou Ana Amélia e um grupo de servidores que exerciam a função de Secretário Parlamentar “a fim de formalizarem a rescisão contratual”. Três dias depois, em 20 de março de 1987, os servidores em questão foram novamente convocados, por edital, publicado no Diário do Congresso Nacional,do dia 17 de Março de 1987, para, num prazo de três dias úteis, formalizarem a rescisão.

Edital de convocação para rescisão contratual

Edital de convocação para rescisão contratual

A reportagem do Sul21 procurou contato com a senadora Ana Amélia Lemos, por intermédio de sua assessoria de imprensa, na tarde desta quinta-feira (11), em várias oportunidades, para que ela confirmasse os dados apurados. No início da noite, a assessoria informou que ela estivera em atividades de campanha  e não teria tido intervalo em sua agenda para tratar do tema.

Relacionado
4 comentários para “Ana Amélia foi CC do marido no Senado enquanto era diretora da RBS”

Ana Amélia foi CC do marido no Senado enquanto era diretora da RBS « Sul 21

Anúncios

44 Comentários »

  1. […] Britto, Germano Rigotto, Yeda Crusius e agora o Tiririca da Serra. Sem contar seus dois senadores, Ana Amélia Lemos e Lasier Martins. emplacou também mais um prefeito em Porto Alegre, um […]

    Pingback por RBS e seu modus operandi | Ficha Corrida — 23/11/2016 @ 7:56 am | Responder

  2. […] ser reprovado pela RBS. Aliás, fico sempre desconfiado com qualquer um que a RBS aprove, seja Ana Amélia Lemos, Antonio Britto ou Lasier Martins. Desde 1987 que eu sempre sigo em sentido inverso ao defendido […]

    Pingback por O que é melhor, aprovação unânime no TCE ou reprovação unânime na RBS? | Ficha Corrida — 19/11/2016 @ 10:05 am | Responder

  3. […] Jato está fazendo autocrítica por ter se lambuzado no petrolão?! Alguém leu alguma crítica da Ana Amélia Lemos ou do José Otávio Germano ao PP? Diógenes de Oliveira foi o primeiro a falar nas contas nas […]

    Pingback por Precisamos falar sobre diversionismo em má hora | Ficha Corrida — 24/10/2016 @ 8:31 am | Responder

  4. […] atual governo que o povo gaúcho. Não se trata apenas de seus dois funcionários, Lasier Martins e Ana Amélia Lemos, teúdos e manteúdos do golpe. Mas também Augusto Nardes, Eliseu Padilha e Pedro Parente que […]

    Pingback por Golpe deixa como legado um recorde de abstenção e votos nulos | Ficha Corrida — 12/10/2016 @ 7:47 am | Responder

  5. […] do Sindicato dos Servidores do Poderes Judiciários do RS, que vangloriavam da parceria com Ana Amélia Lemos, Eduardo CUnha para conseguirem um aumento de 70% nos salários. Foram parceiros das pautas bombas […]

    Pingback por Tudo o que é sólido desmancha no ar | Ficha Corrida — 11/10/2016 @ 9:49 am | Responder

  6. […] molotov e o cheiro de um pacote de merda. Na RBS já tivemos José Barrionuevo, Lasier Martins, Ana Amélia Lemos, Luis Carlos Prates, Alexandre Fetter. O cidadão tem que ter uma auto estima abaixo do rabo do […]

    Pingback por Rede Globo é o câncer, com metástases regionais, da democracia | Ficha Corrida — 30/09/2016 @ 9:35 am | Responder

  7. […] teúdo e manteúdo da RBS, também conseguiu eleger dois senadores extraídos de suas fileiras: Ana Amélia Lemos (do PP gaúcho), e Lasier Martins(do PDT […]

    Pingback por RBS e as origens do ódio | GLÁUCIA SEM COMENTÁRIOS — 22/09/2016 @ 12:37 pm | Responder

  8. […] teúdo e manteúdo da RBS, também conseguiu eleger dois senadores extraídos de suas fileiras: Ana Amélia Lemos (do PP gaúcho), e Lasier Martins (do PDT […]

    Pingback por RBS e as origens do ódio | Ficha Corrida — 22/09/2016 @ 7:28 am | Responder

  9. […] ao lado destes dois luíses: Luis Carlos Prates e Luis Carlos Heinze. Para ficar entre os gaúchos, Ana Amélia Lemos, o Louro José do Senado, padece da alegria das Marias Antonietas golpistas. Sua parceria com […]

    Pingback por Maria (Antonieta) vai com as outras | Ficha Corrida do GOLPE — 04/09/2016 @ 7:50 pm | Responder

  10. […] ambos tributários deEliseu Padilha. De nada serve ridicularizar o Tiririca da Serra mas votar em Ana Amélia Lemos e Lasier […]

    Pingback por Um olhar sobre os erros do PT no país da mídia golpista | Luíz Müller Blog — 04/09/2016 @ 12:18 pm | Responder

  11. […] Sartori e poupar Sebastião Mello. De nada serve ridicularizar o Tiririca da Serra mas votar em Ana Amélia Lemos e Lasier Martins. Isto é, de nada serve atacar os frutos e esquecer a árvore que os […]

    Pingback por Análise lúcida sobre os erros do PT no país da mídia golpista | Ficha Corrida do GOLPE — 04/09/2016 @ 10:13 am | Responder

  12. […] no Congresso: enquanto a Rede Globo conta com Aécio Neves e Eduardo CUnha, a RBS conta com Ana Amélia Lemos e Lasier […]

    Pingback por Porto Alegre diz não à linha sucessória defendida pela RBS: Eduardo CUnha/Temer, Sartori & Sebastião Mello | Ficha Corrida do GOLPE — 01/09/2016 @ 9:42 am | Responder

  13. […] A figura da mulher Dilma foi vilipendiada, inclusive com a participação de algumas mulheres, como Ana Amélia Lemos, a Louro José do […]

    Pingback por Estupro à brasileira | Ficha Corrida do GOLPE — 30/08/2016 @ 10:00 am | Responder

  14. […] não degenera, diz o ditado. Fetter, assim como Antônio Britto, Yeda Crusius, Luis Carlos Prates, Ana Amélia Lemos e Lasier Martins  são ratazanas produzidas nos porões da RBS, também conhecida, devido às […]

    Pingback por Fábrica de ratazanas, a RBS | Matemática em Sobral — 30/08/2016 @ 8:07 am | Responder

  15. […] não degenera, diz o ditado. Fetter, assim como Antônio Britto, Yeda Crusius, Luis Carlos Prates, Ana Amélia Lemos e Lasier Martins  são ratazanas produzidas nos porões da RBS, também conhecida, devido às […]

    Pingback por A fábrica de ratazanas da RBS | Ficha Corrida do GOLPE — 29/08/2016 @ 10:17 am | Responder

  16. […] vou falar daquela ratinha feliz à direita, a Ana Amélia Lemos, com a camisa da […]

    Pingback por Onde está Wally? | Ficha Corrida do GOLPE — 28/08/2016 @ 7:41 am | Responder

  17. […] Sirvam nossas patranhas de modelo a toda terra: o amestramento dos gaúchos fez com que os gaúchos trocassem Olívio Dutra por dois funcionários da RBS: Lasier Martins e Ana Amélia Lemos.  […]

    Pingback por O Câncer que a RBS ajuda espargir | Ficha Corrida do GOLPE — 23/08/2016 @ 12:04 pm | Responder

  18. […] ao lado de Eduardo Cunha já foi preenchida por Cláudia Cruz. Esta saída já está trancada. A Ana Amélia Lemos tem uma dica sui generis para fazer parecer-se honesta. Não se trata de, como Monica Lewinsky, […]

    Pingback por Dicas para safar-se da prisão | Ficha Corrida do GOLPE — 16/08/2016 @ 9:01 am | Responder

  19. […] nada adianta apenas culpa em Temer, Serra, Aécio, CUnha, Ana Amélia Lemos. Eles são apenas os marionetes atuais dos interesses da Rede Globo. Estes passam, mas desde 1954 a […]

    Pingback por Rede Globo, desde 1954 dando golpes | Ficha Corrida do GOLPE — 14/08/2016 @ 10:57 am | Responder

  20. […] protegidas pelo Papa? O DEM dos Maias do Rio Grande do Norte e do Rio de Janeiro? O PP gaúcho, da Ana Amélia Lemos e da famiglia ladra de Biscoitos […]

    Pingback por São todos CUnha! | Ficha Corrida — 12/07/2016 @ 9:35 am | Responder

  21. […] José Ivo Sartori, Michel Temer & Eduardo CUnha? Ela já se perguntou porque sua funcionária Ana Amélia Lemos escolheu o PP gaúcho para se lançar a Senadora? O que a RBS tem a dizer a respeito de suas […]

    Pingback por RBS cospe seu bagaço | Ficha Corrida — 12/07/2016 @ 8:55 am | Responder

  22. […] uniu a GERDAU, Augusto Nardes e à manada de midiotas gaúchos e conseguiu eleger dois senadores: Ana Amélia Lemos e Lasier Martins. Eles ajudaram cumpriram com os designios dos patrões e ajudaram a dar o golpe. […]

    Pingback por Depois da BROI, PSDB & Rede Globo preparam Petrobrax | Ficha Corrida — 26/06/2016 @ 10:45 am | Responder

  23. […] Social, Senador Octávio Cardoso, a partir de 1º de abril do corrente ano”. Íntegra AQUI, mas vale destacar este parágrafo: “Na época, Ana Amélia era diretora da sucursal da RBS, […]

    Pingback por AIERJ – Associação de Imprensa do Estado do Rio de Janeiro. – Proibição da propaganda de cerveja em rádio e TV — 16/09/2015 @ 5:54 pm | Responder

  24. […] Social, Senador Octávio Cardoso, a partir de 1º de abril do corrente ano”. Íntegra AQUI, mas vale destacar este […]

    Pingback por Proibição da propaganda de cerveja em rádio e TV | blog da kikacastro — 16/09/2015 @ 8:00 am | Responder

  25. […] para enfiar goela abaixo dos midiotas gaúchos. Nem mesmo seus dois senadores, Lasier Martins e Ana Amélia Lemos, poderá […]

    Pingback por Zelotes, a operação que não ousa dizer seu nome… na RBS | Luizmuller's Blog — 14/09/2015 @ 11:00 am | Responder

  26. […] que cargas d’água as imagens de Ana Amélia Lemos e Lasier Martins deve aparecer em primeiro? Se fosse apenas um, vá lá,coincidência, mas os dois? […]

    Pingback por RBS torce e, com isso, distorce | Ficha Corrida — 04/10/2014 @ 8:24 am | Responder

  27. […] da RBS; no Estado, uma das mais fiéis e identificadas com o ideário patrimonialista da RBS, Ana Amélia Lemos. No Senado, aquele que foi adestrado para deitar lição de moral na hora do almoço, atando as […]

    Pingback por Precisamos falar de Lasier Martins | Ficha Corrida — 01/10/2014 @ 11:59 pm | Responder

  28. […] PMDB, foi o primeiro Senador da História cassado. Com a palavra os paladinos da moral e da ética, Ana Amélia Lemos e Pedro Simon, parceiros políticos de Luiz Estêvão. FHCdeve mais esta obra ao povo brasileiro, […]

    Pingback por Um ex-senador é preso e não aparece o partido? Ele não é petista | MANHAS & MANHÃS — 27/09/2014 @ 6:30 pm | Responder

  29. […] PMDB, foi o primeiro Senador da História cassado. Com a palavra os paladinos da moral e da ética, Ana Amélia Lemos e Pedro Simon, parceiros políticos de Luiz Estêvão. FHC deve mais esta obra ao povo brasileiro, […]

    Pingback por Um ex-senador é preso e não aparece o partido? Ele não é petista | Ficha Corrida — 27/09/2014 @ 5:48 pm | Responder

  30. […] a base moral da qual deriva todo o comportamento da Ana Amélia Lemos. Tendo casado com um Senador Biônico, este, que ascendeu pelo língua, como todo lambe-botas, este […]

    Pingback por Saiba por que Ana Amélia é um 7 no meio do 11? | Ficha Corrida — 27/09/2014 @ 9:42 am | Responder

  31. […] Mendes pensava que comandaria os Ministros do TSE da mesma forma com que amadrinhava Pedro Simon, Ana Amélia Lemos, Álvaro […]

    Pingback por Gilmar Mendes não sabe perder | Ficha Corrida — 25/09/2014 @ 9:02 am | Responder

  32. […] Ingmar Bergman fez um filme primoroso para explicar a ascensão do nazismo: “O ovo da serpente”. A trajetória e a retórica entre Marina e Hitler se assemelham. Nada dos outros presta, por todos os lugares por onde passa faz terra arrasada, se a$$oCIA a o que é de mais atrasado. A retórica do ovo por quem mora na Av Paulista em apartamento cedido por empresário do agronegócio, já condenado por trabalho escravo, é um acinte. Prometer Banco Central independente por que o Banco Itaú a banca não é outra coisa que senão a promessa de desmatamento das ideias e dos ideais. Ao abandonar o Acre colhe dos acreanos um forte rejeição nas urnas. Não é também sintomático que o irmão de Darli Alves da Silva, que matou Chico Mendes, apoie Marina, e que a filha de Chico Mendes não vote em Marina?! Por que nos Estados natais de Marina e Aécio os rejeitem eleitoralmente? Por que Silas Malafaia manda mais em Marina que nos próprios negócios de sua igreja? Por que, para Marina, é mais fácil explicar o que acontece na Petrobrás mas tão difícil de explicar as 100 viagens no jatinho fantasma do PS(d)B e do Eduardo Campos… Por que Marina ser arvora em ser o “novo na política” mas se cerca do que há de mais atrasado, desde Heráclito Fortes, famiglia Bornhausen, Silas Malafaia, Pedro Simon, Ana Amélia Lemos… […]

    Pingback por FIESP troca Maluf por Marina | Ficha Corrida — 24/09/2014 @ 8:41 am | Responder

  33. […] Crusius, a pior governadora do Brasil naqueles anos. Quando via a derrocada da Yeda, a RBS lançou Ana Amélia Lemos. Trazendo de Brasília, depois de 40 anos, para concorrer ao governo do Estado, busca substituí-la […]

    Pingback por RBS x Rio Grande | Ficha Corrida — 22/09/2014 @ 9:09 am | Responder

  34. […] tranquilamente. Foi assim com Eliseu Padilha Rima Rica, com Antonio Britto, com Yeda Crusius, com Ana Amélia Lemos, com José Sarney, com Renan Calheiros. Por que Simon nunca diz nada a respeito das falcatruas do […]

    Pingback por Diga-me com quem andas e direi quem és, Pedro Simon! | Ficha Corrida — 20/09/2014 @ 8:50 am | Responder

  35. […] da pantalha da Yeda Crusius, a ética da Ana Amélia Lemos. Nós, a manada de lambe botas da RBS, […]

    Pingback por Depois da pantalha paulista, a RBS enfia goela abaixo dos gaúchos a fazendeira goiana | Ficha Corrida — 19/09/2014 @ 10:41 pm | Responder

  36. […] teríamos tido Antonio Britto, Yeda Crusius e agora Ana Amélia Lemos e Lasier Martins não fosse esta família mafiosa dos Sirotsky. O pior bandido é sempre aquele que […]

    Pingback por Estado lamentável de Minas | Ficha Corrida — 16/09/2014 @ 8:58 am | Responder

  37. […] troca de Yeda Crusius por Ana Amélia Lemos não é recall, é merda […]

    Pingback por Lillo porque qui-lo! | Ficha Corrida — 16/09/2014 @ 6:56 am | Responder

  38. […] RBS? Do lado da apropriação do dinheiro por quem está também de seu lado! Aliás, como fez com Ana Amélia Lemos, terceirizando ao Senado o pagamento de seu […]

    Pingback por Álvaro Dias é chamado de “Sarney do Paraná” | Ficha Corrida — 15/09/2014 @ 9:09 am | Responder

  39. […] e toda corrupção só chegou ao conhecimento dos gaúchos por outros veículos. Agora é a vez da Ana Amélia Lemos e sua ética de ocasião. Se a ocasião é boa para ela, tudo bem. Se não é, […]

    Pingback por MANHAS & MANHÃS — 14/09/2014 @ 7:52 pm | Responder

  40. […] hipocrisia da Ana Amélia Lemos tem raiz na mesma hipocrisia de quem tem  a desfaçatez de escrever um livro “Não somos […]

    Pingback por MANHAS & MANHÃS — 14/09/2014 @ 7:48 pm | Responder

  41. […] hipocrisia da Ana Amélia Lemos tem raiz na mesma hipocrisia de quem tem  a desfaçatez de escrever um livro “Não somos […]

    Pingback por Desfaçatez da RBS & Ana Amélia tem raízes na matriz, Rede Globo | Ficha Corrida — 14/09/2014 @ 6:11 pm | Responder

  42. […] e toda corrupção só chegou ao conhecimento dos gaúchos por outros veículos. Agora é a vez da Ana Amélia Lemos e sua ética de ocasião. Se a ocasião é boa para ela, tudo bem. Se não é, […]

    Pingback por Por que a RBS quer comprar o RS? | Ficha Corrida — 14/09/2014 @ 10:30 am | Responder

  43. […] momento em que a Constituição obrigou a realização de concurso público pessoas com a ética da Ana Amélia Lemos começaram a bater no servidor público. Houve até uma orquestração da Veja com Globo, RBS e […]

    Pingback por A ética da malandragem | Ficha Corrida — 13/09/2014 @ 11:10 am | Responder

  44. […] hormônios da Veja, Feliciano, FHC, Banco Itaú, Bornhausen e pela mais nova moralista da praça, Ana Amélia Lemos. Nem vou considerar que Deus também esteve só ao lado de Marina, deixando ao diabo Eduardo Campos […]

    Pingback por “O beijo, amigo, é a véspera do escarro” | Ficha Corrida — 13/09/2014 @ 8:47 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: