Ficha Corrida

23/07/2014

Os idos de março

Filed under: Choque de Gestão,Crise da Água,Isto é PSDB!,Racionamento de Água — Gilmar Crestani @ 9:20 am
Tags:

A história dos idos de março está em Vidas Paralelas, do historiador greco-romando Plutarco, quando traça o paralelo entre César e Alexandre o Grande. Quem tiver curiosidade, poderá ler a tragédia Júlio César de Shakespeare mas eu ainda prefiro o clássico de Plutarco.

Empurrar com a barriga ou com a barrica, nisso deu o choque de gestão do PSDB. Os tais gestores não conseguem, num país como o Brasil, garantir água potável aos paulistanos. Se já consomem “volume morto”, o que consumirão em março?

águaoÁgua do Cantareira não está garantida até 2015, diz ministra

Para titular do Meio Ambiente, ‘não é possível afirmar que vai chover’ no sistema a partir do mês de outubro

Sabesp afirma que as medidas tomadas até agora no Estado suprem a demanda na região até março

AGUIRRE TALENTODE BRASÍLIA

A ministra do Meio Ambiente do governo Dilma Rousseff (PT), Izabella Teixeira, disse nesta terça (22) que o abastecimento de água pelo sistema Cantareira não está garantido até março, como prevê a Sabesp, companhia de água do governo de São Paulo.

Izabella participou de reunião sobre o tema convocada pela ANA (Agência Nacional das Águas) com especialistas de instituições como USP e Unicamp. Não foram convidados representantes da gestão Geraldo Alckmin (PSDB).

Segundo ela, estudos do Ministério da Ciência apontam que "não é possível fazer a afirmação de que vai chover no Cantareira". "É muito prematuro falar isso", disse.

A Sabesp conta com chuvas a partir de outubro e com o "volume morto", reserva de água que fica abaixo do ponto de captação das represas, para alcançar essa meta, mas o governo federal avalia que a previsão é arriscada.

"O ministério nos informou que, embora o Brasil já esteja vivendo os efeitos do El Niño [aquecimento das águas do Pacífico], não há nenhuma garantia de que o fenômeno vai gerar chuvas em São Paulo", afirmou a ministra.

Na reunião, especialistas defenderam o aumento das tarifas para quem consumir muito –um complemento ao bônus já concedido pelo governo paulista para quem reduzir o consumo.

"É necessário ser reduzido o consumo ou a vazão", disse Vicente Andreu, diretor-presidente da ANA.

A ANA já havia recomendado a redução de vazão do Cantareira. Segundo Andreu, o assunto continuará em discussão. No caso do aumento da tarifa, porém, ele afirma que não cabe à ANA fazer a recomendação.

Ontem, o nível do sistema Cantareira estava em 16,8%.

MEDIDAS

Procurada, a Sabesp afirmou que, graças a medidas adotadas, "garante o abastecimento até março de 2015".

Segundo a empresa, as principais medidas foram a transferência de vazões dos sistemas Alto Tietê, Rio Grande e Guarapiranga para atender áreas abastecidas pelo Cantareira, o uso do "volume morto" e a criação, em fevereiro, dos bônus para clientes que reduzirem o consumo.

"Se necessário, outra parte da reserva técnica pode ser acionada. E, se as chuvas voltarem à normalidade, o uso deverá ser suspenso, com retorno ao modelo de captação anterior", diz a nota.

Neste mês, Alckmin, candidato à reeleição em outubro, recuou da intenção de sobretaxar quem não economizar água. Ele tinha lançado a ideia em abril, em meio à crise hídrica histórica enfrentada no Estado.

A crise da água chegou a ser explorada pelo candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha.

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: