Ficha Corrida

06/09/2011

Folha quer Judiciário fazendo Malt90

Filed under: AMBEV,Poder Judiciário — Gilmar Crestani @ 7:45 pm

O contingente incorporado ao serviço público é semelhante ao número de empregados que uma grande empresa como a Ambev tem na América do Sul.” O pessoal do “estado mínimo” pega pesado para demonstrar o quanto são ignorantes. Compara a atuação do Judiciário com um cervejaria é coisa de bêbado. A generalização quanto aos gastos é tão idiota que nem mereceria maiores considerações. Para resumir, basta dizer que o Judiciário Federal se interiorizou. Está lá onde deveria esta desde sempre, mas o pessoal que quer acesso restrito não queria. Devem estar se perguntando, por que uma Vara Federal em Bagé? O povo de Bagé que o diga.

Folha de SP: Judiciário, em guerra por aumento, lidera gastos com pessoal
(06.09.11)

Natuza Nery e Gustavo Patu, de Brasília
O Judiciário, que abriu um conflito com o Executivo ao reivindicar recursos para um aumento salarial no próximo ano, foi o Poder que mais ampliou seu quadro de funcionários e os gastos com pessoal nos últimos anos.
Enquanto o governo federal interrompeu um processo de enxugamento e elevou em cerca de 20% o total de servidores na administração direta, nas autarquias e nas fundações, a máquina dos tribunais cresceu em quase 50%.
Trata-se de um aumento de 81,7 mil para 121,6 mil servidores. O contingente incorporado ao serviço público é semelhante ao número de empregados que uma grande empresa como a Ambev tem na América do Sul.
Impulsionada por essa expansão, a despesa com pessoal no Judiciário cresceu, em valores nominais, 154% ao longo dos dois mandatos de Lula -considerados os aposentados e pensionistas.
No Executivo, o crescimento foi de 142,5%, e a causa principal foram os reajustes salariais generalizados.
O presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil, Gabriel Wedy, diz que o aumento de servidores e de gastos com pessoal é uma compensação de quase 20 anos de "estagnação".
Na semana passada, o pedido de aumento para o Judiciário quase gerou a primeira crise institucional na gestão de Dilma Rousseff. Os ministros do STF se revoltaram ao constatar que a proposta orçamentária de 2012 enviada ao Congresso não contemplava a demanda.
O governo teme que um aumento agora, a um custo de R$ 7,7 bilhões, intensifique a pressão de outras carreiras.
Em geral, policiais, promotores e até parlamentares costumam perseguir os padrões do Judiciário. Em 2010, o Congresso aprovou remuneração igual à dos ministros do STF.
Nas contas da equipe econômica, o impacto do aumento é considerado "impraticável".
A proposta do Judiciário eleva a remuneração dos ministros do STF para R$ 30,6 mil, um aumento de 14,7% sobre os atuais R$ 26,7 mil. O texto prevê ainda reajuste de até 56% para servidores.
O governo diz que precisaria sacrificar gastos sociais para atender à demanda do STF. Os R$ 7,7 bilhões necessários para contemplar o Judiciário representam quase a metade do gasto com o Bolsa Família previsto para 2012.
O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse ontem que o Congresso não aprovará, neste momento, o reajuste.
"Estendemos a posição do Judiciário, mas não temos condições de fazer isso agora. Não é possível dar aumento de 50% ou mais".
Colaboraram Felipe Seligman e Maria Clara Cabral, de Brasília.
Leia a matéria na íntegra, clicando aqui.

ESPAÇO VITAL – folha-sp-judiciario-em-guerra-por-aumento-lidera-gastos-pessoal

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: