Ficha Corrida

08/07/2013

Dunga e o Jabá

Filed under: Dunga,Inter,Jabá — Gilmar Crestani @ 9:13 am
Tags:

Jabá é um termo de bom trânsito no meio jornalístico. Não é muito comum entre treinadores. Mas, voltando ao termo jabá, a wikipédia define:

Jabaculê – também conhecido como jabá, termo utilizado na indústria da música brasileira para denominar uma espécie de suborno em que gravadoras pagam a emissoras de rádio ou TV pela execução de determinada música de um artista.

O Dicionário Informal vai além:

Há também o jabá pessoal, em que o indivíduo vende a própria imagem. Pessoas desesperadas por emprego ou simplesmeste exibicionistas crônicas costumam valer-se desse tipo de jabá.

Como diz o Mino Carta, no Brasil é o único lugar onde jornalista chama o patrão de colega. Na RBS, jornalista bom é aquele que é convidado para passar as férias em Jurerê Internacional, na casa do patrão. Fazem fila, e os comentários nos bastidores dizem a respeito dos que foram e dos ainda irão. O jabá, no jornalismo, foi definido por Hélio Fernandes, da Tribuna da Imprensa, como “celular pré-pago”. O mais conhecido jornalista celular foi Diogo Mainardi, um banana no cacho do Daniel Dantas. Tem jornalista que se contenta com passagens aéreas para paraísos turísticos, ou com viagens de cobertura internacional.

O que é o salário sem não um jabá oficial. Quando o jornalista só faz o que o patrão manda, o jabá está no contracheque. Qual é a liberdade do jornalista que não puxa o saco do patrão. Por que nenhum jornalista da RBS ousou discutir a proteção escandalosa e escancarada da Brigada Militar em detrimento à proteção dos demais proprietários durante as manifestações? Seria mero acaso não fossem duas instituições remanescentes do autoritarismo, RBS e BM, o fato de terem confraternizado no dia imediatamente seguinte, com o recebimento dos comandantes em todos os veículos.

E o que disseram os funcionários a respeito desta relação incestuosa? Como queria o patrão, só elogios à brigada. Nenhuma discussão sobre o mérito. Nenhuma discussão sobre o porquê de os manifestantes protestarem na frente da RBS. O protesto era exatamente pelo tipo de jornalismo praticado pela RBS.

Quando Dunga fala sobre presentes, não está falando nenhuma novidade. Quando diz que jornalista não gosta de ser criticado, também não inventa. Quando alguém ousa divergir, é taxado por perseguidor, de ser contra a liberdade de expressão. No caso da RBS, só existe liberdade de empresa.

Quando a RBS quis melar o contrato do Inter com a Andrade Gutierrez, todos os funcionários se somaram aos interesses do patrão. Nenhum se preocupou em botar luz sobre os interesses que a RBS estava defendendo.

O jabá não foi inventado pelo Dunga, mas é praticado diuturnamente naqueles que ousam ataca-lo.

2 Comentários »

  1. Republicou isso em O LADO ESCURO DA LUA.

    Comentário por anisioluiz2008 — 08/07/2013 @ 9:46 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: