Ficha Corrida

17/02/2011

O jornalismo paraguaio da VEJA

Filed under: PIG — Gilmar Crestani @ 10:09 am
Tags: , , , ,

 

Quanto mais Kant melhor – Edição 195 – {Revista Trip}

Valter José é filósofo e diretor de filmes pornôs, no limite entre putaria e a crítica da razão pura

icone postado

15.12.2010 | Texto por Diogo Rodriguez Fotos Chema LLanos

Chema Llanos

Valter José, no limite entre a putaria e a crítica da razão pura

Valter José é filósofo especialista em Kant e diretor de filmes pornôs. Mergulhado nessa vida dupla, ele vive no limite entre a putaria e a crítica da razão pura.

Os habitantes da pequena cidade Nova Königsberg, no Paraguai, estavam prestes a enfrentar um grave problema. Descendentes de prussianos fugidos da Segunda Guerra, eles eram da mesma cidade do filósofo Immanuel Kant. O pensador era mais do que um ídolo para eles, que se vestiam e agiam como o autor de Crítica da razão pura. Quando o professor francês Jean Baptiste Botul fez uma visita ao local, foi convidado a ministrar uma série de palestras sobre a biografia de Kant aos moradores da aldeia, ávidos por mais informações sobre seu muso inspirador. Mas havia um porém. Consta na história que o filósofo era celibatário. Nunca se casou ou teve filhos, tampouco amantes. Botul se viu numa encruzilhada. Como revelar a verdade sem correr o risco de levar a aldeia à extinção por falta de procriação?

A história acima é uma ficção criada pelo jornalista Frédéric Pagès no livro A vida sexual de Imannuel Kant (1999). Mas a piada foi levada a sério na época de sua publicação, e veículos como Veja e Le Monde Diplomatique caíram na pegadinha. A aldeia não existe. Nem Botul. Só o recato de Immanuel Kant é verdadeiro: ele era mesmo celibatário. É uma ironia, portanto, que Valter José Maria Filho seja especialista justamente nesse pensador tão dedicado à disciplina mental que deixou os prazeres da carne de lado.
OK, Valter tem semelhanças com seu objeto de estudo. Aos 52 anos, ele não se casou nem teve filhos. Mora na casa dos pais, na zona leste de São Paulo. Filósofo, fez mestrado e doutorado sobre Kant e acabou de entrar no pós-doutorado da Universidade de São Paulo, onde é orientado por Franklin Leopoldo Silva, um respeitado professor dessa instituição.
Mas seria Valter um Kant brasileiro? Não exatamente. Além do currículo acadêmico repleto de artigos e dissertações de títulos enigmáticos (“A razão na época da sua efetuação” e “A reflexão e os dias” são alguns exemplos), ele tem um outro, com títulos bem mais explícitos: Sexo sem dinheiro, O bordel e Dispersas perversões. Valter é diretor de cinema pornô. Com mais de dez filmes no currículo, tem uma vida dupla que faria arrepiar os cabelos do contido Kant. Gasta quatro horas por dia lendo tratados filosóficos em francês, inglês e alemão. Outras incontáveis horas passa no Twitter seguindo atrizes pornôs e procurando novidades no mundo do sexo explícito. Os dois gostos não se misturam, porém. “Eu acho que hoje a pornografia não é mais um tema. Estou preocupado com outras coisas, com metafísica. É sério, mas é diversão.”
A alta cultura e a baixaria começaram mais ou menos na mesma época. Aos 19 anos, viu seu primeiro pornô, Atrás da porta verde, emprestado por um primo que trabalhava numa produtora de vídeo. Filmes pornográficos eram proibidos pela ditadura militar e só estavam disponíveis na surdina. Gostou e virou fã, mas só pôde começar a exercitar seu hobby depois que o Brasil virou novamente um país democrático. “Eu frequentava os cinemas da Boca do Lixo. Na época, o cinema era muito barato. Com R$ 5 dava para assistir a dois filmes. Eu ficava entre os filmes de arte e os pornôs.”
Entrou na faculdade de filosofia da USP em 1979 e ali descobriu o outro traço marcante de sua vida: o estudo. Nos anos 80 trabalhou como jornalista de cultura para veículos como Folha de S. Paulo, Set, O Estado de S. Paulo e Guia do Vídeo Erótico, escrevendo resenhas e fazendo perfis de atrizes e diretores de filmes de sacanagem. O mestrado completou em 1989 e o doutorado, em 1997, enquanto se especializava em Kant, cinema pornô italiano, francês e americano. No começo dos anos 90, fez assessoria de imprensa para as empresas do ramo: Private, Brasileirinhas e Ponto G. Só em 1999 ele iria dirigir seu primeiro filme, Eróticas criaturas, pela produtora Buttman.

Anões, travestis e HIV

Valter aproveitou a chance para homenagear seus diretores favoritos do pornô (John Stagliano, Luca Damian e Joe D’Amato). Começou cheio de ideias, inspirando-se nos clássicos dos anos 70, porque nesses filmes “se filmava a relação sexual realisticamente”. Era multiuso no set. Dirigia, fazia câmera, produzia e selecionava as garotas. Estava finalmente vivendo o sonho e deixando as críticas de lado para ir às vias de fato. Chegou a produzir cenas para produtoras do exterior. Foi quando mais ganhou dinheiro, diz. “Chegava a US$ 5 mil por mês.” A grana parou de entrar quando um surto do vírus HIV assustou a indústria em 2004. Um ator teria contraído a doença no Brasil. “Os clientes não vieram mais. Depois disso deu uma parada razoável.”
Secou não só a fonte de sustento como também o tesão pela profissão. “Me desiludi com a pornografia porque percebi que você não tem liberdade. É um trabalho como outro qualquer. As pessoas têm que se submeter a uma ordem”, desabafa. A demanda por filmes mais pesados com travestis e anões tiveram seu peso na decisão de se afastar da libertinagem. Valter também não gostou de ter que dirigir atores gays. A memória dos anos 70 ainda ecoa em sua mente, que acha os filmes de hoje muito “frenéticos” e “performáticos”.
Hoje Valter está mais para filósofo do que para pornógrafo. Ainda checa as novidades pela internet e os filmes que recebe em casa dos amigos do exterior. Alterna-se entre ser intérprete de empresários estrangeiros do ramo pornográfico que visitam o Brasil, algumas visitas à zona (quando tem dinheiro, o que não era o caso na semana da entrevista) e leituras complexas.

Não desistiu do cinema, porém, e já tem uma nova empreitada que “nada tem a ver com pornô”. Vai fazer um documentário sobre seu orientador, Franklin Leopoldo Silva. “Aí vou poder fazer tudo o que eu quero, usar os planos que eu quero, a iluminação, o andamento, misturar cinema chinês e japonês”, diz Valter, agora mais parecido com um Immanuel Kant e menos com um Marquês de Sade.

“Me desiludi com a pornografia porque percebi que você não tem liberdade. É um trabalho como outro qualquer."

Reportagens: Quanto mais Kant melhor – Edição 195 – {Revista Trip}

40 Comentários »

  1. […] Aí não se sabe se existem ou não. Mas há duas matérias a Veja que para mim são emblemáticas: Nueva Konigsberg e Boimate. Não é que a Veja conseguiu entrevistar os dois personagens que dão sentido ao artigo […]

    Pingback por Biografia bonsai da inVeja | Ficha Corrida — 27/09/2014 @ 11:54 pm | Responder

  2. […] muito que a Veja deixou de fazer jornalismo e se dedicou a fazer matérias pagas, como aquela da Nueva Konigsberg… Os coxinhas que esperavam em fila no site do Álvaro Dias, o Caixa 2, do Fernando Meirelles, […]

    Pingback por A inVeja dos imbecis levou um Boimate na cabeça | MANHAS & MANHÃS — 26/09/2014 @ 12:05 pm | Responder

  3. […] muito que a Veja deixou de fazer jornalismo e se dedicou a fazer matérias pagas, como aquela da Nueva Konigsberg… Os coxinhas que esperavam em fila no site do Álvaro Dias, o Caixa 2, do Fernando Meirelles, […]

    Pingback por A inVeja dos imbecis levou um Boimate na cabeça | Ficha Corrida — 26/09/2014 @ 9:32 am | Responder

  4. […] do Boimate e da Nueva Konigsberg, a Veja virou a melhor piada. Ela faz, mediante bons ganhos, qualquer negócio, menos informar. Por […]

    Pingback por Veja como montar um jogo de armar | Ficha Corrida — 09/09/2014 @ 10:05 am | Responder

  5. […] do Boimate, da Nueva Konigsberg, a Veja ressuscita o Delegado Bruno e  seus arapongas para atender interesse da […]

    Pingback por Factoides da inVeja | Ficha Corrida — 07/09/2014 @ 9:31 am | Responder

  6. […] o Boimate, passando pela Nueva Konigsberg, a Veja é o ponto de encontro de uma manada acéfala a procura de uma égua […]

    Pingback por A marmota da manada foi barrada em taipa de estrume | Ficha Corrida — 21/08/2014 @ 8:11 pm | Responder

  7. […] Hoje a Veja só tem dois tipos de consumidores: os safados e os ignorantes. Depois do Boimate, da Nueva Konigsberg, o Sócia de […]

    Pingback por Veja bunda e cara do Felipão | EVS NOTÍCIAS. — 21/06/2014 @ 1:32 pm | Responder

  8. […] Hoje a Veja só tem dois tipos de consumidores: os safados e os ignorantes. Depois do Boimate, da Nueva Konigsberg, o Sócia de […]

    Pingback por Veja bunda e cara do Felipão | Ficha Corrida — 21/06/2014 @ 10:10 am | Responder

  9. […] tudo. Confiança é o segredo basilar do mercado onde se negocia informação. Depois do Boimate e Nueva Konigsberg pela Veja, a Folha entrevista sócia de Felipão. Não fosse a internet, que desmente dia a dia […]

    Pingback por Folha é sósia do boimate | Ficha Corrida — 19/06/2014 @ 8:12 pm | Responder

  10. […] Millenium entraram em “delirium extremis”. Depois do sucesso do boimate e da descoberta da Nueva Konigsberg, o Estadão embarrigou com estes tais de “golfinhos […]

    Pingback por Do boimate aos golfinhos assassinos | Ficha Corrida — 11/04/2014 @ 9:47 pm | Responder

  11. […] brasileiros, a quem ela finaCIA, para cair num conto de primeiro de abril… Depois do Boimate e da Nueva Konigsberg, viva a barrigada dos nossos parceiros da […]

    Pingback por Primeiro de Abril! | Ficha Corrida — 02/04/2014 @ 9:04 am | Responder

  12. […] do Boimate, da Nueva Konigsberg, a Veja perpetrou Eike. Ei, ke merda de revista, […]

    Pingback por O novo Boimate da Veja se chama Eike | Ficha Corrida — 04/11/2013 @ 9:33 am | Responder

  13. […] claro…). Alguém ainda deve lembrar da glorificação do José Inácio Arruda… De boimate a Nueva Konigsberg,  passando por Eike Xiaoping, a Veja vai espalhando seu jornalismo de […]

    Pingback por Enquanto isso, Veja faturou duas capas | Ficha Corrida — 31/10/2013 @ 8:37 am | Responder

  14. […] Depois que a Veja tornou pública a miscigenação do tomate com o boi, o tal de Boimate, todos os celetistas da Veja deveriam ser internados na Nueva Konigsberg… […]

    Pingback por Cubanos x Policarpo Junior | Ficha Corrida — 08/10/2013 @ 9:10 pm | Responder

  15. […] Veja localizou uma plantação de Boimate na fazenda do filho do Lula e Nueva Konigsberg e prepara uma entrevista nas páginas amarelas com o ET de Varginha, que diz ter provas da […]

    Pingback por Lula, o ladrão das mil faces | Ficha Corrida — 30/09/2013 @ 7:51 am | Responder

  16. […] leitores da Veja que mesmo depois dos vexames do Boimate e da Nueva Konigsberg continuam acreditando merecem. Nunca foi tão apropriada a cor de m. destas […]

    Pingback por Acredita na Veja? Relinche!por Gilmar Crestani  Os leitores da Veja | SUSCETÍVEL FEBRIL — 05/07/2013 @ 5:48 am | Responder

  17. […] leitores da Veja que mesmo depois dos vexames do Boimate e da Nueva Konigsberg continuam acreditando merecem. Nunca foi tão apropriada a cor de m. destas […]

    Pingback por Acredita na Veja? Relinche! | Ficha Corrida — 04/07/2013 @ 11:33 pm | Responder

  18. […] Nada mais pornográfico que uma edição da Veja com José Roberto Arruda, Demóstenes Torres, Carlinhos Cachoeira, José Serra ou FHC nas páginas cor de merda. Pior, só aquela edição com o boimate ou então aquela com Nueva Konigsberg… […]

    Pingback por Anglicana vira piada ao aceitar bispos gays, mas celibatário « E S C O M B R O S — 19/01/2013 @ 12:13 pm | Responder

  19. […] Nada mais pornográfico que uma edição da Veja com José Roberto Arruda, Demóstenes Torres, Carlinhos Cachoeira, José Serra ou FHC nas páginas cor de merda. Pior, só aquela edição com o boimate ou então aquela com Nueva Konigsberg… […]

    Pingback por “Revistas porqueria”? Veja, só! « Ficha Corrida — 19/01/2013 @ 10:29 am | Responder

  20. […] Sejamos justos, a Veja e seus leitores merece Reinaldo. É a união perfeita dos mal informados com os  mal intencionados. Se é verdade que não se pode levar a Veja a sério, os seus seguidores são igualmente uma piada. O único produto original deles é o cocô, o resto é boimate ou Nueva Konigsberg. […]

    Pingback por Insulto de Reinaldo a Niemeyer causa revolta na web « Ficha Corrida — 06/12/2012 @ 8:23 am | Responder

  21. […] antes, no Paraguai. Teria sido importada daquela famosa cidade visitada pela reportagem da Veja, Nueva Konigsberg. Resulta de uma mistura parecida com aquela que deu origem ao Boimate. Aliás, aplicada pelos […]

    Pingback por Domínio do fato genérico, contrabandeado do Paraguai « Ficha Corrida — 11/11/2012 @ 9:57 pm | Responder

  22. […] já fez antes, na famosa reportagem Nueva Konigsberg, Veja se inspira no Paraguai para dar vazo ao seus ideário golpista. O Instituto Millenium foi […]

    Pingback por Perseguição e cerco a Lula « Ficha Corrida — 03/11/2012 @ 10:36 am | Responder

  23. […] um boi na linha, a Veja descobriu o boimate. Depois delirou e caiu no conto da tão tão distante Nueva Konigsberg. Veja é o penico; as páginas cor-de-merda, isso mesmo, cocô. Botou fé em José Roberto Arruda, […]

    Pingback por Si senhor, Veja, yo también soy paraguaio « Ficha Corrida — 16/10/2012 @ 11:07 pm | Responder

  24. […] moralismo dá em jurisprudência paraguaia, uma especialidade da Veja que remonta ao Boimate e à Nueva Konigsberg. O povo não é corrupto nem quando votou em FHC nem quando votou em Lula. Agora, a Veja é […]

    Pingback por Reinaldo joga a toalha e antevê derrota de Serra « Ficha Corrida — 13/10/2012 @ 5:24 pm | Responder

  25. […] sabemos, Federico Franco nasceu na cidade de Nueva Konigsberg. Este lugar foi criado pela Veja especialmente para que lá pudesse nascer o modelo Civita de […]

    Pingback por Ao vivo, direto da cidade paraguaia de Nueva Konigsberg « Ficha Corrida — 21/09/2012 @ 8:41 am | Responder

  26. […] nesta lista das invenções paraguaias da Veja, dentre outras, o boimate e a Nueva Konigsberg. Inventar declarações e atribuí-las a terceiros faz parte das normas jornalísticas, desde que […]

    Pingback por A longa tradição das “entrevistas” inventadas « Ficha Corrida — 19/09/2012 @ 9:05 am | Responder

  27. […] Ontem mesmo publiquei aqui que “Para quem já revelou a invenção do boimate e criou a cidade de Nueva Konigsberg, uma entrevista sem áudio em parceria com Gilmar Mendes e Demóstenes Torres, uma invençãozinha […]

    Pingback por O fim « Ficha Corrida — 18/09/2012 @ 7:18 am | Responder

  28. […] quem já revelou a invenção do boimate e criou a cidade de Nueva Konigsberg, uma entrevista sem áudio em parceria com Gilmar Mendes e Demóstenes Torres, uma invençãozinha […]

    Pingback por A emboscada paraguaia de Veja « Ficha Corrida — 17/09/2012 @ 9:06 am | Responder

  29. […] uma autópsia nos leitores da inventora do boimate e da Nueva Konigsberg e só encontram um objeto redondo, verde, do tamanho uma ervilha. Conclusão: quem plantou lá, […]

    Pingback por Nassif acusa Veja de golpismo em entrevista a revista boliviana « Ficha Corrida — 13/07/2012 @ 10:06 pm | Responder

  30. […] da Veja! Vinda da Veja, nada mais espanta. Espantou primeiro foi o Boimate, nos acostumamos com a Nueva Konigsberg, Lucy in The Sky. Agora já é piada pronta. É uma verdadeira revista lisérgica! No Paraguai, […]

    Pingback por Veja made in Paraguai « Ficha Corrida — 07/07/2012 @ 11:28 pm | Responder

  31. […] do Boimate à Lucy in The Skay, passando por Nueva Konigsberg, no […]

    Pingback por A revista lisérgica: Lucy in the Sky « Ficha Corrida — 15/05/2012 @ 10:03 am | Responder

  32. […] lembrar outra façanha da Veja, aos moldes do boimate, o da Nueva Konigsberg… Veja cria o Boimate 2. É Reivaldo Azeprado, mistura de Reinaldo com Prof. Hariovaldo, que […]

    Pingback por Boimate 2 « Ficha Corrida — 13/05/2012 @ 11:24 pm | Responder

  33. […] faz lembrar outro momumento da inteligência nacional, a Veja, com a invenção do boimate e da Nueva Konigsberg. segunda-feira, 7 de maio de […]

    Pingback por O que é a inteligência?! « Ficha Corrida — 08/05/2012 @ 9:02 am | Responder

  34. […] de sola, como todo vira-lata tupiniquim que acredita em tudo o que vem de fora, na história da Nueva Konigsberg. A VEJA merece seus assinantes e vice-versa. As capas médicas da revista […]

    Pingback por As capas médicas da revista Veja « Ficha Corrida — 03/05/2012 @ 9:01 am | Responder

  35. […] do boimate e, não contente com isso, voltou à cena do crime para levar ao mundo a descoberta de Nueva Konigsberg, tudo é possível. Menos a […]

    Pingback por As capas médicas de Veja e os laboratórios « Ficha Corrida — 26/04/2012 @ 10:37 pm | Responder

  36. […] do dedo esquerdo do pé direito. São capazes, para incriminar seus inimigos, associarem a Kant a Nueva Konigsberg. Há quem diga que são mais eficientes em construir uma teoria que liga a inseminação artificial […]

    Pingback por Como se reconhece um fdp? « Ficha Corrida — 25/04/2012 @ 7:44 am | Responder

  37. […] corrupção, da Veja! A Veja, por exemplo, já abriu as portas, sem ter checado, para o boimate, a Nueva Konigsberg… Tudo dentro da ética… da Veja! Cheque ou checa, a Veja é só […]

    Pingback por CPI da Veja « Ficha Corrida — 21/04/2012 @ 9:57 am | Responder

  38. […] Quando se fala em roubar, vem o neologismo malufar. Em se tratando de peta, a Veja do Boimate e Nueva Konigsberg leva o troféu. Agora, em termos de perseguição política a Época abocanha a Globo de Ouro… Se […]

    Pingback por Não passou de Época « Ficha Corrida — 22/01/2012 @ 10:12 am | Responder

  39. […] é o esporte predileto do PIG. E se a matéria vier pronta de fora, melhor. Depois do Boimate e da Nueva Konigsberg da Veja, o UOL dá sua barrigada de final de ano… Argentina bane vendas do iPhone e BlackBerry […]

    Pingback por De boimate, Nueva Konigsberg & Fakeyou « Ficha Corrida — 31/12/2011 @ 6:38 am | Responder

  40. […] revista que pariu Boimate e Nova Königsberg, dá cria. Pariu um Setti para continuar a marcha da insensatez. Agora a serviço do Apartheid. E o […]

    Pingback por Boimate dá cria? « Ficha Corrida — 17/02/2011 @ 11:19 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: